Fernandópolis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou secção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde setembro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Município de Fernandópolis
"Cidade progresso"
"Cidade das águas quentes"
Igreja Matriz de Fernandópolis

Igreja Matriz de Fernandópolis
Bandeira de Fernandópolis
Brasão de Fernandópolis
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 22 de maio de 1939
Gentílico fernandopolense
Prefeito(a) Ana Maria Matoso Bim
(2013–2016)
Localização
Localização de Fernandópolis
Localização de Fernandópolis em São Paulo
Fernandópolis está localizado em: Brasil
Fernandópolis
Localização de Fernandópolis no Brasil
20° 17' 02" S 50° 14' 45" O20° 17' 02" S 50° 14' 45" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião São José do Rio Preto IBGE/2008[1]
Microrregião Fernandópolis IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Macedônia, Pedranópolis, Meridiano, São João das Duas Pontes, Guarani d'Oeste, São João de Iracema e Estrela d'Oeste.[2]
Distância até a capital 554 km[3]
Características geográficas
Área 550,0 km² [4]
População 64 696 hab. Censo IBGE/2010[4]
Densidade 117,63 hab./km²
Clima tropical semi-úmido Aw
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,797 alto PNUD/2010[5]
PIB R$ 978 006 mil IBGE/2009[6]
PIB per capita R$ 15 392,22 IBGE/2009[6]
Página oficial

Fernandópolis é um município brasileiro situado no noroeste do estado de São Paulo, localizado a uma altitude de 535 metros. Tem uma população de 64.696 habitantes (IBGE/2010) e área de 550 km².[4] Fernandópolis se localiza a 554 km da cidade de São Paulo.[3]

História[editar | editar código-fonte]

Fernandópolis foi fundada em 22 de maio de 1939. Em 1938, Carlos Barozzi fundou o patrimônio que levou seu nome, mais tarde denominado Brasilândia. Próximo a este núcleo, Joaquim Antônio Pereira determinou o levantamento topográfico de uma área destinada à implantação do patrimônio Vila Pereira, tendo erguido um cruzeiro em 1939, e construído uma capela, mais tarde demolida para construção da Igreja matriz. Em 1943, as vilas receberam a visita do interventor federal Fernando Costa, que governou o estado de São Paulo entre 1941 e 1945. Por sugestão deste, os fundadores uniram as vilas, dando origem a Fernandópolis, cujo nome foi escolhido em homenagem ao Interventor.

Em 30 de novembro de 1944, Fernandópolis foi elevada à distrito do município de Tanabi. Em 1 de janeiro de 1945, o distrito foi elevado à município. De 1945 a 1948, o município era formado pelos distritos de Fernandópolis, Jales e Pedranópolis.[7]

A criação de gado em Minas Gerais e no sul de Mato Grosso forçou o estabelecimento de uma ligação entre Sant'Ana do Paranaíba e a região em desbravamento no interior: a Estrada Boiadeira. Atravessando o rio Paraná, a Estrada Boiadeira ligava o atual Mato Grosso do Sul à região e, orientando-se pelo curso do rio São José dos Dourados, servia para conduzir as tropas e o gado a São José do Rio Preto e daí atingir Barretos, forte entreposto de comercialização, reduzindo o trajeto até então utilizado, via Uberaba.

Os caminhos das Estradas Boiadeiras permaneceram por longo tempo as únicas vias de penetração do povoamento do chamado Sertão de Rio Preto, e desse modo, foi a Estrada Boiadeira que conduziu os primeiros colonizadores a Fernandópolis.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Possui uma área de 549,551 km². Localiza-se a cerca de 555 km da cidade de São Paulo, 120 km de São José do Rio Preto, 80 km da divisa com Minas Gerais e 85 km do limite com o Mato Grosso do Sul.[8]

Clima[editar | editar código-fonte]

Segundo estudo da Secretaria Estadual de Saúde, Fernandópolis possui um clima tropical semi-úmido com inverno seco e verão chuvoso, com precipitações médias em torno de 1.362 mm. As temperaturas médias mínimas e máximas atingem, respectivamente, 17°C e 33,5°C, com oscilações bruscas durante o ano,. As temperaturas minimas absolutas foram de 6ºC em 2008 ; 5ºC em 2009 ; 3.7ºC em 2010 e 4ºC em 2011

Vegetação[editar | editar código-fonte]

Conforme descrição encontrada no mapa de vegetação de 1993 do IBGE, fornecido pelo Departamento Estadual de Proteção de Recursos Naturais, encontram-se no município de Fernandópolis os seguintes grupos de vegetação no domínio da Mata Atlântica: encraves de cerrado com estepe e zonas de tensão ecológica (contato entre tipos de vegetação – áreas de transição situadas entre tipos distintos de vegetação possuindo características ambíguas, podendo haver locais com características predominantes de cerrado e outros de mata) e floresta estacional semidecidual (mata caducifólia – porcentagem de árvores decíduas varia entre 25 a 50%).

Observa-se ainda na área de abrangência do DEPRN-4 (Fernandópolis e região), tipos genéricos de vegetação nativa, tais como: floresta estacional semidecidual primária; floresta estacional semidecidual secundária, em seus vários estágios; floresta estacional secundária ribeirinha (matas ciliares ou mapa ripária) em seus vários estágios; floresta paludosa (mata de brejo); floresta com característica de transição mata – cerrado, em seus vários estágios; agrupamentos arbóreos e árvores isoladas.[9]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

  • Norte: córrego da Estiva, córrego Santa Rita, córrego Barreirão, córrego da Lagoa e ribeirão Pádua Diniz;
  • Leste: córrego das Pedras e ribeirão São Pedro;
  • Oeste: córrego Santa Rita, córrego da Taboa, córrego Lageado e ribeirão Jagora;
  • Sul: rio São José dos Dourados.[9]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2010[4]

População Total: 64.696

  • Urbana: 62.714
  • Homens: 31.518[10]
  • Mulheres: 33.178

Densidade demográfica (hab./km²): 117,62

Taxa de Alfabetização: 94,0%[11]

Dados do Censo - 2000

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 8,40

Expectativa de vida (anos): 75,82

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,02

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,832

  • IDH-M Renda: 0,758
  • IDH-M Longevidade: 0,847
  • IDH-M Educação: 0,891

(Fonte: IPEADATA)

Toque de Recolher[editar | editar código-fonte]

Fernandópolis se tornou referência nacional por adotar o toque de recolher para crianças e adolescentes menores de 18 anos. O município é pioneiro, tendo sido imitado por cerca de 100 municípios em 22 estados, como Ilha Solteira e Itapura. A medida foi imposta pelo Juiz da Vara da Infância e Juventude, Evandro Pelarin, em 2005, por meio de portaria, para reduzir os índices de violência no município.[12] A medida recebeu repercussões positivas e negativas por parte da população.

Apesar disso, diversos órgãos do governo questionaram a portaria. O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente se posicionou contrária ao toque de recolher, afirmando que a medida contraria o Estatuto da Criança e do Adolescente e a Constituição Federal e é uma medida paliativa que esconde os problemas ao invés de resolvê-los.[13] O Ministério Público de São Paulo entrou com recurso, e em 2012, após sete anos em vigência, o Supremo Tribunal Federal cassou a portaria.[14] Porém, a portaria foi retirada pelo próprio juiz que a instituiu, antes da cassação pelo STF.[15]

De acordo com os dados do Juizado de Menores, durante o período em que funcionou, o toque de recolher apresentou resultados positivos, com a diminuição de atos infracionais cometidos por menores de idade. Em 2005 foram 378 ocorrências, número que caiu para 74 em 2010. A infração que teve maior índice de redução foram os furtos, que diminuíram 91%. Também diminuíram outras ocorrências, como porte de entorpecentes, de 17 casos para 8, e lesão corporal, de 68 em 2005 para apenas 19 em 2008. Em 2005, 15 menores foram flagrados portando arma; em 2008, não houve registro.[12]

Infra-estrutura[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

Ensino superior[editar | editar código-fonte]

Fernandópolis possui duas universidades: Universidade Camilo Castelo Branco e Fundação Educacional Fernandópolis (além de diversos pólos de Educação à Distância), sendo eles da UNISA - Universidade de Santo Amaro, UNIP - Universidade Paulista e UNISSEB-COC.

Com estas duas instituições, Fernandópolis oferece os cursos da saúde, humanas e exatas. Com destaque para os cursos de Medicina Veterinária e Odontologia (único na cidade e região a possuir nota máxima no MEC).

Estima-se que Fernandópolis possui, em suas duas faculdades, cerca de 15 mil estudantes de mais de 50 cursos de graduação.

Transportes[editar | editar código-fonte]

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Rodoviária intermunicipal de Fernandópolis.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Museu[editar | editar código-fonte]

Abriga um museu de peças datadas da fundação do município, peças datadas de 100 anos ou mais. Na Fundação Educacional de Fernandópolis (campus I), há um museu de zoologia, de plantas e animais pré-históricos como dinossauros e crocodilos descobertos na região.

Água Viva Thermas Club Hotel[editar | editar código-fonte]

O Água Viva Thermas Clube Hotel possui piscinas de águas minerais termais, piscina infantil com cascata, piscina de biribol, bar, tobogãs, quiosques para churrasco, quadras poliesportivas, quadras de tênis, quadras de gatebol, área para caminhadas, restaurante, lanchonete, mesas de bilhar, pingue-pongue,fazendinha,hospedagem. Esse complexo deu o apelido de Cidade das Águas Quentes para Fernandópolis,é uma das riquezas da região.

Exposição de Fernandópolis.



Festa do Peão[editar | editar código-fonte]

Conhecida nacionalmente como uma das maiores feiras agropecuárias e festival de montarias em touros e cavalos de todo o Brasil. Todo ano, sempre em maio - mês do aniversário do município -, milhares de pessoas visitam Fernandópolis para conhecer e/ou participar da feira. A grande novidade para 2014 fica por conta da nova arena de rodeio, sendo a maior arena de rodeio 100% coberta do brasil, durante os 11 dias de festa mais de 370 mil pessoas passam pelo recinto de 280 mil². O recinto dispõe de estacionamento para mais de 15 mil veículos; em 2014 a festa ocorre entre os dias 15 a 25 de maio.

Enduro a pé[editar | editar código-fonte]

Organizado pelo Rotary Club de Fernandópolis Nova Era, o Enduro é como uma corrida, tendo como partida sempre um ponto conhecido no município, e percorrendo zonas como florestas, riachos e campos. Os grupos recebe mapas, ganhando e perdendo pontos se passar ou não passar por "PCs" (pontos de contagem), se define o vencedor. Mais de cem grupos se inscrevem, mas há apenas 10 grupos vencedores.

Administração[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. Mapa de Divisões Territoriais - IBGE. Mapas Interativos IBGE. Página visitada em 10 de agosto de 2011.
  3. a b Distância entre Fernandópolis e o centro da cidade de São Paulo. Google Maps. Página visitada em 21 de junho de 2012.
  4. a b c d Censo Populacional 2010 - IBGE. IBGE.gov.br. Página visitada em 10 de agosto de 2011.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 19 de setembro de 2013.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2005-2009. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 21 dez. 2011.
  7. Histórico de Fernandópolis. Prefeitura Municipal de Fernandópolis. Página visitada em 21 de junho de 2012.
  8. Dados de Fernandópolis no Site da Prefeitura. Fernandopolis.sp.gov.br. Página visitada em 10 de agosto de 2011.
  9. a b Meio Natural de Fernandópolis. Prefeitura Municipal de Fernandópolis. Página visitada em 21 de junho de 2012.
  10. SIDRA IBGE - Tabela 608 - População residente, por situação do domicílio e sexo. IBGE. Página visitada em 10 de agosto de 2011.
  11. Taxa de Alfabetização 2010 (zip). Censo 2010 IBGE: Indicadores Sociais Municipais. IBGE.gov.br. Página visitada em 23 de janeiro de 2012.
  12. a b Chico Siqueira (26 de abril de 2009). Toque de recolher reduz violência em Fernandópolis (SP). O Estado de S.Paulo. Página visitada em 10 de agosto de 2011.
  13. CONANDA se posiciona contra toque de recolher (18 de junho de 2009). Página visitada em 28 de novembro de 2013.
  14. Toque de recolher viola Estatuto da Criança e do Adolescente e o poder familiar (22 de junho de 2012). Página visitada em 28 de novembro de 2013.
  15. Justiça suspende o toque de recolher em Fernandópolis. G1 Globo.com (16 de maio de 2012). Página visitada em 21 de junho de 2012.
  16. Prefeito de Fernandópolis. Prefeitura Municipal de Fernandópolis. Página visitada em 22 de janeiro de 2013.
  17. Vice-Prefeito de Fernandópolis. Prefeitura Municipal de Fernandópolis. Página visitada em 22 de janeiro de 2013.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]