Clube Atlético Penapolense

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Penapolense
CA Penapolense.png
Nome Clube Atlético Penapolense
Alcunhas Pantera da Noroeste
CAP
Torcedor/Adepto Capeano
Tricolor
Mascote Pantera
Fundação 16 de novembro de 1944 (69 anos)
Estádio Tenente Carriço
Capacidade 4 679 Pessoas [1]

Brasao pliss.jpgPenápolis, São Paulo SP, Brasil Brasil

Presidente Brasil Nilso Moreira
Treinador Brasil Narciso
Patrocinador Brasil Oregon Blindados
Brasil Festiva
Brasil Geofund
Brasil Kanxa
Brasil Leite Bonolat
Brasil Asperbras
Brasil Nimix Monitoramento
Brasil Nöra Assentos Esportivos
Brasil Kodilar
Brasil Grupo MC Fernandes
Brasil
Material esportivo Brasil Kanxa
Competição São Paulo Campeonato Paulista
Brasil Campeonato Brasileiro
Divisão São Paulo Série A1
Brasil Série D
São Paulo A1 2014
Brasil D 2014
4º Colocado
Em julho
São Paulo A1 2013
Brasil D 2013
8º Colocado
25º Colocado
São Paulo A2 2012
São Paulo CP 2012
4º Colocado (acesso)
5º Colocado
Website capenapolense.com.br
Kit left arm borderonwhite.png Kit body penapolense14h.png Kit right arm borderonwhite.png
Kit shorts penapolense14h.png
Kit socks.png
Uniforme
titular
Kit left arm.png Kit body penapolense14a.png Kit right arm.png
Kit shorts penapolense14a.png
Kit socks.png
Uniforme
alternativo
Kit left arm.png Kit body penapolense14t.png Kit right arm.png
Kit shorts.png
Kit socks.png
Uniforme
alternativo
editar

Clube Atlético Penapolense é um clube brasileiro de futebol da cidade de Penápolis, interior do estado de São Paulo. Fundado em 16 de novembro de 1944, suas cores são vermelho, azul e branco. Atualmente disputa a elite do Campeonato Paulista.

História[editar | editar código-fonte]

O futebol surgiu em Penápolis de forma amadora, assim como em muitas outras cidades do interior paulista. Nas décadas de 1920 e 1930, os corações penapolenses dividiam-se entre o Esporte Clube Corinthians, conhecido por “Pendura Saia” e o Penápolis Futebol Clube, o popular “Esmaga Sapo”. Em 1.928, a Penapolense surpreendeu o Corinthians na inauguração de seu estádio, vencendo por 11 a 0.

As duas equipes disputavam jogos acirrados até que em 1934, em um clássico entre as duas equipes, uma confusão generalizada tomou conta do estádio. Como consequência da confusão, uma das arquibancadas de madeira ruiu, ferindo alguns espectadores. A partida foi cancelada, os clubes perderam popularidade e foram extintos.

Em 1944, a Prefeitura de Fernandópolis convidou Penápolis para um amistoso. O convite foi aceito e a cidade montou uma “seleção” para enfrentar a cidade vizinha. Este acontecimento deu novo impulso ao futebol penapolense, levando Godofredo Viana, gerente do Banespa na cidade à época e grande figura da sociedade, a investir sua influência na fundação de um novo clube, que representasse Penápolis.

No dia 16 de novembro de 1944 nascia oficialmente o Clube Atlético Penapolense, com Godofredo Viana como seu primeiro presidente. As cores adotadas foram as da bandeira da cidade, já utilizadas pelo combinado que foi a Fernandópolis naquele ano. [2]

Os Primeiros Passos[editar | editar código-fonte]

Fundado por Feijó, em seus primeiros anos, o Penapolense se dedicou apenas às competições amadoras. Em 1951, a equipe filiou-se à Federação Paulista de Futebol, participando pela primeira vez de um torneio profissional – a Segunda Divisão (atual Série A2). O clube jogou mais um ano o torneio, licenciando-se em 1953.

Em 1956, o time voltou, desta vez na Terceira Divisão (atual Série A3), campeonato que disputou até 1959, quando mais uma vez afastou-se do profissionalismo. A volta ocorreria em 1963, na Segunda Divisão, abaixo da Divisão Intermediária e da Divisão Especial. O clube disputou a competição em cinco temporadas nos seis anos seguintes – ficou de fora da edição 1967 – para de novo licenciar-se em 1969.

Em 1973, o profissionalismo do clube foi reativado durante os 15 anos seguintes, um dos períodos mais regulares de sua história. A equipe permaneceu dois anos no terceiro nível (A3), sendo promovida em 1974. Em 1975 e 1976, o clube jogou a Segunda Divisão (A3), voltando para o terceiro nível em 1977. Voltou para a Segunda Divisão de 1982 a 1986.

Em 1987, por causa de problemas financeiros, o Penapolense não pôde participar da Segundona. Licenciada, a equipe voltou em 1988, na nova Segunda Divisão (A3). Os problemas continuaram. O clube ficou mais uma vez de fora, em 1989, e de novo em 1990.

Em 1991 a equipe disputou a Segunda Divisão (A3), onde permaneceu até 1994. Naquele ano, houve uma grande reestruturação no futebol paulista e a equipe acabou sendo “rebaixada” para a Série B2 (quinto nível, sem equivalência atual). O clube disputou a competição por três anos, mas novamente com problemas financeiros deixou o Paulista, ficando de fora pelo maior período de sua história: oito anos. [2]

A Volta por cima[editar | editar código-fonte]

A volta ocorreu em 2005. Neste ano, as então Séries B1 e B2 foram unificadas e criou-se a atual Segunda Divisão. Aproveitando a oportunidade, o Penapolense retornou no quarto nível do futebol Paulista, onde ficou por três anos, conquistando o acesso para a Série A3 em 2007. Em 2009, na sua segunda participação no torneio, o clube de Penápolis classificou-se para o quadrangular final da competição, mas não conseguiu o tao esperado acesso para o clube e para a cidade.

Em 2010, pela Série A3, o CAP mais uma vez fez uma boa campanha na primeira fase, mas não repetiu a boa campanha na segunda fase e não conseguiu o acesso para a Série A2. No segundo semestre veio a Copa Paulista e em uma campanha histórica o Clube Atlético Penapolense, sob o comando de Ito Roque, chegou invicto até as semi-finais, fazendo uma campanha impecável, caindo para o Red Bull.

Anos de Ouro[editar | editar código-fonte]

Vindo de uma ótima campanha da Copa Paulista de 2010, em 2011, no dia 8 de maio, se tornou uma data histórica para a cidade, uma vez que com a vitória por 1 a 0 contra o XV de Jaú, jogando no Estádio Municipal Tenente Carriço, com o gol marcado pelo atacante Felipe, o CAP conquistou o tão sonhado e merecido acesso à série A2, depois de tantos anos batendo na trave. Para finalizar o 1º semestre de 2011 com chave de ouro, o CAP conquistou seu primeiro título profissional na história, o de Campeão Paulista da Série A3, vencendo a Santacruzense por 2 a 0 no Estádio Leônidas Camarinha, no dia 15 de maio, em Santa Cruz do Rio Pardo e por 2 a 1 no Tenente Carriço, em 22 de maio, com gols de Luciano Gigante e Reinaldo Potiguar .[3]

Em 2012, confirmando o bom momento vivido pelo clube, o CAP termina a primeira fase do Campeonato Paulista da Série A2 entre os oito melhores colocados, o que o qualifica para os quadrangulares da 2ª fase da competição. Na fase final, o Penapolense fica com a 4ª e última vaga de acesso inédito a Elite do futebol paulista.[4] Um feito histórico para o clube e para a cidade, pois depois de 69 anos de história, o Penapolense disputaria pela 1ª vez o Paulistão da Série A1.

Em 2013, no dia 27 de Janeiro, o Penapolense pela 1ª vez enfrenta um dos grandes times do futebol paulista em partidas oficiais, e obtém uma vitória de 3x2 sobre o Palmeiras em pleno estádio do Pacaembu, em São Paulo. [5] A partida foi marcante não só pelo resultado histórico, mas pela capacidade de reação da equipe interiorana, que saiu perdendo, mas buscou a virada e venceu o time alvi-verde. O CAP assumia, naquela ocasião, 5ª colocação do Campeonato Paulista de 2013. Uma vitória marcante para o clube e para o treinador Edison Só.

Nesta edição de 2013 do Campeonato Paulista, o Penapolense terminou a primeira fase na 8ª colocação, garantido vaga inédita para o Campeonato Brasileiro da Série D do mesmo ano e para a fase final do Paulistão. Na fase final a Pantera da Noroeste encarou o São Paulo, dono de melhor campanha na primeira fase, e foi derrotada no Estádio do Morumbi por 1x0.[6] [7] [8]

Em 2014, o Penapolense fez uma ótima campanha, terminando em segundo do grupo A no Campeonato Paulista. O time eliminou o São Paulo, nos pênaltis, nas quartas-de-final após empate sem gols. Nas semi-finais, enfrentou o Santos na Vila Belmiro. Apesar de ter terminado o primeiro tempo a frente do placar, tomou a virada e despediu-se do Campeonato Paulista de 2014. O regulamento do Campeonato Paulista afirma no Artigo 13 que o Campeão do Interior é o clube melhor classificado excluindo o campeão e o vice, os times da capital do Estado de São Paulo e o Santos. Sendo assim, o Penapolense como a equipe que chegou mais longe, terminou com mais um título para sua história.

Primeira Disputa Nacional[editar | editar código-fonte]

O ano de 2013 também foi marcada pela estreia do CAP em uma competição nacional. O clube consegui vaga para o Campeonato Brasileiro da Série D e ficou no grupo A7, juntamente com Juventude-RS, Villa Nova-MG, Marcílio Dias-SC e Santo André.

Em 2014 o Clube Atlético Penapolense retorna ao Campeonato Brasileiro da Série D por ter alcançado as semi-finais do Campeonato Paulista de 2014.

Rivalidade[editar | editar código-fonte]

O Penapolense tem entre seus rivais os times de sua região, como o Bandeirante de Birigui e o AE Araçatuba.

Mas o seu maior rival é o Clube Atlético Linense da cidade de Lins, distante apenas de 50 Km. As duas cidades por serem próximas e semelhantes fez com que esse clássico se tornasse o mais disputado entre os dois times. O último confronte entre os clubes foi pela 1ª vez na elite do Paulistão, em 20 de março de 2013. O CAP saiu na frente do placar, mas o Elefante conseguiu o empate, e ficou tudo igual: 1x1.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Estaduais
Competição Títulos Temporadas
Paulista Championship Trophy.png Campeonato Paulista da Série A3 1 2011
Paulista Championship Trophy.png Campeonato Paulista do Interior 1 2014

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Campanhas nas principais competições[editar | editar código-fonte]

Nacionais[editar | editar código-fonte]

Campeonato Brasileiro - Série D
Ano Posição
2013 25º

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Goleiros
Jogador
Brasil Marcelo
Brasil Rony
Brasil Samuel
Brasil Rafael Defendi
Defensores
Jogador Pos.
Brasil Biro Z
Brasil Jaílton Z
Brasil Gualberto Vindo de Empréstimo Z
Brasil Guilherme Z
Brasil Thiago Gasparetto Z
Brasil Perez Z
Brasil Alex Travassos LD
Brasil Luís Felipe Vindo de Empréstimo LD
Brasil Niander LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
Brasil Liel M
Brasil Dênis M
Brasil Luis Henrique M
Brasil Neto M
Brasil Felipe Alves M
Brasil Heleno M
Brasil Guaru M
Brasil Alan Alexandrino M
Atacantes
Jogador
Brasil Viola
Brasil Danilo
Brasil Magrão
Brasil Fio
Brasil Val Baiano
Comissão técnica
Nome Pos.
Brasil Narciso T

Diretoria[editar | editar código-fonte]

Diretoria
Brasil Nilso Moreira Presidente
Brasil Alexandre Moreira Vice-Presidente
Brasil Pedro Moreira e André Garcia Gerentes Administrativos
Brasil Mauro Moreira Diretor Médico
Brasil Marco Antonio Moreira Presidente do Conselho Deliberativo
Brasil Irineu Origuela e Naedson Reis Diretores de Arrecadação
Brasil Silas Reche e Junior Reche Assessores de Imprensa


Comissão Técnica
Brasil Narciso Técnico
Brasil Luis Fernando Bucater Médico
Brasil Clodoaldo Fisiologista
Brasil Cortez Roupeiro
Brasil Dino Camargo Auxiliar Técnico
Brasil Istrick Massagista
Brasil Jonas Sampaio Preparador de Goleiros
Brasil Paulo de Carvalho Gerente de Futebol


Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]