Bilhete Único

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Flag of Brazil.svgGnome-globe.svg
Esta página ou seção está redigida sob uma perspectiva principalmente brasileira e pode não representar uma visão mundial do assunto.
Por favor aperfeiçoe este artigo ou discuta este caso na página de discussão.
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde janeiro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

O Bilhete Único é um sistema de bilhetagem eletrônica que unifica em apenas um sistema, toda a bilhetagem dos meios de transportes, gerando assim beneficios aos seus usuários, tais como as tarifas integradas, onde é concedido desconto ou isenção da tarifa ao se utilizar meios de transporte em sequência.

São Paulo[editar | editar código-fonte]

Cidade de São Paulo[editar | editar código-fonte]

Bilhete único paulistano

O Bilhete Único da cidade de São Paulo foi uma solução criada pela SPTrans (São Paulo Transporte S/A), empresa responsável pelo transporte de ônibus, ligada ao governo municipal. Hoje em dia, o Bilhete Único também é aceito no Metrô e nos trens da CPTM.

Com seus mais de 8,5 milhões de cartões expedidos ate 2006, e frota de 15.000 ônibus e 7,3 milhões de viagens, esta é provavelmente a 2ª maior solução em bilhetagem eletrônica no mundo, logo após o cartão Octopus de Hong Kong.

Lançado em 18 de maio de 2004, na gestão da ex-prefeita Marta Suplicy[1] , o Bilhete Único permite atualmente que o passageiro faça várias integrações de ônibus pagando uma única passagem dentro de um certo período de tempo. Permite ainda fazer integrações com outros meios de transporte — metrô e trem — pagando um preço aproximadamente 50% menor do que o da tarifa completa.

Os cartões usam tecnologia sem-contato NXP Mifare.

A solução original (em 1997) foi baseada na solução adotada na cidade de Seul, Coréia do sul, mas foi abortada devido a problemas do software com a complexa regulamentação do Vale Transporte.
Por volta de 2001/2002 o projeto foi reiniciado pela SPTrans, que decidiu que haveria pelo menos 2 provedores de solução para cada necessidade do projeto, para nao depender exclusivamente de apenas uma provedora como outras cidades fazem.

O "Projeto de Bilhetagem Eletrônica", que resultou no "Bilhete Único", tem pelo menos 30 soluções diferentes e vários provedores de solução envolvidos no projeto. Entre os problemas, o maior deles era a questão da recarga, pois todos os cartões são pré-pagos e a recarga não pode ser feita a bordo. Várias cidades brasileiras falharam em criar e espalhar uma rede de recarga. Devido a acordos com empresas especializadas em benefícios (VT) e com a Caixa Econômica Federal que concedeu suas lotéricas como pontos de recarga, hoje São Paulo conta com mais de 3.000 pontos de recarga (mar/2007). Hoje a recarga pode ser feita através da internet na loja virtual da SPTrans.

Cartão Descrição
Comum Bilhete Único Comum com direito a 4 viagens durante 3 horas
Estudante Bilhete Único Estudante com direito a 4 viagens durante 2 horas
Idoso Bilhete Único Idoso com direito a ilimitadas viagens gratuitas
Vale-Transporte Bilhete Único Vale-Transporte com direito a 4 viagens durante 2 horas
Personalizado Bilhete Único com direito a 4 viagens durante 2 horas
Obeso/Gestante Bilhete Único com direito a 4 viagens durante 2 horas com saída pela porta da frente
Deficiente Bilhete Único com ou sem acompanhante

Campinas[editar | editar código-fonte]

Em Campinas, o sistema (de nome homônimo ao da Capital) também conta com cartões diferenciados para cada tipo de usuário, entre eles:

Cartão Descrição
Comum Bilhete Único Comum com direito a 3 viagens durante uma hora e meia - Cor Vermelha
Escolar Bilhete Único Estudante com direito a 3 viagens durante uma hora e meia - Cor Azul
Gratuito Idoso Bilhete Único Idoso - Cor lilás
Vale-Transporte Bilhete Único Vale-Transporte com direito a 3 viagens durante uma hora e meia - Cor Verde
Gratuito Bilhete Único para pessoas deficientes - Cor lilás
  • Aos domingos e feriados o período aumenta para 2 horas

Rio de Janeiro[editar | editar código-fonte]

Bilhete único Fluminense

Em 29 de dezembro de 2009, a Lei 5628/09 instaurou o Bilhete Único na região metropolitana do Rio de Janeiro. O Bilhete Único RJ tem a tarifa de R$ 5,25 e com ele o usuário pode viajar em até 2 meios de transporte diferentes - ônibus, vans legalizadas, trens, barcas e metrô - em até duas horas e meia, desde que um deles faça a integração entre municípios. O benefício vale também para quem usa apenas um transporte intermunicipal que custe acima de R$5,25.

O Bilhete Único RJ poderá ser incorporado a qualquer modalidade de RioCard mediante solicitação do comprador de créditos do cartão, tornando desnecessária a compra de um novo cartão.

Para compra avulsa, será disponibilizado nas bilheterias dos trens, metrô, barcas, nas lojas da Fetranspor e também pela Loja Virtual do Bilhete Único RJ, porém seu uso como bilhete único não será imediato, pois em todos os casos é necessária a associação prévia a um CPF, o que faz com que o bilhete único comprado nesses locais só possa ser utilizado 48h depois da compra.

Como funciona a integração?
Ao utilizar o 1° transporte, será descontado do cartão o valor integral do modal. Caso o usuário utilize outro meio de transporte público no período de duas horas e meia, o restante da integração será descontada.
Se o valor do 1° transporte for superior a R$ 5,25, será descontado o valor total da integração (R$ 5,25) e, na próxima utilização, ao aproximar o cartão do validador, não será descontado valor algum.

Exemplo 1: 1° modal > R$ 3,00
2° modal > R$ 2,25
Exemplo 2: 1° modal > R$ 5,25
2° modal > R$ 0,00

Cada usuário terá direito a 2 integrações por dia - uma de ida e outra de volta.

O início da operação se deu na data de 1 de fevereiro de 2010

Cidade do Rio de Janeiro[editar | editar código-fonte]

O Bilhete Único Carioca é o benefício tarifário da integração nas linhas de ônibus municipais da cidade do Rio de Janeiro. Após seu desbloqueio poderá ser utilizado normalmente, mas só será contemplado com a tarifa proporcional em 48 h. Utilizando o cartão, você pode embarcar em até dois ônibus municipais, com ou sem ar-condicionado, dentro do intervalo de duas horas, pagando o valor de R$ 2,75. Além disso o usuário poderá fazer uso de 3 (três) ônibus, pagando R$2,75, desde que o segundo seja o BRT Transoeste e um dos outros dois seja uma linha alimentadora. O Bilhete Único Carioca funciona também para a integração de ônibus Municipais da Cidade do Rio de Janeiro e Trens da Supervia, pagando a tarifa de R$3,95. Ônibus tarifa (tipo "frescão") não estão incluídos no Bilhete Único Carioca. Nas viagens que não contemplam integração, o cartão pode ser utilizado sem restrições de uso e tempo, podendo ainda pagar várias passagens no mesmo veículo e será descontado a tarifa normal do modal.

Niterói[editar | editar código-fonte]

Assim como acontece na capital fluminense, a cidade de Niterói também adotou um bilhete único municipal, o Bilhete Único de Niterói Após seu desbloqueio poderá ser utilizado normalmente, mas so será contemplado com a tarifa proporcional em 48 h. utilizando o cartão eletrônico, você pode embarcar em até dois ônibus municipal ou intermunicipal, dentro do intervalo de três horas, pagando o valor de R$ 2,50. exceção feita aos frescões e integrando-se ao bilhete único carioca, se pegar um ônibus municipal da capital [2] .

Araruama[editar | editar código-fonte]

Seguindo o modelo da capital fluminense, o município de Araruama passou a oferecer aos moradores o Bilhete Único Municipal. Gerenciado pela Viação Montes Brancos (empresa responsável pelo transporte coletivo de passageiros na cidade) o BU de Araruama faz a integração das passagens através da utilização do cartão eletrônico. Com isso, você pode embarcar em até dois ônibus municipais dentro do intervalo de duas horas, descontando uma única vez o valor de R$ 2,70. A integração pode ser realizada em todos os ônibus de linhas municipais, até nos frescões.

Referências

  1. "Tarifa válida por 2 horas começa a vigorar neste mês em SP", Folha Online, 14/05/2004
  2. G1 (14/12/2011). Bilhete Único de Niterói entra em vigor na quinta-feira. 13h16. Página visitada em 27/04/2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]