São Paulo Transporte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de SPTrans)
Ir para: navegação, pesquisa
São Paulo Transporte S/A
Trolleybus Low Floor 4 1500 - Sao Paulo, Brazil.JPG Trólebus da empresa Himalaia, operando linha de ônibus sob gerenciamento da SPTrans
Fundação 8 de março de 1995 (19 anos)
Sede São Paulo
Empregados 1.200

A São Paulo Transporte (SPTrans) é a denominação adotada em 8 de março de 1995 para a municipal autárquica que tem por finalidade a gestão do sistema de transporte público por ônibus em São Paulo. Foi fundada a partir da Companhia Municipal de Transportes Coletivos.

Todas as linhas de ônibus são operadas por concessionárias, sob a supervisão da SPTrans, empresa de planejamento e gerenciamento do transporte coletivo. A SPTrans emite ordens de serviço de operação para cada linha, incluindo definição de trajetos, horários de operação e frota necessária. O pagamento da passagem pode ser efetuado em dinheiro ou pelo cartão denominado Bilhete Único. A empresa gerencia também os corredores de ônibus e terminais de ônibus do município.

Códigos das linhas de ônibus[editar | editar código-fonte]

Existem linhas com 3 números e 1 letra (ex. 477P-10 Ipiranga - Rio Pequeno) e linhas com 4 números (ex. 1702-10 Jova Rural - Tietê ).

Quando a linha possui 3 números e uma letra (ex. 477P Ipiranga/Rio Pequeno), significa que a linha inicia em uma área (inicia na área 4 antiga) e termina em uma outra área diferente (termina na área 7 antiga [terceiro dígito]), isso normalmente seguindo a numeração antiga de quando a cidade era dividida em nove áreas, e como existem diversas linhas iniciando e terminando nas mesmas áreas a diferenciação se faz pela utilização da letra final, como por exemplo nas linhas 748A Jd. D`Abril - Lapa e 748R Jd. João XXIII - Metrô Barra Funda. Se o segundo dígito for 0 (zero), significa que a linha passa pelo centro da cidade (ex. 702U-Terminal Parque Dom Pedro II/Butantã USP, ou seja, inicia na área 7 antiga, passando pelo centro [dígito ZERO] e termina na área 2 antiga).

O código de quatro números (ex. 8615 Terminal Parque Dom Pedro II - Parque da Lapa) é utilizado quando a linha inicia e termina na própria área ou no centro da cidade, sendo que os dois últimos algarismos servem para diferenciar a região do ponto terminal dentro da área. Quando o segundo dígito for 0 (zero), significa que a linha inicia e termina na mesma área (ex. 8000 Praça Ramos de Azevedo - Terminal Lapa) e quando tiver outro valor indica que a linha parte do centro da cidade (ex. 8700 Praça Ramos de Azevedo - Terminal Campo Limpo). Tanto em um, quanto em outro, quando o segundo dígito for 7 (sete) significa que a linha inicia/termina ou passa pelo metrô (ex. 8700 Praça Ramos de Azevedo - Terminal Campo Limpo, inicia no metrô Anhangabaú e passa pela Estação Hebraica - Rebouças).

Nas linhas que partem dos terminais Sapopemba/Teotônio Vilela, Sacomã e Campo Limpo a numeração das linhas já segue a nova numeração da cidade dividida em nove áreas (ex. o que era anteriormente área 4 (quatro) e também parte da área 3 (três) agora é área 5 (cinco)).

A verdade é que com a mudança de onde ficam as áreas (antigamente era diferente de como é hoje em dia), e com a mudança na codificação no número das linhas, atualmente não há nenhum padrão nas linhas da cidade de São Paulo. As mais recentes, como as do Terminal Campo Limpo por exemplo (citado acima), seguem o novo padrão de numeração, porém linhas criadas na década de 70/80/90 seguiram um outro padrão de numeração, e hoje ainda mantêm o mesmo número (para não haver confusão para os passageiros antigos da linha), o que faz com que não seja possível identificar o trajeto de uma linha, por exemplo, baseando-se nas explicações acima.

Existem também as linhas ambientais. Recebem esta denominação por ter seu TP (Terminal Primário, mais conhecido como ponto inicial) em área de preservação ambiental. Atualmente exsitem apenas na área 6, e partem dos terminais Varginha, Parelheiros e Grajaú (apenas uma). A Numeração é 6L0X (6 - Área) e (L - Linha ambiental), seguindo um padrão que se adequa ao atual, os dois números finais são para diferenciar as linhas. Exemplos de linhas ambientais: 6L01 (Term. Varginha - Eng. Marsilac), 6L05 (Term. Parelheiros - Barragem), 6L11 (Term. Grajaú - Ilha do Bororé), entre outras. Marsilac, Barragem e Ilha do Bororé, por exemplo, são locais que ficam em área de preservação ambiental (inclusive é possível observar placas indicando isso nas vias pelas quais passam estas linhas).

Além dos 4 primeiros algarismos, ainda há um código que vem depois do número da linha (existente nas placas com itinerários ao lado da porta de entrada), que especificam o tipo da linha, como é o caso da linha extinta a 702P. A linha principal é a 702P/10 (Terminal Penha - Pinheiros). Sua variante é: ), 702P/41 (Belém - Pinheiros). Linhas principais geralmente são retratadas sem o código /10 (quando se diz "702P", refere-se à linha 702P/10). Geralmente usam o código após a linha apenas quando ele é /2x, /3x, /4x ou /5x, que não são muito comuns, a maioria das linhas não possui variações. A linha derivada não pode possuir mais ônibus que a linha principal. A tabela abaixo explica o que significa cada um dos códigos que podem aparecer após os quatro dígitos de uma linha:

Código Descrição Exemplo
10 Linha Base 3310-10 Terminal Amaral Gurgel / Cidade Tiradentes
11 a 19 Linha Noturna 737A-11 Terminal Jardim Ângela / Terminal Santo Amaro
21 a 29 Linha Retorno 509M-21 Jardim Míriam / Moema
31 a 39 Linha Derivação 8050-31 Parque Morro Doce / Lapa
41 a 49 Linha Bifurcação 847P-41 Brasilândia / Itaim Bibi
51 a 59 Linha Prolongamento 8055-51 Perus / Metrô Barra Funda

Divisão dos lotes de empresas por área[editar | editar código-fonte]

Divisão dos lotes de empresas por área clique para ampliar

O atual modelo do transporte público municipal em São Paulo divide a cidade em nove áreas diferentes, sendo que para oito delas (1 - Noroeste, 2 - Norte, 3 - Nordeste, 4 - Leste, 5 - Sudeste, 6 - Sul, 7 - Sudoeste e 8 - Oeste) foram estabelecidos lotes para a distribuição das empresas e cooperativas que prestarão os serviços de transporte por ônibus, microônibus, vans e trólebus. A área 9 é a da Região Central da Cidade, que não possui lotes específicos, de forma que não há nenhuma empresa ou cooperativa que atua especificamente nestes limites. As linhas que operam apenas dentro dos limites da área 9 são de responsabilidade de empresas das áreas 1 a 8, normalmente, a que fica mais próxima do ponto considerado como o inicial da linha (regra que comporta várias exceções).

Consórcios[editar | editar código-fonte]

  • Área 1 - Noroeste - Verde: Consórcio Bandeirante de Transporte / Consórcio Transcooper Fenix
  • Área 2 - Norte - Azul Marinho: Sambaíba Transportes Urbanos Ltda. / Consórcio Transcooper Fenix
  • Área 3 - Nordeste - Amarela: Consórcio Plus / Consórcio Aliança Paulistana
  • Área 4 - Leste - Vermelha: Ambiental Transportes Urbanos e Express Transportes Urbanos / Transcooper
  • Área 5 - Sudeste - Verde Floresta: Via Sul Transportes Urbanos Ltda. / Consórcio Aliança Cooperpeople
  • Área 6 - Sul - Azul: - Consórcio Unisul / Consórcio AuthoPam
  • Área 7 - Sudoeste - Vinho: Consórcio 7 / Consórcio AuthoPam
  • Área 8 - Oeste - Laranja Consórcio Sudoeste / Consórcio Unicoopers CooperAlfa

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]