Campeonato Paulista do Interior de Futebol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Campeonato Paulista do Interior de Futebol
Campeonato Paulista do Interior
Dados gerais
Organização FPF
Edições 66 (amador, profissional e nova era)
Local de disputa  São Paulo,  Brasil
Número de equipes 4
Sistema Mata-mata
Soccerball current event.svg Edição atual
editar

Campeonato Paulista do Interior de Futebol é o nome de uma competição de futebol brasileira, proveniente do Campeonato Paulista de Futebol, que aponta o Campeão do Interior.

História[editar | editar código-fonte]

Do fim da década de 1910 até o começo da década de 1930 era realizado o Campeonato Paulista do Interior, visto que o Campeonato Paulista da época abrigava em sua grande maioria clubes da capital - até por causa das dificuldades de locomoção dos times; apenas alguns outros como Ponte Preta, Guarani e Santos eram as exceções (as suas cidades, Campinas e Santos eram ligadas a São Paulo por ferrovias).

Também foi disputada por 10 anos, de 1917 até 1927, a Taça Competência, onde se enfrentavam os Campeões do Campeonato Paulista e os Campeões do Campeonato Paulista do Interior.

Esses campeonatos indicavam campeões de "zonas" e "regiões" do estado, ao vencedor o título de "Campeão Paulista do Interior", posteriormente disputava o "Campeonato Paulista Amador" contra o clube vencedor do "metropolitano" com o vencedor da "capital", sendo este a disputar com o vencedor do interior, saindo aí o "Campeão Paulista Amador".[1]

Em 2007 voltou a ser instituído pela Federação Paulista de Futebol com o intuito premiar um clube do interior do estado. Disputam esta competição os melhores colocados do Campeonato Paulista que não estejam nas semifinais, com exceção dos clubes da capital e do Santos, dando ao vencedor o título de "Campeão do Interior".

Campeões do Campeonato Paulista do Interior de Futebol[editar | editar código-fonte]

Ano Campeão Vice-campeão
1918-19 Taubaté Comercial FC
1919-20 Paulista XV de Piracicaba
1920-21 Corinthians Jundiaiense Sanjoanense
1921 Paulista Comercial FC
1922 Rio Branco Taubaté
1923 Rio Branco Francana
1924 AA Avareense
1925 Velo Clube Rio Branco
1926 Taubaté LAF
EC Elvira APEA
EC Lemense LAF
APEA
1927 Botafogo APEA
Ponte Preta LAF
Francana APEA
LAF
1928 EC São Caetano
1929 CA Floresta (Amparo) Francana (Franca)
1930 Amparo AC
1931 XV de Piracicaba CA Cravinhos
1932 XV de Piracicaba
1933 Mogi Mirim
1941 EC São Caetano
1942 Taubaté Lusitana FC (Bauru)
1943 Noroeste Guarani
1944 Guarani AA São Bento (Marília)
1945 Batatais Ponte Preta
1946 Bauru AC Guarani
1947 Rio Pardo FC (Rio Pardo)
1948 São Paulo FC (Araraquara) Radium (Mococa)
1949 Altinópolis FC (Altinópolis) EC Elvira (Jacareí)
1950 América EC (Ibitinga) CA Valinhense (Valinhos)
1951 Ponte Preta (Campinas) Mogi Mirim (Mogi Mirim)
1952 Amparo AC AA Mocoembu (Dois Córregos)

Era Profissional do Campeonato[editar | editar código-fonte]

Ano Campeão Vice
1947 XV de Piracicaba
1948 XV de Piracicaba
1949 Guarani
1950 Radium
1951 XV de Jaú
1952 Linense
1953 EC Santa Sofia (Pedreira) Agudos FC (Agudos)
1954 Pirassununguense EC Elvira (Jacareí)
1955 AA Itapetininga (Itapetininga) EC Elvira (Jacareí)
1956 Atlético Brasil Clube (Paraguaçu Paulista) Comercial FC (Araras)
1957 AA XI de Agosto (Tatuí)[2] Comercial FC (Araras)
1958 AA XI de Agosto (Tatuí) Itatiba EC (Itatiba)
1959 Atlético Clube Brasil (Paraguaçu Paulista) Comercial FC (Araras)
1960 SER Usina São João (Araras) EC Usina Santo Antônio (Sertãozinho)
1961 Matarazzo (Rio Claro) SER Usina São João (Araras)
1962 SER Usina São João (Araras) Matarazzo (Araçatuba)
1966 Comercial
1967 Ferroviária
1968 Ferroviária
1969 Ferroviária
1970 Torino FC (Jaú) AE São Geraldo (Taubaté)
1971 AE Industrial (Pindamonhangaba) Pirajuí AC (Pirajuí)
1972 Santos FC (Adamantina)
Guarani (Troféu Folha de São Paulo - Torneio do Interior)
1973 Guarani (Troféu Folha de São Paulo - Torneio do Interior)
1974 AE Industrial (Pinadamonhangaba)
Guarani (Troféu Folha de São Paulo - Torneio do Interior)
1976 SE Bambozi (Matão)

Observações[editar | editar código-fonte]

Nova fase[editar | editar código-fonte]

Ano Campeão Vice Semifinalistas Notas
2006 Noroeste Troféu Jornal Bom Dia - Melhor Colocado do Interior
2007 Guaratinguetá Noroeste Paulista e Ponte Preta
2008 Grêmio Barueri Noroeste Ituano e Mirassol
2009 Ponte Preta Grêmio Barueri Santo André e Mirassol
2010 Botafogo-SP São Caetano Ponte Preta e Oeste
2011 Oeste Ponte Preta São Caetano e Mirassol
2012 Mogi Mirim Bragantino Mirassol e Oeste
2013 Ponte Preta Penapolense Botafogo-SP e Linense
2014 Penapolense Botafogo-SP O Campeão do Interior foi o melhor classificado ao término da competição.
Excetuando o campeão e vice do Campeonato Paulista.

Títulos Conquistados por Clube e Por Cidade[editar | editar código-fonte]


O Interior no Campeonato Paulista de Futebol[editar | editar código-fonte]

Um dos grandes protestos do clubes do interior de São Paulo em relação a atual fórmula de disputa do Campeonato Paulista do Interior é o fato de que os clubes que consigam avançar pelas quartas-de-final (ou chegassem entre os quatro primeiros colocados da primeira fase na fórmula antiga) e disputem as semi-finais do campeonato são excluídos da semifinais do interior. Desta maneira, um clube melhor colocado no campeonato em geral, como a Ponte Preta que chegara ao Vice-Campeonato em 2008 ao ser vencida pelo Palmeiras na final, acabam não conquistando o título do interior, disputado por clubes que terminaram a classificação em posições menores, no caso do conquistado em 2008, o Grêmio Barueri que havia terminado em 6º Lugar.

Sendo assim, neste artigo, estarão listados os times do interior que conseguiram melhor colocação em cada Campeonato Paulista de Futebol em houve equipe do interior participante (entendendo interior de acordo com as atuais distinções da Federação Paulista de Futebol, quaisquer clubes fora da capital do estado e o Santos Futebol Clube). Além de uma secção especial aos clubes interioranos que conquistaram o título.

Nos anos em que não houve clube do interior classificado às semi-finais na atual fórmula de disputa - até o momento, nas edições de 2009 e 2011 - será respeitado o vencedor da taça específica do Torneio do Interior, ainda que a classificação final não corresponda a esse resultado, tal como é feito no campeonato completo.

Melhores colocações[editar | editar código-fonte]

Ano Melhor equipe do interior Cidade Colocação
1914 Hydercroft Jundiaí
1926 Paulista pela LAF Jundiaí
1927 Guarani pela APEA e Paulista pela LAF Campinas e Jundiaí 4º e 5º
1928 Guarani pela APEA e Ponte Preta pela LAF Ambos de Campinas Ambos em 4º
1929 Guarani pela APEA e Ponte Preta pela LAF Campinas 5º e Vice
1930 Guarani Campinas
1931 Guarani Campinas
1932 Sem clube do interior participante
1933
1934 Paulista Jundiaí
1935 São Caetano EC pela APEA São Caetano do Sul
1936 São Caetano EC pela APEA São Caetano do Sul
1937 Sem clube do interior participante
1938
1939
1940
1941
1942
1943
1944
1945
1946
1947
1948
1949 XV de Piracicaba Piracicaba
1950 Guarani Campinas
1951 Guarani Campinas
1952 XV de Jaú Jaú
1953 Guarani Campinas
1954 Ponte Preta Campinas
1955 Guarani Campinas
1956 XV de Jaú Jaú
1957 Botafogo Ribeirão Preto
1958 XV de Piracicaba Piracicaba
1959 Ferroviária Araraquara
1960 Noroeste Bauru
1961 Ferroviária Araraquara
1962 Botafogo Ribeirão Preto
1963 São Bento Sorocaba
1964 América São José do Rio Preto
1965 São Bento Sorocaba
1966 Comercial Ribeirão Preto
1967 Ferroviária Araraquara
1968 Ferroviária Araraquara
1969 Ferroviária Araraquara
1970 Ponte Preta Campinas
1971 Ponte Preta Campinas
1972 Guarani Campinas
1973 Guarani Campinas
1974 Guarani Campinas
1975 Guarani Campinas
1976 XV de Piracicaba Piracicaba Vice-campeão
1977 Ponte Preta Campinas Vice-campeã
1978 Guarani Campinas
1979 Ponte Preta Campinas Vice-campeã
1980 Ponte Preta Campinas
1981 Ponte Preta Campinas Vice-campeã
1982 Ponte Preta Campinas
1983 Ponte Preta Campinas
1984 Ponte Preta Campinas
1985 Ferroviária Araraquara
1986 Internacional Limeira Campeã
1987 Internacional Limeira
1988 Guarani Campinas Vice-campeão
1989 São José São José dos Campos Vice-campeão
1990 Bragantino Bragança Paulista Campeão
1991 Guarani Campinas
1992 Guarani Campinas
1993 Guarani Campinas
1994 América São José do Rio Preto
1995 Mogi Mirim Mogi Mirim
1996 Mogi Mirim Mogi Mirim
1997 União São João Araras
1998 Guarani Campinas
1999 União Barbarense Santa Bárbara d'Oeste
2000 Ponte Preta Campinas
2001 Botafogo Ribeirão Preto Vice-campeão
2002 Ituano Itu Campeão ²
2003 Portuguesa Santista Santos
2004 São Caetano São Caetano do Sul Campeã
2005 Santo André Santo André
2006 Noroeste Bauru
2007 São Caetano São Caetano do Sul Vice-campeã
2008 Ponte Preta Campinas Vice-campeã
2009 Ponte Preta Campinas Campeã do Interior
2010 Santo André Santo André Vice-campeão
2011 Oeste Itápolis Campeão do Interior
2012 Guarani Campinas Vice-campeão
2013 Mogi Mirim Mogi Mirim
2014 Ituano Itu Campeão

¹ O Hydercroft disputou o campeonato mas o abandonou no meio devido aos altos custos, tanto de dinheiro como de pessoal e tempo, da viagem até a capital.
² Ver Supercampeonato Paulista de 2002

Melhores Colocações por Clube[editar | editar código-fonte]

Colocações Clube Melhor colocação Primeira Última
20 Guarani Vice-campeão (1988 e 2012) 1927 2012
15 Ponte Preta Vice-campeã (1929, 77, 79, 81 e 2008) e Campeã do Interior (2009) 1929 2009
5 Ferroviária 3º lugar (1959 e 1968) 1959 1969
3 Botafogo Vice-campeão (2001) 1957 2001
América 4º lugar (1985) 1964 1994
XV de Piracicaba Vice-campeão (1976) 1949 1976
São Caetano Campeão (2004) 2003 2007
Paulista 5º lugar ¹ 1926 1934
Mogi Mirim 3º lugar (1995) 1995 2013
2 Ituano Campeão (2002 e 2014) 2002 2014
Internacional Campeã (1986) 1986 1987
Santo André Vice Campeão (2010) 2005 2010
São Caetano EC 3º lugar (1936) 1935 1936
Noroeste 4º lugar (2006) 1960 2006
São Bento 4º lugar (1963) 1963 1965
XV de Jaú 5º lugar 1952 1956
1 Bragantino Campeão 1990 ¹
Oeste Campeão do Interior 2011
São José Vice-campeão 1989
Comercial 4º lugar 1966
União São João 5º lugar 1997
Internacional 6º lugar 1908
União Barbarense 6º lugar 1999
Hydercroft - 1914

¹ Tendo em vista que objetivo do artigo é apresentar os campeões do Interior do Estado de Sâo Paulo, esta tabela tem os mesmos proposósitos: Indicar quem seriam os clubes do interior que seriam campeões em cada uma das edições do Campeonato Paulista caso houvesse esse tipo de classificação. Isto por dois motivos, em primeiro suprir os anos em que não fora disputada uma taça específica e em segundo momento, atender a insatisfação dos clubes do interior com a fórmula de disputa atual, que acaba por excluir clubes que se classifiquem as fases finais do torneio. Sendo assim, apenas a melhor campanha do interior é destacada, por equivaler-se a um título. E desta maneira, infelizmente, para manter o critério, implica excluir outras campanhas dignas de nota de clubes interioranos, como, por exemplo, o Vice-campeonato do Paulista em 2004 e o 3º lugar do Bragantino em 2007, pois em ambos os campeonatos outros clubes do interior ficaram a frente, no caso, a AD São Caetano nas duas edições.

Melhores Colocações por Cidade[editar | editar código-fonte]

Colocações Cidade Clubes Melhor colocação Primeira Última
35 Campinas 2 Vice-campeão (1929, 77, 79, 81, 88, 2008 e 2012) e Campeã do Interior (2009) 1927 2012
5 Araraquara 1 3º lugar Ferroviária (1959, 68) 1959 1969
5 São Caetano do Sul 2 Campeã AD São Caetano (2004) 1935 2007
4 Jundiaí 2 7º Lugar Paulista (1934) 1914 1934
Ribeirão Preto 2 Vice-campeão Botafogo (2001) 1957 2001
3 Mogi Mirim 1 3º lugar Mogi Mirim (1995) 1995 2013
Piracicaba 1 Vice-campeão XV de Piracicaba (1976) 1958 1976
São José do Rio Preto 1 5º lugar América (1994) 1964 1994
2 Itu 1 Campeão Ituano (2002 e 2014) 2002 2014
Limeira 1 Campeã Internacional (1986) 1987 1987
Santo André 1 Vice Campeão Santo André (2010) 2005 2010
Bauru 1 4º lugar Noroeste (2006) 1960 2006
Sorocaba 1 4º lugar São Bento (1963) 1963 1965
Jaú 1 5º lugar XV de Jaú (1956) 1952 1956
1 Bragança Paulista Campeão Bragantino 1990
Itápolis Campeão do Interior Oeste 2011
São José dos Campos Vice-campeão São José 1989
Araras 5º lugar União São João 1997
Santa Bárbara d'Oeste 5º lugar União Barbarense 1999

Títulos do Campeonato Paulista de Futebol[editar | editar código-fonte]

Campeonato Paulista de Futebol de 1986[editar | editar código-fonte]

Campeonato conquistado pela Associação Atlética Internacional da cidade de Limeira após um empate no primeiro jogo e uma vitória por 2x1 na segunda partida em cima do Palmeiras em dois jogos realizados no Estádio Cícero Pompeu de Toledo na capital. O clube do interior venceu o segundo turno da fase classificatória e eliminou o Santos Futebol Clube nas semi-finais, além de ter feito o artilheiro daquela competição, o atacante Kita

Palmeiras 1x2 Internacional

Morumbi (3 de setembro de 1986)

Público: 68 564 pagantes

Palmeiras: Martorelli; Diogo (Ditinho), Márcio, Amarildo e Denys; Lino (Mendonça), Gérson e Jorginho; Mirandinha, Edmar e Éder Aleixo. Técnico: Carbone

Internacional: Silas; João Luís, Juarez, Bolívar e Pecos; Manguinha, Gilberto Costa e João Batista (Alves); Tato, Kita e . Técnico: Pépe

Gols: Kita aos 5 min. 2ºt, Tato aos 9min e Amarildo aos 29 min. do 2º tempo.

Árbitro: Dulcídio Wanderley Boschillia

Campeonato Paulista de Futebol de 1990[editar | editar código-fonte]

No Campeonato de 1990 ocorreu pela primeira vez na disputa do certame uma final com dois clubes do interior de São Paulo na chamada "final caipira", o Clube Atlético Bragantino de Bragança Paulista comandado pelo técnico Wanderley Luxemburgo derrotou com dois empates o Novorizontino, clube já extinto de Novo Horizonte em jogos disputados nas duas cidades. Os artilheiros daquela campeonato foram todos do interior, mas não dos dois clubes, Rubem do Guarani, Alberto do Ituano e Volnei da Ferroviária de Araraquara, todos com 12 gols. O Bragantino passava por sua fase áurea e no ano seguinte seria Vice-Campeão Brasileiro de 1991.

22 de agosto de 1990 Novorizontino 1 – 1 Bragantino Estádio Jorge Ismael de Biasi, Novo Horizonte
Público: 15.000
Renda: Cr$ 8.400.000
Árbitro: Edmundo Lima Filho

Édson Gol 41 do 1.º Gil Baiano Gol 23 do 2.º

Novorizontino: Maurício, Odair, Fernando, Válter e Jerônimo; Luís Carlos Goiano, Tiãozinho (Marcão) e Édson; Paulo Sérgio, Barbosa e Róbson (Edmílson). Técnico: Nelsinho Baptista.

Bragantino: Marcelo, Gil Baiano, Júnior, Carlos Augusto e Biro-Biro; Ivair, Mauro Silva (Franklin), Robert e Tiba; Mário (Sílvio) e João Santos. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.


26 de agosto de 1990 Bragantino 1 – 1 Novorizontino Estádio Marcelo Stéfani, Bragança Paulista
Público: 15.000
Renda: Cr$ 8.505.000
Árbitro: José Aparecido de Oliveira

Tiba Gol 26 do 2.º Fernando Gol 21 do 2.º

Bragantino: Marcelo, Gil Baiano, Júnior, Carlos Augusto e Biro-Biro; Mauro Silva (Franklin), Ivair, Mazinho (Robert) e Tiba; Mário e João Santos. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Novorizontino: Maurício, Odair (Edmílson), Fernando, Márcio Santos e Luís Carlos Goiano; Marcão, Tiãozinho e Édson; Barbosa, Roberto Cearense (Flávio) e Róbson. Técnico: Nelsinho Baptista.

Campeonato Paulista de Futebol de 2002[editar | editar código-fonte]

O 100º Campeonato Paulista de futebol foi ofuscado naquele ano devido a realização do último Torneio Rio-São Paulo com 16 clubes o que precisou de datas antes destinadas aos campeonatos estatuais, desta maneira a Federação Paulista "cedeu" a realização do Rio-São Paulo oito clubes (Palmeiras, Portuguesa, Corinthians, Ponte Preta, Santos, Guarani, Etti Jundiaí (atual Paulista), Guarani e São Paulo), deixando apenas 12 clubes na disputa, sendo apenas o Clube Atlético Juventus representante da capital do estado. O Ituano Futebol Clube foi campeão da disputa por pontos corridos em turno e returno com apenas um ponto de vantagem em relação ao União São João de Araras com 61% de aproveitamento dos pontos disputados. O artilheiro da competição foi Alex Alves jogando pelo Juventus.

Ao final do Campeonato Paulista e do Rio-São Paulo, foi realizado o Supercampeonato Paulista de 2002 como tira-teima, contando com o Ituano, São Paulo, Corinthians e Palmeiras, sendo vencido pelo São Paulo em cima do Ituano na final, após o clube de Itú eliminar o Corinthians nas Semi-finais.


Jogo do título
12 de maio de 2002 América 0 - 1 Ituano Teixeirão, São José do Rio Preto
Público:
Árbitro: Romildo Corrêa

Silvinho Gol marcado aos 85 minutos de jogo 85'
América Ituano
Edney
Gílson
Penalizado com cartão amarelo   Cláudio
Carlão
Guilherme;
Perivaldo
Batata
Almir
Toninho
Penalizado com cartão amarelo   (Barole);
Reinaldo
(Benê)
Paulinho
(Tales)

Técnico: Márcio Rossini
André Luiz
Giuliano
Vinícius
Erivélton
Lúcio;

Everaldo
Richarlyson
(André Bocão)
Élson
Tita
(Silvinho);   Gol marcado
Penalizado com cartão amarelo   Basílio
Fernando Gaúcho
(Lelo)
Técnico: Ademir Fonseca

Campeonato Paulista de Futebol de 2004[editar | editar código-fonte]

Na edição de 2004, voltou-se a realizar uma "final caipira" entre dois times do interior, a Associação Desportiva São Caetano e o Paulista Futebol Clube de Jundiaí. O São Caetano foi a sensação do início dos anos 2000, sendo por duas vezes Vice-Campeão Brasileiro, em 2000 e 2001, ainda a final da Copa João Havelange ser passível de questionamento. No mata-mata, o São Caetano elminara o São Paulo e o Santos, e o Paulista derrotara a Ponte Preta e o Palmeiras, chegando assim os dois à finalíssima, o clube do ABC Paulista derrotou o jundiaiense em dois jogos, âmbos realizados no Estádio Paulo Machado de Carvalho, devido a falta de capacidade dos dois estádios exigidas pela federação para as finais, Anacleto Campanella e Jayme Cintra de São Caetano e Paulista respectivamente.

11 de abril (domingo) Pacaembu 16h Paulista 1 x 3 São Caetano
18 de abril (domingo) Pacaembu 16h São Caetano (Campeão) 2 x 0 Paulista

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o
Portal de São Paulo


Notas

  1. Não confundir com a atual Associação Desportiva São Caetano, fundada em 1989 e conhecida sob a alcunha de Azulão.
  2. a b Em 2010 o Guaratinguetá Futebol Ltda. transferiu-se para cidade de Americana e tornou-se o Americana Futebol Ltda e no mesmo ano o Grêmio Barueri rompeu a parceria com a prefeitura da cidade de Barueri e mudou-se para Presidente Prudente. Hoje já romperam com as cidades que cada clube foi e já estão de volta em suas cidades de origem, ou seja, Guaratinguetá e Barueri.


Referências


Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Bandeira do estado de São Paulo
São Paulo
História • Política • Geografia • Demografia • Economia • Educação • Cultura • Turismo • Portal • Imagens