Ronnie Von

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ronnie Von
Ronnie Von.jpg
Ronnie Von em julho de 2007.
Informação geral
Nome completo Ronaldo Lindenberg Von Schilgen Cintra Nogueira
Também conhecido(a) como "O pequeno príncipe"
Nascimento 16 de julho de 1944 (70 anos)
Origem Niterói, RJ
País  Brasil
Gênero(s) Rock, pop
Instrumento(s) Vocal
Período em atividade 1963 - hoje
Outras ocupações apresentador de TV
economista
administrador
cantor
compositor
músico
escritor [1]
Gravadora(s) Polydor, RCA Victor
Afiliação(ões) Os Mutantes
Página oficial Site Oficial

Ronaldo Lindenberg Von Schilgen Cintra Nogueira,[2] [3] mais conhecido como Ronnie Von (Niterói, 17 de julho de 1944), é um cantor, piloto de avião, botânico, publicitário, sommelier e apresentador de televisão brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Começou sua carreira na época da Jovem Guarda (embora nunca tenha participado no programa apresentado por Roberto Carlos, Erasmo e Wanderléa)[4] , obtendo grande sucesso com as canções A praça (de autoria de Carlos Imperial) e Meu bem (uma versão em português do próprio Ronnie para a música Girl dos Beatles). Em 1966, apresentou na TV Record o programa "O Pequeno Mundo de Ronnie Von", no qual interpretava um personagem baseado no livro O pequeno príncipe, herói da literatura infantil. A partir daí ficou conhecido como "O pequeno príncipe", apelido que o acompanhou durante alguns anos, também como uma forma de comparação ao apelido de "Rei" dado a Roberto Carlos, já que a mídia na época tinha criado um clima de rivalidade entre os programas dos respectivos cantores.

"O Pequeno Mundo de Ronnie Von" ganhou um certo destaque na mídia, atraindo artistas diferentes daqueles dos quais o programa Jovem Guarda costumava receber, dentre eles os futuros tropicalistas: Caetano Veloso, Gilberto Gil e Os Mutantes. Estes últimos, após sua primeira apresentação, ainda conhecidos como "Os Bruxos", viraram atração permanente no programa, tendo em seguida mudado o nome do grupo para "Os Mutantes", pois nem Rita e os irmãos Baptista estavam satisfeitos com o nome. De acordo com Carlos Calado,[5] a ideia veio do diretor do programa, com um tom de brincadeira, já que Ronnie na época estava lendo "O império dos Mutantes" e não falava em outro assunto.

No final da década de 60, Ronnie gravou três discos que são verdadeiras relíquias na história da música brasileira. Abusando da psicodelia, muito influenciado por Beatles e antenado com o rock feito na época,[6] Ronnie Von grava um disco homônimo, o A Misteriosa Luta do Reino de Parassempre contra o império de Nuncamais e Máquina Voadora. Por contar com o desapontamento da gravadora, que na época acreditou que os discos não eram comerciais, fizeram pouco sucesso à época. Hoje, são comprados por pequenas fortunas por colecionadores.

Nos anos 70 voltaria a fazer sucesso na televisão. Além de apresentar um programa de auditório na TV Tupi, fez a novela Cinderela 77.

Ronnie Von foi casado durante 12 anos com Arethusa, com quem teve dois filhos. Em 1984 casou-se com a atriz Bia Seidl, de quem logo se separaria.[3] Desde 1987, Ronnie Von está casado com Cristina, a Kika, onze anos mais nova. A paixão de Kika pelo artista vem de longa data, pois já havia declarado seu amor por Ronnie quando tinha apenas 11 anos de idade.

Escreveu o livro Mãe de gravata, em que conta sua experiência de ficar com a guarda dos filhos após a separação. A propósito é pai de 3 filhos: Léo, Ronaldo e Alessandra.

Definindo-se como um metrossexual, nos últimos anos começou a apresentar programas dirigidos ao público feminino.

Desde 2004, Ronnie Von apresenta o programa Todo Seu, exibido diariamente nas noites da TV Gazeta, a partir das 22h15 na referida emissora. Seu programa registra audiência qualificada com médias em torno de 2 pontos, pico que bate na casa dos 3. O programa Todo Seu chega a bater de frente com a RedeTV (Superpop).[3]

Em março de 2007 foi lançado na internet um tributo independente dedicado à fase psicodélica da obra do cantor, Tudo de Novo - Tributo a Ronnie Von. A homenagem virtual contou com 30 bandas de todo o Brasil.

Discografia[editar | editar código-fonte]

LPs e CDs[editar | editar código-fonte]

  • 1966 - Ronnie Von - Meu Bem
  • 1967 - O Novo Ídolo
  • 1967 - Ronnie Von 2
  • 1967 - Ronnie Von 3
  • 1969 - Ronnie Von
  • 1969 - A Misteriosa Luta do Reino de Parassempre Contra o Império de Nunca Mais
  • 1970 - Máquina Voadora
  • 1972 - Ronnie Von
  • 1973 - Ronnie Von
  • 1973 - Ronnie Von 2
  • 1977 - Ronnie Von
  • 1977 - Deje mi Vida - em espanhol
  • 1978 - Ronnie Von
  • 1981 - Sinal dos Tempos
  • 1984 - Ronnie Von
  • 1987 - Vida e Volta
  • 1988 - Ronnie Von
  • 1996 - Estrada da Vida

EPs[editar | editar código-fonte]

  • 1966 - Meu Bem
  • 1967 - O Novo Ídolo
  • 1968 - Pra Chatear
  • 1969 - Ronnie Von
  • 1977 - Ronnie Von
  • 1977 - Ronnie Von

Compactos[editar | editar código-fonte]

  • 1966 - You Got To Hide Your Love Away / Meu Bem
  • 1967 - A Catedral / Menina Azul
  • 1967 - A Praça / Canção de Ninar Meu Bem
  • 1967 - Música Para Ver A Garota Passar / Jardim de Infância
  • 1967 - Uma Dúzia de Rosas / Belinha
  • 1968 - Ele Tem Você / O Susto
  • 1968 - Moto Perpétuo / Riso Flor
  • 1969 - Sílvia 20 Horas Domingo / Espelhos Quebrados
  • 1969 - Regina e o Mar / Comecei uma Brincadeira
  • 1969 - 120 Kilômetros por Hora / Lady Lady
  • 1969 - Regina e o Mar / Flash Gordon - em espanhol
  • 1970 - De Como Meu Herói Flash Gordon Irá Levar-me de Volta à Alpha de Centauro Meu Verdadeiro Lar / Onde Foi
  • 1970 - Baby de Tal / Viva o Chope Escuro
  • 1970 - Máquina Voadora / Enseada
  • 1970 - Seu Olhar no Meu / Cidade
  • 1971 - Minha Gente Amiga / Segundo Motivo
  • 1971 - Hei Amigo / É Preciso Aprender
  • 1972 - Tempo de Acordar / Aquela Mesma Canção
  • 1972 - Cavaleiro de Aruanda / Tereza Cristina
  • 1973 - Colher de Chá / Coisas que Acontecem
  • 1973 - Banda da Ilusão / Você se Foi - em espanhol
  • 1974 - Banda da Ilusão / Velho Sermão
  • 1974 - Certo e Errado / Deus Sul Americano
  • 1975 - Aria / Nem Tudo Está Perdido Agora
  • 1977 - Deje mi Vida / ??? - em espanhol
  • 1977 - Num Canto da Sala / Velhos Amigos
  • 1978 - Rosto Suado / Pra Ser Só Minha Mulher
  • 1978 - É Mais Fácil Sorrir do que Chorar / Soledad
  • 1983 - Cachoeira / Mi Amoroso Amor

Participações[editar | editar código-fonte]

  • 1966 - Os Novos Reis do Iê-Iê-Iê - coletânea
  • 1967 - Os Novos Reis do Iê-Iê-Iê Vol. III - coletânea
  • 1967 - 3° Festival da Música Popular Brasileira, Vol. 1 - coletânea
  • 1967 - 3° Festival da Música Popular Brasileira, Vol. 2 - coletânea
  • 1967 - Garôta de Ipanema - trilha sonora
  • 1967 - Os Novos Reis do Iê-Iê-Iê Vol. IV - coletânea
  • 1968 - Música Jovem - coletânea
  • 1984 - A Filha dos Trapalhoes - Filme de Renato Aragao
  • 1970 - A Próxima Atração - trilha sonora
  • 1971 - Sucessos de Ouro - coletânea
  • 1973 - Sucessos de Ouro - Vol. 3 - coletânea
  • 1973 - Phono 73 - Vol. 1 - coletânea
  • 1973 - 4 Sucessos de Ouro - Vol. 1 - coletânea
  • 1974 - 4 Sucessos de Ouro - Vol. 3 - coletânea
  • 1977 - Cinderela 77 - trilha sonora
  • 1995 - 30 Anos de Jovem Guarda - boxset
  • 1996 - Jovem Guarda ao Vivo - O Novo de Novo - coletânea
  • 2000 - Deus Abençõe as Crianças - coletânea

Referências

  1. "Biografia de Ocupações Ronnie Von" (em português).
  2. "Pequeno príncipe, sempre" - VEJA on-line
  3. a b c "Recordando" - Paraná Online
  4. Fabiano Alcântara (23 de Outubro de 2013). Redescoberto em vinil, Ronnie Von conta que teve LP vendido a US$ 4.800 UOL.
  5. Carlos Calado, em: A Divina Comédia dos Mutantes. São Paulo: Editora 34, 1995
  6. Mariana Shirai E André Sollitto (22/08/2010). A volta dos psicodélicos faz sentido? Revista Época.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]