Campanha balcânica de 1529

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Campanha balcânica de 1529
Parte das Guerras Otomanos-Habsburgos
Data 1529
Local Hungria
Resultado Vitória otomana; reconquista de Raab, Komárom, Gran e Buda
Combatentes
Flag of the Habsburg Monarchy.svg Áustria Habsburgo Flag of the Ottoman Empire (1453-1517).svg Turcos otomanos
Comandantes
Fernando I João Zápolya
Solimão, o Magnífico
Forças
Desconhecido, 16.000 soldados em Viena[1] Mais de 120.000 soldados[1]
Baixas
Desconhecido Desconhecido

Após o ousado ataque de Fernando I à Hungria otomana, Solimão iniciou a campanha para conquistar a capital austríaca, Viena e assim, dar o golpe decisivo, que lhe permitiria consolidar seu domínio na Hungria.

A marcha[editar | editar código-fonte]

A marcha de Solimão em direção a Viena foi também uma tentativa de socorrer seu vassalo, João Zápolya que havia conquistado o trono da Hungria. Solimão enviou seu exército de 120.000 homens em direção ao norte em 10 de maio de 1529. Sua campanha foi marcada pelo rápido sucesso - em 8 de setembro Buda rendeu-se aos otomanos e João Zápolya foi instalado como rei da Hungria. Solimão, em seguida, foi mais longe retomando Gran, Tata, Komárom e Raab,[1] de modo que muitas das conquistas de Fernando I nos dois anos anteriores foram perdidas. Em 27 de setembro, Solimão chegou em Viena.

Conseqüências[editar | editar código-fonte]

A presença maciça do sultão e seu exército na Europa Central causou muito pânico em toda a Europa - Martinho Lutero, que acreditava serem os turcos um castigo de Deus contra os pecados dos cristãos[2] mudou de opinião e escreveu o livro a Guerra com os turcos em 1529 insistindo em que "o flagelo de Deus" deveria ser combatido com maior vigor. No entanto, quando Solimão iniciou o cerco de Viena revelou que este seria o seu primeiro e o mais decisivo erro.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Madden, Thomas F. Crusades the Illustrated History. 1st ed. Ann Arbor: University of Michigan P, 2005
  • Turnbull, Stephen. The Ottoman Empire 1326 - 1699. New York: Osprey, 2003.

Notas e referências

  1. a b c Turnbull, Stephen. The Ottoman Empire 1326 - 1699. New York: Osprey, 2003. pg 50
  2. Madden, Thomas F. Crusades the Illustrated History. 1st ed. Ann Arbor: University of Michigan P, 2005 pg