Selena

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Selena
Informação geral
Nome completo Selena Quintanilla-Pérez
Também conhecido(a) como Sel, Reina Del Tex Mex, Rainha da Cumbia
Nascimento 16 de abril de 1971
Local de nascimento Lake Jackson, Texas
 Estados Unidos
Data de morte 31 de março de 1995 (23 anos)
Local de morte Corpus Christi, Texas, Estados Unidos da América
Gênero(s) Pop latino, ranchera, R&B, pop
Ocupação(ões) Cantora, compositora, produtora musical, atriz, dançarina, modelo, designer
Instrumento(s) Vocal
Extensão vocal Mezzo-Soprano
Período em atividade 1982–1995
Gravadora(s) Freddie Records, Cara Records, GP Productions, EMI Latin, Q-Productions, SBK Records
Afiliação(ões) Selena y Los Dinos, Abraham Quintanilla III, Suzette Quintanilla, Chris Pérez
Página oficial www.q-productions.com
Selena Quintanilla Logo.png

Selena Quintanilla-Pérez (Lake Jackson, 16 de abril de 1971Corpus Christi, 31 de março de 1995)[1] conhecida simplesmente como Selena, foi uma cantora mexico-norte-americana considerada a Rainha da música tejana e vista como uma das mais importantes cantoras da música latina, com vendas de 60 milhões de álbuns em todo o mundo, ficando atrás somente de Shakira e Gloria Estefan.

Filha mais nova de um casal mexicano-americano, Selena lançou seu primeiro álbum com a idade de doze anos, Selena Y Los Dinos em 1984. Ela ganhou o prêmio Vocalista "Feminina do Ano" em 1987 Tejano Music Awards e ganhou um contrato com a gravadora EMI, alguns anos depois. Sua fama cresceu ao longo da década de 1990, especialmente nos países de língua espanhola. Foi nomeada pela Billboard a "Melhor artista latina dos anos 90" e a "melhor artista da música latina na década".

Casada com o guitarrista Cris Perez, foi assassinada em 1995 por Yolanda Saldívar, presidente de seu fã-clube. Sua vida foi transformada em um filme, Selena, estrelado por Jennifer Lopez em 1997, no qual a cantora ficou internacionalmente conhecida.

Em 1998 foi inaugurado um museu em homenagem á cantora onde são visitadas por milhares de fãs toda semana.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Em seus anos de jovem, o pai de Selena tinha uma banda chamada Los Dinos. Quando tinha 8 anos, o pai de Selena comprou uma bateria, um microfone de uma guitarra e formou a banda Selena y Los Dinos com A.B (Abraham Quintanilla II, irmão mais velho de Selena) na guitarra e Suzette na bateria. Eles começaram a tocar no recém inaugurado restaurante da família chamado Papagayo´s.

No governo de Ronald Reagan, o restaurante foi fechado e a família mudou-se para a casa do irmão de Abraham em Corpus Christi, no Texas. A família passou a tirar seu sustento de pequenos shows que Selena y Los Dinos faziam em parques de diversões e bares da cidade. Alguns anos depois, Selena começou a cantar profissionalmente após seu nome ser bastante comentado na cidade e lançou seu primeiro CD em 1984 intitulado "Mis Primeras Grabaciones" (lançado posteriormente sob o selo da EMI).

Decolagem na Carreira[editar | editar código-fonte]

Quando começou a cair na estrada em turnê pelo Texas, Selena decidiu sair da escola e terminou o colegial pela American School of Correspondence de Chicago e depois foi aceita pela Universidade de Louisiana, mas nunca entrou.

Em 1986 lançou seu segundo álbum "Alpha" e conheceu Rick Trevi, o fundador do prêmio Tejano Music Award, o Grammy da música Tejana e Johnny Canales, um apresentador muito famoso do Texas.

No Tejano Music Awards de 1987 ganhou como Vocalista Feminina do Ano (premiação que ganhou durante os próximos 10 anos do festival). Em 1988 lança mais dois álbuns "Preciosa" e "Dulce Amor". Em 1989 conheceu Jose Behar, um executivo da SBK CAPITOL/EMI,que viu nela a próxima Gloria Estefan. José sempre viu em Selena um mescla de Gloria, Whitney Houston e Mariah Carey.

Em 1989 assinou o contrato com a gravadora e lançou "Selena". Nesse mesmo ano assinou um contrato milionário com a Coca-Cola e virou garota propaganda da marca, gravando comerciais e lançando pôsteres, até sua morte.

Depois de dez anos e centenas de shows, Selena tornou-se uma artista completa e amada pelo público. Em 1989 Selena começou a fazer muitos concertos pelo país. Na mesma época o guitarrista Chistopher Perez (Chris Perez) entrou para o grupo e posteriormente começou uma relação amorosa com Selena que inicialmente não era aceita por Abraham Quintanilla, o pai da cantora, acreditando que Chris só estava interessado no dinheiro de Selena. Selena e Chris se casaram secretamente no dia 2 de abril de 1992. Depois de saber da notícia, Abraham aceitou o relacionamento da filha com Chris Perez, sendo que mesmo com a morte de Selena, Chris e Abraham permanecem amigos.

Começou a ser reconhecida pela mídia americo-mexicano em 1990. A partir daí, uma série de shows lotaria a agenda da cantora. Yolanda Saldívar, uma enfermeira de 34 anos, conheceu Selena em pequenos shows do final da década de 80. Ela visitava o camarim de Selena após os shows e insistia para que a deixassem trabalhar para Selena, até que um dia Abraham Quintanilla aceitou que ela fizesse parte da equipe, assim, Yolanda fundou o "Selena's Fan Clube" que contava com mais de cinco mil membros. Yolanda e Selena tornaram-se grandes amigas, pois Yolanda estava com ela a todo momento, acompanhando Selena em Shows, festas com celebridades, Selena então ofereceu um trabalho renumerado á Yolanda. Pouco tempo depois, Selena abriu uma boutique chamada "Selena Etc", a quem confiou inteiramente à Yolanda que tornou-se seu braço direito e passou a administrar suas lojas. Yolanda ganhava cada vez mais espaço na vida de Selena, de forma que para tudo o que fizesse, Selena pedia a opinião dela.

1994 foi um grande ano para Selena, pois havia lançado seu quinto álbum de estúdio, o exitoso "Amor Prohibido", que a colocou no topo das paradas latinas, e preparava uma turnê para a divulgação do mesmo. Além disso, Selena foi indicada ao Grammy daquele ano por "Selena Live!" um álbum ao vivo lançado um ano antes, na categoria "Melhor álbum Mexicano-Americano", na qual venceu. Selena estava no auge de sua carreira, feliz, casada e realizada como profissional. Tudo não podia estar indo melhor. No restante do ano de 1994, Selena se dividia entre as gravações seu primeiro álbum em Inglês e seu sexto álbum de estúdio, "Dreaming Of You" com lançamento previsto para dali alguns meses, e a série de shows pelo país que só aumentavam. Dreaming of you seria seu álbum de estréia no mercado americano. No final do ano de 1994, Selena ensaiava para seu show televisionado que divulgaria o disco "Amor Prohibido". O show aconteceu em 26 de Fevereiro de 1995 e levou 60.000 pessoas ao estádio Astrodome, em Houston, Texas.

Em 1º de Março de 1995, Selena compareceu à 37ª edição do Grammy, seu álbum "Amor Prohibido", havia sido indicado ao Grammy, mas não venceu na categoria indicada.

Assassinato[editar | editar código-fonte]

Em 1995, o pai de Selena descobriu que Yolanda Saldívar, na época administradora do fã clube e das lojas da cantora, estava desviando dinheiro da família. No dia 9 de março de 1995, Selena e seu pai decidiram confrontar á Yolanda, mostrando todas as provas que tinham de que ela os estava roubando.Yolanda negava os fatos, mas para a família de Selena ela era culpada, pois eles tinham provas suficientes que comprovavam isso. Assim, a presidente do "Selena's Fan Clube" foi demitida.

Selena aceitou encontrar-se com Yolanda no hotel Days Inn em Corpus Christi, Texas no dia 30 de março de 1995. Não querendo abrir mão dos privilégios que tinha e inconformada com a demissão, Yolanda disse à Selena que nada daquilo era verdade e entregou á ela somente uma parte dos papéis da boutique, tentando provar á Selena que ela ainda era uma amiga fiel e justa. Yolanda queria ganhar tempo para planejar algo muito maior em seguida, por isso, não entregou todos os registros financeiros das boutiques e do fã clube à Selena. Ao perceber isto, Selena telefonou para Yolanda para marcar um novo encontro que aconteceria no dia seguinte, 31 de Março no mesmo local. Yolanda, se negando à entregar os documentos e tentando ganhar tempo, disse que tinha sido estuprada em uma viagem ao México. Selena, preocupada, levou Saldívar até um hospital local onde médicos não encontraram evidências de estupro. As duas retornaram ao hotel e Selena exigiu explicações e que Yolanda entregasse os documentos imediatamente. Uma discussão se iniciou e rapidamente, Yolanda tirou uma arma da bolsa. A princípio ela apontou a arma para sua própria cabeça alegando que iria se suicidar e depois para Selena. Selena virou-se para fugir e foi atingida nas costas por um tiro. A bala perfurou o ombro direito inferior e cortou uma artéria ligada ao coração, o que levou a uma perda maciça de sangue. Ferida, a cantora correu 100 metros até à recepção do hotel enquanto Yolanda corria atrás dela com arma em punho.

No entanto, antes de cair no chão devido ao ferimento do tiro, Selena disse à recepcionista que Yolanda tinha atirado nela e disse também em qual quarto a discussão havia ocorrido. Selena foi imediatamente levada a um hospital, onde faleceu às 13:05 de hemorragia e parada cardiorrespiratória com apenas 23 anos de idade. Enquanto isso, Yolanda tentou fugir do hotel, mas foi cercada por policiais. Totalmente transtornada, se trancou em sua caminhonete, colocou a arma sobre a cabeça e ameaçou se matar. Após quase 10 horas de negociação, Yolanda se entregou, sendo considerada a partir daquele momento, a principal suspeita do crime.

Selena Quintanilla-Perez's grave.jpg

Em outubro de 1995, um júri em Houston, Texas condenou Yolanda à prisão perpétua por assassinato em primeiro grau com a possibilidade de cumprir o restante da pena em regime aberto após 30 anos.

19 anos após sua morte Selena permanece sendo a Rainha do Tex Mex, por seu talento e herança musical. Em 2010 ela foi homenageada com o lançamento de um box com suas grandes canções, assim como em 2012 com o lançamento do álbum "Enamorada de Ti", um álbum de remixes de suas melhores canções.[2]

Impacto[editar | editar código-fonte]

A morte de Selena causou um grande impacto nos Estados Unidos. Redes de televisão pararam completamente suas programações para noticiarem sobre a morte da cantora. Rádios tocavam suas músicas sem parar. A morte foi capa do The New York Times por dois dias seguidos. Artistas como Madonna, Julio Iglesias, Thalia e Gloria Estefan manifestaram na imprensa suas condolências à família de Selena. Numerosos memoriais e vigílias foram realizadas em memória da cantora. Cerca de 60.000 fãs compareceram ao funeral e enterro de Selena, que está sepultada no Seaside Memorial Park, em Corpus Christi.

14 dias após a morte de Selena, George W. Bush, governador do Texas na época do assassinato, instituiu o dia 16 de abril (dia do nascimento de Selena) como o “Dia da Selena“ no Texas, sendo que este dia permanece até hoje como sendo o "Dia da Selena".

A cantora foi homenageada em 2000, cinco anos após sua morte, com um musical, intitulado "Selena Forever - A Musical Celebration Life", estrelado por Veronica Vazquez, e em 2005, 10 anos após sua morte, com o concerto "Selena Vive", um show em celebração à vida da cantora, que contou com a participação de diversos cantores latinos interpretando suas canções, como: Thalia (Amor Prohibido),

Gloria Estefan (I Could Fall In Love), Alicia Villareal (Si Una Vez), Kumbia Kings (Baila Esta Cumbia), Soraya e Barrio Boyzz (Dreaming Of You), e muitos outros.

O Caso Selena atraiu grande atenção da mídia e da opinião pública que clamavam por justiça. A história de seu assassinato foi mostrada no programa "Crimes de Cinema", apresentado por Erin Brokovich.

[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Selena biography. Biography. Página visitada em 23 de janeiro de 2012.
  2. Lanzarán material con éxitos de Selena. El Nuevo Diario (28 janeiro de 2010).