Cemitério de Perus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Memorial aos desaparecidos políticos sepultados no Cemitério de Perus criado por Luiza Erundina e pela Comissão de Familiares de Presos Políticos Desaparecidos

O Cemitério de Perus (oficialmente Cemitério Dom Bosco) atualmente renomeado como Colina dos Mártires, é uma necrópole localizada na zona norte da cidade de São Paulo, no limite da subprefeitura homônima, próximo à divisa com a cidade de Caieiras. Criado em 1971, tem cerca de 254 mil metros quadrados de extensão.

Durante o período da ditadura militar (1964-1985), o cemitério foi utilizado para o sepultamento de pessoas mortas pelas forças de segurança do regime. Em 1969, o prefeito paulistano Paulo Maluf e o diretor do Instituto Médico Legal da Capital, Harry Shibata, tentaram adquirir em uma empresa especializada britânica dois fornos crematórios para o cemitério. Porém, a empresa não aceitou o negócio pois, consciente do momento de repressão violenta promovida pelo Estado, considerou suspeito o fato do projeto dos fornos não preverem capela ou qualquer lugar para velar publicamente os corpos a serem cremados[1] .

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de São Paulo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre cemitérios é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.