União Agrícola Barbarense Futebol Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
União Barbarense
União Barbarense FC.png
Nome União Agrícola Barbarense Futebol Clube
Alcunhas Leão da 13
Torcedor/Adepto Unionista
Mascote Leão
Fundação 22 de novembro de 1914 (99 anos)
Estádio Antônio Lins Ribeiro Guimarães
Capacidade 14.913 Pessoas [1]
Localização Brasao SantaBarbaradOeste SaoPaulo Brasil.svg Santa Bárbara d'Oeste
Presidente Brasil Darío Antonio Furlan
Treinador Brasil Claudemir Peixoto
Patrocinador Brasil Romi
Brasil Claro
Brasil Volcano
Material esportivo Brasil Deffende
Competição São Paulo Campeonato Paulista
São Paulo Copa Paulista
São Paulo A1 2013
São Paulo CP 2013
18º Colocado (rebaixado)
25º Colocado
São Paulo A2 2012 2º Colocado (acesso)
São Paulo A2 2011
São Paulo CP 2011
16º Colocado
18º Colocado
Website www.uniaobarbarensefc.com.br
Kit left arm thinblackborder.png Kit body barbarense14h.png Kit right arm thinblackborder.png
Kit shorts xvpira13a.png
Kit socks.png
Uniforme
titular
Kit left arm barbarense14a.png Kit body barbarense14a.png Kit right arm barbarense14a.png
Kit shorts barbarense14a.png
Kit socks.png
Uniforme
alternativo
editar

União Agrícola Barbarense Futebol Clube, ou União Barbarense, ou ainda Leão da Treze, é um clube brasileiro de futebol da cidade de Santa Bárbara d'Oeste, interior do estado de São Paulo. Suas cores são preto e branco. Atualmente disputa a Série A2 (Segunda Divisão) do Campeonato Paulista de Futebol e a Copa Paulista de Futebol, tem atividades ininterruptas desde sua fundação em 22 de Novembro de 1914.

Conhecido como Leão da 13, seu uniforme é alvi-negro, branco e preto e foi o Campeão Brasileiro da Série C de 2004. Atualmente o clube ostenta a 135° colocação no ranking da CBF com 44 pontos.

Sua principal e maior torcida é a TUSB, abreviação de Torcida Uniformizada Sangue Barbarense, sua data de fundação é 11 de novembro de 1984, o que a faz a segunda torcida de futebol mais antiga do interior do estado de São Paulo em funcionamento, e a quinta incluindo a capital.

História[editar | editar código-fonte]

Fundado no dia 22 de novembro de 1914, inicialmente com o nome de União Foot-Ball Club, a equipe de Santa Bárbara d'Oeste teve diversos nomes até chegar ao que ostenta atualmente. Em 1918, passou a se chamar Athlético Barbarense Foot-Ball Club e, um ano depois, se chamou Sport Club Athlético Barbarense. No ano de 1920, o clube se fundiu com o 7 de Setembro da Fazenda São Pedro e, mais uma vez, alterou seu nome: Sport Club União Agrícola Barbarense. Por fim, ainda naquele ano, passou a portar a denominação que tem até hoje: União Agrícola Barbarense Futebol Clube.

No ano seguinte da definição do nome, em 1921, o União Barbarense se registrou na APEA (Associação Paulista de Esportes Atléticos), que comandava o futebol do Estado. Vinte anos depois, em 1941, filiou-se à Federação Paulista de Futebol, ainda como amador, e no ano seguinte passou a ser membro da LBF (Liga Barbarense de Futebol), entidade do município de Santa Bárbara d'Oeste.

Apenas em 1964 é que o clube se profissionalizou nos quadros da Federação Paulista de Futebol e sua estreia não foi das mais felizes diante de Alumínio: derrota por 3 a 1 em partida válida pela 3ª Divisão de Acesso. Nesta partida, o autor do primeiro gol da equipe como profissional foi o atacante Mané de Campos. Três anos depois, o União decidiu adotar o “Leão da 13” como mascote do clube, em homenagem aos torcedores fiéis que apoiavam com garra o time (como leões) e à sede do clube, na Rua Treze de Maio.

O primeiro título do clube foi conquistado em 1946, quando ainda era amador, o de campeão da cidade pela Liga Barbarense de Futebol. Dois anos depois, mais uma conquista: Campeão amador da região, disputando o Campeonato Paulista do Interior pela FPF. Foi tricampeão da "Taça Cidade de Santa Bárbara" nos anos de 1957, 1961 e 1963. Nesse período, mais precisamente em 15 de novembro de 1959, o Jornal D’Oeste publicou a composição do hino oficial do clube, de autoria do Professor José Dagnoni (letra) e Hermosa Hadad Baruque Murbach (música). Em 1967, já como profissional, foi Campeão Paulista da 2ª Divisão, conquistando o acesso à 1ª Divisão (uma abaixo da divisão principal).

A partir daí, o clube conquistou alguns títulos regionais, como o Torneio Intermunicipal Americana x Santa Bárbara d’Oeste em 1973 e passou por bons e maus momentos. Depois de ficar alguns anos sem disputar os campeonatos da FPF foi, finalmente, em 1990, vice-campeão Paulista da 2ª Divisão, conquistando mais uma vez o acesso à Divisão Intermediária. Em 1995 foi Campeão Paulista de Juniores da Série A3 e, em 1996, dos Jogos Abertos do Interior, com a equipe de Juniores. Em 1997, conquistou o vice-campeonato da Série A3 do Paulista. No ano seguinte, o maior trunfo até então: o título do Campeonato Paulista Série A2 e o acesso à divisão principal estadual.

Em 1999, por terminar o Paulistão como melhor time do interior na tabela, o União Barbarense se tornou Campeão do Interior. Em 2001, foi vice-campeão da Copa Federação Paulista de Futebol e, em 2004, foi campeão do Campeonato Brasileiro da Série C disputando assim o Campeonato Brasileiro da Série B sendo rebaixado no mesmo ano para a terceira divisão.

Nas competições estaduais, o União Agrícola Barbarense se manteve na principal divisão do campeonato paulista até 2005, quando foi rebaixado para a Série A2. Um novo tropeço levou a equipe à Série A3 em 2007.

Na temporada 2007, o União Barbarense realizou uma campanha regular no Campeonato Paulista da Série A3. Com oito vitórias, três empates e oito derrotas, a equipe terminou a competição no 10º lugar, sem conseguir o acesso para a Série A2.

A situação mudou em 2008, quando fez uma ótima ótima campanha na primeira fase do Campeonato Paulista da Série A3 – terminou na segunda colocação – e avançou na competição. Depois, nas semifinais, ficou novamente em 2º lugar no Grupo 03, com a mesma pontuação do Flamengo (14 pontos), e conseguiu o acesso à Série A2.

Em 2009, a equipe chegou a disputar as primeiras colocações no início da competição, mas terminou o Campeonato Paulista da Série A2 na 11ª colocação. Desta forma, não conseguiu a classificação à segunda fase e, consequentemente, não disputou o acesso à elite do futebol paulista. No ano seguinte, o União Barbarense ficou entre os oito primeiros colocados da primeira fase, conseguindo uma vaga para a fase seguinte da A2. Porém, o time fez a pior campanha, sendo eliminado na antepenúltima rodada. No fim, terminou a segunda fase sem vencer, com dois empates e quatro derrotas.

No ano de 2010 o União passou para da primeira fase da Série A2 na 6 colocação. Mas na segunda fase o time não fez jogos bons e acabou em último de seu grupo na 2 fase, não conseguindo o acesso e ficando mais uma vez desde 2008 na Série A2.

Em 2011 a Série A2 foi disputada por 20 clubes divididos em dois grupos.Todos os times de cada grupo jogavam entre si em turno e returno, sendo assim o União não conseguiu passar da 1 fase e terminou em 8 de seu grupo.

Já em 2012 a primeira fase da Série A2 foi disputada por 20 clubes em turno único. Todos os times jogavam entre si uma única vez, o União Barbarense conseguiu a classificação na primeira fase na 8 colocação, avançando para a segunda fase que era, dentre os oito classificados foram divididos em dois grupos de quatro jogando entre si em turno e returno. O União acabou a segunda fase como primeiro de seu grupo e disputou a final contra o São Bernardo. O primeiro jogo feito em Santa Bárbara d'Oeste terminou em 1x1 e o jogo em São Bernardo do Campo terminou em 2x2 dando o título para o time de São Bernardo do Campo.

5 de maio de 2012 União Barbarense Bandeira SantaBarbaradOeste SaoPaulo Brasil.svg 1 – 1 Bandeira de São Bernardo do Campo.jpg São Bernardo Estádio Antonio Lins Ribeiro Guimarães, Santa Bárbara d'Oeste
19:00
Roberto Santos Gol marcado aos 84 minutos de jogo 84' Renato Peixe Gol marcado aos 90+4 minutos de jogo 90+4' (pen) Público: 8.434
Árbitro: São Paulo Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza
12 de maio de 2012 São Bernardo Bandeira de São Bernardo do Campo.jpg 2 – 2 Bandeira SantaBarbaradOeste SaoPaulo Brasil.svg União Barbarense Estádio Primeiro de Maio, São Bernardo do Campo
19:00
Ricardinho Gol marcado aos 34 minutos de jogo 34'
Bady Gol marcado aos 60 minutos de jogo 60'
Cesinha Gol marcado aos 18 minutos de jogo 18'
Renato Gol marcado aos 56 minutos de jogo 56'
Público: 13.440
Árbitro: São Paulo Claudinei Forati Silva

O ex-jogador Zé 21 é o maior artilheiro do Clube em todos os tempos, com 51 gols.[2]

Estádio[editar | editar código-fonte]

Vista do Estádio Antônio Guimarães.

O União Barbarense realiza as suas partidas no Estádio Antonio Lins Ribeiro Guimarães, que possui capacidade para abrigar 16.850 torcedores.

O Estádio Antonio Lins Ribeiro Guimarães é um estádio de futebol localizado na cidade de Santa Bárbara D'Oeste, no estado de São Paulo. Seu nome foi dado em homenagem a um ex-presidente e patrono do clube. O nome correto do estádio é Antonio Guimarães, porém a imprensa falada prefere chamar o estádio de Antonio Lins Ribeiro Guimarães, nome completo do patrono e ex-presidente, por achar mais "sonoro" e acabou sendo utilizado pelos demais profissionais do ramo esportivo.[carece de fontes?]

Foi inaugurado em 21 de maio de 1921 e seu primeiro jogo foi União Barbarense 3 a 1 contra o EC Concórdia de Campinas.

Durante anos o estádio foi beneficiado por inúmeras reformas, como a que substituiu as antigas arquibancadas de madeira para até hoje em pé arquibancadas de concreto ladeando a Vila Aparecida e o lance que hoje pertence as cadeiras numeradas ao lado dos muros da EE Américo Emílio Romi.

Em 1996, o estádio do União Agrícola Barbarense foi novamente ampliado para poder receber os jogos da então 3ª divisão da série A do Campeonato Paulista e futuros jogos de torneios nacionais. O estádio tem capacidade para 14.914 pessoas e está localizado na rua 13 de Maio, 1269 em Santa Bárbara D'Oeste.

O estádio possui uma proximidade extrema entre as arquibancada e o gramado, que atualmente está em apenas 1,0 metro de distância, por isso é chamado de "jaula do leão" e "caldeirão da 13 de Maio." Em Novembro de 2012, de posse da tabela do Paulistão 2013, o jornal "A Folha de São Paulo", ao divulgar as datas e horários dos jogos da primeira rodada do campeonato União Agrícola Barbarense Futebol Clube, referiu-se ao estádio Antônio Lins Ribeiro Guimarães, como "A Toca do Leão". Ao lado do folclórico estádio do Juventus da rua Javari em São Paulo, é considerado o último caldeirão do futebol paulista, um orgulho ao torcedores do União Agrícola Barbarense, que não admitem deixar o local.

Derby[editar | editar código-fonte]

União Barbarense faz um dos mais acirrados clássicos do interior paulista contra o Rio Branco de Americana, em um jogo que é chamado localmente de Derby. Seus jogos são marcados por muita tensão entre os times e, principalmente, entre as torcidas, não sendo incomum a ocorrência de conflito entre os torcedores. O Rio Branco chegou primeiro à divisão maior do futebol paulista e lá permaneceu mais tempo (17 anos). Já o União Barbarense ostenta um título Brasileiro (Série C) e dois títulos de divisão de acesso Paulista.

Quarta-feira, 23 de março 2011
20h30'
Rio Branco Bandeira Americana.jpg 1 x 1 Bandeira SantaBarbaradOeste SaoPaulo Brasil.svg União Barbarense Décio Vitta, Americana, SP São Paulo

Érico Gol marcado aos 34 minutos de jogo 34' (1T) Relatório Cesinha Gol marcado aos 35 minutos de jogo 35' (1T) Árbitro: Eduardo César Coronado Coelho

Torcidas[editar | editar código-fonte]

A TUSB (Torcida Uniformizada Sangue Barbarense) é a principal e maior torcida do União Barbarense. A sua data de fundação é 11 de novembro de 1984. E seus fundadores: são, Carlos Dalberto Festa, Gilson da Silva Gomes, e Pedro Valdemar Vitti. Surgiu do interesse de se formar uma Torcida Uniformizada para o União Agrícola Barbarense F.C.. Os trabalhos foram iniciados pelos dirigentes da Torcida, com a confecção de uma faixa de 10 metros e 20 camisas bordadas na cores alvinegras, com o nome da facção "TUSB". [3]

Em 2013 o União Agrícola Barbarense ganhou uma nova torcida com nome de Torcida Inferno Barbarense(TIB) fundada por Laura Krett Unamuzaga. A TIB já conta com uma faixa de 10 metros e reconhecimento do clube.[4]

Rivalidades[editar | editar código-fonte]

Por ordem decrescente, eis os maiores rivais do União Agrícola Barbarense Futebol Clube.[carece de fontes?]

Mascote[editar | editar código-fonte]

O número 13 do mascote do União Barbarense é uma referência à Rua Treze de Maio, local onde está instalado o estádio e a sede do clube. Neste mesmo endereço funcionava também, no ano de 1967, a sede de uma torcida apaixonada pelo União Barbarense. Não deixavam de apoiar a equipe em nenhum momento. O apelido de "Leão" de deve a garra destes torcedores. A partir daí, o União Barbarense passou a ser chamado de Leão da 13.[carece de fontes?]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Nacionais
Estaduais
Categorias de base
Outras conquistas
  • Bandeira SantaBarbaradOeste SaoPaulo Brasil.svg Liga Barbarense de Futebol: 1946.
  • Bandeira SantaBarbaradOeste SaoPaulo Brasil.svg Taça Cidade de Santa Bárbara: 1957, 1961 e 1963.
Campanhas de destaque

Elenco 2014[editar | editar código-fonte]

Legenda
  • Capitão: Capitão
  • Jogador Lesionado: Jogador Contundido
  • Suspenso.: Jogador Suspenso


Goleiros
Jogador
Brasil Fagner
Brasil Luan
Brasil Rodrigão
Defensores
Jogador Pos.
Brasil Ricardo Lima Z
Brasil Lucas Seixas Z
Brasil André Leoni Z
Brasil Átila Z
Brasil Marcos Aurélio Z
Brasil Rafael LD
Brasil Thiego Manuel LD
Brasil Fabiano LE
Brasil Franklin LE
Brasil Thiago Souza LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
Brasil Cláudio Britto V
Brasil Lennon V
Brasil Diogo Lopes V
Brasil Pedro Henrique V
Brasil Bruno Pedra V
Brasil Melinho M
Brasil Marcelo Quilder M
Brasil Rafael Araújo M
Brasil Ricardinho M
Brasil Matheus Souza M
Brasil Luquinha M
Atacantes
Jogador
Brasil Claudio
Brasil Alan Júnior
Brasil Cleitinho
Brasil Tardini
Brasil Clayton Gabriel
Brasil Conrado
Brasil Leandrão
Brasil Fabinho
Uruguai Acosta
Brasil Tuta
Brasil Aloísio Chulapa
Comissão técnica
Nome Pos.
Brasil Claudemir Peixoto T

Comissão Técnica[editar | editar código-fonte]

Comissão técnica
Nome Função
Brasil Claudemir Peixoto Treinador
Brasil Luciano Deitos Auxiliar Técnico
Brasil Privati Preparador de Goleiros
Brasil Felipe Pires Auxiliar P. Física
Brasil Marcio Mordomo
Brasil Robert Yoshio Preparados Físico
Brasil Aliston Fisioterapeuta

Transferências para 2014[editar | editar código-fonte]

Legenda

Volta de Empréstimo: Jogadores que voltam de empréstimo
Emprestado: Jogadores emprestados

Atletas revelados pelo clube[editar | editar código-fonte]


Antonio Leme

O ponta esquerda "Leme" - Iniciou sua carreira no União Barbarense em 1927. Em 1931 transferiu-se em definitivo ao XV de Piracicaba, sendo campeão do interior, permanecendo na equipe de Piracicaba até 1934. Em 35 Leme foi para o C.A. Estudantes Paulistas, de São Paulo, clube que pouco mais tarde, em 1938, fez fusão com o São Paulo F.C. e como Leme era um extraordinário ponteiro, automaticamente passou a defender o tricolor paulista, tendo sido convocado para a Seleção Paulista em 1936. Encerrou sua carreira no União Barbarense em 1946.

José Furlan

O zagueiro de área "Zé Furlan" - Começou jogando pelo União Barbarense em 1928, permanecendo em Santa Bárbara D'Oeste até 1930. Chegou a Terinar no Santos F.C., mas acabou mudando para o Rio Branco, de Americana. Em 1933, Zé Furlan seguiu para o Pernambuco, onde jogou no Sport Recife, juntamente com o grande Ademir de Menezes, tendo, inclusive, defendido a Seleção Pernambucana em 1939. Em 1946 voltou para um pouco mais próximo de sua terra, ingressando no América, do Rio de Janeiro, encerrando sua carreira, em seguida, na equipe do Canto do Rio.

Wison Garrido

Ponteiro direito - Iniciou sua carreira no União Barbarense em 1940. Foi ao Corinthians em 1946, onde apenas participou de treinamentos e no mesmo ano passou para o Ypiranga, outro grande clube da capital, que se extinguiu em fins da década de 50. Wilson Garrido, mesmo sendo apontado como um ponteiro com possibilidades de chegar à seleção, não levou a a sério o futebol ou sua carreira, por esse motivo, já em 1947 ele passou a defender a Ponte Preta, de Campinas e em 1948 estava de volta a Santa Bárbara, onde completou sua carreira atuando pelo União, posteriormente Cillos F.C., Paulista e até mesmo equipe varzeana local.

José Cândido de Campos

O quarto zagueiro "Brandão" - Da equipe varzeana do Bandeirantes, de Santa Bárbara, Brandão passou em 1958 ao juvenil do União Barbarense e em 1959 foi lançado no time principal do União, ainda em idade juvenil, sendo apontado como revelação do futebol local. Em 1960 Brandão foi para o Santos F.C. e em agosto integrou a Seleção Brasileira de Amadores nos "Jogos Olímpicos", realizados em Roma (Itália). Em maio de 1961 excursionou pela Europa com o quadro titular do Santos F.C., jogando com Pelé; ainda em 1961 Brandão foi emprestado por um ano ao Grêmio Portoalegrense. No final de 1962 seu passe foi negociado com a Ferroviária de Araraquara. Em 1968 Brandão ingressou no clube Milionários da Venezuela. Encerrou a carreira em 1975 defendendo a equipe do Palmeiras de São João da Boa Vista-SP.

João Batista Guedes

O ponteiro direito "Joãozinho" - Desde seus 12 anos de idade, quando parrecia que ele era menor que a bola de futebol, Joãozinho jogou pelo União Barbarense. Em idade de juvenil ingressou no Guarani de Campinas e em 1964 Joãozinho foi lançado no time profissional do "bugre", quando formou o famoso ataque que teve Joãozinho, Nelsinho, Babá, Américo Murolo e Carlinhos, o mesmo da memorável goleada de 5 x 1 sobre o Santos de Pelé, ocasião em que o barbarense Joãozinho marcou um dos gols do alviverde e pelo meio das pernas do goleiro bicampeão mundial Gilmar dos Santos Neves. Em 1970 voltou para defender o União Barbarense no Campeonato da 1ª Divisão.

Luiz Guassi

O quarto zagueiro "Guassi" - Começou na equipe infantil da A.E. Internacional, de Santa Bárbara. Passou para o juvenil do União Agrícola e em 1965 foi lançado, ainda jovem, ao quadro de profissionais do alvinegro, disputando o Campeonato Paulista da 3a Divisão. Jogou no União até 66, quando transferiu-se ao juvenil do Guarani, de Campinas. Em 1967 Guassi foi convocado para a Seleção de Novos, excursionando em jogos amistosos pela Europa e África. Em 1968 defendeu a Seleção Brasileira Pré-Olímpica, campeã na Colômbia e no mesmo ano de 68 Guassi foi convocado para os "Jogos Olímpicos", do México, mas não seguiu viagem devido uma intervenção cirúrgica do menisco. Em 1972 foi transferido para a equipe do C.A. Juventus de São Paulo. Em outubro de 1975 foi emprestado para a S.E. Palmeiras, mas o técnico Dino Sani não lhe deu chances no time titular. No início de 1976 retornou ao Juventus, quando teve outra grave contusão que interrompeu um pouco cedo sua carreira no futebol. [5]

Ranking da CBF[editar | editar código-fonte]

Ranking atualizado em 4 de dezembro e divulgado em 13 de dezembro de 2011 [6] [7]

  • Posição: 138º
  • Pontuação: 44 pontos

Ranking criado pela Confederação Brasileira de Futebol que pontua todos os times do Brasil.

Referências

  1. CNEF da CBF (PDF) (em português). Site Oficial da CBF. Página visitada em 09/03/12.
  2. Curiosidades.
  3. História da TUSB.
  4. http://uniaobarbarensefc.com.br/noticia/tib-uma-nova-torcida-uniformizada-do-leao-treze
  5. Jogadores Revelados.
  6. CBF revisa ranking técnico de clubes e coloca o Santos como novo líder. CBF (13/12/2011). Página visitada em 13/12/2011.
  7. Ranking Completo da CBF. Página visitada em 13/12/2011.