São José do Rio Preto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de São José do Rio Preto
"Rio Preto"
Fotos de São José do Rio Preto

Fotos de São José do Rio Preto
Bandeira de São José do Rio Preto
Brasão de São José do Rio Preto
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 19 de março de 1852 (162 anos)
Gentílico rio-pretense
Prefeito(a) Valdomiro Lopes da Silva Jr. (PSB)
(2013–2016)
Localização
Localização de São José do Rio Preto
Localização de São José do Rio Preto em São Paulo
São José do Rio Preto está localizado em: Brasil
São José do Rio Preto
Localização de São José do Rio Preto no Brasil
20° 49' 12" S 49° 22' 44" O20° 49' 12" S 49° 22' 44" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião São José do Rio Preto IBGE/2008[1]
Microrregião São José do Rio Preto IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Ipiguá, Onda Verde (N); Guapiaçu, Cedral (L); Bady Bassitt (S); e Mirassol (O).
Distância até a capital 443 km[2]
Características geográficas
Área 431,3 km² (SP: 200º)[3]
População 408 258 hab. (SP: 12º) –  Censo IBGE/2010[3]
Densidade 946,58 hab./km²
Altitude 489 m [4]
Clima Tropical de altitude Aw
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,797 (SP: 27°) – alto PNUD/2010[5]
PIB R$ 8 981 999 mil (BR: 61º) – IBGE/2009[6]
PIB per capita R$ 21 991 26 IBGE/2010[6]
Página oficial
Prefeitura www.riopreto.sp.gov.br
Câmara www.riopreto.sp.leg.br

São José do Rio Preto é um município brasileiro localizado no interior do estado de São Paulo. Pertencente à mesorregião e microrregião de mesmo nome, localiza-se a noroeste da capital do estado, distando desta cerca de 443 km.[2] Ocupa uma área de 431,3 km², sendo que 119,48 km²[7] estão em perímetro urbano.[4] A população estimada para 2013, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, é de 434 039 habitantes,[8] sendo então o décimo primeiro mais populoso de São Paulo e primeiro de sua mesorregião. A sede tem uma temperatura média anual de 23,6°C e na vegetação do município predomina uma formação arbórea esparsa. Em relação à frota automobilística, em fevereiro de 2013 foram contabilizados 324 011 veículos.[9] Com uma taxa de urbanização da ordem de 94,08%,[10] o município contava, em 2009, com 157 estabelecimentos de saúde. O seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,797, considerado como elevado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).[5]

A cidade de São José do Rio Preto foi emancipada de Jaboticabal na década de 1890. A versão de sua etimologia é que o nome seja uma mistura entre o padroeiro, São José, e o Rio Preto, rio que banha o município. Hoje, é formada pelos distritos de Engenheiro Schmitt, São José do Rio Preto (Distrito-Sede) e Talhado, e subdivide-se em cerca de 360 bairros, loteamentos e residenciais.[11] É um dos principais polos industriais, culturais e de serviços do interior de São Paulo. Sua história econômica esteve por muito tempo ligada à cafeicultura, também presente em grande parte do estado de São Paulo, principalmente no início do século XX. Segundo pesquisa da Fundação Getúlio Vargas, publicada na revista Você S.A., São José do Rio Preto é a 18ª colocada no ranking das cidades brasileiras mais promissoras para se construir uma carreira profissional.[12]

O município conta ainda com uma importante tradição cultural, que vai desde o seu artesanato até o teatro, a música e o esporte. Seus principais e mais tradicionais clubes de futebol são o América Futebol Clube e o Rio Preto Esporte Clube, fundados, respectivamente, em janeiro de 1946 e abril de 1919.[13] [14] Existem ainda o Arquivo Público Municipal, o Estádio Anísio Haddad, o Estádio Benedito Teixeira, a Biblioteca Pública Municipal Dr. Fernando Costa e o Teatro Municipal Humberto Sinibaldi Neto.

História[editar | editar código-fonte]

Origens e pioneirismo[editar | editar código-fonte]

Até por volta de 1840, a área onde está situada a região do município de São José do Rio Preto não passava de mata virgem. Naquele ano, o lugar começou a ser desbravado por mineiros, que ali se fixaram e deram início à exploração agrícola e à criação de animais domésticos.[15] Segundo relatos de antigos moradores, esses homens saíram da Vila de Nossa Senhora do Carmo dos Tocos, hoje Paraguaçu, no estado de Minas Gerais.[16]

Também, segundo relatos, no ano de 1845, Luiz Antônio da Silveira pisou, pela primeira vez, em solo rio-pretense, trazendo junto com ele cargueiros e escravos, vindo juntamente com seu irmão Antônio Carvalho e Silva e com seu amigo Vicente Ferreira Netto. Abriram veredas mato adentro, desde Bebedouro do Turvo até as proximidades do local onde hoje está a cidade de São José do Rio Preto. Os recursos estavam acabando e a comitiva se deteve naquele local, onde, com o tempo, haviam conquistado terras boas para o cultivo com sobra de água para o gado e um bom lugar para moradias. Com o passar do tempo a pequena povoação ia crescendo.[16] Em 1852, Luiz Antônio da Silveira doou parte de suas terras ao seu santo protetor, São José, com a intenção de que o patrimônio desse origem a uma cidade.[15]

Formação administrativa e etimologia[editar | editar código-fonte]

Vista parcial de São José do Rio Preto em 1909.

O município foi fundado em 19 de março de 1852 por João Bernardino de Seixas Ribeiro (considerado o fundador da cidade), que liderou os moradores das vizinhanças na construção de uma capela.[15] Com o crescente desenvolvimento do então distrito de Jaboticabal, que havia sido criado pela Lei Provincial nº 4, de 21 de março de 1879, a emancipacão veio a partir da Lei Estadual nº 294, de 19 de julho de 1894.[11] Naquela época, a cidade possuía um enorme território, com mais de 26 mil km², sendo suas divisas o Rio Grande, Rio Turvo, Rio Tietê e Rio Paraná, área depois desmembrada em novos municípios.[15] Em 1904, pela lei n° 903, é criada a comarca de Rio Preto.[17]

O lugar recebeu a denominação "São José do Rio Preto", quando foi elevado a distrito de Jaboticabal, em 1879, junção do nome do padroeiro São José e do Rio Preto.[11] Pela Lei Estadual nº 1021, de 6 de novembro de 1906, teve o nome simplificado para "Rio Preto".[11] Em 1944 o Centro Geográfico do Rio de Janeiro propôs alterá-lo para "Iboruna", tendo em vista haver um homônimo mais antigo no Estado de Minas Gerais. Mas diante do protesto de seus habitantes, de associações de classe e de políticos, a ideia foi superada mediante Decreto-lei Estadual nº 14334, de 30 de novembro de 1944, restabelecendo o antigo topônimo de São José do Rio Preto.[11]

Desde a elevação à cidade até os tempos atuais, São José do Rio Preto sofreu diversas alterações em suas divisões distritais.[11] Quando emancipada, a cidade era composta de seis distritos: Tanabi, Ibirá, Avanhandava, Itapirema, Itapura, Vila Adolpho e a Sede. Porém, após diversas mudanças, restam hoje apenas três distritos, sendo eles: Engenheiro Schmitt, Talhado e a sede.[11] A última alteração foi feita a partir da Lei Estadual nº 8550, de 30 de dezembro de 1993, que desmembrou de São José do Rio Preto o Distrito de Ipiguá, elevado à categoria de município.[11]

Após a emancipação[editar | editar código-fonte]

Vista parcial de São José do Rio Preto na década de 1940.

Com a chegada da Estrada de Ferro Araraquara (EFA), no ano de 1912, a cidade assumiu uma importante posição de pólo comercial de concentração de mercadorias produzidas no então conhecido Sertão de Avanhandava e de irradiação de materiais vindos da capital.[15] Essa expansão ferroviária na região do município colaborou para que, no início do século XX, ocorressem vários movimentos de desbravamento e povoamento de novas localidades, o que ficou conhecido com as frentes pioneiras se iniciando em São Paulo. Esse processo foi baseado na economia que girava em torno do cultivo do café, que precisava de mais lugares para sua lavoura. O aumento das exportações, o esgotamento dos solos e a facilidade de empréstimos bancários foram as causas desse grande movimento que começou no Vale do Paraíba, passou pelas regiões das cidades de Campinas, Ribeirão Preto, até chegar a São José do Rio Preto. E terminou no estado do Paraná. Esse desbravamento ficou conhecido como a Marcha do Café.[18]

O desenvolvimento urbano da cidade exigiu uma melhora na infraestrutura urbana de São José do Rio Preto, além do investimento na área da cultura e lazer. Em 11 de maio de 1933, foi criada pelo Bispo Diocesano D. Lafayette Libânio a Basílica de Nossa Senhora Aparecida com o objetivo de agradecer a proteção da Santa durante a Revolução Constitucionalista de 1932.[19]

Em 19 de julho de 1943, foi criada a Biblioteca Pública Municipal "Dr. Fernando Costa".[20] Em janeiro de 1973 foi inaugurado o Teatro Municipal Humberto Sinibaldi Neto.[21] Também em 1973 foi iniciada a construção da Catedral de São José, Sede da Diocese de São José do Rio Preto, cujo templo religioso ainda não foi totalmente concluído.[22]

Também devido ao crescimento de São José do Rio Preto e cidades próximas, foi criada a Microrregião de São José do Rio Preto, reunindo, além do município, outros 28 municípios. São alguns dos mais populosos: Bady Bassitt, Guapiaçu, Guaraci, Ibirá, José Bonifácio, Mirassol, Nova Granada, Olímpia, Palestina, Potirendaba, Tanabi e Uchoa. Em 2010, sua população foi estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística em cerca de 763 534 habitantes em uma área total de 10 397,8 km²..[1] Seu IDH médio era de 0,818 e o PIB per capita médio de R$ 9 528,14 em 2003. Localiza-se na mesorregião de mesmo nome.[1]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Mapa mostrando São José do Rio Preto e municípios limítrofes

São José do Rio Preto está localizada junto à bacia hidrográfica do Rio Grande, pertencendo à sub-bacia do Rio Preto, cujo rio banha a cidade. O município está situado em uma altitude média de 489 metros, tendo ainda em seu território várias sub-bacias de pequenos e médios córregos com papéis importantes em sua configuração.[23]

Limita-se com os municípios de Ipiguá e Onda Verde, a norte; Guapiaçu e Cedral, a leste; Bady Bassitt, a sul; e Mirassol, a oeste. E é cortada no sentido leste-oeste pelo paralelo 49° 22' 44" e em sentido norte-sul pelo meridiano de 20° 49' 12". A área do município é de 431,3 km², representando 0,1738% do território paulista, 0,0467% da área da região Sudeste do Brasil e 0,0051 % de todo o território brasileiro.[10] A área do perímetro urbano é de 119,48 km².[4] [7] São José do Rio Preto também está situada na mesorregião e microrregião de mesmo nome, que possuem, respectivamente, áreas de 29.394,7 km² e 10.397,8 km².[24] [25]

Clima[editar | editar código-fonte]

Parque da Represa.

O clima de São José do Rio Preto é, de acordo com o IBGE[26] , tropical subquente e úmido (cerca de 3 meses secos por ano) (tipo Aw segundo Köppen) com diminuição de chuvas no inverno e temperatura média anual de 23,6°C, tendo invernos secos e frios (com ocorrências de geadas leves em alguns poucos dias da estação) e verões chuvosos com temperaturas altas. Os meses mais quentes, janeiro e março, têm temperatura média de 27°C, sendo em ambos a média máxima de 33°C e a mínima de 22°C. E o mês mais frio, julho, possui média 19,9°C, sendo 27,5°C e 12,2°C as médias máxima e mínima, respectivamente. Outono e primavera são estações de transição.[27]

A precipitação média anual é de 1 259,1 mm, sendo julho o mês mais seco, quando ocorrem apenas 16,5 mm. Em janeiro, o mês mais chuvoso, a média fica em 240,9 mm. Nos últimos anos, entretanto, os dias quentes e secos durante o inverno têm sido cada vez mais frequentes não só em São José do Rio Preto, mas também em grande parte do estado de São Paulo, não raro ultrapassando a marca dos 30°C especialmente entre os meses de julho e setembro. No mês de julho do ano de 2008, a precipitação de chuva de grande parte do estado não passou dos 0 mm.[28] Durante a época das secas e em longos veranicos em pleno período chuvoso também são comuns registros de fumaça de queimadas em morros e matagais, principalmente na zona rural da cidade, o que vem levando a prefeitura a criar projetos ambientais e campanhas de prevenção nas escolas do município.[29] Em São Paulo, assim como em grande parte do país, as principais causas das queimadas são a agricultura e os tocos de cigarro jogados nas estradas. As altas temperaturas e o clima seco contribuem para o aumento desses índices.[30] Durante o período chuvoso são comuns ocorrências de inundações e deslizamentos de terra em algumas áreas.[31] Tempestades de granizo não são muito comuns na cidade, mas uma das mais recentes ocorreu em 21 de dezembro de 2011.[32]


Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para São José do Rio Preto Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 33 31,1 33 29,9 28,2 27,2 27,5 30,2 31,3 31,4 31,2 30,7 30,4
Temperatura média (°C) 27 25,4 27 23,2 21,1 20 19,9 22 23,7 24,5 24,7 24,9 23,6
Temperatura mínima média (°C) 22 19,7 22 16,6 14 12,8 12,2 13,8 16 17,6 18,2 19,1 17
Chuva (mm) 240,9 185,3 150,6 68,7 50 25 16,5 19,9 49,9 107,6 144,2 200,5 1 259,1
Fonte: Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (CEPAGRI).[27]

Ecologia e meio ambiente[editar | editar código-fonte]

Capivaras na Represa Municipal.

A vegetação da cidade varia entre cerrado, cerradinho e capoeira, dependendo da fertilidade do solo e abastecimento hídrico. A cidade é considerada como uma das mais bem arborizadas do Brasil.[33]

Parque da Represa do rio Preto.

De acordo com a prefeitura, o município de São José do Rio Preto possui 8,46 m² de projeção de área verde (árvore de calçada) por habitante. A execução dos serviços de conservação e manutenção dos canteiros, praças e parques da cidade, igualmente ao de manejo da arborização pública (poda, remoção e destoca das árvores situadas em áreas públicas) é de responsabilidade da própria Prefeitura, que faz as intervenções frequentes para que seja mantida a qualidade de vida urbana. Essas árvores ajudam a absorver partículas poluentes, amenizam o clima e servem como barreira para ventos e abrigo à fauna, propiciando uma variedade maior de espécies em Rio Preto.[34]

Uma das principais áreas verdes da cidade é o parque da Represa Municipal, que conta com um viveiro de mudas onde existem mais de 200 mudas de plantas ornamentais e cerca de 20 espécies de árvores frutíferas. O Parque da Represa Municipal também possui uma "Ilha Central", onde diversos animais típicos da fauna costumam se refugiar. Mais de 100 espécies de árvores frutíferas também foram plantadas no local, além das plantas ornamentais já existentes na ilha.[35] Mais de dez espécies de animais silvestres, mamíferos e peixes e uma grande diversidade de algas e plantas também compõem o ecossistema da Represa de São José do Rio Preto.[36] Outra relevante área verde é o Bosque Municipal, fundado em 1973 e que conta com reserva de mata nativa e um zoológico com aproximadamente 500 animais de 130 espécies.[37]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Crescimento populacional
Censo Pop.
1960 84 039
1970 124 034 47,6%
1980 188 601 52,1%
1991 283 761 50,5%
2000 358 523 26,3%
2010 408 258 13,9%
IBGE[38]

Segundo o censo brasileiro de 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população total do município era de 408 258 habitantes[3] , sendo o décimo segundo mais populoso do estado e o mais populoso da mesorregião e microrregião homônimas. Desse total, 383 490 viviam na zona urbana (93,93%) e os 24 768 restantes na zona rural (6,07%). Simultaneamente, 196 016 habitantes eram do sexo masculino e 212 242 habitantes do sexo feminino. Ainda conforme o mesmo censo, a distribuição étnica da população municipal era de brancos (76,37%), pardos (18,49%), pretos (3,49%), amarelos (1,04%) e indígenas, além de outros sem declaração.[39] A densidade populacional era de 946,53 hab./km²[40] Para 2012, a estimativa populacional do município é de 415 769 habitantes.[41]

O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de São José do Rio Preto é considerado elevado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Segundo o atual relatório, divulgado em 2013 com dados de 2010, seu valor é de 0,797, sendo o 27º maior do estado de São Paulo (em 645 municípios) e o 50º do Brasil (entre 5507).[5]

Religião[editar | editar código-fonte]

Conforme dados do censo 2010, a população rio-pretense é formada por católicos apostólicos romanos (58,7%), católicos apostólicos brasileiros (0,1%), evangélicos (23,79%), espíritas (6,81%), sem religião (5,57%), testemunhas de Jeová (1,47%), ateus (0,38%), mórmons (0,18%), budistas (0,18%), umbanda e candomblé (0,17%), católicos ortodoxos (0,07%), tradições esotéricas (0,03%) judaístas (0,03%), espiritualistas (0,03%) e tradições indígenas (0,02%).[42]

Igreja Católica Apostólica Romana
Igreja Basílica de São José do Rio Preto.

Segundo divisão feita pela Igreja Católica, o município está situado e é sede da diocese de mesmo nome, sufragênea da Arquidiocese de Ribeirão Preto. A diocese, originalmente com o nome Diocese de Rio Preto, foi criada a partir do desmembramento da Diocese de São Carlos do Pinhal (atual Diocese de São Carlos) em 25 de janeiro de 1929, e dela foram desmembradas as atuais dioceses de Franca (1973), Jales (1959) e São João da Boa Vista (1960), além de partes das diocese de Barretos (1973) e Catanduva (2000). Somente em 11 de dezembro de 2002 o nome foi alterado para Diocese de São José do Rio Preto.[43] Atualmente, a diocese é formada por 97 paróquias distribuídas cinquenta municípios do noroeste paulista, incluindo São José do Rio Preto, subdivididas, ainda, em seis regiões pastorais.[44] Seu atual bispo é Dom Tomé Ferreira da Silva, nomeado em 26 de setembro de 2012. Em 2010, a população da diocese era pouco mais de 913 mil habitantes, dos quais 75% se declaravam católicos.[43]

A sede está localizada na Catedral de São José do Rio Preto, considerada como parte do patrimônio histórico da cidade, que começou a ser construída em 1973, no mesmo local onde foi erguida a primeira capela rio-pretense, na data de fundação do município, em 19 de março de 1852. Isso faz com que a catedral seja considerada como o marco zero de São José do Rio Preto. Em seu interior, destacam-se a presença de obras de arte, mais especificamente esculturas, painéis, quadros a óleo e vitrais, e nela está localizada a imagem de São José de Brotas, datada do início da formação do município.[45] Seu padroeiro é o Coração Imaculado de Maria,[46] enquanto o copadroeiro é São José.[47]

Outras denominações religiosas

Conforme já citado, em 2010 23,79% da população rio-pretense se declarava evangélica. No município, existem várias igrejas evangélicas, divididas em dois tipos: as de missão e as de origem pentecostal. Entre como as evangélicas de missão, existem as igrejas luterana (que representam 0,08% da população), a presbiteriana (0,83%), a metodista (0,13%), as igrejas batistas (0,61%), as adventistas (0,61%). Entre as de origem pentecostal, estão a Assembleia de Deus (3,29%), Congregação Cristã do Brasil (2,86%), O Brasil para Cristo (0,07%), Evangelho Quadrangular (2,78%), Universal do Reino de Deus (1,42%), Deus é Amor (0,04%), Nova Vida (0,02%), entre várias outras.[48]

Ainda existem também cristãos de várias outras denominações, tais como as Testemunhas de Jeová (que representam 1,47% dos habitantes) e os membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (0,34%), também conhecida como Igreja Mórmon (0,18%).[48]

Política[editar | editar código-fonte]

Prefeitura Municipal de São José do Rio Preto, sede do poder executivo.

O poder executivo do município de São José do Rio Preto é exercido pelo prefeito, auxiliado pelo seu gabinete de secretários e pelos administradores regionais e distritais.[49] O primeiro intendente que Rio Preto teve foi Luiz Francisco da Silva, que ficou no cargo entre 27 de novembro de 1894 e 15 de julho de 1895.[17] Em 29 mandatos, 25 prefeitos passaram pela prefeitura de São José do Rio Preto, além dos agentes executivos,[17] sendo o atual Valdomiro Lopes da Silva Júnior (PSB), eleito nas eleições de 2008 e reeleito em 2012,[50] tendo como vice Ivani Vaz de Lima.[51]

Câmara Municipal de São José do Rio Preto, sede do poder legislativo.

O poder legislativo é constituído pela câmara, composta por dezessete vereadores eleitos pelo sistema proporcional para mandato de quatro anos.[49] Na atual legislatura, iniciada em 2013, é composta por duas cadeiras do Partido dos Trabalhadores (PT), duas do Partido Socialista Brasileiro (PSB), duas do Partido Social Democrático (PSD), duas do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), uma do Solidariedade (SD), uma do Partido Social Liberal (PSL), uma do Partido Social Cristão (PSC), uma do Partido Republicano Brasileiro (PRB), uma do Partido da República (PR), uma do Partido Progressista (PP), uma do Partido Popular Socialista (PPS), uma do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) e uma do Partido Comunista do Brasil (PC do B).[52] Cabe à casa elaborar votar leis fundamentais à administração e ao executivo, especialmente o orçamento participativo (Lei de Diretrizes Orçamentárias).[49]

São José do Rio Preto se rege por sua lei orgânica, promulgada em 3 de abril de 1990,[49] e é sede de uma comarca, cujos termos são Bady Bassit, Cedral, Guapiaçu, Ipiguá, Nova Aliança, Potirendaba e Uchoa.[53] [54] De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), São José do Rio Preto possuía, em dezembro de 2013, 306 280 eleitores, o que representa 0,971% do total do estado de São Paulo.[55]

Cidades-irmãs[editar | editar código-fonte]

Cidades-irmãs é uma iniciativa do Núcleo das Relações Internacionais, que busca a integração entre a cidade e demais municípios nacionais e estrangeiros. A integração entre os municípios é firmada por meio de convênios de cooperação, que têm o objetivo de assegurar a manutenção da paz entre os povos, baseada na fraternidade, felicidade, amizade e respeito recíproco entre as nações. Oficialmente, a única cidade irmã de São José do Rio Preto é Nantong, China (desde 14 de abril de 2010).[56]

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

São José do Rio Preto está oficialmente subdividida em três distritos. São eles: Engenheiro Schmitt, Talhado e a sede. Quando emancipada, a cidade era composta de seis distritos, Tanabi, Ibirá, Avanhandava, Itapirema, Itapura, Vila Adolpho e Sede, criados pela por Lei Estadual nº 294, de 19 de julho de 1894. Entretanto, a cidade sofreu diversas alterações em sua divisão distrital. A última delas foi feita a partir da Lei Estadual nº 8550, de 30 de dezembro de 1993, que desmembrou de São José do Rio Preto o Distrito de Ipiguá, elevado a município.[11]

O distrito de Engenheiro Schmitt, em 2009, tinha 17.680 moradores e o distrito de Talhado, 4.502 moradores.[57] Ambos distritos contam com subprefeituras.[58]

A cidade também está dividida em cerca de 360 bairros, loteamentos e residenciais.[59] O maior e mais populoso, segundo a Secretaria Estadual de Segurança Pública, é o Jardim das Oliveiras, situado na Zona Norte de Rio Preto, região com aproximadamente 140 mil residentes.[60]

Economia[editar | editar código-fonte]

O Produto Interno Bruto (PIB) de São José do Rio Preto é o 61º maior do Brasil,[6] destacando-se na área da prestação de serviços. De acordo com dados do IBGE, relativos a 2010, o PIB do município era de R$ 8 981,999 mil.[6] 1 016 351 mil são de impostos sobre produtos líquidos de subsídios a preços correntes.[61] O PIB per capita é de R$ 21 991,26[6]

Dos 5 565 municípios brasileiros, São José do Rio Preto ocupa a 18ª colocação no ranking das mais promissoras cidades brasileiras para se construir uma carreira profissional, segundo pesquisa da Fundação Getúlio Vargas, publicada na revista Você S.A..[12]

Setor primário
Produção de cana-de-açúcar, milho e tomate (2007)[62]
Produto Área colhida (Hectares) Produção (Tonelada)
Cana-de-açúcar 6 600 594 000
Milho 200 840
Tomate 5 150

A agricultura é o setor menos relevante da economia de São José do Rio Preto. De todo o PIB da cidade, 23 397 mil reais é o valor adicionado bruto da agropecuária.[61] Segundo o IBGE, em 2009, o município possuía um rebanho de 23 200 bovinos, 1 600 equinos, 3 000 suínos, 400 caprinos, 40 bufalinos, dez asinos, 35 muares, 1.720 ovinos, 400 coelhos e 500 000 aves, dentre estas 50 000 galinhas e 450 000 galos, frangos e pintinhos.[63] Em 2009 a cidade produziu 3,562 milhões de litros de leite de 5 086 vacas. Foram produzidos 779 000 dúzias de ovos de galinha e 9 500 quilos de mel-de-abelha.[63] Na lavoura temporária são produzidos principalmente a cana-de-açúcar (594 000 toneladas), o milho (840 toneladas) e o tomate (150 toneladas).[64]

Setor secundário
Swift, antiga fábrica histórica da cidade.[65]

A indústria, atualmente, é o segundo setor mais relevante para a economia do município. 1 386 439 reais do PIB municipal são do valor adicionado bruto da indústria (setor secundário).[61] Grande parte da renda oriunda do setor secundário é original do seu distrito industrial, que é composto em geral por micro, pequenas e médias empresas.[66] Também possui relevante participação na área industrial da cidade o chamado Setor de Minidistritos e Centro Incubador de Empresas. Foi elaborado pela Secretaria Municipal de Planejamento e Gestão Estratégica, no final de 1983, quando foi detectada a existência de vários micros e pequenos empreendedores mal-instalados ou que desejavam iniciar suas atividades em local próprio. Hoje, o programa conta com 12 minidistritos industriais, onde estão instaladas 743 empresas, que geram cerca de 3 536 empregos diretos. O tamanho dos lotes varia de 200 a 1000 m². De acordo com a Lei n° 4.468 de 1988, que regulamenta o Programa de Minidistrito, a área mínima a ser construída é de 40% do espaço total do lote.[66]

Setor terciário

A prestação de serviços rende 6 555 812 reais ao PIB municipal.[61] O setor terciário atualmente é a maior fonte geradora do PIB rio-pretense. De acordo com o IBGE, a cidade possuía, no ano de 2008, 21 604 unidades locais, 20 955 empresas e estabelecimentos comerciais atuantes e 256 797 trabalhadores, sendo 142 536 pessoal ocupado total e 114 261 ocupado assalariado. Salários juntamente com outras remunerações somavam 1 714 087 reais e o salário médio mensal de todo município era de 2,9 salários mínimos.[67] Um dos principais pontos comerciais da cidade é o Riopreto Shopping Center, inaugurado em 1989. Hoje, recebe mensalmente cerca de 1 500 000 de consumidores e é o maior centro de compras e lazer de uma região que abrange 250 municípios com população de 2,5 milhões de habitantes, nos estados de São Paulo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Paraná.[68] Alguns dos principais centros comerciais são o Plaza Avenida Shopping e o Praça Shopping. Em outubro de 2012, está prevista a inauguração do Shopping Cidade Norte e em 2014, do Shopping Iguatemi Rio Preto. Assim como no resto do país o maior período de vendas é o Natal.[69]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

No ano de 2000, São José do Rio Preto tinha 108 261 domicílios entre apartamentos, casas, e cômodos. Desse total 73 149 eram imóveis próprios, sendo 60 096 próprios já quitados (55,51%), 13 053 em aquisição (12,06%) 26 391 alugados (24,38%); 8 029 imóveis foram cedidos, sendo 1 469 por empregador (1,36%) e 6 560 cedidos de outra maneira (6,06%). 692 foram ocupados de outra forma (0,64%).[70]

Em 2010 foram contabilizados 137 233 domicílios, sendo 90 849 próprios (66,2% do total), 39 731 alugados (28,95%), 6 376 cedidos (4,65%) e 277 em outras condições.[71]

Rio Preto conta com água tratada, energia elétrica, esgoto, limpeza urbana, telefonia fixa e telefonia celular. Em 2000, 93,34% dos domicílios eram atendidos pela rede geral de abastecimento de água;[72] 98,09% das moradias possuíam coleta de lixo [73] e 94,33% das residências possuíam esgotamento sanitário.[74]

Saúde[editar | editar código-fonte]

Em 2009, o município possuía 157 estabelecimentos de saúde, sendo 124 deles privados e 33 públicos entre hospitais, pronto-socorros, postos de saúde e serviços odontológicos. Neles a cidade possui 1.639 leitos para internação, sendo 28 públicos e 1611 privados.[75] Na cidade existem oito hospitais gerais, sendo um público, quatro privados e três filantrópicos.[76]

São José do Rio Preto conta ainda com 2 479 auxiliares de enfermagem, 666 clínicos gerais, 553 enfermeiros, 420 genico obstetras, 397 pediatras, e 2 119 distribuídos em outras categorias, totalizando 6 904 profissionais de saúde. Em 2008, foram registrados 4 975 de nascidos vivos, sendo que 10,6% nasceram prematuros, 78,81% foram de partos casáreos e 13,2% foram de mães entre 10 e 19 anos (0,6% entre 10 e 14 anos). A Taxa Bruta de Natalidade é de 12,0.[77]

São alguns dos principais hospitais de São José do Rio Preto:

  • Austa Hospital: foi inaugurado em 1980, por um grupo de médicos formandos da 1ª turma de Medicina de Rio Preto, após cinco anos de óbras. Desde 1996 é considerado como referência na área da cardiologia em São José do Rio Preto e em 1998 passou a ser o primeiro hospital do país capaz de realizar a próton espectroscopia cerebral por ressonância magnética. Em 2002, inaugurou o Hospital da Mulher, o primeiro hospital exclusivo para mulheres de Rio Preto e vizinhaça. Passou por reestruturação em 2007.[78]
  • Hospital de Base de São José do Rio Preto: é um dos maiores da região, cobrindo uma área de 99 municípios onde se concentram cerca de um milhão e meio de habitantes. Conta 860 leitos, sendo quase 100 reservados às unidade de terapia intensiva (UTIs). Seus aproximadamente 4.300 profissionais atendem em média 3 500 internações mensais e fazem 2 100 cirurgias por mês, sendo algumas de alta complexidade, como transplante de rim, fígado, medula óssea e córneas, cirurgia cardíaca, dentre outras. Possui ainda uma das maiores emergências do interior paulista, inaugurada em 1997, com um atendimento mensal de cerca de 13 mil pacientes. No ambulatório são realizadas 75 mil consultas por mês em mais de 44 especialidades médicas.[79]
  • Hospital Beneficência Portuguesa: inaugurado em abril de 1968, e é conhecido por ser o único hospital de São José do Rio Preto com heliponto, para embarque e desembarque de pacientes. Também destaca-se pelo seu Centro de Diagnósticos, que foi recentemente reformado e agora conta com 13 652 m², e projeta novas expansões.[80]

Educação[editar | editar código-fonte]

O município conta com escolas em todas as suas regiões. A população da zona rural tem fácil acesso a escolas em bairros urbanos próximos em razão da alta taxa de urbanização. A educação nas escolas municipais tem um nível inferior ao das escolas estaduais, mas a prefeitura está criando estudos para tornar a educação pública municipal ainda melhor, de modo a conseguir melhores resultados no IDEB.[81] O município contava, em 2008, com aproximadamente 40 639 matrículas, 2 673 docentes e 193 escolas nas redes públicas e particulares.[82]

Logo da Unesp.

O município tem características de cidade universitária por possuir diversas instituições de ensino superior. No ensino público destaca-se o campus da Unesp, mais especificamente o Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE),[83] a Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP)[84] e a Faculdade de Tecnologia de São José do Rio Preto (Fatec Rio Preto).[85] Também conta com instituições particulares, como o Centro Universitário de Rio Preto (Unirp), Centro Universitário do Norte Paulista (Unorp), União das Faculdades dos Grandes Lagos (Unilago) e Universidade Paulista (Unip).

Educação de São José do Rio Preto em números [82]
Nível Matrículas Docentes Escolas (total)
Ensino pré-escolar 440 8259 148
Ensino fundamental 48 657 2217 142
Ensino médio 15776 1015 55

Criminalidade e segurança pública[editar | editar código-fonte]

Brasão da PMSP.

Em 2008, a taxa de homicídios no município teve uma média de 9,2 para cada 100 mil habitantes, o equivalente a 38 homicídios.[86] O índice de óbitos por arma de fogo, que era de 13,3 para cada 100 mil habitantes em 2002, pulou para 14,6 em 2003, sendo de 9,6 e 6,9 em 2004 e 2005, respectivamente, voltando a cair em 2006, ficando em 6,6 neste ano. A taxa de óbitos por acidentes de trânsito, que era de 34,7 em 2002, cresceu levemente para 34,8 em 2005, mas fechou 2006 em 32,3 óbitos para cada 100 mil habitantes.[87]

A queda de homicídios por causas relacionadas à violência urbana se deve às medidas tomadas pela Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMSP), como a inauguração da Base de Radiopatrulha Aérea de São José do Rio Preto, que conta com o helicóptero Águia 17. De acordo com a PMSP, 96 municípios são atendidos pelo Águia 17, cobrindo uma extensão de pouco mais de 26 km², onde residem 1,44 milhão de pessoas.[88] Também foi registrada queda nos índices de latrocínio na região de Rio Preto; foram duas ocorrências no último trimestre de 2008 para apenas um caso no mesmo período de 2009.[89]

Serviços e comunicações[editar | editar código-fonte]

O serviço de abastecimento de água de toda a cidade é feito pela Serviço Municipal Autônomo de Água e Esgoto (SeMAE). Existem 106 mil ligações prediais atendidas pela rede pública de distribuição, todas equipadas com medidores (hidrômetros).[90] Já a responsável pelo abastecimento de energia elétrica em Rio Preto é a Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL Energia), que atende ainda a alguns municípios do Interior de São Paulo.[91] Ainda há serviços de internet discada e banda larga (ADSL) sendo oferecidos por diversos provedores de acesso gratuitos e pagos. O serviço telefônico móvel, por telefone celular, é oferecido por diversas operadoras. Existe ainda acesso 3G, oferecido ao município desde abril de 2010.[92] O código de área (DDD) de Rio Preto é 017[93] e o Código de Endereçamento Postal (CEP) da cidade vai de 15.000-000 a 15.104-999.[94] No dia 1º de setembro de 2008 o município passou a ser servido pela portabilidade, juntamente com outras cidades de São Paulo (códigos 14 e 17), Espírito Santo (27), Minas Gerais (37), Paraná (43), Goiás (62), Mato Grosso do Sul (67) e Piauí (86).[95]

Há vários canais nas faixas Very High Frequency (VHF) e Ultra High Frequency (UHF), sendo alguns dos principais com emissoras afiliadas na própria cidade a TV Record Rio Preto (Rede Record), o Sistema Brasileiro de Televisão (SBT) e a TV TEM São José do Rio Preto (Rede Globo).[96] A Rede Vida tem sua sede em São José do Rio Preto. Há também, desde o dia 17 de março de 2009, o acesso ao sinal digital, recebido através da Record, Rede Vida e Globo.[97] São José do Rio Preto também possui jornais em circulacão, sendo alguns o Jornal Diário da Região e o Jornal Bom Dia. Algumas das principais emissoras de rádio são a Independência FM, Líder FM, Onda Nova FM, e a Metrópole AM.[17]



Transportes[editar | editar código-fonte]

Estação Ferroviária, construída em 1912.
Vista do Terminal Rodoviário.

A cidade de São José do Rio Preto é servida em seu território pela Ferroban (Ferrovia Bandeirantes S.A.), do grupo América Latina Logística (ALL), em um trecho que até 1998 pertencia à Ferrovia Paulista S.A. e que fez parte da Estrada de Ferro Araraquara entre 1898 e 1971. A Estação de São José do Rio Preto foi inaugurada em 1912.[98] O município também conta com o Aeroporto Estadual Professor Eribelto Manoel Reino, um dos principais do estado de São Paulo. Em 2009, registrou o movimento de 303 466 passageiros e 565 980 kg de carga transportada, com 17 278 pousos e decolagens (dados do órgão administrador, Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo - DAESP).[99] O município é cortado também por duas grandes rodovias (SP-310 - Rodovia Washington Luís - e BR-153 - Rodovia Transbrasiliana) e outras menores. As duas maiores cortam o município longitudinalmente e latitudinalmente (BR-153 e SP-310, respectivamente), cruzando-se em um trevo localizado na região sul da cidade. São, também, importantes meios de locomoção, sendo amplamente utilizadas como vias expressas para transporte dentro do município. É servido ainda pela SP-425 (Rodovia Assis Chateaubriand), SP-355 (Rodovia Maurício Goulart) e SP-427 (Rodovia Délcio Custódio da Silva).[100]

A frota municipal em fevereiro de 2013 era de 324 011 veículos, sendo 182 270 automóveis, 8 148 caminhões, 1 994 caminhões-trator, 22 963 caminhonetes, 9 736 camionetas, 620 micro-ônibus, 72 701 motocicletas, 12 091 motonetas, 1 523 ônibus, entre outros.[9] As avenidas duplicadas e pavimentadas e diversos semáforos facilitam o trânsito da cidade, mas o crescimento no número de veículos nos últimos dez anos está gerando um tráfego cada vez mais lento de carros, principalmente na Sede do município. Além disso, tem se tornado difícil encontrar vagas para estacionar no centro comercial da cidade, o que vem gerando alguns prejuízos ao comércio.[101]

O transporte público de São José do Rio Preto é feito por duas empresas, sendo elas a Circular Santa Luzia e a Expresso Itamarati.[102] . A responsável pela administração é a Empresa Municipal de Urbanismo de São José do Rio Preto (EMURB).[103]

Cultura e lazer[editar | editar código-fonte]

Artes e artesanato[editar | editar código-fonte]

Biblioteca Pública Municipal Dr. Fernando Costa.

A Secretaria Municipal de Cultura é a instituição responsável pelo estímulo e fomento às atividades culturais, artísticas e folclóricas do município. O órgão também é o encarregado pelas principais construções dedicadas às artes cênicas da cidade, como os Núcleos Municipais de Arte, Casa de Cultura Dinorath do Valle, Museus de Arte Primitivista José Antônio da Silva (MAP) e de Arte Naif (MAN), Arquivo Público Municipal, Hemeroteca Pública Dário de Jesus, Complexo Swift de Educação e Cultura, Teatros Municipais Humberto Sinibaldi Neto e Nelson Castro, e Comdephact. Além disso, a Secretaria de Cultura é a responsável por eventos como o FIT - Festival Internacional de Teatro, Bienal do Livro, Carnaval Popular, FEM - Festival de Música Popular Vinícius Nucci Cucolicchio, Festival Nacional de Música Sertaneja, entre outros.[104]

Teatro Paulo Moura.

Na área da literatura é destaque em sua Biblioteca Pública Municipal, que foi criada em 16 de julho de 1941 pelo Decreto-lei nº36, sendo inaugurada três meses depois, no dia 17 de outubro de 1943, com o nome de Biblioteca Pública Municipal “Dr. Fernando Costa”; em 19 de julho de 1943 foi registrada no Cadastro de Bibliotecas Brasileiras sob o nº 1.130, na Categoria Municipal. Hoje ocupa uma área de 536 m², contando com 46 mil volumes e atende um público de aproximadamente dez mil pessoas por mês.[20]

O artesanato também é uma das formas mais espontâneas da expressão cultural rio-pretense. Em várias partes do município, é possível encontrar uma produção artesanal diferenciada, feita com matérias-primas regionais e criada de acordo com a cultura e o modo de vida local. Esta diversidade torna o artesanato rio-pretense rico e criativo. A Superintendência do Trabalho Artesanal nas Comunidades (SUTACO) reúne diversos artesãos da região, disponibilizando espaço para confecção, exposição e venda dos produtos artesanais. São produzidos especialmente colchas e caminhos de mesa de crochê, flores produzidas com folha de milho seca, peças produzidas com teares, dentre outras. Normalmente, essas peças são vendidas em feiras, exposições ou lojas de artesanato.[105]

Festas e eventos[editar | editar código-fonte]

Para estimular o desenvolvimento socioeconômico local, a prefeitura de São José do Rio Preto, juntamente ou não com empresas locais, investe no segmento de festas e eventos. Essas festas, muitas vezes atraem pessoas de outras cidades, exigindo uma melhor infraestrutura no município e estimulando a profissionalização do setor, o que é benéfico não só aos turistas, mas também a toda população da cidade. As atividades ocorrem durante o ano inteiro.[106] São algumas das principais:

  • Janeiro Brasileiro da Comédia: é um festival de espetáculos teatrais voltados à comédia. O evento foi realizado pela primeira vez no ano de 2003 e atraiu mais de quatro mil espectadores ao Teatro Municipal. Sua duração é de oito dias, sempre nos meses de janeiro, e as apresentações são realizadas no Teatro Municipal Humberto Sinibaldi Neto.[106]
Apresentação da peça de teatro Comida Alemana, no Festival Internacional de Teatro de 2010.
  • Carnaval de rua: é um evento de rua, aberto ao público e realizado anualmente, no preríodo do carnaval, na Avenida José Ernesto Vetorazzo. O desfile que reúne as quatro escolas de samba da cidade (Tigre Dourado, Unidos da Boa Vista, Império do Sol e Pérola Negra), além de blocos de associações, entidades e clubes. A Secretaria Municipal de Cultura é responsável pela eleição do Rei Momo e da Rainha e pela realização eventual de bailes populares.[106]
  • Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto: é realizado pela Prefeitura de Rio Preto, em parceria com o SESC-SP, e conta com patrocínio da Petrobrás, da Caixa Econômica Federal, do Governo do Estado de São Paulo, da Fundação Nacional de Artes (Funarte), da Nossa Caixa e promoção da TV Globo. Dura dez dias e é o evento de maior visibilidade da cidade em todo o país, realizado em julho.[106] É considerado uma das principais manifestações culturais do Brasil e está entre os cinco maiores festivais de teatro do País.[107]
  • Encontro de Bandeiras das Companhias de Folias de Reis: é uma reunião de cerca de 20 companhias de Folias de Reis, organizado no pátio da Paróquia Nossa Senhora dos Pobres, no bairro Jardim Caparroz. Durante o evento, há apresentações de grupos de Santos Reis e distribuição de “oferendas” aos participantes. Acontece em novembro.[106]
  • 19 de março - Dia de São José e Aniversário da cidade: Todos os anos acontecem festividades na semana do aniversário de São José do Rio Preto, por toda a cidade, incluindo um bolo, oferecido à população em 19 de março, com o comprimento em metros equivalente à idade da cidade. Em 2014, o bolo teve 162 metros.[108]

Esporte[editar | editar código-fonte]

Assim como em grande parte do país, em São José do Rio Preto o esporte mais popular é o futebol. O principal clube da cidade é o América Futebol Clube, mais conhecido por América de Rio Preto, fundado dia 28 de janeiro de 1946.[14] Manda seus jogos no Estádio Benedito Teixeira, o Teixeirão, fundado em 10 de fevereiro de 1996 e que hoje conta com capacidade de até 32 936 pessoas. A primeira partida realizada foi entre o América e o São Paulo Futebol Clube, sendo que a equipe paulistana ganhou por 3 a 2. Atualmente, o Teixeirão é o maior estádio do Interior Paulista, o segundo do Estado de São Paulo e o sexto maior estádio particular do Brasil.[109] [110]

Outra conhecida equipe é o Rio Preto Esporte Clube, chamado também por Verdão da Vila Universitária ou Glorioso, que foi fundado em 21 de abril de 1919 por um grupo de jovens.[13] Este time manda seus jogos no Estádio Anísio Haddad, o Rio Pretão, fundado em 21 de abril de 1968 e que hoje conta com capacidade de até 18 670 pessoas. A primeira partida realizada no lugar foi entre o São José do Rio Preto e a Associação Atlética Ponte Preta, sendo que a segunda equipe citada, com sede em Campinas, ganhou por 4 a 1. O público recorde foi no jogo entre o Rio Preto e Grêmio Catanduvense de Futebol, com 17 845 pessoas, em 12 de junho de 1971, cujo resultado foi de 1 a 0 para o segundo citado, que possui sede em Catanduva.[111]

A cidade também conta com formas alternativas de esporte, como o Basquete em cadeira de rodas (basquete cadeirante), formado por membros do CAD (Clube Amigos dos Deficientes), que disputa o campeonato nacional. O CAD também atua em outros esportes adaptados, como atletismo e natação, e tem como um dos patrocinadores a Secretaria Municipal de Esportes e Lazer.[112]

A Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (SMEL) é a instituição responsável por desenvolver e difundir a prática dos desportos, da recreação e da educação física dirigidas às camadas mais populares de São José do Rio Preto.[113] Segundo estatísticas da própria prefeitura de Rio Preto, o município conta com 29 campos de futebol, 15 centros esportivos, 13 praças Esportivas, sete campos de malha e bocha, seis ginásios Municipais, quatro pistas de skate e esportes alternativos e três piscinas municipais.[114] Existem também programas de incentivo a prática de esportes, como o Hidroginástica e Natação Comunitária, o Programa Unidos no Esporte e o Programa Vôlei Adaptado.[115]

Feriados[editar | editar código-fonte]

Em São José do Rio Preto, há quatro feriados municipais, definidos pela Lei nº 01333 de 6 de maio de 1968, oito feriados nacionais e três pontos facultativos. Os feriados municipais são: o dia do padroeiro São José e do aniversário da cidade, em 19 de março; a Sexta-Feira Santa, que ocorre sempre em março ou abril; o Corpus Christi, que sempre é realizado na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade; e o dia da Imaculada Conceição, comemorado em 8 de dezembro.[116] De acordo com a lei federal nº 9.093 de 12 de setembro de 1995, os municípios podem ter no máximo quatro feriados municipais, já incluída a Sexta-Feira Santa.[117] [118]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o
Portal de São Paulo

Referências

  1. a b c d Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. a b Distância de cidades paulistas em relação à São Paulo - Cidadedesaopaulo.com. Site oficial de Turismo da Cidade de São Paulo. Página visitada em 11 de abril de 2012.
  3. a b c Área e População - Censo Demográfico 2010 do IBGE. Censo Demográfico 2010 - IBGE. IBGE.gov.br. Página visitada em 24 de setembro de 2011.
  4. a b c Embrapa Monitoramento por Satélite. São Paulo. Página visitada em 9 de dezembro de 2010.
  5. a b c Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 03 de agosto de 2013.
  6. a b c d e Produto Interno Bruto dos Municípios 2006-2010 (xls). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 6 de abril de 2013.
  7. a b Conjuntura Econômica do Município de 2011. Riopreto.sp.gov.br. Página visitada em 27 de dezembro de 2011.
  8. Estimativa Populacional 2013 - IBGE (pdf). IBGE.gov.br. Página visitada em 15 de outubro de 2013.
  9. a b Frota Fev/2013 - DENATRAN (zip). Denatran.gov.br. Página visitada em 9 de abril de 2013.
  10. a b Confederação Nacional de Municípios. Dados Gerais. Página visitada em 17 de dezembro de 2010.
  11. a b c d e f g h i Cidades@ - IBGE. Histórico. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  12. a b Roseli Loturco (7 de agosto de 2009). Destaque para as médias. Você S.A.. Página visitada em 08 de abril de 2014.
  13. a b O Gol. Rio Preto Esporte Clube. Página visitada em 15 de dezembro de 2010.
  14. a b O Gol. América Futebol Clube. Página visitada em 17 de dezembro de 2010.
  15. a b c d e Prefeitura. História de São José do Rio Preto. Página visitada em 16 de dezembro de 2010. Cópia arquivada em 2 de agosto de 2012.
  16. a b Instituto Histórico Geográfico e Genealógico. História da Cidade. Página visitada em 16 de dezembro de 2010.
  17. a b c d Nosso São Paulo. São José do Rio Preto-SP. Página visitada em 17 de dezembro de 2010. Cópia arquivada em 2 de agosto de 2012.
  18. Gabriela Cabral. Povoamento Brasileiro. Brasil Escola. Página visitada em 17 de dezembro de 2010. Cópia arquivada em 2 de agosto de 2012.
  19. Prefeitura. Basílica de Nossa Senhora Aparecida. Página visitada em 17 de dezembro de 2010. Cópia arquivada em 2 de agosto de 2012.
  20. a b Prefeitura. Biblioteca Pública Municipal. Página visitada em 15 de dezembro de 2010.
  21. Prefeitura. Teatro Municipal "Humberto Sinibaldi Neto". Página visitada em 17 de dezembro de 2010. Cópia arquivada em 2 de agosto de 2012.
  22. Prefeitura. Catedral de São José. Página visitada em 17 de dezembro de 2010. Cópia arquivada em 2 de agosto de 2012.
  23. Rio Preto Classificados. Hidrografia. Página visitada em 9 de dezembro de 2010.
  24. Sites do Brasil. Mesorregião de São Paulo: São José do Rio Preto. Página visitada em 9 de dezembro de 2010.
  25. Sites do Brasil. Microrregião de São Paulo: São José do Rio Preto. Página visitada em 9 de dezembro de 2010.
  26. IBGE. Mapa de Climas do Brasil - IBGE (PDF). IBGE.gov.br. Página visitada em 25 de fevereiro de 2011.
  27. a b Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (CEPAGRI). Clima dos Municípios Paulistas - São José do Rio Preto. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Página visitada em 9 de dezembro de 2010.
  28. INPE/CPTEC (2010). Precipitação acumulada em julho de 2008 (Presidente Prudente - BRA). BDC (Bancos de dados climatológicos). Página visitada em 9 de dezembro de 2010.
  29. R7 Notícias (25 de agosto de 2010). São José do Rio Preto registra três queimadas em menos de 24 horas. Página visitada em 9 de dezembro de 2010.
  30. Click Sergipe (26 de agosto de 2010). Parte do país sofre com baixíssima umidade do ar, queimadas e poluição. Página visitada em 9 de dezembro de 2010.
  31. Estadão (1° de janeiro de 2010). Chuva provoca mortes e enchentes em São José do Rio Preto. Página visitada em 9 de dezembro de 2010.
  32. Região Noroeste.com (22 de dezembro de 2011). Chuva de granizo assusta moradores e provoca acidentes em Rio Preto. Página visitada em 27 de dezembro de 2011.
  33. Rio Preto Classificados. Geografia. Página visitada em 17 de dezembro de 2010.
  34. Prefeitura. Arborização. Página visitada em 17 de dezembro de 2010.
  35. Prefeitura. Administração da Represa. Página visitada em 17 de dezembro de 2010.
  36. Prefeitura. Parque da Represa Municipal. Página visitada em 17 de dezembro de 2010.
  37. Prefeitura. Bosque Municipal / Zoológico. Página visitada em 17 de dezembro de 2010.
  38. IBGE - Censos de 1960 a 2000. Conjuntura Econômica de São José do Rio Preto/SP (PDF). Conjuntura Econômica de São José do Rio Preto p. 18. Riopreto.sp.gov.br. Página visitada em 17 de julho de 2011. Cópia arquivada em 16 de novembro de 2011.
  39. IBGE (2010). Tabela 2094 - População residente por cor ou raça e religião. SIDRA. Página visitada em 28 de abril de 2013.
  40. IBGE (2010). Tabela 2.1 - População residente, total, urbana total e urbana na sede municipal, em números absolutos e relativos, com indicação da área total e densidade demográfica, segundo as Unidades da Federação e os municípios – 2010. SIDRA. Página visitada em 28 de abril de 2013.
  41. Estimativas de população para 1º de julho de 2012. IBGE (31 de janeiro de 2013). Página visitada em 28 de abril de 2013.
  42. Censo 2010 - Lista municípios e religiões, Exibir Registro [ Id: 3825 ] (2010). Página visitada em 28 de abril de 2013.
  43. a b Diocese of São José do Rio Preto (em inglês). Catholic hierarchy. Página visitada em 28 de abril de 2013.
  44. DIOCESE EM NÚMEROS. Portal da diocese. Página visitada em 28 de abril de 2013.
  45. Catedral de São José. Prefeitura. Página visitada em 28 de abril de 2013.
  46. NOSSO PADROEIRO. Portal da diocese. Página visitada em 28 de abril de 2013.
  47. SÃO JOSÉ CO-padroeiro. Portal da diocese. Página visitada em 28 de abril de 2013.
  48. a b IBGE (2010). Tabela 2103 - População residente, por situação do domicílio, sexo, grupos de idade e religião. SIDRA. Página visitada em 28 de abril de 2013.
  49. a b c d LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO. Prefeitura de São José do Rio Preto (3 de abril de 1990). Página visitada em 13 de dezembro de 2010. Cópia arquivada em 30 de maio de 2014.
  50. Prefeito Valdomiro Lopes. Prefeitura. Página visitada em 30 de maio de 2014. Cópia arquivada em 30 de maio de 2014.
  51. Vice-prefeita Ivani Vaz de Lima. Prefeitura. Página visitada em 30 de maio de 2014. Cópia arquivada em 30 de maio de 2014.
  52. Vereadores. Câmara Municipal. Página visitada em 30 de maio de 2014. Cópia arquivada em 30 de maio de 2014.
  53. Fórum Estadual de São José do Rio Preto/SP. PontosBR. Página visitada em 13 de dezembro de 2010. Cópia arquivada em 30 de maio de 2014.
  54. RELAÇÃO DAS COMARCAS E MUNICÍPIOS. Ministério Público do Estado de São Paulo. Página visitada em 21 de julho de 2014.
  55. Quantidade de eleitores por município/região - Região/UF/Município. Tribunal Superior Eleitoral. Página visitada em 30 de maio de 2014.
  56. temmais.com (15 de abril de 2010). Rio Preto e Nantong são cidades-irmãs. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  57. Conjuntura Econômica de São José do Rio Preto/SP (PDF). Conjuntura Econômica de São José do Rio Preto p. 15. Riopreto.sp.gov.br. Página visitada em 18 de julho 2011.
  58. Subprefeitura do Distrito de Engenheiro Schmitt. Riopreto.sp.gov.br. Página visitada em 18 de julho 2011.
  59. GrandeBrasil.com. São José do Rio Preto. Página visitada em 13 de novembro de 2010.
  60. Polícia Civil do Estado de São Paulo (1º de abril de 2010). São José do Rio Preto inaugura Delegacia Participativa. Página visitada em 13 de dezembro 2010.
  61. a b c d Cidades@ - IBGE (2010). Produto Interno Bruto dos Municípios (csv). Página visitada em 6 de abril de 2013.
  62. Cidades@ - IBGE (2007). Produção Agrícola Municipal - Cereais, Leguminosas e Oleaginosas. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  63. a b Cidades@ - IBGE (2008). Pecuária 2009. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  64. Cidades@ - IBGE (2008). Lavoura Temporária 2009. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  65. Prefeitura. Swift. Página visitada em 16 de dezembro de 2010.
  66. a b Prefeitura. Setor de Minidistritos e Centro Incubador de Empresas. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  67. Cidades@ - IBGE (2008). Estatísticas do Cadastro Central de Empresas. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  68. Riopreto Shopping. Riopreto Shopping Center. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  69. Sindicato do Comércio Varejista de São José do Rio Preto (Sincomércio) (6 de dezembro de 2010). Lojas funcionam à noite a partir de 2º feira (06/12). Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  70. Confederação Nacional de Municípios (CMN). Infra-Estrutura - Domicílios Particulares Permanentes e Moradores. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  71. Censo 2010 do IBGE - SIDRA - Tabelas 3152 e 3157. IBGE.gov.br. Página visitada em 16 Julho 2011.
  72. Confederação Nacional de Municípios (CMN). Infra-Estrutura - Abastecimento de Água. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  73. Confederação Nacional de Municípios (CMN). Infra-Estrutura - Destino do Lixo. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  74. Confederação Nacional de Municípios (CMN). Infra-Estrutura - Esgotamento Sanitário. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  75. Cidades@ - IBGE (2009). Serviços de Saúde 2009 (em Português). Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  76. Conjuntura Econômica de São José do Rio Preto - 2010. Conjuntura Econômica de São José do Rio Preto - 2010. Riopreto.sp.gov.br. Página visitada em 17 Julho 2011.
  77. DATASUS. Caderno de Informações de Saúde - Informações Gerais (xls). Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  78. Austa Hospital. Linha do Tempo. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  79. Famerp. O Hospital de Base. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  80. Hospital Beneficência Portuguesa. Histórico. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  81. Governo Federal. Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) - Resultados e Metas. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  82. a b Cidades@ - IBGE (2009). Ensino, matrículas, docentes e rede escolar 2009 (em Português). Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  83. Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE) - Unesp. História do IBILCE. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  84. Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Editorial. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  85. Centro Paula Souza. Fatec Rio Preto. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  86. Mapa da Violência 2011 - Tabelas de municípios (.xls) (xls). Sangari.com. Página visitada em 16 Julho 2011.
  87. Sangari (2008). Base de dados dos municípios (pdf). Mapa da Violência dos Municípios Brasileiros-2008. Página visitada em 16 de julho de 2011.
  88. Eduardo Beni (15 de agosto de 2010). Inaugurada a Base de Radiopatrulha Aérea de São José do Rio Preto. Dihitt. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  89. Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (2 de fevereiro de 2010). Região de Rio Preto registra queda de latrocínio. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  90. Prefeitura. SeMAE - Serviço Municipal Autônomo de Água e Esgoto. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  91. Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL). Áreas e Mapa de Atuação. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  92. Saúde RP (23 de abril de 2010). 3G da TIM chega a Rio Preto. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  93. Guiatel. São Paulo. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  94. Correios. CEP de cidades brasileiras. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  95. Leonardo Goy (29 de agosto de 2008). Portabilidade terá taxa de R$ 4 por cliente, diz Anatel. O Estado de S. Paulo. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  96. Prefeitura. Imprensa de Rio Preto. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  97. Portal Imprensa (19 de março de 2009). São José do Rio Preto (SP) recebe sistema de TV digital. Uol. Página visitada em 13 de dezembro de 2010.
  98. Estações Ferroviárias do Brasil (7 de agosto de 2010). Histórico da linha. Página visitada em 14 de dezembro de 2010.
  99. Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (DAESP). São José do Rio Preto. Página visitada em 14 de dezembro de 2010.
  100. Ache Tudo e Região. São José do Rio Preto. Página visitada em 17 de dezembro de 2010.
  101. Jocelito Paganelli (19 de maio de 2010). Estudo propõe nova alça para acabar com congestionamento. Diario Web. Página visitada em 14 de dezembro de 2010.
  102. Empresa Municipal de Urbanismo São José do Rio Preto (13 de maio de 2007). Tarifa do transporte urbano vale R$&nsbp;1,95.. Página visitada em 14 de dezembro de 2010.
  103. Prefeitura. Emurb - Empresa Municipal de Urbanismo. Página visitada em 14 de dezembro de 2010.
  104. Prefeitura. Secretaria Municipal de Cultura. Página visitada em 15 de dezembro de 2010.
  105. Superintendência do Trabalho Artesanal nas Comunidades (SUTACO) (30 de novembro de 2006). Sutaco promove Curso de Customização em Ourinhos. Página visitada em 15 de dezembro de 2010.
  106. a b c d e Prefeitura. Principais eventos. Página visitada em 15 de dezembro de 2010.
  107. Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto (FIT) (2010). Apresentação. Página visitada em 15 de dezembro de 2010.
  108. Aniversário de Rio Preto será comemorado com shows, seminário e exposições. Grupo Notícia (8 de março de 2010). Página visitada em 18 de julho de 2011.
  109. O Gol. Benedito Teixeira (Teixeirão). Página visitada em 17 de dezembro de 2010.
  110. Site América Futebol Clube. Estádio Benedito Teixeira (Teixeirão). Página visitada em 17 de dezembro de 2010.
  111. O Gol. Anísio Haddad. Página visitada em 15 de dezembro de 2010.
  112. CAD (Clube Amigos dos Deficientes). Página visitada em 17 Julho 2011.
  113. Prefeitura. Secretaria Municipal de Esportes e Lazer. Página visitada em 15 de dezembro de 2010.
  114. Prefeitura. Endereços Centros Esportivos e Campos. Página visitada em 15 de dezembro de 2010.
  115. Prefeitura. Programas. Página visitada em 15 de dezembro de 2010.
  116. Prefeitura. Feriados Municipais em São José do Rio Preto. Página visitada em 15 de dezembro de 2010.
  117. Sérgio Ferreira Pantaleão. Carnaval - é ou não feriado? folga automática pode gerar alteração contratual (em português). Guia Trabalhista. Página visitada em 15 de dezembro de 2010.
  118. Presidência da República. Lei Nº 9.093, de 12 de setembro de 1995. Página visitada em 15 de dezembro de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ouça o artigo (info)
Este áudio foi criado a partir da revisão datada de 16 de março de 2011 e pode não refletir mudanças posteriores ao artigo (ajuda com áudio).

Mais artigos audíveis
Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikcionário Definições no Wikcionário
Wikisource Textos originais no Wikisource
Commons Imagens e media no Commons
Commons Categoria no Commons
Mapas