Complexo Metropolitano Expandido

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Imagem de satélite do Complexo Metropolitano à noite.
Imagem de satélite mostrando a mancha urbana da macrometrópole.
A macrometrópole, suas regiões e áreas de expansão no estado:
  RMSP, núcleo da área/região metropolitana legalmente definida
  Áreas metropolitanas da Baixada Santista (costa sul), Campinas (norte), Aglomerado Urbano de São José dos Campos (leste)
  Áreas menores por vezes incluídas no Complexo Metropolitano Expandido: Microrregião de Bragança Paulista, Microrregião de Piracicaba e as cidades de Limeira, Rio Claro e Araras.
Imagem de satélite mostrando as regiões metropolitanas de São Paulo (centro), Campinas (acima) e da Baixada Santista à noite, a partir da Estação Espacial Internacional.

Complexo Metropolitano Expandido[1] (também conhecido como Megalópole do Sudeste Brasileiro[2] e Macrometrópole Paulista[3] [4] ) é uma megalópole (ou complexo de metrópoles) que surgiu através do processo de conurbação existente entre os centros metropolitanos paulistas localizados ao redor da Região Metropolitana de São Paulo, que, com 20,9 milhões de habitantes,[5] é uma das mais populosas aglomerações urbanas do mundo.[6] [7] [8] [2]

Além da Grande São Paulo, a megalópole abrange as regiões metropolitanas de Campinas, da Baixada Santista, do Vale do Paraíba e de Sorocaba, além de outras cidades próximas, que compreendem aglomerações urbanas em processo de conurbação, como Piracicaba e Jundiaí. A população total dessas áreas somada à da capital paulista ultrapassa 31,8 milhões de habitantes, ou aproximadamente 75% da população de todo o estado de São Paulo.[7]

O complexo metropolitano é a única formação urbana do tipo presente no hemisfério sul e abrange uma área de 49 927,83 quilômetros quadrados, unindo 72 municípios que juntos abrigam 12% da população brasileira e retem boa parte da produção industrial e econômica do país.[7]

Componentes[editar | editar código-fonte]

Regiões[editar | editar código-fonte]

Abaixo segue a lista das cidades por população e suas regiões metropolitanas

Posição Unidade Regional População Cidade-sede População
1 Região Metropolitana de São Paulo 20 935 204 São Paulo 11 895 893
2 Região Metropolitana de Campinas 3 043 217 Campinas 1 154 617
3 Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte 2 430 392 São José dos Campos 681 036
4 Região Metropolitana de Sorocaba 1 805 473 Sorocaba 637 187
5 Região Metropolitana da Baixada Santista 1 781 620 Santos 433 565
6 Aglomeração Urbana de Piracicaba 1 195 904 Piracicaba 388 412
7 Aglomeração Urbana de Jundiaí 705 000 Jundiaí 397 965

Municípios por população[editar | editar código-fonte]

Abaixo segue a lista dos municípios por população, somente acima de 110 mil habitantes.

Posição Município População
1 São Paulo 11 444 685
2 Guarulhos 1 244 518
3 Campinas 1 098 630
4 São Bernardo do Campo 810 886
5 Santo André 680 496
6 Osasco 670 877
7 São José dos Campos 667 603
8 Sorocaba 600 625
9 Mauá 425 169
10 Santos 419 614
11 Mogi das Cruzes 396 468
12 Diadema 380 790
13 Jundiaí 377 183
14 Carapicuíba 373 358
15 Piracicaba 369 919
16 São Vicente 336 809
17 Itaquaquecetuba 329 144
18 Guarujá 294 669
19 Taubaté 383 899
20 Limeira 280 096
21 Praia Grande 272 390
22 Suzano 267 583
23 Taboão da Serra 251 608
24 Sumaré 246 247
25 Barueri 245 652
26 Embu das Artes 245 148
27 Americana 214 873
28 Jacareí 214 223
29 Indaiatuba 209 859
30 Cotia 209 027
31 Itapevi 206 558
32 Hortolândia 198 758
33 Rio Claro 188 977
34 Santa Bárbara d'Oeste 181 509
35 Ferraz de Vasconcelos 172 222
36 Francisco Morato 157 603
37 Itu 156 983
38 Itapecerica da Serra 156 077
39 São Caetano do Sul 150 638
40 Pindamonhangaba 150 162
41 Bragança Paulista 150 023
42 Mogi Guaçu 139 211
43 Franco da Rocha 135 150
44 Atibaia 128 914
45 Araras 121 055
46 Cubatão 120 293
47 Ribeirão Pires 114 361
48 Santana de Parnaíba 113 945
49 Guaratinguetá 113 258
50 Tatuí 111 122
51 Jandira 110 842
52 Votorantim 110 755
53 Valinhos 110 390

Referências

  1. Os eixos de desenvolvimento e a estruturação urbano-industrial do estado de São Paulo, Brasil www.ub.es. Página visitada em 2010-07-04.
  2. a b Eugenio Fernandes Queiroga (Maio de 2005). Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional: A Megalópole do Sudeste Brasileiro: a formação de uma nova entidade urbana para além das noções de macro-metrópole e de complexo metropolitano expandido. Página visitada em 4 de abril de 2014.
  3. Macrometrópole paulista já engloba 153 cidades e 30 milhões de pessoas O Globo. Página visitada em 2014-04-05.
  4. Plano Diretor de Aproveitamento dos Recursos Hídricos para a Macrometrópole Paulista Departamento de Águas e Energia Elétrica. Página visitada em 2014-04-05.
  5. Tabela 793 – População residente, em 1º de maio de 2014: Publicação Completa Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA) (14 de novembro de 2007). Página visitada em 10 de agosto de 2010.
  6. World Gazetteer – Welt: Ballungsräume. Página visitada em 10 de agosto de 2008.
  7. a b c Diego Zanchetta (3 de agosto de 2008). O Estado de S. PauloA primeira macrometrópole do hemisfério sul. Página visitada em 12 de outubro de 2008.
  8. Secretaria de Planamento de São Paulo: CAPÍTULO II DESENVOLVIMENTO REGIONAL E METROPOLITANO (2007). Página visitada em 4 de abril de 2014.

Ver também[editar | editar código-fonte]