Estádio do Canindé

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Canindé
Estádio Doutor Osvaldo Teixeira Duarte
Nomes
Nome Estádio Doutor Osvaldo Teixeira Duarte
Antigos nomes Ilha da Madeira e
Independência
Características
Local Canindé, São Paulo, SP
Brasil
Gramado Grama natural (106,40 x 70,50 m)
Capacidade 21.004 pessoas [1]
Construção
Data 1953
Inauguração
Data 11 de novembro de 1956
Partida inaugural Portuguesa 3 x 2 Combinado SE Palmeiras / São Paulo FC
Primeiro gol Nelsinho (São Paulo FC)
Último Jogo
Recordes
Público recorde 25.662 pessoas[2]
Data recorde 10 de outubro de 1982
Partida com mais público Portuguesa 1 x 3 Corinthians
Outras informações
Remodelado 1972 e 1973
Proprietário Portuguesa
Administrador Portuguesa
Arquiteto Hoover Américo Sampaio
Mandante Portuguesa

O Estádio do Canindé (oficialmente Estádio Doutor Osvaldo Teixeira Duarte) é um estádio de futebol localizado às margens do Rio Tietê, na cidade de São Paulo e cuja propriedade é da Associação Portuguesa de Desportos, clube social-poliesportivo ligado à colônia portuguesa da capital paulista.

História[editar | editar código-fonte]

O Deutsch Sportive, clube da colônia alemã em São Paulo, possuía um imóvel no bairro do Canindé, onde praticava os mais variados esportes. Mas, com a declaração de guerra do governo brasileiro aos países do Eixo, durante a Segunda Guerra Mundial, começa uma perseguição a clubes das colônias desses países, inclusive a alemã. O Deutsch resolve vender seu imóvel temendo perdê-lo confiscado. Por sua vez, o São Paulo Futebol Clube, que resolvera o seu problema com estádio para jogos, adotando ao Estádio do Pacaembu, ainda não tinha um local para treinamento. Comprou então o Canindé em 29 de janeiro de 1944, por 740 contos de Réis. Ainda, pelo acordo deveria permitir que os membros do clube vendedor continuassem usando as instalações. O Deutsch Sportive mudou de nome para Guarani, abrasileirando-se e fugindo de perseguições. Mais tarde, seus sócios aderiram ao São Paulo.

Em 1956, a Portuguesa adquiriu o imóvel no bairro do Canindé, do seu proprietário, Wadih Sadi. Este, um sócio do São Paulo Futebol Clube, que comprara o imóvel do próprio clube um ano antes. No local havia apenas uma pequena infra-estrutura, que incluía: um campo para treinos, um pequeno salão, vestiários e outras depedências de treinamento. Para que pudessem ser realizadas partidas oficiais no local e atender às exigências da Federação Paulista de Futebol, foram realizadas várias reformas, levantados alambrados e uma arquibancada provisória de madeira. Estas primeiras arquibancadas acabaram conferindo ao estádio o apelido carinhoso de "Ilha da Madeira" — título que, além de ser alusivo à condição da edificação, também se refere à ilha portuguesa.

Com tais características, o Canindé recebeu sua primeira partida oficial em 11 de janeiro de 1956, quando a Portuguesa venceu uma seleção formada pelos rivais Palmeiras/São Paulo por 3 a 2. Nelsinho do São Paulo fez o primeiro gol desta partida no estádio ainda de madeira. Com o nome de Estádio Independência, o Estádio do Canindé foi inaugurado oficialmente em 9 de Janeiro de 1972, com a partida Portuguesa 1 a 3 Benfica. Nessa inauguração oficial, já contou com arquibancadas de concreto mas sua capacidade ainda era de apenas dez mil espectadores. Em 1979 o presidente Manuel Mendes Gregório rebatizou o estádio com o atual nome de Estádio Dr. Osvaldo Teixeira Duarte. A capacidade total foi ampliada para 28.500 espectadores sentados. Anteriormente à construção deste estádio, porém, foi encomendado ao arquiteto João Batista Vilanova Artigas (o qual já havia projetado o Estádio do Morumbi na década anterior) um estudo para o estádio-sede do clube, no mesmo local. Este estudo - caracterizado por arquibancadas triagulares e por estar aberto às marginais -, porém, foi descartado em favor do projeto que constitui o atual estádio.

Grandes Públicos[editar | editar código-fonte]

MAIORES PÚBLICOS DA PORTUGUESA NO ESTÁDIO DO CANINDÉ

  • Listados jogos com públicos acima de 20.000 pagantes.
  1. Portuguesa 1 x 3 Corinthians, 25.662, 10 de outubro de 1982 (23.858 pagantes).
  2. Portuguesa 3 x 1 Coritiba(PR), 25.491, 15 de novembro de 1998.
  3. Portuguesa 0 x 1 Cruzeiro(MG), 25.312, 9 de dezembro de 1998.
  4. Portuguesa 2 x 2 Palmeiras, 25.050, 1 de maio de 1982.
  5. Portuguesa 2 x 1 Palmeiras, 23.534, 15 de agosto de 1982 (21.989 pagantes).
  6. Portuguesa 0 x 1 Flamengo (RJ), 23.570, 15 de março de 1984.
  7. Portuguesa 2 x 1 Cruzeiro (MG), 22.973, 5 de dezembro de 1998.
  8. Portuguesa 1 x 1 São Paulo, 22.606, 23 de abril de 1989.
  9. Portuguesa 1 x 4 São Paulo, 21.980, 13 de março de 1988.
  10. Portuguesa 1 x 0 São Paulo, 21.965, 22 de abril de 2001.
  11. Portuguesa 1 x 2 Palmeiras, 21.690, 1 de maio de 1996.
  12. Portuguesa 0 x 0 Palmeiras, 20.968, 10 de abril de 1994.
  13. Portuguesa 2 x 0 Ferroviária, 20.429, 11 de dezembro de 1985
  14. Portuguesa 0 x 0 Santos, 20.305. 8 de novembro de 2001.
  15. Portuguesa 0 x 1 Santos, 20.192, 21 de maio de 1989.

Ampliação[editar | editar código-fonte]

Antes da candidatura a sede da copa[editar | editar código-fonte]

Antes da candidatura a estádio-sede da Copa do Mundo de 2014, a diretoria da Portuguesa trabalhava em um projeto para ampliar a capacidade do Canindé para 40 mil espectadores e transforma-lo numa confortável arena multi-uso. A localização privilegiada na cidade de São Paulo, as avenidas e as estações de metrô e de ônibus (inclusive com linhas interestaduais) que o cercam o tornam um estádio sempre requisitado para vários eventos além do futebol. Bingos, encontros religiosos, shows musicais e diversas festas sempre ocorrem no Canindé. O projeto original é do arquiteto Hoover Américo Sampaio, ex-aluno e professor da Arquitetura Mackenzie.[3]

Após o anúncio da candidatura a sede da copa[editar | editar código-fonte]

Motivado pela indefinição sobre a sede paulista para a Copa do Mundo de 2014, a Portuguesa oficializou, no dia 14 de julho de 2010, o interesse de ter o Canindé como estádio paulistano para o Mundial que será recebido pelo Brasil.[4]

A proposta apresentada pelo presidente Manuel da Lupa a Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente, realizada na Câmara Municipal de São Paulo, que a primeira vista foi encarada como piada [5] , acabou sendo aceita, e o campo lusitano tornou-se oficialmente um dos candidatos a receber a Copa.

O que primeiro pareceu piada, logo foi adotado pelos presentes, inclusíve pelo vereador e dirigente do São Paulo Futebol Clube, Marco Aurélio Cunha (PSD), que afirmou apoiar a proposta. "Fui a primeira pessoa a sugerir o Canindé. Se a Portuguesa tiver oportunidade de fazer um projeto com verba privada e autossustentável, tem o meu total apoio. Até porque não vejo opção mais bem localizada. Talvez até mesmo que o próprio Cícero Pompeu de Toledo."[6]

Como constatado pela prefeitura, o Canindé apresenta o melhor conjunto de vantagens para sediar a copa. Uma delas é estacionamento. Há uma área de 33 mil metros quadrados que pertence à Prefeitura ao lado do estádio que poderia ser usada para parar os carros durante os jogos. [7]

Para ressaltar as qualidades do Canindé, Manuel da Lupa apresentou dados sobre o tamanho do local - de acordo com o mandatário, a área física do clube possui 100.000 m².[8]

Outro ponto favorável ao campo da Portuguesa e destacado está na localização. O fato de o Canindé estar localizado na Marginal Tietê, principal via de São Paulo, e a proximidade com o Terminal Rodoviário Tietê, as estações de metrô Armênia e Tiete e até um aeroporto (Campo de Marte), favorecem o Canindé. Além disso, acresce-se o fato de que o estádio possui ligação direta com os Aeroportos de Cumbica e Congonhas [9] , e possui em seu entorno ampla rede hoteleira, além de hospitais e três shoppings centers. [10]

De acordo com diretoria do clube, o Canindé, que atualmente conta com capacidade para 27 mil pessoas, passaria a ter 60 mil lugares, atendendo assim ao padrão exigido pela Fifa para abertura da competição. [11]

"Hoje o Canindé fica localizado no lugar ideal para se ter um estádio para a Copa. É claro que atualmente ele não tem condições de receber algo desse porte, mas uma nova arena, construída para o Mundial, poderia ser a saída para São Paulo" - afirmou Da Lupa, via assessoria de imprensa.

O mandatário da Portuguesa afirmou que a construção do novo Canindé será realizada por intermédio de parcerias com empresas privadas, negando a utilização do dinheiro público, como ocorreria no caso de Pirituba ser escolhida a sede paulista para o torneio.

Segundo Da Lupa, a construção do novo estádio seria bancada pela iniciativa privada. Votorantim e Banif teriam demonstrado interesse, além da Kyocera.[12]

Os custos desse projeto também representam uma vantagem do Canindé sobre as outras propostas. Considerado o mais economicamente viável dos projetos, a nova arena da Lusa, com capacidade de 60 mil lugares, custaria apenas R$ 250 milhões, em comparação com os R$ 630 milhões do projeto de reforma do Morumbi aprovado pela Fifa, dos R$ 350 milhões do estádio de 40 mil pessoas proposto pelo Corinthians [13] e dos R$ 700 milhões da proposta do Piritubão de 65 mil lugares.[14]

A proposta, a qual foi reforçada após uma visita de inspetores da FIFA [15] , prevê a construção do novo Canindé em até 3 anos [16] .

A proposta foi preterida e a Arena Corinthians foi escolhida para a abertura da Copa do Mundo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. CNEF da CBF (PDF) (em português). Site Oficial da CBF. Página visitada em 09/03/12.
  2. RSSSF Brasil
  3. Um dos projetos de ampliação e revitalização do Estádio do Canindé
  4. http://www.abril.com.br/noticias/esportes/futebol/portuguesa/portuguesa-oficializa-caninde-como-candidato-sede-2014-1228263.shtml Portuguesa oficializa Canindé como candidato à sede de 2014
  5. http://www.diariodepernambuco.com.br/2010/08/19/esportes10_0.asp
  6. http://www.diariodepernambuco.com.br/2010/08/19/esportes10_0.asp
  7. http://www.diariodepernambuco.com.br/2010/08/19/esportes10_0.asp
  8. http://www.abril.com.br/noticias/esportes/futebol/portuguesa/portuguesa-oficializa-caninde-como-candidato-sede-2014-1228263.shtml
  9. http://www.lancenet.com.br/noticias/10-08-18/810487.stm
  10. http://esportes.terra.com.br/futebol/brasil2014/noticias/0,,OI4646416-EI10545,00-Caninde+recebera+membro+da+Fifa+e+reforca+sonho+por+sede+em.html
  11. http://www.lancenet.com.br/noticias/10-08-18/810487.stm
  12. http://www.diariodepernambuco.com.br/2010/08/19/esportes10_0.asp
  13. http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2010/08/estadio-do-corinthians-custara-r-350-milhoes.html
  14. http://esportes.r7.com/blogs/cosme-rimoli/2010/08/07/caminho-aberto-para-o-piritubao-para-sobreviver-kassab-sai-da-frente/
  15. http://esportes.terra.com.br/futebol/brasil2014/noticias/0,,OI4646416-EI10545,00-Caninde+recebera+membro+da+Fifa+e+reforca+sonho+por+sede+em.html
  16. http://www.diariodepernambuco.com.br/2010/08/19/esportes10_0.asp
Ícone de esboço Este artigo sobre estádios de futebol do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.