Sociedade Rosas de Ouro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Rosas de Ouro)
Ir para: navegação, pesquisa
Rosas de Ouro

Sociedade Rosas de Ouro (2010).JPG
Fundação 18 de outubro de 1971 (42 anos)
Cores

Rosa

Azul

Branco
Símbolo Três Rosas Douradas
Bairro Freguesia do Ó
Presidente Angelina Basílio
Presidente de honra Eduardo Basílio (in memoriam)
Carnavalesco Jorge Freitas
Intérprete oficial Darlan Alves
Diretor de carnaval Alexandre Vicente
Diretor de harmonia João Roberto Dias
Diretor de bateria Rafael Oliveira (Rafael Gordinho)
Rainha da bateria Ellen Rocche
Mestre-sala e porta-bandeira André Guedes e Sueli Riça
Desfile de 2015
Enredo Depois da Tempestade... O Encanto!
Horário 13 de Fevereiro
5ª - 03:44
www.sociedaderosasdeouro.com.br

A Sociedade Rosas de Ouro é uma escola de samba que foi fundada em 1971, na Brasilândia por José Luciano Tomás da Silva, João Roque "Cajé", José Benedito da Silva "Zelão" e o advogado Eduardo Basílio, tendo este último sido presidente desde a fundação da escola até outubro de 2003.

Seu nome foi inspirado numa condecoração instituída pelo Papa Gregório II em 730, para condecorar virtuosas princesas católicas, o buquê de Rosas de Ouro ela representa uma pequena roseira de ouro maciço. A flor dourada brilhando reflete a majestade de Cristo, com uma simbologia muito apropriada porque os profetas O chamaram "a flor do campo e o lírio dos vales". Sua fragrância, de acordo com Leão XIII "mostra o odor doce de Cristo que deve ser difundido extensamente por seus seguidores fiéis” (Acta, vol. VI, 104), e os espinhos e o matiz vermelho relembram a sua paixão".

Ao contrário do que alguns possam pensar, nada tem a ver com o bloco/cordão carioca Rosa de Ouro citado na famosa marchinha de Chiquinha Gonzaga. A Sociedade Rosas de Ouro foi campeã do Grupo Especial sete vezes, sendo último Campeonato em 2010.

História[editar | editar código-fonte]

A Rosas de Ouro desfilou pela primeira vez no carnaval de 1971, no atual Grupo 1 da UESP (na época Grupo 3), terminando em 9º lugar entre 10 escolas. Em 1972 terminou em quinto, vencendo finalmente o Grupo 3 em 1973. Em 1974, ganhou o Segundo Grupo e subiu para o Grupo 1 (atual Grupo Especial), em 1975. Em sua primeira aparição entre as grandes, ficou com o vice-campeonato.

Nos anos 80, a Rosas de Ouro mudou-se para a Freguesia do Ó, onde construiu sua quadra, considerada por muitos uma das mais modernas da cidade. Seus sambas, nos primeiros anos de existência, foram feitos pelo compositor Zeca da Casa Verde. Com o enredo "Nostalgia", último samba de Zeca da Casa Verde para a escola, a Rosas pela primeira vez tornou-se campeã do Grupo Especial, feito que voltaria a se repetir no ano seguinte e também em 1990, 1991, 1992, este considerado seu melhor carnaval, e 1994 com o enredo Sapoti, que fazia uma homenagem à cantora Ângela Maria.

Desde muitos anos a Rosas de Ouro mantém, junto com a comunidade da Freguesia do Ó, projetos sociais voltados para crianças e idosos. Segundo o presidente Basílio, no bairro da Freguesia do Ó não existiam crianças nos semáforos, pois a escola havia tirado todas as crianças das ruas.

Em 2002 a Rosas de Ouro trouxe para avenida um enredo falando sobre o Pão, a escola veio cheia de esperança pois comemorava seus 30 anos.O samba era leve e bem fácil de se pegar, porem a escola ficou no terceiro lugar atras apenas de Camisa Verde e Branco (vice-campeã) e Gaviões da Fiel (campeã).

Em 2003, Eduardo Basílio foi homenageado pela escola, desfilando no primeiro carro num enredo que falava sobre o circuito das frutas. Este seria o seu último desfile, pois no mesmo ano o presidente adoeceu, falecendo em outubro. Sua filha, Angelina Basílio, assumiu o comando da agremiação, e desde então vem comandando a escola.

A Rosas mantém a característica de fazer da cidade de São Paulo e seus personagens um tema recorrente em seus carnavais. O último foi em 2004, quando contou a história da capital paulista através de seus monumentos.

Em 2005, com um samba considerado pela crítica como um dos melhores do ano a escola foi a tendo sido considerada uma das favoritas ao título, porém quem levou foi o Império de Casa Verde, que desfilou logo em seguida na madrugada de sexta para sábado. Naquele ano, um fato inusitado chamou muito a atenção dos componentes da escola e dos comentaristas da Globo, que transmitiam o desfile: quando a escola entrou na avenida, já por volta do amanhecer, o céu ganhou tons de azul e rosa misturados entre si. Logo depois ganhou um tom dourado, cor secundária da escola. Devido a isso, 2005 é considerado por alguns de seus integrantes como o desfile mais marcante da história, apesar da colocação obtida, o sétimo lugar.

Já em 2006, trouxe um enredo forte e polêmico, falando sobre a diáspora africana e acabou em 5°, meio-ponto atrás da campeã Império de Casa Verde.

Em 2007, a escola faz um desfile considerado como tecnicamente perfeito, porém recebeu uma nota 9 no quesito Enredo, com isso, terminou em sexto lugar. Terminada a apuração, o jurado acabou confessando que a nota 9 foi um equivoco seu, já que a mesma acabaria sendo aplicada para a Pérola Negra. Não fosse essa nota, a Rosas terminaria em 2° lugar.

Em 2008, a agremiação veio com um enredo falando sobre o perfume de rosas terminando na 4º colocação, mas apenas a 0,25 da campeã Vai-Vai.Uma novidade levada pela escola nesse ano foi o perfume de rosas que sai de alguns carros alegóricos que perfumaram o Anhembi. A escola terminou tecnicamente empatada com a Unidos de Vila Maria,não fosse pelo desempate no quesito Harmonia a escola teria levado o terceiro lugar.

Em 2009, a escola estava há quinze anos sem um título, para que tal feito fosse realizado a escola resolveu retratar "A Fábrica dos Sonhos" que é o carnaval, homenageando o trabalho dos componentes de uma escola para preparar um desfile. O samba fazia menção indireta ao fundador e ex-presidente Eduardo Basílio. Com o desfile, a Rosas ficou com o terceiro lugar, sua melhor posição em sete anos.

A Presidente Angelina Basílio, na apuração em 2010.

Em 2010 a escola escolheu o cacau como tema de seu carnaval. Com o Carnaval supostamente patrocinado pela empresa Cacau Show, o samba escolhido possuía o refrão "Tá na boca do povo / O cacau é show...". A cerca de vinte dias do desfile, no entanto, segundo algumas fontes, por pressão da Rede Globo, a Rosas alterou a letra do samba para "O cacau chegou...".[1] Com 270 pontos (pontuação máxima), foi a campeã do carnaval de São Paulo.

A Sociedade Rosas de Ouro no Carnaval de 2011 veio com o enredo: "Abra-te Sésamo: a senha da sorte!", de Jorge Freitas, o qual a escola trouxe muito luxo nas fantasias e alegorias com o acabamento impecável, apesar de terem reciclado maior parte das fantasias do carnaval anterior. Pecou na comissão de frente ao trazer seu coreógrafo principal fantasiado de pombo que, na opinião do público, críticos e até dos membros da escola, foi de muito mau gosto ganhando quatro notas 9,75, além disso faltou coreografia aos participantes da comissão que gritávam a todo instante uns aos outros informando as posições que deveriam ficar fazendo com que os "bailarinos" deixassem de cantar o samba enredo e isso contou ponto negativo para a evolução que ganhou uma nota 9,5 e uma nota 9,75.A comissão não foi o principal motivo para a escola ter ficado em 8° lugar no grupo especial mas, esperava-se mais da escola que, pela expectativa dos amantes do carnaval, viria brigar pelo Bicampeonato.

No carnaval 2012, a Rosas de Ouro veio homenageando a Hungria e Roberto Justus, descendente de húngaros. As alegorias e fantasias estavam excelentes, comissão de frente muito bem ensaiada, e com luxo considerável e acabamento impecável. Garantiu um segundo lugar, atrás somente da Mocidade Alegre.

Para 2013, a Rosas de Ouro veio com o enredo: "Os Condutores da Alegria, Numa Fantástica Viagem aos Reinos da Folia". O tema falou sobre as festas folclóricas ao redor do mundo e fez uma grande viagem aos quatro cantos do planeta.O desfile foi impecável,tanto que ela foi apontada como uma das favoritas ao título.A escola liderou grande parte da apuração,mas notas baixas nos quesitos Mestre-Sala e Porta-Bandeira e Enredo fizeram com que a escola ficasse em 2º lugar,com o mesmo número de pontos da Mocidade Alegre,porém perdendo no Quesito de desempate,Enredo.

Para 2014, a Rosas de Ouro fez uma viagem por instantes inesquecíveis que marcam a vida. Pessoas imprescindíveis, fatos marcantes, músicas e personagens que marcaram conquistas e momentos que se tornaram inesquecíveis como o nascimento, infância, casamento e maturidade serão representados. Apesar do belo desfile, a escola ficou com o terceiro vice-campeonato seguido, perdendo novamente para a Mocidade Alegre.

Para 2015, a Rosas de Ouro vai levar para a Avenida o enredo "Depois da Tempestade.....O Encanto!" contando as histórias dos contos de fadas que depois de encontrarem várias adversidades o final é sempre feliz, o enredo também foi inspirado na concentração do carnaval de 2014, já que a escola minutos antes de entrar na Avenida passou por uma tempestade de granizo.

Segmentos[editar | editar código-fonte]

Presidentes[editar | editar código-fonte]

Nome Mandato Ref.
Angelina Basílio ?-atualidade

Diretores[editar | editar código-fonte]

Ano Diretor de Carnaval Diretor geral de harmonia Mestre de bateria Ref.
2014 Alexandre Vicente João Roberto Dias Rafael

Coreógrafo[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Ref.
2014 Júlio Cesar Teixeira

Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Ref.
2014 Luis Antônio e Sueli Costa

Rainhas de Bateria[editar | editar código-fonte]

Anos Rainha de bateria Ref
1999 – 2004 Bruna Ancheschi
2005 Adriane Galisteu
2006 Elaine de Abreu
2007 – Ellen Rocche

Carnavais[editar | editar código-fonte]

Sociedade Rosas de Ouro
Ano Colocação Grupo Enredo Carnavalesco Intérprete Ref.
1971 9º Lugar 3
(terceira divisão)
História de Vila Brasilândia
1972 5° Lugar 1-UESP Brasil de ontem, Brasil de hoje
1973 Campeã 1-UESP Formação étnica
1974 Campeã Acesso Canta e conta os quatro cantos do Brasil
1975 Vice-campeã Especial A Rua
1976 3º Lugar Especial Sete cidades encantadas
1977 4º Lugar Especial Ataulfo Alves, o poeta de Miraí
1978 4º Lugar Especial Salamanca do Jarau
1979 6º Lugar Especial Conversando com as flores
1980 4º Lugar Especial Tudo é Brasil
1981 5º Lugar Especial Do Caminho do Mar à Ilha do Tesouro
1982 4º Lugar Especial Ainá, no Reino de Baobá
1983 Campeã Especial Nostalgia Royce do Cavaco
1984 Campeã Especial A velha academia berço dos heróis Pedrinho Pinotti Royce do Cavaco
1985 3º Lugar Especial Uma boa ideia Pedrinho Pinotti Royce do Cavaco
1986 6º Lugar Especial Cem anos depois Carlos Alberto Colaboni Royce do Cavaco
1987 Vice-Campeã Especial São Paulo, seu povo sua gente Royce do Cavaco
1988 6º Lugar Especial Carvalho, madeira de lei Royce do Cavaco
1989 3º Lugar Especial Vera Cruz, a vedete dos anos 50 Royce do Cavaco
1990 Campeã
Empatada com a Camisa Verde e Branco
Especial Até que enfim... "o Sábado" Royce do Cavaco
1991 Campeã Especial De Piloto de fogão a chefe da nação Raul Diniz Royce do Cavaco
1992 Campeã Especial "Non Ducor Duco", qual é a minha cara? Raul Diniz Royce do Cavaco
1993 3º Lugar Especial É hoje... Um dia de festa Raul Diniz Royce do Cavaco
1994 Campeã Especial Sapoti Tito Arantes Royce do Cavaco
1995 Vice-Campeã Especial Paixão nacional Tito Arantes Edu da Rosas
1996 Vice-Campeã Especial Uma janela para o mundo Tito Arantes Canhão
1997 4º Lugar Especial São Paulo, Capital Mundial da Gastronomia Neto e Mona Carlão Maneiro
1998 6º Lugar Especial Samba da garoa Neto e Mona Dom Marcos e Polenghe do Cavaco
1999 6º Lugar Especial A Divina Comédia de um folião Raul Diniz Dom Marcos e Polenghe do Cavaco
2000 3º Lugar Especial Yes, nós temos mais que banana Raul Diniz Quinho
2001 Vice-Campeã Especial Quem Plantou o Palco, Hoje é o Espetáculo Raul Diniz Polenghe do Cavaco
2002 3º Lugar Especial O Pão Nosso de cada Dia Raul Diniz Polenghe do Cavaco e Nilson Valentim
2003 6º Lugar Especial No Circuito das Frutas - Tô de bem com a vida Raul Diniz Polenghe do Cavaco
2004 5° Lugar Especial Dos Campos de Piratininga à grande metrópole, a história da São Paulo em Monumentos Fábio Borges Dom Marcos e Polenghe do Cavaco
2005 7º Lugar Especial Mar de Rosas Fábio Borges Darlan Alves
2006 5º Lugar Especial A Diáspora africana. Um Crime Contra Raça Humana Fábio Borges Darlan Alves
2007 6º Lugar Especial Tellus Matter. O cio da Terra Fábio Borges Darlan Alves
2008 4° Lugar Especial Rosaessência, O Eterno Aroma Jorge Freitas Darlan Alves
2009 3º Lugar Especial Bem-vindos à fábrica dos sonhos Jorge Freitas Darlan Alves
2010 Campeã Especial Cacau: um grão precioso que virou chocolate, e sem dúvida se transformou no melhor presente Jorge Freitas Darlan Alves
2011 8º Lugar Especial Abra-te Sesamo: a senha da sorte!
Compositores:Armênio Poesia, Aquiles da Vila, Chanel, Maurício Paiva, Marquinhos Boldrini, Wagner Rodrigues e União.
Jorge Freitas Darlan Alves
2012 Vice-Campeã Especial Hungria, o Reino dos Justus
Compositores:Léo do Cavaco, Rogério Morgado, Leonardo Lima, Eric Lisboa, Luciano Godoi e Cleverson Japa.
Jorge Freitas Darlan Alves
2013 Vice-Campeã Especial Os Condutores da Alegria numa Fantástica Viagem aos Reinos da Folia Jorge Freitas Darlan Alves
2014 Vice-Campeã Especial Inesquecível Jorge Freitas Darlan Alves
2015 Especial Depois da Tempestade... O Encanto! Jorge Freitas Darlan Alves [2]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Grupo Especial 1983, 1984, 1990, 1991, 1992, 1994, 2010
Grupo de Acesso 1974
Grupo 1-UESP 1973

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências