Santos Dumont (Minas Gerais)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Santos Dumont
"Princesinha da Mantiqueira"
"Terra do Pai da Aviação"
Vista do centro da cidade

Vista do centro da cidade
Bandeira de Santos Dumont
Brasão de Santos Dumont
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 27 de julho de 1889
Gentílico sandumonense
Lema Santos Dumont, a Cidade que Deu Asas ao Mundo
Padroeiro(a) São Miguel Arcanjo
CEP 36.240-000
Prefeito(a) Carlos Alberto Ramos de Faria (PP)
(2013–2016)
Localização
Localização de Santos Dumont
Localização de Santos Dumont em Minas Gerais
Santos Dumont está localizado em: Brasil
Santos Dumont
Localização de Santos Dumont no Brasil
21° 27' 25" S 43° 33' 10" O21° 27' 25" S 43° 33' 10" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Zona da Mata IBGE/2008[1]
Microrregião Juiz de Fora IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Juiz de Fora, Aracitaba, Oliveira Fortes, Bias Fortes, Antônio Carlos, Ewbank da Câmara, Piau, Tabuleiro
Distância até a capital 220 km
Características geográficas
Área 637,377 km² [2]
População 46 289 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 72,62 hab./km²
Altitude 839 m
Clima Tropical de Altitude
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,766 alto PNUD/2000[4]
PIB R$ 469 872,031 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 9 946,49 IBGE/2008[5]
Página oficial
Prefeitura http://www.santosdumont.mg.gov.br/
Casa de Alberto Santos Dumont na Fazenda de Cabangu, em Santos Dumont

Santos Dumont é um município da Mesorregião da Zona da Mata, no estado de Minas Gerais, no Brasil. Distante, aproximadamente 207 km de Belo Horizonte, a capital do estado; e 783 km de Brasília, capital brasileira. Seu nome é uma homenagem ao conterrâneo Alberto Santos Dumont, considerado o inventor do avião. Foi fundada por João Gomes, inicialmente com o nome de Arraial de João Gomes, que, mais tarde, elevando-se ao nível de cidade, recebeu o nome de Palmira. João era pai do inconfidente José Aires Gomes.[6]

A cidade possui o Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais - Campus Santos Dumont [7] e a Fundação Educacional São José, nas áreas de ensino técnico e superior.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 21º27'24" sul e a uma longitude 43º33'09" oeste, estando a uma altitude de 839 metros. Possui uma área de 639,164 km².[8]

Clima[editar | editar código-fonte]

A temperatura média anual é de 20ºC. O seu clima possui duas estações mais fortes:

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

A cidade é banhada pelos seguintes rios:

  • Rio Formoso: Passa pelo distrito de Conceição do Formoso
  • Rio Paraibuna: Passa pelo distrito de Dores do Paraibuna
  • Rio Pinho: Atravessa alguns bairros da cidade
  • Rio das Posses: Atravessa o Centro da cidade
  • Rio Piau: Passa pelo distrito de São João da Serra

O principal rio de Santos Dumont é o Rio Pinho, onde estão localizados:

  • Cachoeira Luiz Cunha: Fornece água para a COPASA, onde ela recebe tratamento de purificação e limpeza para depois ser distribuída à população.
  • Represa da Ponte Preta: Nela estão localizadas as usinas hidrelétricas de Ana Maria e Guari, que fornecem energia elétrica. [10]

Demografia[editar | editar código-fonte]

O município passa, desde a década de 1980, por um período de relativa estagnação demográfica, tendo acusado, entre os censos de 1996 e de 2000, um crescimento médio anual de apenas 0,32 por cento. Isto se explica, em parte, pelos fracos índices econômicos (o rendimento médio do trabalhador no município calculado pelo censo de 2000 foi de 450,56 reais, valor apenas maior que o de Campo Belo dentre os municípios de mesmo tamanho na metade meridional de Minas Gerais). Muitos acreditam que esteja havendo uma marginalização do município com relação à cidade de Juiz de Fora, o que explicaria a discrepância das rendas das duas cidades (o valor do índice de Juiz de Fora foi de 758,38 reais).

Dados do Censo (2000)

População Total: 46 789

  • Urbana: 40 402
  • Rural: 6 387
  • Homens: 22 820
  • Mulheres: 23 689

(Fonte: AMM)

Densidade demográfica (hab./km²): 72,7

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 24,1

Expectativa de vida (anos): 71,6

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,4

Taxa de Alfabetização: 88,1%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,766

  • IDH-M Renda: 0,671
  • IDH-M Longevidade: 0,776
  • IDH-M Educação: 0,850

(Fonte: PNUD/2000)

História[editar | editar código-fonte]

Com a descoberta de ouro pelos bandeirantes, no final do século XVII, criou-se um cinho que se iniciava em Parati-RJ, passando por Guaratinguetá e Taubaté-SP, e avançava a então província de Minas Gerais, conhecido como Caminho Novo. Com o aumento da exploração das minas de ouro e as dificuldades para se percorrer esse trajeto, se fez necessário encurtar as distâncias entre o Rio de Janeiro e o interior, o que facilitaria o transporte e conseqüentemente a fiscalização. Por volta de 1700-1701, o sertanista Garcia Rodrigues Paes, partiu do Rio de Janeiro para desbravar o território mineiro e abrir o Caminho Novo, que mais tarde passaria a ser chamado "Estrada Real da Corte", ligando a Corte à Província de Minas Gerais. Antigamente, a cidade chamava-se Palmyra, mas recebeu o nome de Santos Dumont porque o inventor Alberto Santos Dumont nasceu na Fazenda Cabangu, localizada a 16 quilômetros da então vila de João Gomes, o que deu muito prestígio ao município, na época. Por este fato, para homenageá-lo, mudou-se o nome.

Desenvolvimento industrial[editar | editar código-fonte]

Em 1888, antes mesmo de Palmyra ser reconhecida como município, foi instalada ali a primeira fábrica de laticínios da América do Sul. para fabricação de manteiga e de queijos tipo Petit Suisse e Holandês, chamado Reino por ser, em outros tempos, importado via Portugal. O proprietário era o médico Carlos Pereira de Sá Fortes, importador de gado Holandês na região. A sua fazenda da Mantiqueira, situada à margem da Estrada de Ferro Central do Brasil, tinha área 1.600 hectares e nela existiam 600 cabeças de gado. Ali funcionava uma moderna fábrica denominada Empresa Laticínios de Monte Bello, que produzia lambém leite condensado esterilizado. A maior parte da manteiga e do leite era exportada para o Rio de Janeiro. O Dr. Sá Fortes foi um dos primeiros industriais, no mundo, que exportou o leite em blocos congelados. A manteiga era acondicionada em latas feitas na própria fábrica e era extremamente apreciada no Rio de Janeiro.[11]

Os primeiros queijeiros holandeses que trabalharam na Companhia de Laticínios da Mantiqueira, erguida às margens do Rio Pinho, foram Frederich Kingma, J. Etienne, Gaspar Jong, além de Alberto Boecke, técnico holandês trazido pelo Dr. Sá Fortes para a montagem dos equipamentos. Alguns deles desenvolveram na região a indústria de laticínios e as marcas Palmyra, Borboleta e Avenida tornaram-se nacionalmente conhecidas, conquistando o mercado às manteigas francesas, até então importadas. Em 1913, a incorporação com a Companhia Brasileira de Laticínios, criada em 1907[12] , tornou-a a maior produtora e exportadora de leite, manteiga e queijos do mercado nacional.

Economia[editar | editar código-fonte]

Na agricultura, a cidade produz milho, morango, goiaba, nectarina, mandioca, feijão, havendo cultivo permanente da laranja, café, pêssego e banana.

Na indústria, Santos Dumont possui a Companhia Brasileira de Carbureto de Cálcio – CBCC, que produz ferro, silício e silício metálico, exportando para vários países. A cidade ainda possui um Distrito Industrial, com uma área de 40 mil m², onde concentra-se algumas empresas.[13]

Turismo[editar | editar código-fonte]

A cidade possui um turismo bastante rico. Pela região passa o Caminho Novo da Estrada Real, um convite à pratica do turismo ecológico. São 10Km de estrada até a divisa com o Município de Antônio Carlos. Durante o percurso pode-se observar bela paisagem natural, antigas fazendas e dois chafarizes da época de sua construção, além de algumas inscrições em pedras. Estes chafarizes serviam para a parada de tropeiros que vinham do interior de Minas Gerais levando ouro para o Rio de Janeiro na época do Brasil Colônia.

Além disso, na cidade destacam-se o Museu de Cabangu, casa natal de Alberto Santos Dumont, no distrito de Mantiqueira, a 16 km do Centro da cidade.

E a Represa da Ponte Preta, no bairro de Ponte Preta. É o atrativo turístico  que mais recebe visitantes, sobretudo nos dias quentes de verão, onde as pessoas vão para nadar, andar de barco, pescar, acampar, e passar o dia livre para lazer. De setembro à janeiro, a represa se encontra vazia,  porém ainda é possível atividades de lazer no local, como campings e eventos como “Off Road”.[14]

Imprensa[editar | editar código-fonte]

Na área da imprensa a cidade é servida, no jornalismo impresso: Jornal Mensagem, Jornal do Povo e Jornal Panorama.
No jornalismo online: Portal Cabangu, Possante Online, Vôo Indepente, Blog da Câmara Municipal de Santos Dumont, Blog Recados do Possante Online e os sites da Câmara Muncipal e Prefeitura de Santos Dumont.
A cidade também é servida por três estações de rádio: Rádio Cultura AM 1580, Rádio Mania FM 92,5 e Rádio Comunitária São Miguel FM 98,7. [15]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Santos Dumont (Minas Gerais)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
  6. Hotel Fazenda Alvorada - Histórico da Cidade. Acessado em 19 de Abril de 2009. (em português).
  7. http://www.santosdumont.ifsudestemg.edu.br/
  8. Dados gerais de Santos Dumont. Visitado em 30 de junho de 2014.
  9. Clima em Santos Dumont (MG). Visitado em 30 de junho de 2014.
  10. Dados gerais de Santos Dumont (MG). Visitado em 3 de julho de 2014.
  11. Luiza Carvalhaes de Albuquerque (Instituto Cândido Tostes) (16/09/2012). Carlos Pereira de Sá Fortes - Fundador da indústria de laticínios no Brasil. Ciência do Leite. Visitado em 03/10/2014.
  12. Impressões do Brazil no Seculo Vinte. London: Lloyd's Greater Britain Publishing Company, Ltd., 1913.
  13. Victor Machado (12 de abril de 2011). Depois de dez anos, Distrito Industrial de Santos Dumont pode receber licença de operação Acessa.com. Visitado em 12 de julho de 2014.
  14. Turismo em Santos Dumont.
  15. Prefeitura de Santos Dumont.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]