Central Nacional de Televisão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde dezembro de 2012). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão. (desde novembro de 2011)
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
Central Nacional de Televisão (CNT)
Rádio e Televisão OM Ltda.
Logo CNT.png
Tipo Rede de televisão comercial
País  Brasil
Fundação 15 de maio de 1979 (35 anos)
(como TV Tropical)
maio de 1982 (32 anos)
(como Rede OM)
9 de março de 1992 (22 anos)
(como Rede OM Brasil)
23 de maio de 1993 (21 anos)
(como CNT)
1 de janeiro de 1996 (18 anos)
(como CNT Gazeta)
1 de junho de 2000 (14 anos)
(como Rede CNT)
por José Carlos Martinez
Pertence a Organizações Martinez
Proprietário Família Martinez
Presidente Flávio Martinez
Cidade de origem Paraná Curitiba, PR
Sede Bandeira de Curitiba.svg Curitiba, PR
Rua Francisco Caron, 29 - Pilarzinho
Bandeira londrina.svg Londrina, PR
Rod. Celso Garcia Cid, Km. 380
Estúdios Bandeira de Curitiba.svg Curitiba, PR
Rua Francisco Caron, 29 - Pilarzinho
Bandeira londrina.svg Londrina, PR
Rod. Celso Garcia Cid, Km. 380
Bandeira da cidade de São Paulo.svg São Paulo, SP
Alameda Santos, 193 - Paraíso
Bandeira Americana.jpg Americana, SP
Rua Purus, 31 - Jd. São Roque
Bandeira da cidade do Rio de Janeiro.svg Rio de Janeiro, RJ
Rua General Padilha, 134 - São Cristóvão
Bandeira de Salvador.svg Salvador, BA
Rua Dr. José Peroba, 275 - Sala 401 - STIEP
Distrito Federal (Brasil) Brasília, DF
SCS Q 07 - Bloco A - Salas 1218 e 1220
Formato de vídeo 480i (SDTV)
1080i (HDTV 4:3)
Afiliações TV Universal
Polishop TV
Cobertura 19 estados brasileiros
Emissoras próprias Paraná CNT Curitiba (Curitiba)
Paraná CNT Londrina (Londrina)
Rio de Janeiro CNT Rio de Janeiro (Rio de Janeiro)
Bahia CNT Nordeste (Salvador)
São Paulo CNT São Paulo (São Paulo)
São Paulo CNT Americana (Americana)
Em Implantação:
Rio Grande do Sul CNT Caxias do Sul (Caxias do Sul)
Emissoras afiliadas Ver lista completa
Nome(s) anteriore(s) CNT Gazeta (1996-2000)
Rede CNT (1993-1995)
Rede OM Brasil (1992-1993)
Rede OM (1982-1992)
TV Tropical (1979-1982)
Disponibilidade aberta e gratuita
Analógico
Digital
Disponibilidade por satélite
Vivo TV
Canal 236
Oi TV
Canal 26
Canal 12 (Satélite SES-6)
Algar TV
Canal 711
Claro TV
Canal 15
GVT TV
Canal 245
SKY Brasil
Canal 176
Canal 372
Star One C2
4070 MHz (1080 MHz Banda L), Horizontal (Analógico)
Disponibilidade por cabo
NET
Canal 5 (Cascavel e Cianorte)
Canal 6 (Curitiba)
Canal 7 (Londrina)
Canal 8 (Itapetininga)
Canal 11 (Ponta Grossa)
Canal 12 (Americana)
Canal 14 (Botucatu e Salvador)
Canal 16 (Atibaia e Bragança Paulista)
Canal 22 (Campos dos Goytacazes, Mesquita, Niteroi, Rio de Janeiro e São Gonçalo)
Canal 186 (Araçatuba, Araraquara, Araras, Baixada Santista, Barueri, Brasília, Blumenau ,Campinas, Campo Grande, Capivari, Elias Fausto, Florianópolis, Goiânia, Guarulhos, Itu, Jaú, Limeira, Maceió, Manaus, Mogi Guaçu,Mogi Mirim, Mogi das Cruzes, Monte Mor, Osasco, Palhoça, Paulínia, Porto Alegre, Porto Feliz, Rafard, Rio Claro, Salto, Santa Bárbara d'Oeste, Santos, Santana do Parnaíba, São José do Rio Preto, São José, São Paulo, Sorocaba, Tietê e Valinhos)
TVN
Canal 18 (Canoas)
Canal 30 (São Luís)
Sim TV
Canal 3 (Juiz de Fora)
Canal 9 (Niterói)
Canal 18 (Salvador)
CaboNNet
Canal 9
MultiPlay Telecom
Canal 10
RCA
Canal 3 (Lauro de Freitas)
Canal 6 (Cornélio Procópio)
Canal 8 (Curitiba)
Canal 10 (Colombo
Canal 18 (Teresópolis)
Canal 23 (Trati)
Canal 53 (Paranavaí)
Canal 98 (Itaperuna, Francisco Beltrão e Toledo)
Multimidia TV
Canal 29
Life TV
Canal 57
Oi TV
Canal 9 (Rio de Janerio)
Ver TV
Canal 29
Disponibilidade digital
Rede CNT Ao Vivo
Assistir o sinal Ao Vivo

A Central Nacional de Televisão (mais conhecida por Rede CNT ou CNT) é uma rede de televisão brasileira, fundada em 15 de março de 1979 como TV Tropical. Passou a ser em 9 de março de 1992 uma rede nacional, denominando-se OM Brasil. A partir de 23 de maio de 1993 muda para a sigla CNT e desde 2000 passou a utilizar a assinatura "Rede CNT". Foi fundada e dirigida pelo empresário e político José Carlos Martinez até sua morte em 2003.

A cabeça de rede está localizada em Curitiba, no Paraná. A empresa conta com escritórios localizados nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Londrina, Americana, Salvador e Brasília. A empresa faz parte do grupo empresarial da família Martinez e é presidida pelo empresário paranaense Flávio de Castro Martinez. Parte da programação da CNT é baseada em programas com produções independentes.

História[editar | editar código-fonte]

Nasce a TV Tropical[editar | editar código-fonte]

A TV Tropical, fundada por José Carlos Martinez, iniciou suas transmissões em 15 de março de 1979, inicialmente afiliando-se à Rede Globo e meses após retransmitindo a programação da Rede Bandeirantes. Nos primeiros anos de operação a emissora alcançou os maiores índices de audiência na região, cobrindo a maior parte do norte e do noroeste do Paraná e algumas cidades do sul de São Paulo. Nesta época foi inserido na grade de programação o tradicional Jornal do Meio Dia, o mais antigo telejornal da emissora. Foi nesse mesmo ano que o programa Cadeia (mais tarde viria se chamar "Cadeia Nacional", em 1992), apresentado pelo mais polêmico repórter policial do Brasil, Luiz Carlos Alborghetti, que foi um dos grandes campeões de audiência que nesta época foi inserido na grade de programação. Marcado pela descontração e pelo jeito informal de transmitir as informações, o Jornal do Meio Dia, reúne assuntos tão diversos quanto cultura, variedades, noticiário factual, musicais, entrevistas ao vivo e comentários.

Rede OM[editar | editar código-fonte]

O primeiro passo foi para a formação da rede, foi investir na expansão da TV, visando a cobertura total do Estado de Paraná. Após intensa negociação, as Organizações Martinez adquiriram em abril de 1980, a TV Paraná, emissora tradicional de Curitiba que até então pertencia aos Diários Associados, como afiliada da Rede Tupi. Por suas condições geográficas, a emissora se tornou cabeça de rede.

Uma das marcas registradas da emissora são os debates políticos. Tudo começou em 1982, quando a emissora realizou um debate para o governo do estado do Paraná. Desde então, foram realizados importantes encontros entre os postulantes a diversos cargos, pelo Brasil afora, desde candidatos a prefeito quando à Presidência da República. José Carlos Martinez sempre ressaltou o orgulho que sentia ao promover debates através de sua emissora.

Em 1986 quando o Brasil já tinha quatro títulos mundiais de Fórmula 1, conquistados por Emerson Fittipaldi e Nelson Piquet, a emissora cria o programa Pole Position dedicado exclusivamente ao automobilismo. Outro importante programa esportivo foi o Telesporte. A Rede OM, retransmitia para o Paraná a programação da Rede Bandeirantes e consequentemente, havia uma grande tradição no esporte.

Compra da TV Corcovado[editar | editar código-fonte]

Em 28 de fevereiro de 1992 foi adquirida a TV Corcovado, canal 9 do Rio de Janeiro, então pertencente ao Grupo Silvio Santos e que desde o segundo semestre de 1990 estava arrendada à MTV Brasil. No mesmo ano, contrata como estrela maior o narrador Galvão Bueno. No entanto, ele ficou somente um ano na emissora, pois em 1993 ele retorna à Rede Globo.

Depois que a Rede OM transformou-se em CNT, a emissora do Rio mudou o nome para CNT Rio de Janeiro. Durante a anos 90, produziu diversos programas jornalísticos e esportivos. Seus últimos foram o Jornal do Meio Dia, apresentado por Domingos Trevisan, Programa Wagner Montes e o Mesa Redonda Rio, apresentado por José Carlos Araújo.

Parceria com a TV Gazeta[editar | editar código-fonte]

Em março de 1992, a Rede OM celebrou contrato de fornecimento de programação à TV Gazeta de São Paulo (de propriedade da Fundação Cásper Líbero). Estava assim construído alicerces para formação de uma rede nacional de televisão.

Rede OM Brasil de Televisão[editar | editar código-fonte]

1992[editar | editar código-fonte]

A programação gerada em Curitiba passou a ser retransmitida por dez emissoras no Paraná, Santa Catarina, Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília. Assim, a OM tornou-se a primeira cadeia de televisão de abrangência nacional com sede fora do eixo Rio-São Paulo em 9 de março de 1992.

A rede transmitiu com exclusividade a Copa Libertadores da América de 1992, com narração do recém-contratado Galvão Bueno (que assumiu a direção de esportes da emissora) e comentários de Roberto Avallone (apresentador e gerente de esporte da Gazeta), acrescentando qualidade nos jogos da Libertadores, o que chegou a levar a emissora ao primeiro lugar de audiência em certos momentos. A transmissão da final, entre São Paulo e Newell's Old Boys, ganha pelo time paulista, foi o maior pico de audiência da emissora, com mais de 50 pontos [carece de fontes?].

A Copa do Brasil de 1992 também foi transmitida com exclusividade pela emissora. Outro campeonato de futebol que a Rede OM exibiu em 1992 foi o Campeonato Paranaense.

Além disso, passou a fazer parte da grade da emissora Mesa Redonda, tradicional programa de debates esportivos das noites de domingos, gerado simultaneamente em Curitiba, Rio de Janeiro e São Paulo, antecedido pelo Show de Bola - apresentado por Galvão Bueno, com o balanço dos jogos do fim de semana.

Além do futebol, as sessões de filmes proporcionaram grandes índices de audiência à Rede OM Brasil. Em geral, de conteúdo erótico, como Alcova e Orquídea Selvagem, e até mesmo pornográfico, caso do polêmico Calígula, que em São Paulo foi exibido apenas parcialmente (a transmissão foi suspensa por uma liminar da Justiça).

Na área do jornalismo, a Rede OM apresentava o noticiário Fala Brasil e o policial Cadeia Nacional, com Luiz Carlos Alborghetti.

Pesca Brasil; Coçando o Sábado, com Leonor Corrêa; Ser... Tão Brasileiro, com Tamara Taxman e Blue Jeans, com Jimy Raw, preenchiam a linha de programas de variedades da emissora. Também as novelas hispânicas Manuela - estrelada por Grecia Colmenares - e O Magnata.

Central Nacional de Televisão[editar | editar código-fonte]

Década de 1990[editar | editar código-fonte]

1993[editar | editar código-fonte]

Em 1993, houve uma reformulação na emissora e o nome "Rede OM Brasil" deixa de ser utilizado, dando lugar à "Central Nacional de Televisão", com as iniciais da CNT.

A emissora, que desde sua transformação em rede nacional alcançava o terceiro lugar em audiência, detecta a necessidade de se alavancar economicamente.

A emissora lançou seu novo nome e sua nova marca em 23 de maio de 1993, com o programa Clodovil em Noite de Gala, ao vivo do Teatro Ópera de Arame no Parque das Pedreiras em Curitiba.

Em junho, o humorista João Kléber é contratado pela emissora para apresentar um programa de entrevistas.[1] Finalmente a 25 de outubro, estreou o Programa João Kleber com apresentador homônimo, exibido de segunda a sexta, na madrugada[2] .

Em novembro, a emissora contrata a jornalista Leila Richers, vinda da Rede Manchete, para apresentar o CNT Jornal direto da sede em Curitiba[3] .

Também nesse ano, a CNT passa a exibir o programa de entrevistas Deles e Delas e é exibida a novela Guadalupe, estrelada por Adela Noriega. No entanto, a novela não teve seu final exibido por um incêndio no estúdio de dublagem, que acabou por danificar as fitas.

1994[editar | editar código-fonte]

Em 1994, a CNT investiu pesado no esporte, adquirindo o direito de transmissão do campeonato mundial de Fórmula Indy (com destaque para as 500 Milhas de Indianápolis), e o Campeonato Paranaense de Futebol, o qual já havia transmitido nos 2 anos anteriores.

No começo do ano, a apresentadora Mariane é contratada para apresentar o infantil Tudo por Brinquedo, já que Sérgio Mallandro retornou ao SBT. Exibido no horário nobre, o programa infantil atingiu ótimos indices de audiência, contando com um acervo de grandes clássicos da Hanna-Barbera.

Em maio, Marcelo Tas chega a emissora ressuscitando o seu famoso personagem Ernesto Varela no programa Brasil Na Copa [4] . A emissora acompanhou todos os jogos da Seleção Brasileira na Copa do Mundo nos Estados Unidos, ganha pelo Brasil. Nessa mesma época, Valquíria Melnik estreia o Cine News, programa que dava dicas e mostrava o universo do cinema.

A emissora dedica um domingo inteiro para a cobertura das eleições de 1994 [5] . Já no fim do ano, Clodovil é demitido da CNT e seus programas são extintos [6] . João Marcelo Boscoli estreia o Cia. da Música na primeira semana de dezembro, substituindo Clodovil.

1995[editar | editar código-fonte]

Em 1995, a emissora transmite com exclusividade os Jogos Panamericanos de Mar del Plata.

A emissora é vendida para o empresário José Eduardo de Andrade Vieira, dono do banco Bamerindus, que viria a falir pouco tempo depois.[7]

Em 30 de março, estreia o programa de entrevistas Marília Gabi Gabriela, comandado pela jornalista Marília Gabriela contratada com um salário milionário, vinda da Rede Bandeirantes. A jornalista sairia da emissora no ano seguinte[8] .

Em homenagem aos 100 anos do cinema, a CNT inaugura sessões de cinema diárias, a partir das 20h. Dentre elas está Tela Mágica, Tensão Total, Cine Comédia, Terça Sem Perdão e Hollywood Cine. Nessa mesma época, Sula Miranda estreia o seu Sula Show e estreia com exclusividade a nova versão da série Agente 86, estrelada por Andy Dick.

Em primeiro de maio estreia o Jornal Brasil Já, substituindo o CNT Jornal ás 19h15 de segunda a sexta.

Luciano Huck estreia sua revista eletrônica chamada Circulando. A modelo Adriana Alcântara substitui Daniela Barbieri na apresentação do Walking Show [9] . Daniela saiu da atração após uma briga com a produtora de João Dória Jr. [10]

Em 30 de outubro, estreava outro sucesso: o interativo desenho animado dinamarquês do gnomo Hugo. Em duas edições diárias o telespectador se cadastrava e, ao ser contatado, comandava pelas teclas do telefone um jogo, concorrendo a vários prêmios. Ao jogador que não atingia a sua meta Hugo dizia "Não tem chororô, o seu jogo já acabou!". O programa foi retirado da grade em 2000 [11]

Em novembro, o diretor Atílio Riccó é contratado para estruturar o departamento de teledramaturgia da emissora, que exibiu minisséries católicas em 1995 [12] . Em 24 de novembro, a apresentadora Adriane Galisteu assina contrato com a emissora para comandar o Ponto G, aos sábados. O programa sairia do ar pouco depois.[13]

TV Aratu[editar | editar código-fonte]

Em junho, a emissora arrenda a TV Aratu mudando seu nome fantasia para CNT Aratu, ficando nessa emissora pelo prazo de dois anos (1995-1997), tendo cobertura na maior parte da Bahia. [14]

1996[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 1996, José Carlos Martinez reassume a emissora e atrasa os salários dos funcionários já em fevereiro, gerando protestos [15] . Em São Paulo, a emissora muda seu nome para CNT/Gazeta.

No projeto de requalificação, Leila Richers volta ao CNT Jornal, que agora conta com Mino Carta, Ancelmo Gois, Fátima Turci e Juca Kfouri. Juca também ganharia um talk show na emissora no mesmo ano, onde entrevistou personalidades como Ronald Golias, Ana Paula Arósio, Tim Maia e Tom Cavalcante.

Já no segundo semestre, depois de uma saída conturbada há dois anos, o apresentador e estilista Clodovil retorna a CNT para apresentar o programa Retratos [16] . Também nesse ano, Eli Corrêa traz seu programa de rádio para a televisão, mas a experiência não deu certo e o programa foi extinto rapidamente [17] .Ratinho subitamente faz sucesso e eleva a audiência da emissora [18] com o programa 190 Urgente, ganhando projeção nacional e estreia o programa infantil TV Fofão.

Na área de dramaturgia, a emissora produziu nesse ano o seriado Pista Dupla, as minisséries Irmã Catarina, Ele Vive e a novela Antônio dos Milagres. Nas noites de sexta-feira, a CNT exibia a sessão de filmes Sexta Brasil, apresentada por Deni Cavalcanti. A sessão exibida as famosas "pornochanchadas" da Boca do Lixo, produzidas nas décadas de 70 e 80.

1997[editar | editar código-fonte]
Parceria com Televisa em 1997

Neste ano, a CNT fecha com exclusividade um contrato com a Televisa, conglomerado mexicano parceiro do SBT desde 1981. A parceria prevê exibição de novelas, programas humoristicos como Chespirito e o noticiário internacional do canal Eco, um canal de notícias popular no México [19] . No dia 17 de fevereiro, para barrar a estreia de A Indomada na Globo, a emissora estreia cinco novelas no mesmo dia [20] .

Barros de Alencar estreia seu programa no mês seguinte [21] e estreiam os programas Estação Brasil com Rolando Boldrin e numa parceria com a Gazeta FM, estreia o programa Ligação, apresentado por Gutto Morenno. No entanto, o programa TV Fofão sai do ar e Patrícia de Sabrit não renova seu contrato, sendo seu último ano a frente do Walking Show [22] .

Ratinho ganha um programa de auditório e a estreia os programas El Show de Cristina e Lente Loco, exibidos em versão dublada. No CNT Jornal, Leila Richers abandona a bancada [23] . Aproveitando o sucesso de Thalia na época, reprisa-se a novela Meus Quinze Anos e o clássico Chispita.

No fim do ano, por causa da greve dos dubladores, os programas Cristina e Lente Loco são cancelados e a novela Canavial de Paixões passa a ser legendada [24] e o apresentador Ratinho se transfere para a Rede Record, motivado por promotores do Ministério Público e da Justiça Federal que pediam a extinção de seus programas [25] [26] [27] . A emissora encerra o ano levando ao ar o especial Nova Força, que conta com a participação especial de Maurício Mattar, Claudinho e Buchecha e Deborah Blando [28] .

1998[editar | editar código-fonte]

No inicio do ano, a TV Gazeta anuncia que não pretende manter a parceria com a CNT [29] .

No segundo semestre, o programa Noite de Gala retorna a grade da emissora, agora apresentado pelo cantor Agnaldo Rayol [30] . Em julho do mesmo ano, a proibição dos sorteios de 0900 [31] fez com que a emissora entrasse em crise.

Em junho, o programa 190 Urgente é cancelado. A vaga é ocupada provisoriamente pelo Mesa-Redonda, especial sobre a Copa do Mundo [32] .

Durante outubro, teve sinal cortado nas madrugadas pela recém-privatizada Embratel por dívidas em anos anteriores [33] .

O fracasso das negociações para uma venda conjunta da CNT e da TV Gazeta para o Grupo Macal (Telemar), de Antônio Dias Leite, davam tons de incerteza em ambas as emissoras [34] .

1999[editar | editar código-fonte]

Em 4 de janeiro de 1999, a CNT passa a transmitir sua programação em sinal digital através do satélite BrasilSat B3, já utilizado em fase de testes desde dezembro do ano anterior. Com o sinal digital, a emissora passou a ser transmitida pelos principais sistemas de TV por assinatura como SKY, DirecTV e Tecsat.

Considerado o melhor ano da emissora, tanto em audiência, quanto em faturamento [35] , é marcado pela volta de Luiz Carlos Alborghetti no comando do policialesco Cadeia e pelas chegadas de Ronnie Von com o seu programa feminino Mãe de Gravata, Drica Lopes com o Mundo Clipper e Marcelo Costa, que se transfere pra emissora após quinze anos na Record para apresentar o Família Sertaneja.

Sérgio Mallandro é o grande responsável por levar a CNT a liderança nessa mesma época, chegando a marcar picos de 17 pontos com suas pegadinhas [36] .

Sérgio Mallandro conseguiu boa audiência aos Sábados.

Em setembro, a CNT estreia o programa Puro Êxtase. Apresentado por Regina Poltergeist nas madrugadas, o programa de conteúdo erótico não foi exibido em São Paulo [37] .

Década de 2000[editar | editar código-fonte]

2000[editar | editar código-fonte]

A última investida da CNT em parceria com a Gazeta foi no programa Fui ao Vivo. O programa tinha a missão de revitalizar a audiência da emissora aos domingos e contava com a participação de diversos artistas, além da apresentação de Eri Johnson [38] . O programa, no entanto, durou pouco menos de um mês no ar por falta de verba [39] .

Fim da CNT/Gazeta[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2000, chega ao fim a parceria da CNT com a TV Gazeta, depois que a emissora paulista não renova afiliação com a CNT e inicia o projeto da Rede Gazeta [40] . Para tapar o buraco, a emissora coloca no ar novelas hispânicas e o Programa da Lili, durante as tardes [41] .

A Gazeta resolve dar seus próprios passos para ser rede nacional, abocanhando diversos dos apresentadores e fechando com a TV Itatiaia de Belo Horizonte, que passa a ser afiliada a nova rede. Mesmo perdendo o maior mercado publicitário e de audiência do país, a CNT mantém uma programação diária entre 14 e 24 horas [42] .

Tentando minimizar os estragos em São Paulo, a CNT ensaia uma volta através do canal 14, mas interferências no sinal da TV Diário de Mogi das Cruzes fez com que os testes fossem suspensos [43] .

Em novembro, o diretor artistico da emissora Deni Cavalcanti pede demissão, pouco depois de acertar as recontratações de Clodovil e Ferreira Netto. Dentre os motivos alegados, estão a má administração da empresa. [44]

2001 a 2006[editar | editar código-fonte]
Detalhe do microfone da emissora nos anos 2000.

Em 2001, a CNT volta a retransmitir sua programação para a capital de São Paulo em canal de UHF próprio, o canal 26 [45] . Nessa época, os apresentadores Ronnie Von e Clodovil (até então, as estrelas da casa) se transferem para a Rede Mulher e TV Gazeta, respectivamente [46] [47] .

No ano seguinte, a emissora transmite os desfiles do Grupo de Acesso do carnaval carioca, em parceria com Jorge Perlingeiro e a emissora consegue se destacar pelo programa infantil Bom É Ser Criança, com Aline Barros. No segundo semestre, morre o apresentador Ferreira Netto.

Em 2003, falece tragicamente em acidente aéreo seu fundador e então presidente José Carlos Martinez. Seu velório é transmitido 24 horas pela emissora, onde funcionários, amigos e familiares lhe transmitiram um último adeus [48] . O então Vice-Presidente de Operações, Flavio Martinez assume a presidência nacional da rede.

Em 2006, dois programas jornalísticos se destacam: o CNT Jornal, apresentado por Gilberto Campos e Marcelo Ribeiro, com participação dos repórteres Djalma Cordeiro, Renata Brumano e Marco Antônio Gonçalves e edição de José Renato Garcia; e Jogo do Poder, ancorado por Carlos Chagas, com participação de José Renato Garcia, Djalma Cordeiro e Marco Antônio Gonçalves e produzido por Deli Dias.

No mesmo ano, após a perda do direito de transmissão pela RPC TV (afiliada da Rede Globo no Paraná, a CNT acertou um contrato de último minuto com a Federação Paranaense de Futebol para a transmissão exclusiva em rede nacional do Campeonato Paranaense.

Ainda em 2006 a emissora exibe o Mundial Interclubes da FIFA e Andréa Veiga é contratada para apresentar o Gente como Você, programa feminino exibido nas tardes da emissora, permanecendo na emissora até abril de 2007.

2006 a 2007: Início e fim da parceria com a TV JB[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 2006, a CNT arrenda a CNT Rio de Janeiro à TV JB.

Em 17 de abril de 2007, a CNT passou a transmitir para todo país a programação produzida pela TV JB, resultado de uma parceria entre a CNT e a Companhia Brasileira de Multimídia (CBM), que controla o Jornal do Brasil, a Gazeta Mercantil e a revista Forbes Brasil.

No entanto, no dia 5 de setembro do mesmo ano, a parceria entre a CNT e a CBM foi desfeita. Durando apenas 5 meses, o motivo foi uma dívida de três meses de aluguel calculado em mais de 15 milhões de reais. A CBM tentou negociar essa dívida com a CNT, mas a família Martinez não aceitou nenhuma proposta [49]

2007 a 2008: Pós-TV JB[editar | editar código-fonte]

Com o fim da parceria, a CNT teve que apelar para reprises de programas antigos e infomerciais. Dentre eles, o seriado Pista Dupla e os programas Vida de Artista e Fusão. Aos poucos se restabelecendo com o programa Mallandro 220V, algumas sessões de filmes e a série Largo Winch.

Em julho de 2008, estreia o novo CNT Jornal com a apresentação de Salette Lemos [50] . No mesmo mês, estreou a versão televisiva do Transalouca (programa de rádio da Transamérica Pop), apresentada por Ruy Balla [51] . E é anunciada a volta da parceria com a Televisa, que prevê a exibição de séries como O Pantera, E agora, que faço?, S.O.S.: Sexo e outros Segredos e Mulheres assassinas e novelas, sendo a primeira delas Manancial em agosto do mesmo ano. [52]

Em setembro de 2008, retorna o programa Jogo do Poder, com apresentação de Domingos Trevisan.

2009[editar | editar código-fonte]

No ar desde 2002, os desfiles do carnaval carioca passam a ir ao ar de forma independente, em conjunto com a LESGA.

Em março, estreia o programa Notícias & Mais. Gerado diretamente dos novos estúdios da CNT em São Paulo, o programa contou com a apresentação de Adriana de Castro, Leão Lobo, Rony Curvello, Celso Russomano e Ana Paula de Oliveira.

No mês seguinte, a emissora reprisa Marimar, grande sucesso de audiência nas vezes que foi ao ar no SBT. [53]

Em setembro, anuncia-se com alarde a estreia de Amanhã é para Sempre e a reprise de A Outra, que também já foi ao ar no SBT em 2004. [54]

No dia 17 de novembro, a CNT Nordeste estreia sua geradora em Salvador.

Começa a exibir o especial Árvore de Natal da Bradesco Seguros, que vai ao ar todos os anos desde então.

Década de 2010[editar | editar código-fonte]

2010[editar | editar código-fonte]

A partir de 2010, a CNT estreou os programas Paixão e Acorrentada.

No mês de junho muda seu pacote gráfico, implantando novas chamadas e novo logotipo, deixando sua identidade visual mais moderna e atual e acrescenta a alcunha rede no nome.

2011[editar | editar código-fonte]

Em 2 de maio chegam ao fim as novelas Acorrentada e Alma Indomável.

Também em maio, novas atrações estreiam na grade de programação, entre elas, a novela Dona Bárbara e a série Bruce Lee: A Lenda.

Em outubro, a emissora começa a exibir a premiada série Lei & Ordem: Unidade de Vítimas Especiais de segunda a sexta, logo após o CNT Jornal.

Também no ano de 2011 estreou o programa Super Viajante, apresentado por Jackeline Petkovic.

No dia 11 de novembro, inicia a transmissão digital na cidade do Rio de Janeiro.

No final do ano, começam a surgir boatos de que a emissora será vendida ao grupo português Ongoing, dono dos jornais Brasil Econômico e O Dia.

2012[editar | editar código-fonte]

No dia 2 de janeiro, estreia Sexo Forte, Sexo Frágil, originalmente chamada El Sexo Débil, uma telenovela mexicana protagonizada por Itatí Cantoral, Raúl Méndez, Mauricio Ochmann, entre outros. A trama substitui Dona Bárbara.

No dia 9 de fevereiro, entrou no ar em sinal aberto na cidade de João Pessoa no canal 26 UHF.

Em 14 de março, a Rede CNT anuncia uma nova grade de programação a partir de abril. Além disso, promete exibir seus programas em HD (High Definition). Além do Rio de Janeiro (RJ), Americana (SP) e Curitiba (PR), onde já transmite com sinal digital, informa que o início da transmissão digital em São Paulo (SP) deve ocorrer em Maio, em Salvador (BA) no segundo semestre, que ainda não aconteceu.

Em 28 de maio, estreou o Jornal das 11.

Em 1 de junho, estreou o programa Leão Lobo Visita, onde o apresentador Leão Lobo visita pessoas famosas em suas residências. No dia seguinte, estreou o CNT Nostalgia, onde apresenta-se filmes clássicos.

Em julho, a apresentadora Jackeline Petkovic ganha novo programa, o Alfinetadas, exibido em horário nobre.

Em 1º de agosto, inicia a transmissão digital em São Paulo.

No final do ano, pela primeira vez desde 1993, a rede não tinha nenhuma afiliada.

2013[editar | editar código-fonte]

Em 17 de janeiro de 2013, a CNT ampliou sua cobertura no Mato Grosso, através da TV Brasil Oeste. A afiliação era inicialmente transitória.

No mesmo mês, estreia o programa Nordeste em Destaque, apresentado por Fátima Dantas e gerado pela CNT Bahia para toda a rede nacional.

No dia 5 de fevereiro, os principais sites veicularam que a Família Martinez vendeu a CNT para Valdemiro Santiago (líder da Igreja Mundial do Poder de Deus) por R$ 500 milhões. O valor impressionou pela atual conjuntura da emissora, que se encontra sucateada e desestruturada. [55] [56] Somente em março, em nota no próprio site da emissora que a emissora negou a venda [57] [58] .

Em abril, depois de negar os boatos de compra, demite cerca de 20 funcionários em todas as suas sucursais [59] .

Em outubro de 2013, a emissora do Rio abre o sinal para o satélite StarOne C2 [60] no lugar da anteriormente ocupada pela afiliada da Rede Globo, TV Diário.[carece de fontes?]

2014[editar | editar código-fonte]

Logo em janeiro, um funcionário em tom de denúncia, alegou uma péssimas condições de trabalho da emissora na coluna da jornalista Patrícia Kogut [61] .

Exibe a décima primeira temporada da série Lei & Ordem: Unidade de Vítimas Especiais.

Em março, o jornalista Carlos Chagas retorna a emissora depois de quase sete anos [62] . No final do mês, o jornal CNT News é extinto e o programa Notícias e Mais passa a ser exibido mais cedo, ás 13h30.

Em 6 de maio, entra o acordo entre a rede cnt e a Igreja Universal

No dia 9 de junho, é iniciada a retransmissão dos cultos da Igreja Universal da 0h até as 22h. Com apenas duas horas de programação diária, a rede é acusada de violar a lei ao arrendar 92% da grade para terceiros [63] e passa a ser investigada pelo Ministério Público.

Em agosto, a CNT extingue seu departamento de jornalismo no Rio de Janeiro [64] .

Em setembro, estreia o novo CNT Jornal que agora conta com novas vinhetas, cenário, exibição em HD e gerado diretamente de Brasília.

Em novembro, estreia o programa Arte que Faz, que substitui a edição de quarta-feira do Radar Television e do programa Nova Itália, que sai do ar.

Em dezembro a emissora passa a exibir o CNT news um boletim de notícias exibido nos intervalos comerciais exibindo notícias do Brasil e do mundo.

Em dezembro, a emissora causa polêmica ao exibir uma cena de sexo explicito entre dois homens no programa 190 [65] . No mesmo mês, o Ministério Público entra com uma ação contra a emissora, pedindo a anulação de outorga por infringir a legislação [66] [67] .

Programas[editar | editar código-fonte]

Entretenimento
  • Programa do Bottino
  • Radar Television
  • Samba de Primeira
  • Arte que Faz
  • Nordeste em Destaque
Esportes
  • Balanço Esportivo
  • Show de Pesca
Jornalismo
  • 190 (Em duas edições, uma local e a outra nacional)
  • CNT Jornal
  • Jogo do poder
  • CNT News(boletim de noticias)
Entrevista

Cobertura geográfica[editar | editar código-fonte]

Com cinco emissoras e 43 retransmissoras próprias e afiliadas, a Rede CNT assentou uma programação de abrangência nacional ao longo dos últimos anos, trabalhando a partir de cinco polos estratégicos: São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Brasília e Curitiba. Está em implantação a CNT de Caxias do Sul, que em breve aumentará a área de atuação da rede.

Atinge mais de 15 milhões de domicílios, o equivalente a 50 milhões de telespectadores. Já está instalando retransmissoras por todo o Brasil ampliando a cobertura da rede e priorizando a melhor qualidade na distribuição do sinal. A CNT pretende se aproximar ainda mais do seu público com investimentos que seguem padrões tecnológicos internacionais, confirmando a sua capacidade de gerir grandes realizações no ramo televisivo.

Por televisão paga[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. O comediante João Kleber é o mais novo contratado da Rede CNT - TV Pesquisa - No ar (em português). Visitado em outubro de 2013.
  2. TV Pesquisa - Bate-papo com humor (em português). Visitado em outubro de 2013.
  3. Leila Richers troca Rio por Curitiba (em português). Visitado em outubro de 2013.
  4. Varela ressuscita na CNT/Gazeta (domingo, 29 de maio de 1994).
  5. Bandeirantes e CNT/Gazeta colocam apenas eleições no ar.
  6. CNT/Gazeta acaba com programa de Clodovil.
  7. Andrade Vieira compra a Rede CNT (em português). Visitado em outubro de 2013.
  8. Marília Gabriela terá 'talk' show na CNT
  9. Atores trabalham de graça; Modelo apresenta "Walking Show"; Maiakóvski será vivido por Gontijo; Convite do SBT balança Talma; Maranhão vira Maria Antonieta; Borges fica fora de 'Pupilas'; Cultura lança títulos em VHS.
  10. 'Barrados' sem data de volta; Stanislaw pode virar seriado; Carlos Menem dá bolo em Xuxa; 'A Viagem' estréia em Portugal; Daniela cogita novo programa; Promoção da MTV com o rei; Atores da TVE vão à Justiça; Regina Duarte grava 'Incidente'.
  11. Hugo chega ao Brasil (em português). Visitado em outubro de 2013.
  12. CNT planeja exibir séries nacionais (em português). Visitado em outubro de 2013.
  13. Sábado, Adriane Galisteu inaugura 'Ponto G (em português). Visitado em outubro de 2013.
  14. CNT/Aratu - TV-Pesquisa.com (em português). Visitado em outubro de 2013.
  15. Saudades do Zé (em português). Visitado em outubro de 2013.
  16. Clodovil terá 2 programas.
  17. Eli Correa leva programa de rádio para a TV.
  18. 'Esqueceram de mim', diz Ratinho.
  19. Emissoras de TV mudam programações.
  20. CNT lança mexicanas.
  21. Barros de Alencar volta à CNT.
  22. Patrícia de Sabrit vira "Pérola", no SBT.
  23. Rede estréia nova linha de shows no final do mês.
  24. Greve dos dubladores já tira programas do ar.
  25. Ratinho se transfere para a Rede Record.
  26. Ratinho deve assinar hoje contrato com a Rede Record.
  27. MUNDO-CÃO MILIONÁRIO.
  28. CNT/Gazeta transmite ao vivo programa musical.
  29. Divórcio anunciado.
  30. Estréia.
  31. Juíza condena TVs a devolver verba de 0900.
  32. CNT tira programa "190 Urgente' do ar.
  33. A CNT ainda não acabou.
  34. CNT/Gazeta.
  35. CNT/Gazeta comemora crescimento.
  36. Mallandragens.
  37. Madrugada da CNT troca "poltergeist" por Regininha.
  38. Eri Johnson passa a 'conduzir' os domingos da CNT/Gazeta.
  39. Voltei!.
  40. CNT X Gazeta.
  41. Gazeta anuncia nova programação.
  42. Gazeta dá primeiro passo para virar rede nacional.
  43. CNT causou interferência na Globo de SP.
  44. Diretor da CNT pede demissão.
  45. Governo improvisa um canal para a CNT em SP.
  46. Rede Mulher lança hoje nova programação.
  47. Clodovil e Christina Rocha estrearam hoje no "Mulheres".
  48. Acidente aéreo mata Martinez.
  49. CNT suspende programação da TVJB por falta de pagamento e reassume o canal 9.
  50. Salette Lemos estréia novo jornal da Rede CNT.
  51. "Transalouca" estréia na CNT.
  52. Na Telinha - Novela Manancial estreia hoje na CNT.
  53. CNT vai reprisar 'Marimar', com Thalia.
  54. O folhetim 'Amanhã é para sempre' estreia em setembro na CNT.
  55. Keila Jimenez (5 de fevereiro de 2013, 3hs). Líder religioso negocia compra de duas redes de TV Outro Canal. Visitado em 07-02-2013.
  56. Lauro Jardim (5 de fevereiro de 2013, 16:58). Valdemiro compra CNT Radar Online. Visitado em 07-02-2013.
  57. Tiago Chagas (6 de Fevereiro de 2013). Por R$ 1,2 bilhão, apóstolo Valdemiro Santiago estaria negociando a compra da CNT e Rede 21, diz site Gospel +. Visitado em 07-02-2013.
  58. Apostolo da Igreja Mundial negocia compra de duas redes de TV Cenário MT (7 de Fevereiro de 2013, às 14:37). Visitado em 07-02-2013.
  59. CNT encerra jornalismo, mas nega venda a pastor.
  60. Após acordo com igreja, CNT expande sinal pelo Brasil.
  61. Profissional da CNT reclama de péssimas condições de trabalho.
  62. Após ser dispensado do SBT, Carlos Chagas assina com a CNT.
  63. CNT viola lei duas vezes ao arrendar até 92% da grade para Igreja Universal.
  64. CNT estingue departamento de jornalismo no Rio; entenda.
  65. Programa da CNT exibe cena de sexo de vereador com outro homem na Bahia.
  66. Justiça nega pedido para tirar do ar TV que vende horário para igreja.
  67. Igrejas injetam mais de R$ 1 bi na TV; ação judicial preocupa redes.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]