Terminal Intermodal Palmeiras-Barra Funda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Palmeiras-Barra Funda
3red.png 7roxo.png 8cinza.png
Estacao Barra Funda.jpg
Plataforma que, até 2011, atendia a Linha 7-Rubi da CPTM na estação Barra Funda (foto: Alexandre Giesbrecht).
Informações
Administração Metrô de São Paulo
CPTM
SPTrans
Socicam
Endereço Rua Mário de Andrade, 664
Uso Atual Estação de metropolitano
Estação ferroviária
Terminal rodoviário
Terminal urbano
Código BFU
Linha 3red.png   Vermelha

7roxo.png   Rubi

8cinza.png   Diamante

Outras Informações
Inauguração 17 de dezembro de 1988 (25 anos)
Próxima Estação
Precedido por 7roxo.png: Água Branca
8cinza.png: Lapa
Sucedido por 3red.png: Marechal Deodoro
7roxo.png: Luz
8cinza.png: Júlio Prestes

O Terminal Intermodal Palmeiras-Barra Funda, também conhecido como Terminal Barra Funda, ou apenas Estação Barra Funda, é o segundo terminal de transportes mais importante de São Paulo. Inaugurado em 17 de dezembro de 1988, fica localizado no bairro da Barra Funda e reúne num mesmo complexo terminal linhas de ônibus municipais, intermunicipais, interestaduais, internacionais e metropolitanos, trens e metrô.

História[editar | editar código-fonte]

A primeira estrada de ferro a inaugurar uma estação no distrito da Barra Funda foi a Estrada de Ferro Sorocabana, em 10 de julho de 1875. No dia 19 de maio de 1892, a São Paulo Railway inaugurou a sua estação, alguns metros à frente, depois do Viaduto Pacaembu. As estações eram isoladas uma da outra. A ideia de integrar os trens de subúrbio ao Metrô começou a ganhar corpo na década de 1980.

A estação atual foi construída pelo Metrô de São Paulo com recursos do Governo do Estado de São Paulo e do Governo Federal, no local da antiga estação homônima da Sorocabana, para atender a sua Linha Leste–Oeste (atual Linha 3-Vermelha) e unificar em uma só estação as linhas de trem de subúrbio da Fepasa (antiga Sorocabana) e da CBTU (antiga Estrada de Ferro Santos-Jundiaí). Durante a construção, em maio de 1986, foi desalojada uma favela que ficava sob o adjacente Viaduto Antártica, tendo sido entregues seis mil cruzados para cada família.[1] Apesar dessa quantia, as famílias optaram por invadir um terreno no Alto da Lapa, no que foi considerada a primeira invasão de terreno municipal na gestão Jânio Quadros.[1]

A estação foi inaugurada em 17 de dezembro de 1988, apenas com as linhas do Metrô e da Fepasa. A linha da CBTU só seria transferida para lá em 5 de janeiro de 1989.

Após a unificação das linhas de subúrbio da FEPASA e da CBTU como CPTM, passou a ter transferência gratuita entre as linhas das antigas companhias.[2]

Em 27 de abril de 2006, a estação do Metrô passou a se chamar Palmeiras-Barra Funda, em homenagem à Sociedade Esportiva Palmeiras, clube paulistano sediado a cerca de 750 metros do terminal. O mesmo veio a acontecer com as estações da CPTM durante o ano de 2007.

CPTM[editar | editar código-fonte]
Linha Terminais Comprimento (km) Estações Observações
7
Rubi
LuzFrancisco Morato 38,969 13 Possui extensão operacional. Veja quadro abaixo.
Antiga Linha A - Marrom / Antigo Trecho da Linha Noroeste-Sudeste da CBTU.
8
Diamante
Júlio PrestesItapevi 35,283 20 Possui extensão operacional. Veja quadro abaixo.
Antiga Linha B - Cinza / Antiga Linha Oeste do Trem Metropolitano da FEPASA.
Sigla Estação Inauguração Integração Plataformas Posição Notas
BFU Palmeiras-Barra Funda 10 de julho de 1875 (EFS); 19 de maio de 1892 (SPR); 17 de dezembro de 1988 (FEPASA e Metrô); 5 de janeiro de 1989 (CBTU) Linha 3-Vermelha, Bilhete Único da SPTrans Centrais e laterais Superfície Reconstruída pelo Metrô de São Paulo, com recursos do Governo Federal e do Governo Estadual de São Paulo, em 1988
Precedido por
Estação Água Branca
Distância: 2 275 metros
Linha 7 da CPTM
Estação Palmeiras-Barra Funda
Sucedido por
Estação da Luz
Distância: 3 686 metros
Precedido por
Estação Lapa (Linha 8 da CPTM)
Distância: 3 360 metros
Linha 8 da CPTM
Estação Palmeiras-Barra Funda
Sucedido por
Estação Júlio Prestes
Distância: 2 873 metros
Metrô[editar | editar código-fonte]
Linha Terminais Estações Principais destinos Duração das viagens (min) Intervalo entre trens (min)
3
Vermelha
Palmeiras-Barra Funda ↔ Corinthians-Itaquera 18 Barra Funda, Santa Cecília, República, Sé, Brás, Belém, Tatuapé, Penha, Vila Matilde, Artur Alvim, Itaquera 40 2
Sigla Estação Inauguração Capacidade Integração Plataformas Posição Notas
BFU Palmeiras-Barra Funda 17 de dezembro de 1988 60 mil passageiros hora/pico Linhas 7 e 8 da CPTM, Bilhete Único da SPTrans e Cartão BOM. Laterais e central Superfície Estação com estrutura de concreto pré-moldado.
Precedido por
-
Linha 3 do Metrô de São Paulo
Palmeiras-Barra Funda
Sucedido por
Marechal Deodoro
Distância: 1 458 metros
Ônibus[editar | editar código-fonte]

A ala rodoviária do Terminal Palmeiras-Barra Funda oferece diversas linhas que conectam o bairro da Barra Funda a bairros periféricos e centrais do município de São Paulo. Serve também com linhas intermunicipais principalmente com destino ao oeste paulista (áreas 1-Noroeste, Verde, e 8-Oeste, laranja, da SPTrans), interestaduais e internacionais.

Atuando no terminal, há três empresas que operam linhas terrestres internacionais, todas com destino à Bolívia: La Cruceña, La Favorita Bus e Andorinha. A empresa La Cruceña opera com serviços diretos à cidade de Puerto Suarez, oferecendo conexões a Santa Cruz de la Sierra. A Andorinha oferece o serviço São Paulo–Puerto Suarez, porém com conexão à cidade sul-matogrossense de Campo Grande. A empresa La Favorita Bus oferece serviços diretos a Puerto Suarez, com extensões a Santa Cruz de La Sierra e à capital boliviana, La Paz.

Referências

  1. a b (17 de maio de 1986) "A ordem aos favelados: 'invadam'". O Estado de S. Paulo (34 113): 50. São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. ISSN 15162931.
  2. [1]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]