Zona Norte de São Paulo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Norte
Área 296 km²
População 2.189.273 hab. (2008)
Subprefeituras Casa Verde, Santana-Tucuruvi, Vila Maria-Vila Guilherme, Jaçanã-Tremembé, Freguesia do Ó, Pirituba e Perus
Zonas de São Paulo Bandeira da cidade de São Paulo.svg

Dá-se genericamente o nome de Zona Norte de São Paulo à área do município de São Paulo situada ao norte do Rio Tietê, com exceção do distrito de Jaguara. Oficialmente, distinguem-se as seguintes zonas[1] :

Apesar da localização e proximidade com os distritos da zona Noroeste, o distrito de Jaguara é administrado pela Subprefeitura da Lapa, sendo assim pertencente à Zona Oeste da cidade.

Na divisão da SP Trans, empresa que administra o transporte coletivo da cidade, os ônibus da Zona Nordeste têm cor azul escura, e os da Zona Noroeste, cor verde clara. Além dos ônibus do consórcio InterNorte da EMTU, que também circulam na região.

Características[editar | editar código-fonte]

Historicamente a região servia de acesso a cidades vizinhas, seja por ferrovias, caso da Estrada de Ferro Santos-Jundiaí ou via terrestre, como no Caminho de São Paulo ou na Estrada Velha de Campinas. Em sua formação era povoada por sítios e chácaras que abasteciam a cidade com alimentos. Seu desenvolvimento parcial ocorreu somente no século XX através da construção do Tramway Cantareira que ligava o bairro da Luz , no centro, até Guarulhos, com um ramal até a Base Aérea de São Paulo, no bairro de Cumbica. Desde o início do século XX existiram na região muitas fontes de água natural. Hoje, todas estão fechadas por conta da poluição e do desmatamento da região. São elas: Fonte São Pedro, Fonte Gioconda, Fonte Fontalis e Fonte Cabuçu.[2]

O Parque Anhanguera, maior parque da cidade.

Situa-se nesta área da cidade o Aeroporto Internacional de São Paulo em Guarulhos, o principal aeroporto do país e o Aeroporto Campo de Marte, em Santana, o primeiro da cidade e o quinto mais movimentado do país[3] ; o Museu Aberto de Arte Urbana de São Paulo, primeiro do tipo no Brasil e no mundo; o Complexo do Anhembi, um dos maiores centros de exposições do país, onde é realizado o Carnaval Paulistano; o Terminal Rodoviário Tietê, o maior do país; o Shopping Internacional Guarulhos, um dos maiores do Brasil, o Shopping Center Norte, o mais movimentado da cidade; o Shopping Metrô Tucuruvi , o hotel Holiday Inn Anhembi; o maior do país [4] ; o Pico do Jaraguá, o ponto mais alto do município, além da Serra da Cantareira e do Parque da Cantareira, a segunda maior floresta urbana nativa do mundo. Devido aos seus 12 parques, a zona possui 4,67 m² de área verde por habitante, o que supera todas as regiões da cidade.[5]

Bairro de classe média
Mandaqui

Apresenta áreas nobres, como: Alto de Santana, Jardim São Paulo, Parque Palmas do Tremembé[6] , Serra da Cantareira, Jardim Barro Branco, Jardim Floresta, Jardim São Bento, City América, Jardim Guapira, Jardim França e Maia[7] ; bairros de classe média: Tucuruvi, Parque Continental, Vila Galvão, Gopoúva, Picanço, Mandaqui, Freguesia do Ó, Limão, Imirim, Chora Menino e Casa Verde; bairros em mudança de perfil sócioeconômico como: Parada Inglesa, Água Fria, Santa Teresinha, Lauzane Paulista e Vila Ede; e favelas, geralmente localizadas na periferia da região: margem do Rio Tietê , encostas da Serra da Cantareira , Pico do Jaraguá, e ao redor do Aeroporto de Guarulhos.

Santana, centro comercial da zona nordeste.

Atualmente a zona norte é muito heterogênea, principalmente na comparação entre as regiões nordeste e noroeste. A primeira é a área mais desenvolvida e populosa da região, onde concentram-se estabelecimentos do setor de serviços. Santana é o distrito que exerce uma maior influência comercial e cultural nesta micro-área, pois é o local com maior comércio, número de escolas e melhor infraestrutura. Formada pelas subprefeituras de Casa Verde, Santana-Tucuruvi, Vila Maria-Vila Guilherme, Jaçanã-Tremembé e partes de Guarulhos, possui 1.181.582 habitantes e 152 km².

Vista aérea do Pico do Jaraguá, o ponto mais alto da cidade de São Paulo.

Já a região noroeste é uma das áreas mais carentes da cidade. Onde há uma precariedade de serviços públicos, como: saúde, educação e transporte. Em seu território estão localizadas importantes vias que ligam a cidade ao interior, ao redor destas há um destaque para o setor industrial. Está em desenvolvimento, por meio de processos públicos de urbanização e regularização de favelas. Apresenta 1.007.691 habitantes e 144 km², sendo menor em área do que a a zona nordeste, é formada pelas subprefeituras de Freguesia do Ó, Pirituba e Perus.

Generalidades[editar | editar código-fonte]

Fórum Regional de Santana, onde houve o julgamento do Caso Isabella Nardoni.

A zona norte foi cenário de produções teledramáticas e cinematográficas, exemplo das novelas "Rainha da Sucata" de Silvio de Abreu, "Tiro e Queda" de José Paulo Vallone e "Passione" de Sílvio de Abreu[8] ; da série Antônia da produtora O2 Filmes e dos filmes "Antônia" de Tata Amaral, Carandiru de Hector Babenco e "Bicho de Sete Cabeças" de Laís Bodanzky.[9] A região também foi palco de crimes e acidentes qua marcaram a história do país, como: o Massacre do Carandiru, o Caso Isabella Nardoni e os acidentes aéreos de Álvaro Monteiro de Barros Catão, de José Carlos Pace e dos integrantes do grupo Mamonas Assassinas.

Algumas personalidades brasileiras de diversas áreas de atuação nasceram ou moraram nesta região, na política: Jânio Quadros, que transformou a região, particularmente o bairro da Vila Maria, em seu grande reduto eleitoral, nos esportes: Ayrton Senna, Chico Landi, Éder Jofre e Maria Lenk, na literatura: Hilda Hilst e na música: Marcelo Rossi e Sérgio Reis. No passado, abrigou os estúdios da extinta Rede Excelsior e do SBT, na Vila Guilherme, próximo à Cidade Center Norte, empreendimento do visionário Curt Otto Baumgart. A também extinta Rede Manchete também possuía estúdios na Zona Norte, mas na Casa Verde. Curiosamente, o canal 9 VHF de São Paulo, que pertencia à Excelsior, fora herdado pela própria Manchete. Além de abrigar a sede do jornal O Estado de S. Paulo, possui uma variedade de "jornais de bairros", tais como: A Gazeta da Zona Norte, Jornal SP Norte, Jornal Semanário da Zona Norte, Jornal da Serra, Jornal São Paulo de Fato, Imprensa Zona Norte, Freguesia News e a Revista ZN. Também abrigou, na Casa Verde, os estúdios e a sede paulistana da extinta Rede Manchete de Televisão.

O bairro do Jaçanã , foi eternizado na música "Trem das Onze" de Adoniran Barbosa, o antigo Ramal de Guapira-Guarulhos do Tramway da Cantareira, porém hoje, nada indica que por ali já passou uma linha de trem, há vestígios apenas das antigas estações de Vila Galvão e Vila Augusta , a antiga estação Guarulhos ainda é preservada, na praça IV Centenário, juntamente com um museu. Esta linha deu origem a Linha-1 Azul do metrô de São Paulo, contudo não foi estendida além do Tucuruvi. A linha do trem da Cantareira passava onde hoje são as avenidas Benjamim Pereira, Sete de Setembro, Emilio Ribas, Torres Tibagy, e Anel Viário de Guarulhos, o que explica suas grandes larguras. O local por onde passava o trem é hoje um dos mais tradicionais da Zona Norte.[10]

Há projetos de construção de novas linhas de trens da CPTM e metrô. As Linhas 6-Laranja (Brasilândia-São Joaquim), 19-Celeste (CECAP-Águas Espraiadas), e o prolongamento da Linha 2-Verde até a Dutra, com estações na Avenida Paulo Freire, no bairro da Ponte Grande e no Shopping Internacional Guarulhos. Além da Linha 13-Jade da CPTM (Aeroporto Internacional-Brás), podendo ser prolongada além do Aeroporto.

O ex-presidente Lula discursa no show do 1º de Maio da Força Sindical realizado na Praça Heróis da FEB.

Nela localiza-se o Sambódromo do Anhembi, onde é realizado anualmente o Carnaval Paulistano, a região apresenta 20 agremiações, muitas delas participantes Grupo Especial, exemplo da escolas: Império da Casa Verde, Mocidade Alegre, Unidos do Peruche, Acadêmicos do Tucuruvi, X-9 Paulistana, Rosas de Ouro, Morro da Casa Verde e Unidos de Vila Maria.[11]

Na região ocorre anualmente alguns dos maiores eventos da cidade, como: a Marcha para Jesus, o maior evento gospel do mundo;[12] o show do 1º de Maio da Força Sindical[13] e o Domingo Aéreo no Parque de Material Aeronáutica de São Paulo.[14] Abrigou também as visitas de Papas ao país e a corrida internacional São Paulo Indy 300.

Por abrigar dois aeroportos; ser cortada por duas das principais rodovias federais, a Dutra (São Paulo-Rio de Janeiro) e a Fernão Dias (São Paulo-Belo Horizonte), Terminal Rodoviário do Tietê , além da Rodovia Ayrton Senna da Silva (para o interior do estado) , a Zona Norte é considerada a principal porta de entrada da cidade de São Paulo.

Projetos de Transportes Públicos[editar | editar código-fonte]

É servida pela Linha-1 Azul do metrô, futuramente contará com três estações da Linha-2 Verde (Paulo Freire, Ponte Grande e Dutra-Internacional Shopping Guarulhos), com a Linha-19 Celeste que partirá do CECAP passando por Vila Maria, Pari , até chegar na Zona Sul (Campo Belo). Contará ainda com a Linha-6 Laranja do metrô, Linha-13 Jade da CPTM e o metrô-leve, ainda sem número e cor definido, ligando o ABC, Zona Leste, e o Aeroporto de Cumbica. O BRT Taboão-Guarulhos-Tucuruvi, já está em fase avançada de construção, futuramente contará também com o Corredor Metropolitano Vila Endres-Tiquatira (Via Avenida Guarulhos/Penha) e o Corredor Perimetral Leste (Cumbica-ABC, via Zona Leste).


Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]