Solo Sagrado (Igreja Messiânica Mundial)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde novembro de 2013).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

Solo Sagrado (designado em Japonês como: Seiti) é como a Igreja Messiânica Mundial chama seus complexos formados por templos, museus e jardins, que seguem o que o fundador da Igreja, Meishu-Sama, que o denominava de “Protótipo do Paraíso Terrestre”[1] [2] [3] .

Funções[editar | editar código-fonte]

Em um Solo Sagrado há, geralmente, além de templos para orações e cultos, vastas instalações onde acontecem reuniões, seminários, cultos e excursões. A entrada é, geralmente, gratuita e livre também para não-membros da Igreja. Há também vastos jardins e museus, onde se é permitido o culto ao belo, um dos três pilares da religião.

O Solo Sagrado é a instalação mais alta na hierarquia da Igreja Messiânica.

Solos Sagrados pelo Mundo[editar | editar código-fonte]

Até o momento, foram construídos 5 Solos Sagrados da Igreja Messiânica Mundial ao redor do mundo, sendo 3 deles no Japão, um na Tailândia e um no Brasil.

Há também o projeto de se construir um Solo Sagrado em Cacuaco[4] ,Angola, que seria então o primeiro complexo construído em solo Africano.

O Solo Sagrado de Guarapiranga[editar | editar código-fonte]

Templo da Igreja Messiânica Mundial às margens da Represa de Guarapiranga, em SP.

O Solo Sagrado de Guarapiranga é o único Solo Sagrado da Igreja Messiânica Mundial localizado no Ocidente[5] .

Está localizado na região de Parelheiros[6] , às margens da Represa de Guarapiranga, na cidade de São Paulo. Geralmente, apenas nele são realizados grandes encontros, como por exemplo, os que ocorrem quando o ocupante do Trono de Kyoshu vem ao Brasil. É apenas no Solo Sagrado, também, que pode ser realizada a cerimônia em que um seminarista da Igreja Messiânica se torna Ministro.


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências