Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde dezembro de 2012).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Sabesp
Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo S.A
Tipo Empresa de capital aberto
Cotação Bovespa:SBSP3
NYSE:SBS
Gênero Sociedade de economia mista
Fundação 29 de junho de 1973 (41 anos)
Sede São Paulo, SP,  Brasil
Proprietário(s) Governo de São Paulo
Presidente Dilma Pena
Pessoas-chave Dilma Pena (diretora-presidente)
Empregados 16.349 (2009)
Lucro Aumento R$ 1,923 bilhões (2013)
LAJIR Aumento R$ 4,006 bilhões (2013)
Faturamento Aumento R$ 11,315 bilhões (2013)[1]
Significado
da sigla
Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo.
Página oficial Página oficial

Sabesp (Bovespa:SBSP3 / NYSE:SBS) é uma empresa brasileira concessionária de serviços de saneamento básico, localizada em São Paulo. Com economia mista, de capital aberto, tem ações negociadas nas Bolsas de Valores de São Paulo e de Nova York. Seu principal acionista é o governo do Estado de São Paulo.[2]

A Sabesp atua em serviços de água e esgotos em 364 dos 645 municípios paulistas, inclusive na Capital (dados de maio/2009). Vinte e seis milhões de habitantes são beneficiados por atendimentos de serviços de água e esgoto.[3]

Na edição 2004/2005 da Masons Water Yearbook, a Sabesp foi considerada a sexta maior operadora de serviços e água e esgoto do mundo. O exemplar de 2008/2009 destaca as ações da empresa para universalizar serviços de abastecimento de água e tratamento de esgotos até 2018 e garantir a sustentabilidade econômico-financeira.

História[editar | editar código-fonte]

Criada em 1973 pelo então governador Laudo Natel por meio da Lei Estadual nº 119, de 29 de junho do mesmo ano, a Sabesp originou-se da fusão das seguintes empresas e autarquias:

Estação de Tratamento de Esgotos do bairro São Miguel Paulista na cidade de São Paulo
  • SAEC - Superintendência de Águas e Esgotos da Capital;
  • Comasp - Companhia Metropolitana de Águas de São Paulo;
  • Sanesp - Saneamento de São Paulo;
  • Sanevale - Saneamento do Vale do Ribeira;
  • SBS - Saneamento da Baixada Santista ;
  • FESB - Fomento Estadual de Saneamento Básico;
  • DAE - Departamento de Águas e Esgoto;
  • RAE - Repartição de Águas e Esgoto.

A partir de sua fundação, a Sabesp passou a operar em municípios que não faziam parte das áreas de atuação das antigas empresas. Um Estatuto Social rege a constituição e o funcionamento da Sabesp.

Modelo de Gestão descentralizado[editar | editar código-fonte]

Sede regional da SABESP em Avaré, no interior do estado.

Em 1995, a Sabesp adotou o modelo de administração descentralizado, baseado na regionalização por bacias hidrográficas. O critério atendeu à legislação estadual de recursos hídricos e tornou mais eficaz e rápido o atendimento às demandas ambientais sociais e locais de clientes e prefeituras.

Esse modelo passou a ser aplicado através de 17 Unidades de Negócio, com autonomia para gestão, aplicação e alocação de recursos.[4] As unidades seguem diretrizes centrais e estratégicas estabelecidas pela companhia. As decisões locais são comunicadas e discutidas em Assembleias dos Municípios Concedentes e Comissões de Gestão Regional, responsáveis por garantir transparência à gestão.

Transparência[editar | editar código-fonte]

A Sabesp abriu seu capital em 1994, possui 100% de ações ordinárias e, em 2002, tornou-se a primeira empresa de economia mista a aderir ao Novo Mercado da BM&Fbovespa, o segmento de mais alto nível de governança corporativa do Brasil. Simultaneamente, passou a ter suas ações listadas na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE). Apesar de a maior parte das ações pertencer ao governo paulista, os papéis dos acionistas minoritários são negociados da seguinte maneira:

Dados gerais (2014)[editar | editar código-fonte]

Alguns presidentes da Sabesp desde 1973[editar | editar código-fonte]

  • General Luiz Phelippe Galvão Carneiro da Cunha - 1973-1975
  • Klauss Reinach - 1975-1977
  • Reinaldo de Barros - 1977-1979
  • Walter Coronado Antunes - junho de 1979 - 1980
  • Oscar de Souza Telles - 1980 - 1983
  • Gastão César Bierrenbach - 1983 - 1988
  • Raphael Di Cunto Júnior - 1988
  • Gastão César Bierrenbach - 1989 - 1990
  • Lauro Péricles Gonçalves - 1990 - 1991
  • Alvaro Gabriele - 1991 - 1992
  • Luiz Appolonio Neto - 1992 - 1994
  • Ariovaldo Carmignani - 1995 - 2002
  • Mauro Arce - 2002 - 2003
  • Dalmo do Valle Nogueira - 2003-2006
  • Gesner Oliveira - 2007-2010
  • Dilma Pena - 2011-atual

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências