Cateterismo cardíaco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cateter venoso e arterial.

Cateterismo cardíaco, Cinecoronariografia, Angiografia Coronária ou Estudo Hemodinâmico é um exame invasivo para examinar vasos sanguíneos e o interior do coração. O acesso ao interior do coração é feito através de um tubo longo, fino e flexível, chamado cateter, geralmente com cerca de 2,5 milímetros de diâmetro e 1 metro de comprimento, colocado por um vaso sanguíneo periférico do braço, da coxa ou do pescoço. Tem como objetivo corrigir problemas em veias e artérias,como obstruções.[1]

Procedimento[editar | editar código-fonte]

Algumas vezes um pigmento especial é colocado no cateter para fazer com que o interior do coração e vasos sanguíneos apareçam no raio-x. O pigmento pode mostrar se placas ateroscleróticas estreitaram ou bloquearam as artérias coronárias. A aterosclerose é uma placa de gordura no interior de um vaso sanguíneo que estreitam a passagem no interior das artérias, podendo bloquear o fluxo de sangue ao coração. Bloqueios nas artérias também podem ser vistos usando ultrassom durante o cateterismo cardíaco. Ultrassom usa ondas sonoras para criar imagens detalhadas dos vasos sanguíneos do coração.

Os médicos podem tomar amostras de sangue e músculo cardíaco durante o cateterismo, assim como realizar pequena cirurgia cardíaca. Cardiologistas geralmente fazem o cateterismo no hospital com a pessoa acordada durante o procedimento. Há pouca ou nenhuma dor durante o cateterismo, porém a pessoa pode sentir dor no vaso sanguíneo onde o médico inseriu o cateter. O cateterismo cardíaco raramente causa complicações sérias.

Em geral, dura entre 30 e 60 minutos, conforme o procedimento realizado.

Geralmente é feito em uma sala específica para procedimentos invasivos do hospital com o paciente acordado (anestesia local), deitado sob um aparelho de raio-X. Em criança pode ser usado anestesia geral para evitar agitação.

Após o exame o paciente deve ficar em repouso absoluto por 4 a 6 horas enquanto seus sinais vitais são analisados para prevenir complicações e tratar imprevistos.

Preparação[editar | editar código-fonte]

Antes do exame é importante[1] :

  • Fazer jejum de quatro horas;
  • Avaliar se é necessário suspender algum medicamento em uso;
  • Procurar repousar.

Indicações[editar | editar código-fonte]

Raio X do cateter dentro do paciente.

O cateterismo cardíaco é usado para diagnóstico e tratamento de várias condições cardíacas. A razão mais comum é para avaliar dor no peito, a qual pode ser sintoma de doença da artéria coronária. Nesse caso, o cateterismo cardíaco pode mostrar se a placa está estreitando ou bloqueando as artérias cardíacas.[1]

É indicado para:

  • Mostrar obstruções das artérias que irrigam a musculatura do coração (artérias coronárias);
  • Avaliar alterações do funcionamento das válvulas e do músculo cardíacos;
  • Esclarecer as suspeitas de alterações anatômicas não confirmadas por outros exames;
  • Mostrar em detalhes uma malformação congênita;
  • Desobstruir artérias e válvulas.

Variações terapêuticas[editar | editar código-fonte]

Angioplastia[editar | editar código-fonte]

Desobstrução de artéria coronária ou ponte de safena que esteja comprometida por uma placa de gordura ou um coágulo. É feita usando-se um balão que, posicionado e inflado no ponto de estrangulamento, restitui a circulação no vaso.

Stent coronário[editar | editar código-fonte]

Fixação de uma tela de aço inoxidável na parede interna do vaso desobstruído durante a angioplastia, para impedir novo estrangulamento.

Valvoplastia[editar | editar código-fonte]

Desobstrução de válvulas cardíacas (pulmonar e mitral) por meio de um ou mais balões infláveis, normalizando a livre circulação do sangue.

Principais riscos[editar | editar código-fonte]

O cateterismo cardíaco é um procedimento médico de rotina, que raramente (menos de 1% dos casos) causam problemas sérios.[1] Entretanto, complicações podem incluir:

  • Sangramento;
  • Infecção;
  • Dor onde o cateter é inserido;
  • Dano aos vasos sanguíneos;
  • Reação alérgica ao pigmento e analgésico.

Outras complicações ainda menos comuns incluem:

  • Arritmia (batimento cardíaco irregular), a qual vai embora sozinha mas pode necessitar de tratamento se persistir;
  • Coágulos sanguíneos que podem desencadear derrame, ataque cardíaco ou outros problemas sérios;
  • Pressão sanguínea baixa;
  • Acúmulo de sangue ou fluido no saco que envolve o coração (Esse fluido pode impedir que o coração bata apropriadamente).

Raramente as complicações são fatais, pois existem diversos procedimentos para corrigi-los. O risco de complicações com cateterismo cardíaco é maior se a pessoa tem diabetes, doença nos rins ou tiver mais de 75 anos de idade. O risco de complicações também é um pouco maior em mulheres e pessoas que fazem o cateterismo em emergência.

Referências