Irving Berlin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Irving Berlin
Irving Berlin NYWTS.jpg
Irving Berlin em 1948 no St. James Theatre.
Informação geral
Nome completo Israel Isidore Beilin
Nascimento 11 de Maio de 1888
Origem Mogilev, Bielorrússia
País Rússia Rússia
Data de morte 22 de setembro de 1989 (101 anos) Nova Iorque, Nova Iorque
Gênero(s) Jazz, Musicais
Instrumento(s) Piano
Período em atividade 1907-1962
Outras ocupações Cancionista, Compositor, Letrista

Irving Berlin - (Sibéria, Rússia, 11 de maio de 1888Nova Iorque, Estados Unidos, 22 de Setembro de 1989) foi um compositor e letrista dos Estados Unidos no século XX. Um dos mais prolíficos compositores da história. Berlin foi um dos poucos compositores de Tin Pan Alley e Broadway a escrever suas letras e música para suas canções. Entretanto ele nunca aprendeu a ler música além de um nível rudimentar, com a ajuda de vários assistentes ou colaboradores musicais, ele compôs mais de 3,000 canções, muitas delas (e.g. "God Bless America", "White Christmas", "Anything You Can Do", "There's No Business Like Show Business") deixaram uma indelével marca na cultura e música mundial. Compôs 17 trilhas para filmes e vinte e uma para Broadway.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Infância e juventude[editar | editar código-fonte]

Nasceu como Israel Isidore Beilin[1] de uma família Judeu-Asquenaze em Mogilev, agora Bielorrússia (de acordo com outras fontes possivelmente em Tiumen, Rússia).[2] Sua família de mudou para os Estados Unidos em 1893. Seus pais eram Leah (Lena) Yarchin e Moses Beilin; seu pai era cantor que conseguiu esse emprego certificando carnes Cashrut.[3]

Após a morte de seu pai em 1896, Israel começa a trabalhar para sobreviver, tendo vários empregos de rua, como vender jornais ou artista de rua. A áspera realidade econômica de ter de trabalhar ou morrer de fome teve um permanente efeito no modo como tratava o dinheiro. Enquanto trabalhava como garçom no Café Pelham em Chinatown, Israel pediu ao dono do local para que escrevesse uma canção para o café, porque a taverna rival tinha a sua própria canção também. "Marie from Sunny Italy", com música por Nick Nicholson, o pianista do café, foi a música que logo foi apresentada. Embora ele tenha ganho apenas $37 centavos de dólar, recebeu uma nova carreira e um novo nome: Israel Beilin, que num erro de impressão ficou: "I. Berlin na composição."

Berlin primeiramente trabalhou unicamente como letrista, e somente começou a tentar compor música quando um equívoco aconteceu sobre sua letra de "Dorando". Ele tentou vender a letra da música para alguém que dissesse que já tinha uma melodia para juntar a ambos. Através de sua carreira Berlin confiava em assistentes musicais ou colaboradores. Cliff Hess trabalhou com Berlin desta maneira por aproximadamente 1912 a 1917 sendo sucedido por Arthur Johnston e depois Helmy Kresa. Nenhum destes músicos foram creditados como co-compositores.

Berlin era autodidata em piano e supostamente restringia-se principalmente às teclas pretas do piano. Consequentemente, ele comprou um piano especial com uma tonalidade abaixo no teclado, possibilitando-o a transpor sua música mecanicamente.[4] Certa vez ele explicou seu método de composição:

"Eu tenho uma ideia, um título ou uma frase ou melodia, e canto ela. Quando eu tenho uma canção completa, eu a memorizo e passo-a para o arranjador."

Muitas de suas primeiras canções, entre elas "Sadie Salome (Go Home)", "That Mesmerizing Mendelssohn Tune" e "Oh How That German Could Love", tiveram um sucesso modesto em forma escrita, como gravação no espetáculo de vauldeville. Mas foi com "Alexander's Ragtime Band" em 1911, com a ajuda de Alfred Doyle, que lançou sua carreira como uma das estrelas de Tin Pan Alley. Richard Corliss, na Time em um perfil sobre Berlin em 2001, escreveu:

"Alexander's Ragtime Band" (1911). Foi uma marcha, não uma rag. Sua astuta musicalidade conseguiu ainda abranger toques de cornetas citando ainda a música "Swanee River". Mas a melodia, que reviveu o fervor da ragtime desenvolvida por Scott Joplin uma década antes, fez de Berlin um cancionista notável. Em seu primeiro lançamento, quatro versões da música figuraram em #1, #2, #3 e #4 nas paradas. Bessie Smith, em 1927, e Louis Armstrong, em 1937 fizeram ela uma das top 20 com suas interpretações. Em 1938 a música foi #1 novamente, em um dueto com Bing Crosby e Connee Boswell; outro dueto de Crosby, desta vez com Al Jolson, foi top 20 em 1947. Johnny Mercer apresentou uma versão em 1945, e Nellie Lutcher colocou em #13 uma versão R&B em 1948. Ainda Ray Charles com sua brilhante big band em 1959. "Alexander" teve várias versões em menos de meio século.[5]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Famous Ellis Island passenger arrivals
  2. Bloom, Nate (19-12-2006). The Jews Who Wrote Christmas Songs InterfaithFamily. Visitado em 2006-12-19.
  3. New York Daily News archive
  4. Wodehouse, P. G., Bring on the Girls, page 132 as reprinted in The Theatre Omnibus, (1994), Hutchinson, London
  5. "That Old Christmas Feeling: Irving America." Richard Corliss remembers Irving Berlin, whose career was more than "White Christmas" and "God Bless America" TIME Magazine. December 24, 2001
Ícone de esboço Este artigo sobre um compositor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.