Presidente Prudente

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Presidente Prudente
"Capital do Oeste Paulista

"Prudente"

Praça 9 de Julho e ao fundo a Catedral de São Sebastião

Praça 9 de Julho e ao fundo a Catedral de São Sebastião
Bandeira de Presidente Prudente
Brasão de Presidente Prudente
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 14 de setembro de 1917 (96 anos)
Gentílico prudentino
Lema Labor omnia Vincit
"O trabalho tudo vence"
Prefeito(a) Milton Carlos de Mello (PTB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Presidente Prudente
Localização de Presidente Prudente em São Paulo
Presidente Prudente está localizado em: Brasil
Presidente Prudente
Localização de Presidente Prudente no Brasil
22° 07' 33" S 51° 23' 20" O22° 07' 33" S 51° 23' 20" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Presidente Prudente IBGE/2008[1]
Microrregião Presidente Prudente IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Norte: Flora Rica e Flórida Paulista;
Sul: Anhumas e Pirapozinho;
Leste: Caiabu, Indiana e Regente Feijó;
Oeste: Álvares Machado, Alfredo Marcondes e Santo Expedito.
Distância até a capital 558 km[2] [3]
Características geográficas
Área 562,794 km² (SP: 139º)[4]
Distritos Ameliópolis, Eneida, Montalvão, Floresta do Sul
População 207 625 hab. (SP: 36º) –  censo IBGE/2010[5]
Densidade 368,92 hab./km²
Altitude 475 m [6]
Clima Tropical Aw
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,806 (SP: 14°) – muito alto PNUD/2010[7]
PIB R$ 3 182 329,440 mil IBGE/2008[8]
PIB per capita R$ 15 435,91 IBGE/2008[8]
Página oficial
Prefeitura www.presidenteprudente.sp.gov.br
Câmara www.camarapprudente.sp.gov.br

Presidente Prudente é um município brasileiro no interior do estado de São Paulo. Pertencente à mesorregião e microrregião de mesmo nome, localiza-se a oeste da capital do estado, distando desta cerca de 558 km.[2] [3] Ocupa uma área de 562,107  km², sendo que 16,5600 km² estão em perímetro urbano,[6] e sua população foi estimada no ano de 2010 em 207 625 habitantes, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística,[5] sendo então o 36º mais populoso de São Paulo e primeiro de sua microrregião. Está a 979 km de Brasília, capital federal.[2]

A sede tem uma temperatura média anual de 23,6°C e na vegetação do município predomina uma formação arbórea esparsa. Em relação à frota automobilística, em 2009 foram contabilizados 103 460 veículos.[9] Com uma taxa de urbanização da ordem de 97,91%, o município contava, em 2009, com 91 estabelecimentos de saúde. O seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,846, considerando como elevado em relação ao estado.[10]

A cidade de Presidente Prudente foi emancipada de Conceição de Monte Alegre (hoje Paraguaçu Paulista) na década de 1910. A versão de sua etimologia é que o nome seja uma referência ao ex-presidente brasileiro Prudente de Morais (Itu, 4 de outubro de 1841Piracicaba, 13 de dezembro de 1902), que foi um advogado e político brasileiro, primeiro governador do estado de São Paulo (1889-1890). Hoje é formada pela cidade de Presidente Prudente além dos distritos de Ameliópolis, Eneida, Floresta do Sul, Montalvão e a Sede, subdivididos ainda em cerca de 220 bairros.[11] Atualmente é um dos principais polos industriais, culturais e de serviços do Oeste de São Paulo, tanto é que passou a ser conhecida como a "Capital do Oeste Paulista". Com a grande crise econômica de 1929, a economia dos municípios brasileiros ligados à cafeicultura sofreu grande abalo e Presidente Prudente passou a ter novas atividades econômicas, como o cultivo do algodão. A industrialização da cidade iniciou-se em meados da década de 1930.[12]

O município conta ainda com uma importante tradição cultural, que vai desde o seu artesanato até o teatro, a música e o esporte. Durante 2010 e 2011 o time de futebol Grêmio Barueri esteve sediado na cidade, sob o nome de Grêmio Prudente, depois sendo relocado para sua cidade natal, Barueri. Existe ainda o Estádio Municipal Eduardo José Farah, o Parque do Povo e o Teatro Municipal Procópio Ferreira. Segundo pesquisa da Fundação Getúlio Vargas, publicada na revista Você S.A., Presidente Prudente é a 27ª colocada no ranking das cidades mais promissoras para se construir uma carreira profissional.[13]

História[editar | editar código-fonte]

Origens e pioneirismo[editar | editar código-fonte]

Exemplos de índios Xavantes, um dos primeiros povos a habitar o oeste paulista.

A área em que hoje está localizada a região oeste do estado de São Paulo era ocupada, primeiramente, por índios caiuás, xavantes e caingangues e índios da nação guarani. O território era coberto por matas nos terrenos de terra roxa e por campos em outros tipos de solos. Os conflitos pela posse da terra, principalmente mineiros, foram atraídos depois da decadência das minas, deslocando-se e fixando-se na área, para a utilização das manchas de campos, apropriadas às suas atividades de criação. A corrente migratória do estado de Minas Gerais para São Paulo aumentou quando os mineiros passaram a fugir da convocação para as tropas que iriam lutar na Guerra do Paraguai, que estendeu-se de dezembro de 1864 a março de 1870, abrindo caminho para o esse movimento continuasse após o término da guerra.[14]

Em 1893 foi feito um caminho entre a região conhecida como Campos Novos do Paranapanema e o Rio Paraná, para ligar com o estado de Mato Grosso. Ali se fez a expansão das plantações de café, produzido para exportação. Os espigões do Planalto Ocidental Paulista valorizaram-se pelas probabilidades de se plantar café nas novas terras. Esse avanço do café e a consequente ampliação do espaço sob o comando capitalista incentivaram a ocupação da região do Extremo Oeste Paulista e o seu crescimento. Os latifundiários do café das regiões mais antigas se dirigiram para o Oeste Paulista e obtiveram terras com o objetivo de fazer loteamentos, fazendo com que ao lado do latifúndio cafeeiro se estabelecesse na região, no esquema de agricultura de subsistência.[12]

O desenvolvimento de Presidente Prudente também foi ajudado pela ferrovia, sendo que esta foi a principal via de circulação de pessoas e mercadorias. A escolha do sítio urbano está correlatada ao traçado da Estrada de Ferro Sorocabana, que também seguiu a linha dos espigões.[12]

Emancipação política e administrativa[editar | editar código-fonte]

Com o grande desenvolvimento da atual cidade de Presidente Prudente, o município foi criado em 14 de setembro de 1917, pelo Coronel Francisco de Paula Goulart,[14] a partir da emancipação territorial e administrativa de Conceição de Monte Alegre (atual Paraguaçu Paulista), criado em 1876 após desmembramento de Campos Novos Paulista. Este resultou da emancipação de Santa Cruz do Rio Pardo que ocorreu em 1885. Santa Cruz do Rio Pardo, por sua vez, foi criada em 1872 como resultado do desmembramento de Lençóis Paulista, que havia sido criado em 1865 após emancipação de Botucatu. O município de Botucatu foi criado em 1855, tendo sua origem em Itapetininga, o qual resultou do desmembramento de Sorocaba, em 1770. Em 1661 Sorocaba havia sido criado através do desmembramento de Santana do Parnaíba, sendo que este surgiu em 1625 após desmembramento de São Paulo, fundado em 1554.[12]

O nome da cidade homenageia o ex-presidente brasileiro Prudente de Morais.

Grande parte do território da então Vila Goulart eram loteamentos. Além dos lavradores, apareciam outros mais interessados em comprar lotes, a fim de explorarem o comércio municipal. Com a inauguração do tráfego normal de trens, em 19 de janeiro de 1919, o povoamento foi aumentando tanto na área rural como na urbana. De forma diversa à de Goulart, o Coronel José Soares Marcondes não era dono de terras, mas sim de uma empresa para a venda de terras, a Cia. Marcondes de Colonização, Indústria e Comércio. Obteve opção de venda de vários tratos de terra, sendo um em Montalvão e outro latifúndio fronteiriço à Fazenda Pirapó-Santo Anastácio, separados pela linha férrea.[12]

Quando emancipada, a cidade era composta de apenas um distrito, a Sede, criada pela Lei estadual n.º 1.798, de 28 de novembro de 1921 e instalada a 13 de março de 1923 - que abrangeia uma área de cerca de 20.000 km. A Comarca, de 4ª. entrância, foi criada pela Lei n.º 1.887, de 8 de dezembro de 1922.[11] Primeiramente possuiu o nome de Vila Goulart, em homenagem a Francisco de Paula Goulart. Porém, anos mais tarde, recebeu sua denominação atual em honra ao ex-presidente brasileiro Prudente de Morais.[12]

Crescimento econômico[editar | editar código-fonte]

Como citado anteriormente, a cultura do café era a atividade econômica mais importante para o novo município, exercida por proprietários, empreiteiros e colonos. Em 1927, era estimado em dez milhões o número de pés de café no município. A primeira metade da década de 1920 caracterizou-se pelo auge da produção cafeeira prudentina. A decadência da produção ocorreu pelo cansaço das terras arenosas da região, pelas geadas que acabavam com as lavouras, pela diminuição da exportação motivada pela alteração da qualidade do café, pela concorrência de outros países e pela crise econômica de 1929. Com a crise do café, a troca pelo algodão foi inevitável, ajudada por condições nacionais e internacionais. O algodão trouxe à região empresas estrangeiras que se instalaram nas cidades do oeste paulista, comercializando e financiando pequenos plantadores, incentivados pelo aumento do consumo nacional e internacional da fibra.[12]

A introdução das culturas do algodão e, mais tarde, do amendoim provocou mudanças na estrutura das relações trabalhistas da área. O algodão foi introduzido em Presidente Prudente no final da década de 1920, porém foi apenas na década seguinte que seu cultivo passou a ser relevante, com um aumento significativo na área plantada, à medida que a cultura do café começava a diminuir. Outros produtos como arroz, milho, feijão e batata se tornaram a base econômica do lavrador que, com sua venda, financiava a lavoura de café, pagava a propriedade e sustentava sua família. O beneficiamento desses produtos era feito nos municípios e núcleos, o que aumentou o número de estabelecimentos e consequentemente o crescimento delas.[12]

Na década de 1940 observou-se que 44,7% das terras aproveitáveis da região eram constituídas de pastagens. O aumento da importância da pecuária na região da Alta Sorocabana se efetivou quando, sobretudo, se deu o desmatamento de áreas que ainda não estavam em exploração.[12] As atividades industriais correlatadas nos primeiros tempos à exploração de madeira, se voltaram para a transformação de matérias-primas, principalmente pela oferecida pela criação de gado bovino. O excedente, não consumido no núcleo era todo enviado para São Paulo por via férrea.[12] No início da década de 1930 havia dezessete estabelecimentos industriais, passando para 138 já em 1940, empregando 655 pessoas. O que se desenvolveu em termos de indústria foi para complementar a economia agrícola, englobando ainda mais sua predominância.[12]

Desenvolvimento social[editar | editar código-fonte]

O crescimento da cidade exigiu a criação do primeiro grupo escolar, hoje Escola Estadual Professor Adolpho Arruda Mello, em 1925; da primeira Casa de Saúde, 1926; a instalação da Paróquia, 1925; e da Inspetoria Distrital de Ensino, 1928, que em 1932 foi transformada em Delegacia de Ensino. Partindo disso, Presidente Prudente, num intervalo de tempo, adquiria um nível de autonomia político-administrativa importante na região, efetivando-se como a maior cidade da região.[12]

Vista da região central da cidade na década de 1930.

Os serviços religiosos prestados pela Igreja Católica foram oficializados com a criação da Paróquia São Sebastião, em 1925, para onde veio o padre José Maria Martinez Sarrion, que exerceu o cargo de pároco até o ano de sua morte, 1951. Os serviços de fornecimento de energia elétrica à cidade iniciaram-se em 1924 pela Companhia Marcondes de Colonização Indústria e Comércio, por meio de uma pequena usina termo-elétrica alimentada por um locomóvel e gerador de 60 kVA, fornecendo energia do anoitecer até as 24 horas.[12]

Tempos modernos[editar | editar código-fonte]

A extensão de Presidente Prudente era de cerca de 15.600 km² por ocasião de sua fundação e estabelecimento do município, e seus limites atingiam, ao norte, o divisor de águas do Aguapeí-Peixe; ao sul, o rio Paranapanema; a leste os municípios de Campos Novos Paulista (anteriormente denominado Campos Novos do Paranapanema) e Conceição do Monte Alegre e a oeste o rio Paraná. A alteração do quadro territorial-administrativo do município de Presidente Prudente mostra que o município reduziu, cada vez mais, sua extensão territorial, em função dos sucessivos desmembramentos. Em 1960, entretanto, passa a ter a configuração que mantém até a presente data, com área de 562,107 km². Nesse seu processo de expansão territorial, a cidade absorveu progressivamente o meio rural. Esse predominância do espaço rural foi e está sendo substituída pelo urbano, para atender às exigências da expansão urbana, dada pelo aumento das atividades produtivas na cidade (indústria, comércio e serviços) e pelo aumento da demanda habitacional, gerada pela concentração populacional. O limite entre o campo e a cidade deixa de ser visível.[12]

Também o crescimento de Presidente Prudente e cidades próximas, foi criada a Microrregião de Presidente Prudente, reunindo além do município, outros trinta municípios. São alguns deles: Álvares Machado, Caiabu, Emilianópolis, Marabá Paulista, Mirante do Paranapanema, Presidente Epitácio, Presidente Venceslau, Rancharia, Regente Feijó, Sandovalina, Taciba e Teodoro Sampaio. Em 2006 sua população foi estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística em cerca de 744 458 habitantes em uma área total de 17.515,798 km². Seu IDH médio era de 0,802 e o PIB per capita médio de R$ 8.919,75 em 2003. Localiza-se na mesorregião homônima.[15]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Presidente Prudente está localizada junto à bacia hidrográfica do rio Paraná, tendo em seu território várias sub-bacias de pequenos e médios córregos com papéis importantes em sua configuração, e sendo drenado pelos córregos do Veado e do Cedro, pertencentes à bacia do rio Santo Anastácio; e pelo córrego da Onça e rio Mandaguari, que pertencem à bacia do rio do Peixe. A cidade apresenta-se levemente ondulada com ocorrência contínua de colinas, na grande maioria com divisores constituídos por cursos d’água. O solo é classificado como arenito Bauru, com características agrícolas, o que o torna apto a diversas culturas. O ponto mais elevado da cidade situa-se a 472 metros.[16]

Limita-se com os municípios de Flora Rica, Flórida Paulista e Mariápolis, a norte; Pirapozinho e Regente Feijó, a sul; Caiabu, a leste; e Alfredo Marcondes, Álvares Machado e Santo Expedito, a oeste.[16] E é cortado no sentido leste-oeste pelo paralelo 22007’04” e em sentido norte-sul pelo meridiano de 51022’57”.[16] A área do município é de 563,62 km², representando 0,2265 % do território paulista, 0,0608 % da área da região Sudeste do Brasil e 0,0066 % de todo o território brasileiro.[17] A área do perímetro urbano é de 16 5600 km².[6] Presidente Prudente também está situada na mesorregião e microrregião de mesmo nome, que possuem, respectivamente, áreas de 24 035,376 km² e 17 515,798 km².[15] [18]

Clima[editar | editar código-fonte]

Vista da Rodovia Raposo Tavares na cidade em um dia de céu encoberto.

O clima de Presidente Prudente é caracterizado tropical chuvoso (tipo Aw segundo Köppen),[19] [20] com diminuição de chuvas no inverno e temperatura média anual de 23,6°C, tendo invernos secos e frios (com ocorrências de geadas leves em alguns poucos dias da estação) e verões chuvosos com temperaturas altas. Os meses mais quentes, janeiro e fevereiro, têm temperatura média de 26°C, sendo a média máxima de 31°C e a mínima de 21°C. E o mês mais frio, julho, possui média 20°C, sendo 26°C e 14°C a média máxima e mínima, respectivamente. Outono e primavera são estações de transição.[21] Durante o inverno já houve vários registros de tardes em que a temperatura sequer ultrapassou a marca dos 12 °C, como em 18 de junho de 2002.[22]

A precipitação média anual é de 1 256,5 mm, sendo julho o mês mais seco, quando ocorrem apenas 33,8 mm. Em janeiro, o mês mais chuvoso, a média fica em 206,0 mm. Nos últimos anos, entretanto, os dias quentes e secos durante o inverno têm sido cada vez mais frequentes, não raro ultrapassando a marca dos 30°C, especialmente entre os meses de julho e setembro. No mês de julho do ano de 2008, a precipitação de chuva não passou dos 0 mm.[23] No dia 26 de agosto de 2010, foi registrado pelo Instituto Climatempo 8% da umidade do ar, sendo a mais baixa do país, menor até que a umidade média registrada no deserto do Saara na África, que oscila entre 10% e 15%. Quedas nos índices de umidade relativa do ar são comuns durante os meses do inverno.[24] Durante a época das secas e em longos veranicos em pleno período chuvoso também são comuns registros de fumaça de queimadas em morros e matagais, principalmente na zona rural da cidade, o que vem levando a prefeitura a criar projetos ambientais e campanhas de prevenção nas escolas do município.[25] Em São Paulo, assim como em grande parte do país, as principais causas das queimadas são a agricultura e os tocos de cigarro jogados nas estradas. As altas temperaturas e o clima seco contribuem para o aumento desses índices.[26] Durante o período chuvoso são comuns ocorrências de inundações e deslizamentos de terra em algumas áreas.[27] Tempestades de granizo não são muito comuns na cidade, mas uma das mais recentes ocorreu em 5 de novembro de 2010.[28]

Segundo dados do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) e do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), de 1960 a 1978 e a partir de setembro de 1997 a temperatura mínima registrada na cidade foi de -1,8 °C, no dia 18 de julho de 1975,[29] dia em que, assim como em várias áreas das regiões Sul e Sudeste do Brasil, ocorreu uma forte geada negra no município.[30] Já a máxima foi de 40,0 °C, observada em 26 de setembro de 1963.[31] Nesse mesmo período, também na mesma estação meteorológica, o maior índice pluviométrico em menos de 24 horas observado na cidade foi de 174,0 mm, registrados em 18 de janeiro de 1978.[32] Recentemente, destaca-se os 127,0 mm acumulados em 28 de setembro de 2010.[33]

Dados climatológicos para Presidente Prudente
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima registrada (°C) 39,0 39,5 39,4 36,5 33,4 32,5 34,4 38,4 40,0 39,8 39,9 39,4 40,0
Temperatura máxima média (°C) 31,0 31,0 31,0 30,0 27,0 26,0 26,0 28,0 29,0 30,0 30,0 31,0 29,2
Temperatura mínima média (°C) 21,0 21,0 20,0 18,0 15,0 15,0 14,0 15,0 17,0 18,0 19,0 20,0 17,8
Temperatura mínima registrada (°C) 13,4 14,2 9,2 5,8 2,0 2,0 -1,8 0,0 4,8 7,2 10,3 10,2 -1,8
Precipitação (mm) 206,0 173,0 131,6 67,8 70,7 55,4 33,8 36,4 65,5 119,5 128,1 167,1 1 254,9
Dias de chuva 11,4 9,3 7,9 5,9 4,6 3,8 1,8 3,5 5,5 6,8 7,8 10,9 79,2
Fonte: Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (CEPAGRI) (médias climatológicas);[21] Portal de Tecnologia da Informação Para Meteorologia (recordes de 1960 a 1968 e a partir de setembro de 1997);[34] Weather Base (dias de chuva)[35]


Ecologia e meio ambiente[editar | editar código-fonte]

Vegetação de cerrado, predominante no município.

Segundo estudos realizados, Presidente Prudente está localizada no país de maior biodiversidade do planeta.[36] A zona rural próxima a Presidente Prudente caracteriza-se pelas pastagens e por vegetação arbórea esparsa, ficando o solo coberto em todas as épocas do ano. No município, existe uma diversidade significativa no que se refere à ocupação do solo, porque os bairros mais antigos são densamente habitados e possuem quantidade significativa de vegetação arbórea nas ruas e fundos de quintais. Os bairros mais recentes, que são a grande maioria, apresentam-se com construções esparsas com gramado e vegetação arbórea esparsa. Os conjuntos habitacionais, são densamente construídos. A cidade não possui o uso do solo muito diversificado, havendo o predomínio de domicílios em detrimento de outros usos, tais como o industrial, comercial e de serviços.[37]

Para manter a conservação do meio ambiente, a prefeitura, com a Secretaria Municipal do Meio Ambiente, investe na limpeza de locais públicos, como a retirada de arbustos, lixo e entulho, além de criar áreas verdes na área urbana. No município existem territórios com matas nativas em meio ao perímetro urbano, áreas que são mantidas e protegidas pelos órgãos municipais citados. Partes de bairros como Jardim Planalto, Brasil Novo, Jardim Paraíso e Vale do Sol foram cercadas com alambrado com o objetivo de preservar a fauna e flora local.[38]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Crescimento populacional
Censo Pop.
1970 105 707
1980 136 849 29,5%
1991 165 484 20,9%
2000 189 186 14,3%
2010 207 610 9,7%
Censos do IBGE (1970-2010)[39]

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, em 2013 a população do município é de 210 610 habitantes, sendo o 36º mais populoso do estado e apresentando uma densidade populacional de 367,7 habitantes por km².[5] Segundo o censo de 2000, 48,22% da população eram homens (91 797 habitantes) e 51,78% (97 389 habitantes) mulheres. Cerca de 97,91% (185 229 habitantes) vivia na zona urbana e 2,09% (3 957 habitantes) na zona rural.[39] [40] [41]

O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de Presidente Prudente é considerado elevado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Seu valor no ano de 2000 era de 0,846, sendo o 14º maior do estado. No ano de 2007, considerando apenas a educação, o valor do índice é de 0,882. O índice da saúde é de 0,848 e o de renda é de 0,767.[42] A cidade possui a maioria dos indicadores elevados e todos acima da média nacional segundo o PNUD. A renda per capita é de 14.652,00 reais. O coeficiente de Gini, que mede a desigualdade social é de 0,46, sendo que 1,00 é o pior número e 0,00 é o melhor.[43] A incidência da pobreza, medida pelo IBGE, é de 14,47%, o limite inferior da incidência de pobreza é de 10,10%, o superior é de 18,85% e a incidência da pobreza subjetiva é de 10,84%.[43] No ano de 2000, a população prudentina era composta por 135.104 brancos (71,41%); 7.045 negros (3,72%); 39.965 pardos (21,12%); 194 indígenas (0,10%); 5.777 amarelos (3,05%); além dos 1.100 sem declaração (0,58%).[44]

Religião[editar | editar código-fonte]

Tal como a variedade cultural em Presidente Prudente, são diversas as manifestações religiosas presentes na cidade. Embora tenha se desenvolvido sobre uma matriz social eminentemente católica é possível encontrar atualmente na cidade dezenas de denominações protestantes diferentes. Além disso o crescimento dos evangélicos também vem sido notado chegando a quase de 17,83% da população.[45]

O município de Presidente Prudente está localizada no país mais católico do mundo em números absolutos. A Igreja Católica teve seu estatuto jurídico reconhecido pelo governo federal em outubro de 2009,[46] ainda que o Brasil seja atualmente um estado oficialmente laico.[47] A cidade possui os mais diversos credos protestantes ou reformados, como por exemplo a Assembleia de Deus.[48] De acordo com dados do censo de 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a população de Presidente Prudente é composta por: apostólicos romanos (64,31%), evangélicos (26,69%), sem religião (4,24%), espiritismo (1,11%), testemunhas de Jeová (0,68%), budismo (0,41%), mórmons (0,19%), católicos apostólicos brasileiros (0,10%), umbanda e candomblé (0,08%), católicos ortodoxos (0,04%), agnósticos (0,04%) e esotéricos (0,03%).[45]

Política[editar | editar código-fonte]

De acordo com a Constituição de 1988, Presidente Prudente está localizada em uma república federativa presidencialista. Foi inspirada no modelo estadunidense, no entanto, o sistema legal brasileiro segue a tradição romano-germânica do Direito positivo.[49] A administração municipal se dá pelo poder executivo e pelo poder legislativo.[50]

Antes de 1930 os municípios eram dirigidos pelos presidentes das câmaras municipais, também chamados de agentes executivos ou intendentes. Somente após a Revolução de 1930 é que foram separados os poderes municipais em executivo e legislativo.[51] O primeiro intendente do município foi Francisco Goulart. Em vinte e nove mandatos, 25 prefeitos passaram pela prefeitura de Presidente Prudente, além dos agentes executivos.[52] Em 2009 o prefeito eleito nas Eleições municipais no Brasil foi Milton Carlos de Mello, do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), com 52.691 votos válidos. Apesar de ter mais de 200 mil eleitores, o município não teve segundo turno por Milton ter conseguido mais de 50% no primeiro turno.[53]

O Poder legislativo é constituído pela câmara, composta por 13 vereadores eleitos para mandatos de quatro anos (em observância ao disposto no artigo 29 da Constituição[54] ) e está composta da seguinte forma:[55] três cadeiras do Partido Socialista Brasileiro (PSB); três cadeiras do Partido dos Trabalhadores (PT); duas cadeiras do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB); uma cadeira do Partido Verde (PV); uma do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB); uma do Partido Democrático Trabalhista (PDT); uma do Democratas (DEM); e uma do Partido da República (PR). Cabe à casa elaborar votar leis fundamentais à administração e ao Executivo, especialmente o orçamento participativo (Lei de Diretrizes Orçamentárias). O município de Presidente Prudente se rege por lei orgânica, que foi promulgada em 5 de abril de 1990.[56] A cidade é ainda a sede de uma Comarca.[57]

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, o município possuía, em julho de 2012, 160 790 eleitores, o que representa 0,514% dos eleitores do estado de São Paulo.[58]

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Presidente Prudente está oficialmente subdividida em quatro distritos. São eles: Ameliópolis, Eneida, Floresta do Sul, Montalvão e a Sede. Quando emancipada, a cidade era composta de apenas um distrito, a Sede, criada pela Lei estadual n.º 1.798, de 28 de novembro de 1921 e instalada a 13 de março de 1923. A Comarca, de 4ª. entrância, foi criada pela Lei n.º 1.887, de 8 de dezembro de 1922.[11]

A cidade também está dividida em cerca de 220 bairros,[59] sendo o maior e mais populoso, segundo a prefeitura, o Ana Jacinta.[60] A região mais pobre do município é a dos bairros Jardim Morada do Sol e Residencial Francisco Belo Galindo, onde muitas famílias foram colocadas de forma precária. Este lugar está localizado a sete quilômetros da área central e conta com pouca infraestrutura. Na região norte do município também está situado o chamado mapa de exclusão social. Nesses lugares o nível de exclusão e vulnerabilidade social é gritante, as expressões da questão social são visíveis, onde famílias inteiras necessitam da solidariedade e caridade de outras pessoas, pois muitos direitos dos habitantes, por vezes não são respeitados e por outros abolidos por completo da comunidade.[61]

Economia[editar | editar código-fonte]

O Produto interno bruto - PIB de Presidente Prudente é o 128º maior do Brasil,[8] destacando-se na área de prestação de serviços. Nos dados do IBGE de 2005 o município possuía R$ 2.971.249 mil [8] no seu Produto Interno Bruto. Desse total, 327.020 mil são de impostos sobre produtos líquidos de subsídios.[8] O PIB per capita é de R$ 14 652.[8] Dos 5.565 municípios brasileiros, Presidente Prudente ocupa a 27ª colocação no ranking das mais promissoras cidades para se construir uma carreira profissional, segundo pesquisa da Fundação Getúlio Vargas, publicada na revista Você S.A..[13]

Setor primário[editar | editar código-fonte]

Produção de cana-de-açúcar, batata-doce e mandioca (2007)[62]
Produto Área colhida (hectares) Produção (tonelada)
Cana-de-açúcar 10.000 200.000
Batata-doce 800 9.600
Mandioca 50 1.250

A agricultura é o setor menos relevante da economia de Presidente Prudente. De todo o PIB do município 23.232 mil reais é o valor adicionado bruto da agropecuária.[8] Segundo o IBGE em 2008 o município possuía um rebanho de 52.607 bovinos, 1.620 equinos, 300 suínos, 66 caprinos, 55 bufalinos, sete asinos, 181 muares, 820 ovinos e 11.500 aves, dentre estas 7.400 galinhas e 4.100 galos, frangos e pintinhos.[63] Em 2007 a cidade produziu 2.750 mil litros de leite de 3.680 vacas. Foram produzidos 89 mil dúzias de ovos de galinha e 905 quilos de mel-de-abelha.[63] Na lavoura temporária são produzidos principalmente a cana-de-açúcar (200.000 toneladas), a batata-doce (9.600 toneladas) e a mandioca (1250 toneladas).[64]

Setor secundário[editar | editar código-fonte]

A indústria atualmente é o segundo setor mais relevante para a economia prudentina. 436 375 reais do PIB municipal são do valor adicionado bruto da indústria (setor secundário).[8] Segundo dados do cadastro da Prefeitura, existem no município 445 indústrias. Este número abrange cerca de 58% das indústrias associadas na Fiesp/Ciesp instaladas na região do Oeste Paulista. Destacam-se no cenário industrial da cidade, empresas de micro e pequeno porte. Uma importante parcela de participação do setor secundário municipal é oriunda dos quatro distritos industriais, que ocupam uma área total de 45 alqueires.[65]

O NIPP I (Núcleo Industrial de Presidente Prudente Antônio Crepaldi) ocupa cerca de 20 alqueires, contendo 41 indústrias em vários setores como fábricas de extintores, indústria e comércio de móveis, indústria de argamassa, indústria de bebidas, estruturas metálicas, material de limpeza, produtos agropecuários, elétricos e equipamentos industriais entre outros; O NIPP II (Núcleo Industrial de Presidente Prudente) conta com uma área de 18 alqueires, mas ainda está em fase de implantação; O NIPP III (Núcleo Industrial não Poluente Belmiro Maganini) possui uma área de aproximadamente quatro alqueires, 60 indústrias em vários setores como produtos eletrônicos, equipamentos rodoviários, cozinha industrial, confecções, aparelhos hospitalares, esquadrias metálicas, produtos farmacêuticos, cosméticos, calçados, refrigerante, serrarias e móveis; O NIPP IV (Distrito Industrial Não Poluente Antônio Onofre Gerbasi), que possui aproximadamente três alqueires, conta com 52 indústrias tais como as de pré-moldados, baterias, produção de sementes, lajes, argamassa, lapidação de pedras, mármore e granito, madeira, móveis entre outras.[66]

Setor terciário[editar | editar código-fonte]

2 184 623 mil reais do PIB municipal são de prestações de serviços.[8] O setor terciário atualmente é a maior fonte geradora do PIB prudentino. De acordo com o IBGE, a cidade possuía no ano de 2008 8.884 empresas e estabelecimentos comerciais e 129 624 trabalhadores, sendo 70 601 pessoal ocupado total e 59 123 ocupado assalariado. Salários juntamente com outras remunerações somavam 852.251 reais e o salário médio mensal de todo município era de 2,7 salários mínimos.[67]

Principais shoppings[editar | editar código-fonte]

Vista do Prudenshopping, o maior centro de compras de Presidente Prudente e região.
  • Prudenshopping: É um dos principais pontos comerciais da cidade, inaugurado em novembro de 1990. Hoje recebe mensalmente cerca de meio milhão de consumidores e é o maior centro de compras e lazer de uma região que abrange 65 municípios do Oeste Paulista.[68] Assim como no resto do país o maior período de vendas é o Natal.[69]
  • Parque Shopping Prudente : É o antigo Shopping Center Americanas. Foi inaugurado em 19 de novembro de 1986, sendo o primeiro shopping do Oeste Paulista e revolucionou o varejo em toda a região, trazendo as Lojas Americanas para Presidente Prudente. Em 2007, a General Shopping Brasil adquiriu o Shopping Center Americanas e alterou o nome do empreendimento para Prudente Parque Shopping.[70] Está situado na região central de Presidente Prudente, possui 2 lojas âncoras, 3 salas de cinema, praça de alimentação de 1200 lugares e estacionamento de 865 vagas.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Avenida Coronel Marcondes.

No ano de 2000 a cidade tinha 55 178 domicílios entre apartamentos, casas, e cômodos. Desse total 39 445 eram imóveis próprios, sendo 32 076 próprios já quitados (58,13%), 7 369 em aquisição (13,75%) 10.445 alugados (18,93%); 5.187 imóveis foram cedidos, sendo 810 por empregador (1,47%) e 4 377 cedidos de outra maneira (7,93%). 101 foram ocupados de outra forma (0,18%).[71] O município conta com água tratada, energia elétrica, esgoto, limpeza urbana, telefonia fixa e telefonia celular. Em 2000, 96,84% dos domicílios eram atendidos pela rede geral de abastecimento de água;[72] 97,29% das moradias possuíam coleta de lixo [73] e 95,01% das residências possuíam escoadouro sanitário.[74]

Saúde[editar | editar código-fonte]

Em 2005 o município possuía 91 estabelecimentos de saúde, sendo 58 deles privados e 33 públicos entre hospitais, pronto-socorros, postos de saúde e serviços odontológicos. Neles a cidade possui 1294 leitos para internação, sendo 71 públicos e 1223 privados.[75] Na cidade existem oito hospitais gerais, sendo seis públicos, um privado e um filantrópicos. Presidente Prudente conta ainda com 1425 auxiliares de enfermagem, 408 clínicos gerais, 236 pediatras, 221 genico obstetras, 218 enfermeiros, e 1063 distribuídos em outras categorias, totalizando 3 571 profissionais de saúde. No ano de 2008 foram registrados 2 667 de nascidos vivos, sendo que 8,4% nasceram prematuros, 77,1% foram de partos casarios e 13,4% foram de mães entre 10 e 19 anos (0,3% entre 10 e 14 anos). A Taxa Bruta de Natalidade é de 12,9.[76]

Além do Hospital Regional de Presidente Prudente, há uma Santa Casa, 20 Unidades de Serviço de Saúde, e várias clínicas particulares. O antigo Hospital Universitário (atual Hospital Regional - HR) foi comprado em 2010 por R$78 milhões pelo Governo de São Paulo o qual injetou milhões de reais em reformas no hospital. O HR é referência para os 45 municípios do oeste paulista (população de 1 milhão de habitantes) e teve sua capacidade ampliada para 406 leitos sendo um dos maiores hospitais-escola do país. Em comparação: UNESP 387 leitos, PUCCAMP 297, UNILUS 259, UEL 251, UFMS 215, FAMEMA 191, FAMECA 141, UNIMAR 138, UFGD 99, UEM 97. Possui Residência Médica em Neurocirurgia, UTI Pediátrica, Ginecologia e Obstetrícia, Pediatria, Infectologia, Clínica Médica, Anestesiologia, Cirurgia Geral, Ortopedia e Traumatologia, Oftalmologia, Psiquiatria além de estágio em outras áreas.[77]

Educação[editar | editar código-fonte]

Faculdade de Ciências e Tecnologia do câmpus da UNESP Presidente Prudente.

A Secretaria Municipal de Educação de Presidente Prudente (Seduc), foi criada legalmente pela lei nº 2296/83 de 21 de dezembro de 1983 e oferece cursos aos professores da Rede Municipal, promove projetos de alfabetização e desenvolve a utilização de Prédios Escolares Municipais fora dos horários de aulas e durante os período de férias para a realização de atividades culturais e recreativas. A Secretaria de Educação também é responsável pela coordenação com os órgãos federais e estaduais estabelecendo programas de ensino e educação em geral.[78]

Presidente Prudente conta com escolas em todas as regiões do município. Devido à intensa urbanização os poucos habitantes da zona rural têm fácil acesso a escolas em bairros urbanos próximos. A educação nas escolas estaduais tem um nível inferior ao das escolas municipais, mas a prefeitura está criando estudos para tornar a educação pública estadual ainda melhor, de modo a conseguir melhores resultados no IDEB.[79] O município em 2008 contava com aproximadamente 40.639 matrículas, 2673 docentes e 193 escolas nas redes públicas e particulares.[80] A taxa de alfabetização municipal é de 98%.[12]

O município também destaca-se pelas universidades como a Universidade Estadual Paulista (Presidente Prudente) (Unesp), União das Instituições Educacionais de São Paulo (Uniesp) e Universidade do Oeste Paulista (Unoeste), e pelas instituições Faculdades Integradas Antônio Eufrásio de Toledo (Toledo), Faculdade de Tecnologia do Estado de São Paulo (Fatec),Sesi e Senai, que juntas concentram mais de 80 mil alunos, distribuídos em mais de 110 cursos diferentes de graduação e pós-graduação. A cidade conta com três universidades, duas faculdades e sete faculdades de educação a distância.[81]

Educação de Presidente Prudente em números[80]
Nível Matrículas Docentes Escolas (total)
Ensino pré-escolar 3854 221 65
Ensino fundamental 27 680 1417 87
Ensino médio 9105 735 41

Criminalidade e segurança pública[editar | editar código-fonte]

Brasão da PMSP.

Como na maioria dos municípios médios e grandes brasileiros, a criminalidade também é um problema em Presidente Prudente. No ano de 2006 a taxa de homicídios no município foi de 12,0% para cada 100 mil habitantes. O índice de óbitos por arma de fogo, que era de 11,8 em 2002, pulou para 16,3 em 2003, sendo de 11,7 e 14,6 em 2004 e 2005, respectivamente, voltando a cair em 2006, ficando em 6,0 neste ano. A taxa de óbitos por acidentes de trânsito, que era de 22,7 em 2002, cresceu para 30,9 em 2006.[82]

A queda de homicídios por causas relacionadas à violência urbana se deve às medidas tomadas pela Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMSP), como o Registro Digital de Ocorrência (RDO), adotado em mais 46 municípios do estado de São Paulo. O RDO permite que os boletins de ocorrência (BOs) feitos nas unidades policiais sejam padronizados via intranet, armazenados em bancos de dados e consultados por outros órgãos policiais.[83] Apesar da queda na criminalidade e investimentos em segurança pública, a cidade ainda é vista como uma cidade de presídios e conflitos agrários e, segundo a prefeitura, uma das principais causas da violência na cidade é a desigualdade social. Também segundo o governo municipal, o Ministério das Cidades investe pouco na área da segurança em Presidente Prudente.[84]

Serviços e comunicações[editar | editar código-fonte]

O serviço de abastecimento de água de toda a cidade é feito pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). 70% da água consumida em Presidente Prudente é oriunda do Rio do Peixe e os outros 30% são captados do Rio Santo Anastácio e de pequenos reservatórios subterrâneos e mananciais.[85] 100% da cidade é atendido pela rede de distribuição de energia elétrica, sendo que em 2001 foram consumidos 112.454 megawatts/hora por ano e existiam cerca de 180 mil consumidores.[86] Ainda há serviços de internet discada e banda larga (ADSL) sendo oferecidos por diversos provedores de acesso gratuitos e pagos. O serviço telefônico móvel, por telefone celular, é oferecido por diversas operadoras. Existe ainda acesso 3G, oferecido ao município desde 2009.[87] O código de área (DDD) de Presidente Prudente é 018[88] e o Código de Endereçamento Postal (CEP) da cidade vai de 19.000-000 a 19.109-999.[89] No dia 8 de janeiro de 2009 o município passou a ser servido pela portabilidade, juntamente com outras cidades de DDDs 018 e estados do Rio Grande do Sul (DDDs 51 e 55), Tocantins (63), Mato Grosso (65) e Amazonas (92 e 97).[90]

Há doze canais na faixa de Very High Frequency (VHF) - canais 2 a 13 - e 69 na faixa de Ultra High Frequency (UHF) - canais 14 a 83. Há também os canais em microondas (SHF) e os de satélite, de frequência muito melhor e que requerem receptores especiais. Estes receptores normalmente entregam o sinal para o televisor em um canal de VHF.[91] Também há um jornal de circulação diária em Presidente Prudente, "O Imparcial". A cidade contava com o "Oeste Notícias", porém, este foi fechado por sua diretoria no último dia 31 de janeiro.[92] Existem nove emissoras de rádio da cidade,[86] sendo as principais a "101 FM" e a "98 FM".[93]

Transportes[editar | editar código-fonte]

Veículos circulando na Rodovia Raposo Tavares (SP-270), na zona sul de Presidente Prudente.

O município é servido pela hidrovia Tietê-Paraná, que facilita o escoamento dos produtos para os países do Mercosul.[94] Presidente Prudente também é servida em seu território pela Ferroban (Ferrovia Bandeirantes S.A.), em um antigo trecho que pertencia à já extinta Estrada de Ferro Sorocabana. Porém desde 1999 não há transporte ferroviário de passageiros, havendo apenas transporte de cargas.[95] O município possui fácil acesso à SP-270 (Rodovia Raposo Tavares) ligando São Paulo a Presidente Prudente e Presidente Epitácio a Mato Grosso do Sul; SP-501 (Rodovia Júlio Budisk Ligando) Presidente Prudente à SP-294 - Comandante João Ribeiro de Barros. (Alta Paulista - Osvaldo Cruz, Dracena, Adamantina); e SP-425 (Rodovia Assis Chateaubriant) ligando Presidente Prudente com Santo Inácio (PR) e posteriormente à São José do Rio Preto e divisa com Minas Gerais. Além disso, tem acesso às rodovias de importância estadual e até nacional através de rodovias vicinais pavimentadas e com pista dupla. A cidade conta também com o Aeroporto Dr. Adhemar de Barros (IATA: SBDNICAO: PPB). Possui capacidade para 178 926 passageiros e é considerado como o terceiro maior do estado de São Paulo.[96]

A frota municipal no ano de 2009 era de 103.460 veículos, sendo 65.001 automóveis, 3.327 caminhões, 576 caminhões trator, 7.685 caminhonete, 272 micro-ônibus, 22.169 motocicletas, 3.650 motonetas, 743 ônibus e 37 tratores de roda.[9] As avenidas duplicadas e pavimentadas e diversos semáforos facilitam o trânsito da cidade, mas o crescimento no número de veículos nos últimos dez anos está gerando um tráfego cada vez mais lento de carros, principalmente na Sede do município. Além disso, tem se tornado difícil encontrar vagas para estacionar no centro comercial da cidade, o que vem gerando alguns prejuízos ao comércio, salientando, que em parte, essa dificuldade ocorre por culpa dos próprios comerciantes e seus funcionários, que estacionam seus carros nas poucas vagas existentes.[97]

O transporte público de Presidente Prudente é feito por duas empresas. São elas a Transporte Coletivo Presidente Prudente (TCPP) e a Pruden Express.[98] A Secretaria Municipal de Assuntos Viários (SEMAV) é o órgão municipal responsável pelo sistema de trânsito e de transporte da cidade. Ela regulamenta e regulariza o sistema de transporte público e gerencia o trânsito municipal. É formada pelo departamento de Planejamento, Transito, Transportes e Cooperação em Segurança Pública.[99]

Cultura e lazer[editar | editar código-fonte]

Turismo, artes e eventos[editar | editar código-fonte]

Vista parcial do Parque do Povo.

A cidade conta com vinte hotéis, quatro cinemas (820 lugares), dois teatros (555 lugares), sete anfiteatros, cinco bibliotecas e dois espaços para aeromodelismo.[86] O município conta ainda com treze clubes sociais, além do Estádio Municipal Eduardo José Farah (com a maior capacidade do interior do Brasil - 65 mil pessoas)[100] e a Arena Coberta do Rancho Quarto de Milha (a maior arena coberta da América Latina).[101]

Há eventos como Festival Nacional de Teatro (FENTEPP),[102] o Sushi Fest,[103] o Salão do Livro,[104] a Festa das Nações[105] e a Expo-Prudente,[106] que fazem com que a cidade seja também pólo cultural da região. Para os momentos de lazer a cidade oferece o Centro Cultural Matarazzo, que conta com um complexo envolvendo a Biblioteca Municipal Dr. Abelardo de Cerqueira César, Escola Municipal de Artes Profª Jupyra Cunha Marcondes, Escola Municipal de Artes, Teatro Paulo Roberto Lisboa, Auditório Sebastião Jorge Chammé, Cinema Condessa Filomena Matarazzo, Boulevard Os Sombras e Os Temperamentais, Boulevard Praça dos Seresteiros de Presidente Prudente, Praça Coreto Francisco Artoni, Coreto, Salas Multiuso - para oficinas e ensaios, Galerias e Ateliê.[107] A cidade também conta o Parque do Povo, a Cidade da Criança (são 70 hectares de área verde com infraestrutura, possuindo atrativos como: Teleférico, Trilha Ecológica, Zoológico, Parque Infantil, Kartódromo, Planetário, Observatório Astronômico, Parque Aquático, Associação dos Pescadores, Escola Livre do Meio Ambiente e dois lagos),[108] Teatro Municipal Procópio Ferreira[109] e o Sesc Thermas.[110]

Esportes[editar | editar código-fonte]

Depois da passagem do Grêmio Prudente Futebol em 2010, quando adotou o nome cidade, Presidente Prudente não conta mais com times na divisão principal do estado, apesar de ter um bom estádio, o Estádio Municipal Eduardo José Farah, Prudentão, fundado em 12 de outubro de 1982 e que hoje conta com capacidade de até 44.414 pessoas. A primeira partida realizada foi entre o Santos Futebol Clube e o já extinto Esporte Clube Corinthians, com público aproximado de 20.240 pessoas, sendo que a equipe santista ganhou por 1 a 0. O público recorde foi no jogo entre Sociedade Esportiva Palmeiras e Sport Club Corinthians Paulista, com 45.972 pessoas, em 3 de março de 1996, cujo resultado foi de 3 a 1 para o time palmeirense.[111] Nas divisões inferiores destacam-se o Oeste Paulista Esporte Clube[112] e o Presidente Prudente Futebol Clube.[113]

Em 23 de dezembro de 2010 foi inaugurado o Centro de Formação de Atletas Flávio Araújo, nome que homenageou o jornalista esportivo prudentino, e que fez grande carreira no rádio nacional. O Centro é referência na área esportiva, e conta com estrutura de atendimento médico e preparação física, quadra coberta e campo de futebol e é o Centro de Treinamento do Grêmio Prudente.[114]

Em outras modalidades esportivas, a cidade também passa por grandes investimentos na ampliação das praças esportivas, como o PUM (Parque de Uso Múltiplo), que conta com cinco quadras cobertas, um ginásio e vestiário para atletas.[115] O Centro Olímpico recebeu investimentos em modalidades olímpicas, como na pista de atletismo e nas piscinas de natação e pólo aquático. Também foi feita uma cobertura de quadras do parque do povo e grama sintética em seus dois campos de futebol.[116] O Estádio Municipal Caetano Peretti conta com alojamento para atletas amadores da cidade e reforma do campo com a possível construção de mais uma pista de atletismo no local.[117] A cidade conta ainda com doze estádio de gateball, sete ginásios esportivos e quatro estádio de beisebol.[86]

Feriados[editar | editar código-fonte]

Em Presidente Prudente há três feriados municipais, oito feriados nacionais e três pontos facultativos. Os feriados municipais são: o dia de São Sebastião, em 20 de janeiro; o aniversário da cidade, em 14 de setembro; e a homenagem a Nossa Senhora da Conceição, em 8 de dezembro.[118] De acordo com a lei federal nº 9.093 de 12 de setembro de 1995, os municípios podem ter no máximo quatro feriados municipais, já incluso neste a Sexta-Feira Santa.[119] [120]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. a b c Distâncias rodoviárias. Areaseg. Página visitada em 31 de dezembro de 2010.
  3. a b Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista. Página visitada em 24 de janeiro de 2011.
  4. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 de dezembro de 2010.
  5. a b c Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  6. a b c Embrapa Monitoramento por Satélite. São Paulo. Página visitada em 11 de novembro de 2010.
  7. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 03 de agosto de 2013.
  8. a b c d e f g h i Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  9. a b Cidades@ - IBGE (2009). Frota 2009. Página visitada em 2 de novembro de 2010.
  10. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas PNUD_IDH_2000
  11. a b c Cidades@ - IBGE. Histórico. Página visitada em 12 de novembro de 2010.
  12. a b c d e f g h i j k l m n o Museu Municipal de Presidente Prudente. História de Presidente Prudente. Arquivado do original em 1º de dezembro de 2011. Página visitada em 16 de novembro de 2010.
  13. a b Roseli Loturco (7 de agosto de 2009). Destaque para as médias. Você S.A.. Página visitada em 13 de novembro de 2010.
  14. a b Prefeitura. História de Presidente Prudente. Arquivado do original em 1º de dezembro de 2011. Página visitada em 16 de novembro de 2010.
  15. a b Sites do Brasil. Presidente Prudente. Página visitada em 16 de novembro de 2010.
  16. a b c Secretaria Municipal de Cultura. História de Presidente Prudente. Página visitada em 11 de novembro de 2010.
  17. Confederação Nacional dos Municípios (CNM). Dados Gerais. Página visitada em 11 de novembro de 2010.
  18. Sites do Brasil. Mesorregião de São Paulo: Presidente Prudente. Página visitada em 17 de novembro de 2010.
  19. World Map of the Köppen-Geiger climate classification. World Map of the Köppen-Geiger climate classification. Institute for Veterinary Public Health. Página visitada em 12 de novembro de 2010.
  20. Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (CEPAGRI). Classificacão Climática de Köppen do Estado de São Paulo. Página visitada em 19 de junho de 2011.
  21. a b Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (CEPAGRI). Presidente Prudente. Página visitada em 19 de junho de 2011.
  22. CPTEC/INPE. Temperaturas máximas registradas em junho de 2002 (Presidente Prudente - BRA). BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Página visitada em 19 de junho de 2011.
  23. INPE/CPTEC (2010). Precipitação acumulada em julho de 2008 (Presidente Prudente - BRA). BDC (Bancos de dados climatológicos). Página visitada em 12 de novembro de 2010.
  24. R7 (27 de agosto de 2010). Com 8%, umidade do ar em Presidente Prudente é mais seca do que a do Saara. Página visitada em 11 de novembro de 2010.
  25. ADDN (10 de maio de 2010). Mecanização avança e reduz queimadas no corte da cana. Página visitada em 12 de novembro de 2010.
  26. Click Sergipe (26 de agosto de 2010). Parte do país sofre com baixíssima umidade do ar, queimadas e poluição. Página visitada em 12 de novembro de 2010.
  27. NotíciasNX (27 de abril de 2010). Presidente Prudente - Alguns bairros ainda apresentam falta de energia. Página visitada em 12 de novembro de 2010.
  28. Climatempo (5 de novembro de 2010). SP – Risco de temporal. Página visitada em 11 de novembro de 2010.
  29. CPTEC/INPE. Temperaturas mínimas registradas em julho de 1975 (Presidente Prudente - BRA). BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Página visitada em 11 de novembro de 2010.
  30. Carlos Alberto (14 de junho de 2010). Onda de frio em Julho de 1975. Tempo e Clima. Página visitada em 11 de novembro de 2010.
  31. CPTEC/INPE. Temperaturas máximas registradas em setembro de 1963 (Presidente Prudente - BRA). BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Página visitada em 19 de junho de 2011.
  32. CPTEC/INPE. Precipitação acumulada em janeiro de 1978 (Presidente Prudente - BRA). BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Página visitada em 19 de junho de 2011.
  33. Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (8 de outubro de 2010). Boletim Agroclimatológico Mensal - setembro de 2010 (PDF). Página visitada em 12 de novembro de 2010.
  34. Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC). Busca por cidade. Portal de Tecnologia da Informação Para Meteorologia (Protim). Página visitada em 19 de junho de 2011.
  35. Weather Base. Presidente Prudente, Brazil (em Inglês). Página visitada em 24 de junho de 2011.
  36. Construir Notícias. Brasil, o país de maior biodiversidade do mundo. Página visitada em 12 de novembro de 2010.
  37. Margarete Cristiane de Costa Trindade Amorim (2005). Intensidade e forma da ilha de calor urbana em Presidente Prudente/SP: episódios de inverno. Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Arquivado do original em 19 de setembro de 2012. Página visitada em 12 de novembro de 2010.
  38. Prefeitura (22 de março de 2010). Prudente avança na área de proteção ambiental e protege matas nativas na área urbana. Arquivado do original em 19 de setembro de 2012. Página visitada em 12 de novembro de 2010.
  39. a b Confederação Nacional de Municípios (CMN). Demografia - População total. Arquivado do original em 15 de agosto de 2012. Página visitada em 23 de outubro de 2010.
  40. Confederação Nacional dos Municípios (CMN). Demografia - População Urbana. Arquivado do original em 15 de agosto de 2012. Página visitada em 23 de outubro de 2010.
  41. Confederação Nacional dos Municípios (CMN). Demografia - População Rural. Arquivado do original em 15 de agosto de 2012. Página visitada em 23 de outubro de 2010.
  42. Ipeadata (2007). Social: Desenvolvimento Humano 2007. Página visitada em 23 de outubro de 2010.
  43. a b IBGE. Indicadores sociais dos municípios brasileiros. Página visitada em 23 de outubro de 2010.
  44. Sidra (Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática) (2000). População de Presidente Prudente por raça e cor. Página visitada em 23 de outubro de 2010.
  45. a b Censo 2010 - Lista municípios e religiões, Exibir Registro [ Id: 3733 ]. Arquivado do original em 15 de agosto de 2012. Página visitada em 15 de agosto de 2012.
  46. Cristiane Agostine (8 de outubro de 2009). Senado aprova acordo com o Vaticano (em Português). O Globo. Página visitada em 23 de outubro de 2010.
  47. Fernando Fonseca de Queiroz (Outubro de 2005). Brasil: Estado laico e a inconstitucionalidade da existência de símbolos religiosos em prédios públicos. Jus Navigandi. Página visitada em 23 de outubro de 2010.
  48. Igreja Assembleia de Deus. História. Página visitada em 23 de outubro de 2010.
  49. Organization of American States (OAS). The Brazilian Legal System (em Inglês). Página visitada em 24 de outubro de 2010.
  50. Flávio Henrique M. Lima (8 de fevereiro de 2006). O Poder Público Municipal à frente da obrigação constitucional de criação do sistema de controle interno. JusVi. Página visitada em 24 de outubro de 2010.
  51. Câmara Municipal de Bragança Paulista. Câmara Municipal de Bragança Paulista. Página visitada em 24 de outubro de 2010.
  52. Guia Presidente Prudente. Câmara Municipal. Página visitada em 24 de outubro de 2010.
  53. Guia Presidente Prudente (5 de outubro de 2008). Prefeito. Página visitada em 24 de outubro de 2010.
  54. DJI. Constituição Federal - CF - 1988 / Art. 29. Página visitada em 24 de outubro de 2010.
  55. Terra (6 de outubro de 2008). Apuração 1º turno (Vereadores). Página visitada em 24 de outubro de 2010.
  56. Prefeitura. Lei Orgânica do Município. Página visitada em 24 de outubro de 2010.
  57. PRESIDENTE PRUDENTE - SP. Página visitada em 15 de agosto de 2012.
  58. Tribunal Superior Eleitoral (TSE) (outubro de 2011). Consulta Quantitativo. Página visitada em 9 de dezembro de 2011.
  59. GrandeBrasil.com. Presidente Prudente. Página visitada em 12 de novembro de 2010.
  60. Prefeitura (21 de dezembro de 2009). Ministro promete recursos para o Centro da Juventude no Ana Jacinta. Página visitada em 12 de novembro de 2010.
  61. Casa da Sopa Francisco de Assis. Projeto educando para renovar. Página visitada em 12 de novembro de 2010.
  62. Cidades@ - IBGE (2007). Produção Agrícola Municipal - Cereais, Leguminosas e Oleaginosas. Página visitada em 29 de outubro de 2010.
  63. a b Cidades@ - IBGE (2008). Pecuária 2008. Página visitada em 29 de outubro de 2010.
  64. Cidades@ - IBGE (2008). Lavoura Temporária 2009. Página visitada em 29 de outubro de 2010.
  65. Prudente Site. Indústria. Página visitada em 29 de outubro de 2010.
  66. Prefeitura (23 de julho de 2010). Distrito Industrial da zona oeste concentra o maior número de indústrias em Prudente. Página visitada em 29 de outubro de 2010.
  67. Cidades@ - IBGE (2008). Estatísticas do Cadastro Central de Empresas. Página visitada em 29 de outubro de 2010.
  68. Prudenshopping. O Maior Centro de Compras do Oeste Paulista. Página visitada em 29 de outubro de 2010.
  69. Prudente AM (22 de outubro de 2010). Mercado - Consumidor tem menos vontade de ir às compras neste Natal. Página visitada em 29 de outubro de 2010.
  70. Prudente Parque Shopping. O SHOPPING. Página visitada em 20 de Março de 2012.
  71. Confederação Nacional de Municípios (CMN). Infra-Estrutura - Domicílios Particulares Permanentes e Moradores. Página visitada em 30 de outubro de 2010.
  72. Confederação Nacional de Municípios (CMN). Infra-Estrutura - Abastecimento de Água. Página visitada em 30 de outubro de 2010.
  73. Confederação Nacional de Municípios (CMN). Infra-Estrutura - Destino do Lixo. Página visitada em 30 de outubro de 2010.
  74. Confederação Nacional de Municípios (CMN). Infra-Estrutura - Esgotamento Sanitário. Página visitada em 30 de outubro de 2010.
  75. Cidades@ - IBGE (2005). Serviços de Saúde 2005 (em Português). Página visitada em 30 de outubro de 2010.
  76. DATASUS. Caderno de Informações de Saúde - Informações Gerais (xls) (em português). Página visitada em 30 de outubro de 2010.
  77. DATASUS. Consulta Estabelecimento - Módulo Hospitalar - Leitos. Página visitada em 30 de outubro de 2010.
  78. Prefeitura. Educação. Página visitada em 1º de novembro de 2010.
  79. Governo Federal. Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) - Resultados e Metas. Página visitada em 1º de novembro de 2010.
  80. a b Cidades@ - IBGE (2009). Ensino, matrículas, docentes e rede escolar 2009 (em Português). Página visitada em 1º de novembro de 2010.
  81. Lucrativa. Faculdades e Universidades em Presidente Prudente. Página visitada em 1º de novembro de 2010.
  82. Ritla (2008). Base de dados dos municípios (xls) (em português). Mapa da Violência dos Municípios Brasileiros-2008. Página visitada em 1º de novembro de 2010.
  83. Secretaria de Estado da Segurança Pública (27 de maio de 2010). Sistemas de inteligência criam o mapa da criminalidade. Página visitada em 1º de novembro de 2010.
  84. Prefeitura (15 de maio de 2009). Tupã abre Oficina e cobra governo federal. Página visitada em 1º de novembro de 2010.
  85. Colégio Cristo Rei. Projeto Água. Página visitada em 1º de novembro de 2010.
  86. a b c d Prudens!te. A Cidade - perfil. Página visitada em 11 de novembro de 2010.
  87. Sonimar Calmona. Telefonia 3G chega a Presidente Prudente. Página visitada em 1º de novembro de 2010.
  88. Guiatel. São Paulo. Página visitada em 1º de novembro de 2010.
  89. Correios. CEP de cidades brasileiras. Página visitada em 1º de novembro de 2010.
  90. Lorenna Rodrigues (8 de janeiro de 2009). Portabilidade chega hoje ao oeste paulista, Porto Alegre e Manaus. Folha Online. Página visitada em 1º de novembro de 2010.
  91. Guia de Presidente Prudente. Emissoras de Televisão. Página visitada em 1º de novembro de 2010.
  92. PortalPrudentino. Jornal de Prudente encerra publicações após 18 anos. Página visitada em 4 de fevereiro de 2013.
  93. Lucrativa. Emissoras de Rádio em Presidente Prudente. Página visitada em 1º de novembro de 2010.
  94. Guia Presidente Prudente. Transportes. Página visitada em 2 de novembro de 2010.
  95. Estações Ferroviárias do Brasil (7 de agosto de 2010). Histórico da linha. Página visitada em 2 de novembro de 2010.
  96. Guia Presidente Prudente. Acesso. Página visitada em 2 de novembro de 2010.
  97. Mônica Berdoni (21 de novembro de 2009). Vestibulandos da Unoeste enfrentam chuva e congestionamento. Grupo Notícia. Página visitada em 2 de novembro de 2010.
  98. Prefeitura (11 de junho de 2010). Empresas de transporte urbano de passageiros querem reajuste tarifário de 31%. Página visitada em 2 de novembro de 2010.
  99. Prefeitura. Assuntos Viários e Cooperação em Segurança Pública. Página visitada em 2 de novembro de 2010.
  100. Templos do Futebol. Estádio Eduardo José Farah. Página visitada em 4 de novembro de 2010.
  101. Guia Presidente Prudente. Rancho Quarto de Milha. Página visitada em 4 de novembro de 2010.
  102. Site FENTEPP. XVII Fentepp: abra a porta e entre. Página visitada em 3 de novembro de 2010.
  103. Made in Japan (5 de maio de 2010). 11° Sushi Fest. Página visitada em 3 de novembro de 2010.
  104. Painel10. 2º Salão do Livro de Presidente Prudente: O maior evento literário do Oeste Paulista!. Página visitada em 30 de outubro de 2011.
  105. Prefeitura (3 de julho de 2010). Festa das Nações reúne gastronomia de 14 países e espera 60 mil pessoas em quatro dias. Página visitada em 3 de novembro de 2010.
  106. Paraguacity (20 de agosto de 2010). 47ª Expo-Prudente será de 3 a 14 de setembro e recebe quase 20 atrações. Página visitada em 3 de novembro de 2010.
  107. Secretaria de Cultura de Presidente Prudente. Centro Cultural Matarazzo. Página visitada em 3 de novembro de 2010.
  108. Guia Presidente Prudente. Parque Ecológico - Cidade da Criança. Página visitada em 4 de novembro de 2010.
  109. Guia Presidente Prudente. Teatro Municipal Procópio Ferreira. Página visitada em 4 de novembro de 2010.
  110. Guia Presidente Prudente. Sesc Thermas. Página visitada em 4 de novembro de 2010.
  111. O Gol. Eduardo José Farah (Prudentão). Página visitada em 5 de outubro de 2010.
  112. O Gol. Oeste Paulista Esporte Clube. Página visitada em 5 de novembro de 2010.
  113. O Gol. Presidente Prudente Futebol Clube. Página visitada em 5 de novembro de 2010.
  114. Site oficial da Prefeitura de Presidente Prudente.
  115. Guia Presidente Prudente. Parque de Uso Múltiplo. Página visitada em 5 de novembro de 2010.
  116. Guia Presidente Prudente. Centro Olímpico. Página visitada em 5 de novembro de 2010.
  117. Prefeitura (25 de março de 2010). Ampliação do Centro de Treinamento do Caetano Peretti deve beneficiar atletas. Página visitada em 5 de novembro de 2010.
  118. Ordem dos Advogados do Brasil de São Paulo (OAB-SP) (8 de fevereiro de 2002). Justiça Federal divulga feriados municipais nos fóruns. Página visitada em 4 de novembro de 2010.
  119. Sérgio Ferreira Pantaleão. Carnaval - é ou não feriado? folga automática pode gerar alteração contratual (em português). Guia Trabalhista. Página visitada em 4 de novembro de 2010.
  120. Presidência da República. Lei Nº 9.093, de 12 de setembro de 1995. Página visitada em 4 de novembro de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikcionário Definições no Wikcionário
Wikisource Textos originais no Wikisource
Commons Imagens e media no Commons
Commons Categoria no Commons
Mapas
Este é um artigo destacado. Clique aqui para mais informações