Marcha para Jesus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lula, Michel Temer, e Marcelo Crivella durante cerimônia de sanção do projeto de lei que institui o Dia Nacional da Marcha. Foto: Roosewelt Pinheiro/ABr.

A Marcha para Jesus é um evento internacional e interdenominacional (ou seja, realizados conjuntamente por diversas denominações evangélicas) que ocorre anualmente em milhares de cidades do mundo. Entre 1994 e 2000 foi realizada como um evento global, ocorrendo em cerca de 170 países na mesma data[1] .

Histórico[editar | editar código-fonte]

Número aproximado de participantes da Marcha para Jesus em São Paulo
Ano Participantes
(segundo PM)
Participantes
(segundo
Igreja Renascer)
Participantes
(segundo
Datafolha)
1993 350 000[2]
1994 800 000[3]
1995 1 200 000
2000 1 000 000[4] 1 500 000[5]
2001 100 000[5] 2 000 000[5]
2002 1 000 000[6]
2003 2 000 000[7]
2004 2 000 000[8]
2005 3 000 000[9]
2006 3 000 000[10]
2007 3 500 000[11]
2008 1 200 000[12] 5 500 000[13]
2009 3 000 000[14] 5 000 000[15]
2010 2 000 000[16] 5 000 000[17]
2011 2 000 000[18] 5 000 000[19]
2012 1 200 000[20] 5 000 000[21] 200 000[22]

A primeira Marcha para Jesus aconteceu em 1987 na cidade de Londres, no (Reino Unido), chamada de "City March",[1] foi criada pelo pastor Roger Forster, da Ichthus Christian Fellowship, pelo cantor e compositor Graham Kendrick, Gerald Coates do movimento Pioneer e Lynn Green, de Youth with a Mission. A expectativa inicial de 5 mil pessoas foi largamente superada pela presença de 15 mil participantes, motivando a realização de um novo evento[1] .

Marcha na cidade de Bordeaux, França.

Em 1990, a Marcha já havia se espalhado por 49 cidades em todo o Reino Unido e também em Belfast (capital da Irlanda do Norte), onde 6 mil católicos e protestantes se reuniram. A estimativa foi de cerca de 200 mil religiosos participando do evento. A Marcha logo se expandiu para os demais continentes. No ano de 1993 o evento foi realizado pela primeira vez no Brasil.

Em 1994 foi realizada a primeira versão global do evento, alcançando 170 países e com a presença de 10 milhões de participantes. A última versão global da "marcha" aconteceu em 10 de junho de 2000. Desde então, o grupo organizador original se dispersou e a organização do evento tem ocorrido por parte de iniciativas locais distintas[1] .

Brasil[editar | editar código-fonte]

O evento chegou ao Brasil, através da iniciativa de lideranças evangélicas, principalmente da Igreja Renascer em Cristo tendo como presidente Nacional da Marcha para Jesus o Apóstolo Estevam Hernandes e de outras igrejas neopentecostais, apoiada também por igrejas tradicionais e pentecostais.

A maior das Marchas para Jesus é realizada na cidade de São Paulo e reúne anualmente milhões de pessoas. Além desta, centenas de cidades pelo mundo e no Brasil, incluindo as principais capitais do país, possuem a sua edição do evento.

Fazendo parte do calendário oficial de diversas cidades, a Marcha para Jesus conta com a participação de trios elétricos de diversas comunidades e igrejas cristãs, envolvendo diversas denominações. Em setembro de 2009 o presidente Lula sancionou lei que transformou a data da Marcha para Jesus. Por força desta lei a Marcha passa a ser comemorada anualmente no sábado seguinte ao 60º dia após o domingo de Páscoa.[23]

São Paulo[editar | editar código-fonte]

Praça Heróis da FEB e Avenida Santos Dumont em Santana, palcos do evento paulistano.

A primeira edição brasileira do evento, ocorrida em 1993, levou cerca de 350 mil pessoas às ruas do centro da cidade de São Paulo, com destino ao Vale do Anhangabaú, onde ocorreu um show gospel e foram arrecadados agasalhos. Desde lá o evento foi transferido para algumas localidades da cidade, a maioria na zona norte da mesma. Ano após ano reúne multidões de participantes, no ano 2000 chega a 1 milhão de evangélicos. [5] Em 2005 foi transferida para a Avenida Paulista, onde fora realizada por mais um ano.[24] No ano de 2007, após um termo assinado entre o Ministério Público de São Paulo e o governo do prefeito Gilberto Kassab (DEM), houve uma limitação na realização de eventos na via, que a partir da data abrigaria apenas três eventos por ano.[25]

A partir deste ano a marcha passou a ser realizada nos distritos de Bom Retiro e Santana, reunindo acima de três milhões de participantes a cada ano.[26] [27] O trajeto da marcha começa na região central da cidade, na estação Tiradentes do Metrô, segue pela Avenida Tiradentes, Ponte das Bandeiras, Avenida Santos Dumont, Praça Campo de Bagatelle, e termina na Praça Heróis da FEB, zona norte. Após a caminhada, seguida por mais de 10 trios elétricos, os participantes reunem-se na concentração do evento, um palco montado na Praça Heróis da FEB, onde são realizados shows de música gospel.

Em 2008 Gilberto Kassab, prefeito da cidade, diz que está em estudo a transferência do evento para o Autódromo de Interlagos, e que a versão de 2009 seria realizada lá [28] devido às reclamações da população que vive na região da Praça Campo de Bagatelle. Esta situação causou descontentamento da Igreja Renascer em Cristo, organizadora da marcha.[29]

A 19ª edição, de 2011, foi considerada por alguns seguimentos da sociedade como um ato de afronta ao Supremo Tribunal Federal e de ameaças aos políticos, por ações de líderes evangélicos.[30] Silas Malafaia criticou, com palavras duras, a aprovação da união estável entre pessoas de mesmo sexo, orientando seus fiéis a não votarem em parlamentares defensores do PL 122.[30] Também questionou a decisão do STF de liberar marchas a favor da maconha, insinuando que após isto seriam aprovadas marchas a favor de crimes.[30]

Referências

  1. a b c d How March for Jesus started.
  2. Como Começou
  3. A MARCHA
  4. Encontro Evangélico reúne mais de 1 milhão e complica trânsito em São Paulo
  5. a b c d 100 mil participam de Marcha para Jesus; trânsito é prejudicado (02/06/2001 - 11h17).
  6. "Marcha Para Jesus" reúne 1 milhão de pessoas em São Paulo
  7. Marcha para Jesus reúne cerca de 2 milhões em São Paulo
  8. Marcha para Jesus reúne 3 milhões na avenida Paulista, diz PM
  9. PM estima em 2 mi o número de participantes de marcha evangélica em SP
  10. Marcha para Jesus reúne 3 milhões na avenida Paulista, diz PM
  11. Evangélicos marcham e assistem a shows gospel em São Paulo
  12. Marcha para Jesus reúne 1,2 milhão em SP na znona norte
  13. Marcha para Jesus atrai 5 milhões em SP; PM vê exagero e estima público em 1,2 milhão
  14. Marcha para Jesus reúne 3 milhões de fiéis em São Paulo.
  15. PM conta 1 mi na Marcha para Jesus; igreja fala em total de 5 mi
  16. Marcha para Jesus reúne 2 milhões de pessoas em SP
  17. Organização da Marcha para Jesus estima 5 milhões de fiéis em evento
  18. Multidão participa da Marcha para Jesus em São Paulo Marcha para Jesus reúne 2 milhões de pessoas em SP
  19. Organização afirma que Marcha para Jesus alcançou 5 milhões de pessoas
  20. Multidão participa da Marcha para Jesus em São Paulo Marcha para Jesus reúne 2 milhões de pessoas em SP
  21. Evangélicos de todo o País participam da Marcha para Jesus
  22. [1]
  23. Lula sanciona lei que cria Dia Nacional da Marcha para Jesus (3 de setembro de 2009).
  24. Paulista recebe hoje marcha evangélica
  25. Evangélicos marcham e assistem a shows gospel em São Paulo
  26. Marcha para Jesus atrai 5 milhões em SP; PM vê exagero e estima público em 1,2 milhão (22 de maio de 2008).
  27. [2].
  28. Kassab diz que Marcha para Jesus 2009 deve ocorrer no autódromo de Interlagos
  29. Marcha para Jesus deve ser em Interlagos em 2009, diz Kassab
  30. a b c Marcha para Jesus vira ato contra união homoafetiva. IG (23 de junho de 2011). Página visitada em 23 de junho de 2011. "A 19ª edição da Marcha para Jesus, uma das maiores manifestações religiosas do planeta, foi considerada por alguns seguimentos da sociedade como um ato de afronta ao Supremo Tribunal Federal (STF), que inclusive alegaram possíveis ameaças aos políticos por parte de lideranças evangélicas. [...] Com palavras duras, inclusive usando termos como "otário" e "lixo moral", o pastor evangélico Silas Malafaia criticou duramente a decisão do STF de legalizar a união estável entre pessoas do mesmo sexo. "O STF rasgou a Constituição que, no artigo 226, parágrafo 3º, diz claramente que união estável é entre um homem do gênero masculino e uma mulher do gênero feminino. União homossexual uma vírgula", disse o pastor. Na sequência, Malafaia passou a questionar a decisão do STF de liberar as marchas da maconha no Brasil. "Amanhã se alguém quiser fazer uma marcha em favor da pedofilia, do crack ou da cocaína vai poder fazer. Nós, em nome de Deus, dizemos não." Malafaia ameaçou orientar seus fiéis a não votarem em parlamentares que defendem o Projeto de Lei 122/2006, que criminaliza a homofobia no País. "Ninguém aqui vai pagar de otário, de crente, não. Se for contra a família não vai ter o nosso voto", ameaçou. O pastor defendeu a desobediência por parte de pastores caso o PL 122 seja aprovado. "Eles querem aprovar uma lei para dizer que a Bíblia é um livro homofóbico e botar uma mordaça em nossa boca. Se aprovarem o PL 122 no mesmo dia, na mesma hora, tudo quando é pastor vai pregar contra a prática homossexual. Quero ver onde vai ter cadeia para botar tanto pastor.""

Ligações externas[editar | editar código-fonte]