Linha 2 do Metrô de São Paulo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Linha 2 - Verde
Linha2 metro sp.svg
Inauguração 25 de janeiro de 1991 (23 anos)
Estações 13
Comprimento 14,7 km
Estado em serviço
Urban head station in tunnel
Vila Madalena
Urban tunnel station on track
Santuário Nossa Senhora de Fátima
Sumaré
Urban tunnel station on track
Clínicas
Unknown route-map component "utUKRZo"
Túnel sobre a Linha 4 - Amarela
Urban tunnel station on track
Consolação
Urban tunnel station on track
Trianon Masp
Unknown route-map component "utKMW"
Km 5
Urban tunnel station on track
Brigadeiro
Unknown route-map component "utCPICl"
Paraíso (Acesso a Linha 1 - Azul)
Unknown route-map component "utCPICl"
Ana Rosa (Acesso a Linha 1 - Azul)
Urban tunnel junction to left
Enlace para a Linha 1 - Azul
Unknown route-map component "utUKRZu"
Túneis sob a Linha 1 - Azul
Urban tunnel station on track
Chácara Klabin
Exit urban tunnel
Urban bridge over water
Ponte sobre o Rio Ipiranga
Urban station on track
Santos-Imigrantes
Enter urban tunnel
Unknown route-map component "utKMW"
Km 10
Urban tunnel station on track
Alto do Ipiranga
Urban tunnel station on track
Sacomã
Unknown route-map component "utABZgl+l"
Ligação com o Pátio Tamanduateí
Exit urban tunnel
Unknown route-map component "uCPICm"
Tamanduateí Acesso a CPTM
Urban bridge over water
Ponte sobre o Rio Tamanduateí
Enter urban tunnel
Urban End station in tunnel
Vila Prudente


A Linha 2 - Verde do Metrô de São Paulo é constituída pelo trecho compreendido entre as estações Vila Madalena e Vila Prudente. A linha é também chamada de Linha da Paulista, por percorrer a Avenida Paulista, um dos principais centros financeiros de São Paulo. Apesar de ser chamada de Linha 2, ela foi a terceira a ser construída — a segunda, na verdade, foi a Linha 3 - Vermelha.

Histórico[editar | editar código-fonte]

A Linha 2, originalmente chamada de Linha da Paulista, foi planejada desde o projeto HMD de 1968. Na época, como a Avenida Paulista já era o grande centro de negócios de São Paulo, era preciso haver uma linha que passasse por ela. O projeto básico previa que a linha deveria ir da Vila Madalena ao Paraíso.

Em 1972 foi elaborado um novo projeto da Linha 2 para a Avenida Paulista, no trecho do Sumaré ao Paraíso. Esse projeto seria complementado em 1980, com o estudo definitivo chamado Terceira Linha do Metrô de São Paulo. As obras da Linha 2 seriam iniciadas em 30 de novembro de 1987, sendo o primeiro trecho (localizado sob a Avenida Paulista) construído através do método NATM e exigiu adaptações por causa da complexidade de diversos trechos que corta.[1] Uma delas foi em dois prédios na esquina das ruas do Paraíso e Maestro Cardim, que tiveram seus pontos de apoio alterados, com partes dos prédios ficando supensas por placas de concreto e aço, sem que seus moradores percebessem.[1] A linha passa ainda debaixo da torre da TV Cultura, localizada na Avenida Doutor Arnaldo, no Sumaré, o que exigiu na época da construção da linha uma análise do projeto da antena, que levou a adaptações na planta do túnel.[1] Como as fundações da torre tinham profundidade maior que a do túnel, suas hastes de aço foram afastadas, e elas passaram a "abraçar" o túnel.[1]

A linha foi inaugurada em 25 de janeiro de 1991, contando naquele momento com 2,9 quilômetros de extensão e quatro estações. Com esta linha o Metrô passou a abranger um dos mais importantes eixos do centro expandido de São Paulo, com grande concentração de instituições financeiras, hospitais, escolas, hotéis, consulados, secretarias de Estado, emissoras de rádio e televisão, teatros e museus.

No ano seguinte foram inauguradas as estações Ana Rosa e Clínicas, ampliando para 4,7 quilômetros. Em 1998 duas novas estações (Vila Madalena e Sumaré) foram concluídas, acrescentando mais 2,3 quilômetros ao trecho. Em 30 de março de 2006 o então governador Geraldo Alckmin, em seu último dia de governo, inaugurou a Estação Santos-Imigrantes. Pouco após, em 9 de maio de 2006, houve a inauguração da Estação Chácara Klabin pelo ex-governador Cláudio Lembo, completando assim o trecho de 2,9 quilômetros entre Ana Rosa e Santos-Imigrantes, ficando a linha com 9,9 quilômetros de extensão total.

No dia 30 de junho de 2007 o governador José Serra inaugurou a Estação Alto do Ipiranga, localizada na confluência da Avenida Dr. Gentil de Moura com a Rua Visconde de Pirajá, elevando a rede metroviária paulistana a 61 quilômetros, com previsão de demanda de passageiros na Linha 2 de 370 mil pessoas por dia. O mesmo José Serra havia publicado decreto a 9 de maio de 2007 para o início das desapropriações e autorização para estender a linha até a Vila Prudente, com as respectivas estações Sacomã, Tamanduateí e Vila Prudente. De acordo ainda com o projeto de expansão, a linha teria o seu primeiro pátio de trens, que seria construído no lugar das ruínas da fábrica da Vemag.

Alstom Milênio chegando à Estação Tamanduateí.

No dia 10 de maio de 2007, durante a visita do papa Bento XVI à cidade de São Paulo, a Linha 2 apresentou a maior demanda de sua história até então, com o transporte de 370 226 passageiros. Já no final de semana de 17 e 18 de maio de 2008 a linha teve sua operação comercial interditada no trecho entre as estações Clínicas e Consolação, para que a máquina Shield (o popular "tatuzão") passasse sete metros abaixo do nível do seu túnel para a continuidade das obras da Linha 4-Amarela. O atual recorde de pessoas transportadas pela linha foi obtido em 7 de maio de 2008, com 428 056 passageiros.

Em 28 de março de 2009 entrou em operação o primeiro dos dezesseis novos trens a ser entregues até a inauguração do trecho Sacomã-Vila Prudente. Em 10 de janeiro de 2010 a estação Sacomã foi aberta ao público, inicialmente em operação assistida, das 10h30 às 15 horas e, posteriormente, a partir do dia 22, das 10 às 16 horas. Por fim, no dia 30 do mesmo mês, foi aberta totalmente ao público em horário normal. Apesar de as obras de extensão da Linha 2 terem sido as únicas a receber a totalidade da verba prevista para 2009, o cronograma atrasou — a inauguração das estações Tamanduateí e Vila Prudente, inicialmente prevista para março de 2010, foi adiada para junho,[2] mas depois passou a não ter mais data definida.[3] Em 18 de agosto foi anunciada a inauguração em operação assistida de Vila Prudente para dali a três dias. Em 21 de setembro foi inaugurada a Estação Tamanduateí, também em operação assistida.

O início da cobrança de tarifa nestas duas estações ocorreu em 5 de fevereiro de 2011, com o horário de funcionamento sendo ampliado para das 8 às 17 horas.[4] Com isso, a necessidade de desembarcar na Estação Sacomã para prosseguir viagem pela Linha 2-Verde não existia mais. Em 19 de março de 2011 as estações Tamanduateí e Vila Prudente tiverem seu horário de funcionamento ampliado para das 4h40 às 21 horas e, por fim, em 12 de setembro, para o horário normal, até a meia-noite.[5]

Cronologia[editar | editar código-fonte]

Data Evento
30 de novembro de 1987 Início das obras da Linha 2-Verde (trecho Paulista) entre as estações Ana Rosa e Clínicas.
25 de janeiro de 1991 Inauguração do trecho Paraíso ↔ Consolação
12 de setembro de 1992 Inauguração das estações Clínicas e Ana Rosa.
21 de novembro de 1998 Inauguração das estações Sumaré e Vila Madalena.
30 de março de 2006 Inauguração da Estação Santos-Imigrantes.
9 de maio de 2006 Inauguração da Estação Chácara Klabin.
30 de junho de 2007 Inauguração da Estação Alto do Ipiranga.
10 de janeiro de 2010 Início da operação assistida da Estação Sacomã.[6]
30 de janeiro de 2010 Inauguração oficial da Estação Sacomã.[7]
25 de maio de 2010 Interligação da Estação Consolação para a Estação Paulista da Linha 4 Amarela
21 de agosto de 2010 Inauguração da Estação Vila Prudente.[8]
21 de setembro de 2010 Inauguração da Estação Tamanduateí.[9]
12 de setembro de 2011 Ampliação do horário da operação das estações Tamanduateí e Vila Prudente.

Características[editar | editar código-fonte]

Trens novos parados na Estação Vila Madalena.

Em 2010 a Linha 2 era a terceira linha do Metrô de São Paulo a receber mais passageiros, com 38 mil passageiros por hora, acima da capacidade máxima estipulada da linha, de 35 mil por hora.[10] Entre março de 2009 e março de 2010 a média de passageiros transportada por dia na linha aumentou de 416,4 mil para 472,1 mil, por causa de uma restrição da prefeitura a ônibus fretados no centro expandido da cidade e à inauguração da estação Sacomã.[10]

Originalmente o monotrilho da zona leste, ligando as estações Vila Prudente e Hospital Cidade Tiradentes, em construção desde 2009, era conhecida como uma extensão em monotrilho da Linha 2.[11] Entretanto, em setembro de 2012 o Metrô anunciou que a linha passaria a chamar-se Linha 15-Prata, com o trecho antes identificado como Linha 15-Branca (de Vila Prudente à futura Estação Dutra) passando a ser a extensão da Linha 2.[11] "É mais lógico, porque, de fato, o que antes era a Linha 15 será o prolongamento da Linha 2, e pelo próprio modo de transporte dela, o metrô subterrâneo", comentou ao JT o presidente da Associação dos Engenheiros e Arquitetos do Metrô na época.[11] A previsão era de que a obra, avaliada em 7,8 bilhões de reais, fosse licitada até o final de 2012.[11]

Estações[editar | editar código-fonte]

Frota da Linha[editar | editar código-fonte]

Na Linha 2-Verde operam no total 27 trens fabricados pela Alstom, divididos em duas frotas. Temos os Alstom Milênio que é a frota E e Alstom G96 que é a frota G. Nesses G96 em todas as composições não tem a indicação da frota G, por exemplo, G12 (G121-G126). Ainda permanecem a numeração antiga, por exemplo, 216 (2161-2166). Três desses G96 estão rodando na linha 3 (vermelha) que são as composições 225 (2251-2256), 226 (2261-2266) e 227 (2271-2276). Alguns modernizados já estão em operação como o J32, J42, J43, J48, J49, J50 (antigo 116).


Obras, projetos e estudos[editar | editar código-fonte]

Marcador do evento atual
Este artigo ou seção contém informações sobre eventos futuros.
É provável que contenha informações de natureza especulativa, e seu conteúdo pode mudar drasticamente.
Editor: considere marcar com um aviso mais específico.

Vila Prudente ↔ Dutra[editar | editar código-fonte]

Está em fase de desapropriação[12] para uma extensão da linha no sentido nordeste, com 13 estações[13] :

Sigla Estação Integração Município Previsão de entrega
VPT Vila Prudente Linha 15 - Prata São Paulo
Orfanato São Paulo
Água Rasa São Paulo
Anália Franco Linha 6 - Laranja São Paulo
Vila Formosa São Paulo
Guilherme Giorgi São Paulo
Nova Manchester São Paulo
Aricanduva São Paulo
PEN Penha Linha 3 - Vermelha e Linha 11 - Coral São Paulo
Penha de França São Paulo
Tiquatira Linha 12 - Safira e Linha 13 - Jade São Paulo
Paulo Freire São Paulo
Ponte Grande Guarulhos
Dutra Guarulhos

A concessão de financiamento para a obra foi liberada, em 21 de junho de 2013, pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no valor de 1,5 bilhão de reais, representando 45,6% dos investimentos totais.[14]

Vila Madalena ↔ Boaçava[editar | editar código-fonte]

Em estudos[15] para o sentindo noroeste

Sigla Estação Integração Previsão de entrega
VMD Vila Madalena
Aurélia
Cerro Corá
Boaçava

Galeria[editar | editar código-fonte]

Metrô Vila Madalena.JPG Estação Trianon - MASP - by Lucas.JPG CKB1.jpg Sao Paulo-Consolacao.jpg Estacao Vila Prudente.jpg Estação Brigadeiro.jpg Est-Clinicas.jpg MillenniumIMG4.jpg Estação Ana Rosa.jpg Alstom Milênio - Estação Paraíso - Linha 2 Verde do Metrô de SP.JPG
Placa da Estação Vila Madalena Entrada da Estação Trianon-Masp Plataforma da Estação Chácara Klabin Plataforma da Estação Consolação Entrada da Estação Vila Prudente Plataforma da Estação Brigadeiro Estação Clínicas Estação Santos-Imigrantes Plataforma da Estação Ana Rosa Trem estacionado na Estação Paraíso

Referências

  1. a b c d Marco Uchôa. (7 de abril de 1992). "Túnel passará pela torre da 'Cultura'". O Estado de S. Paulo: Cidades, pág. 2.
  2. Felipe Grandin. (26 de abril de 2010). "Governo de SP deixou de investir R$ 1,3 bi no Metrô". Jornal da Tarde (14 490): pág. 3A. São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. ISSN 1516294X. Página visitada em 1/5/2010.
  3. Bruno Ribeiro. (26 de junho de 2010). "Estações da Linha 2-Verde vão atrasar". Jornal da Tarde (14 551): 9A. São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. ISSN 1516294X. Página visitada em 26/6/2010.
  4. http://blogs.estadao.com.br/jt-cidades/estacoes-com-horario-ampliado/
  5. Mais de um ano após inauguração, linha 4 do Metrô de São Paulo passa a funcionar até 0h. UOL Notícias (11 de setembro de 2011). Página visitada em 11/9/2011.
  6. NOVA ESTAÇÃO SACOMÃ PODE SER VISITADA PELA POPULAÇÃO[1]
  7. Estaçãosacomã - Página oficial do metrô de São Paulo, acessada em 4 de junho de 2010 [2]
  8. [3]
  9. Metrô inaugura estação Tamanduateí para melhorar ligação ABC-Paulista [4]
  10. a b (28 de abril de 2010) "Linha 2 do Metrô já está saturada". Jornal da Tarde (14 492): pág. 4A. São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. ISSN 1516294X. Página visitada em 1/5/2010.
  11. a b c d Caio do Valle. (11 de setembro de 2012). "Monotrilho da zona leste vira Linha 15-Prata". Jornal da Tarde (15 359): pág. 4A. São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. ISSN 1516294X.
  12. Desapropriacoes -linha 2-verde. Companhia do Metropolitano de S. Paulo. Página visitada em 23 de maio de 2014.
  13. Governo do Estado anuncia publicação do edital da extensão da Linha 2-Verde. Governo do Estado de São Paulo (10 de abril de 2014). Página visitada em 23 de maio de 2014.
  14. BNDES dá novo apoio à expansão do Metrô de SP com financiamento de R$ 2,3 bilhões. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) (21 de junho de 2013). Página visitada em 23 de maio de 2014.
  15. Renato Lobo (17 de dezembro de 2013). CPTM planeja linha entre Piqueri e Butantã. Via Trólebus. Página visitada em 31 de julho de 2014.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]