Gil Scott-Heron

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gil Scott-Heron
Gil Scott-Heron em 2009.
Informação geral
Nome completo Gilbert Scott-Heron
Nascimento 1 de abril de 1949
Local de nascimento Chicago, Illinois
Estados Unidos
Data de morte 27 de maio de 2011 (62 anos)
Local de morte Nova Iorque, Nova Iorque
Gênero(s) Soul, spoken word soul, proto-rap, fusion, jazz poético
Instrumento(s) Vocais, piano elétrico, guitarra
Outras ocupações poeta, cantor, compositor, autor
Gravadora(s) RCA, Flying Dutchman, Strata East, Arista, TVT Records
Afiliação(ões) Brian Jackson, Jamie xx, Ron Holloway, Músicos Unidos para a Segurança da Energia, Black and Blues
Página oficial http://gilscottheron.free.fr

Gil Scott-Heron (Chicago, 1 de abril de 1949Nova York, 27 de maio de 2011[1] ) foi um músico e poeta, conhecido no final da década de 1960 e princípio dos anos 1970 por suas atuações de poesia cantada e falada misturando ritmos como Jazz, Funk, Soul e ritmos latinos, relacionadas com os ativistas militantes afro-americanos. Heron é famoso pelo seu poema/canção "The Revolution Will Not Be Televised", em português, "A revolução não será televisionada"[2] .

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Chicago, Illinois, mas passou sua infância no Tennessee e mais tarde mudou-se para o Bronx, onde cursou seus estudos secundários. Estudou por um ano na Lincoln University (na Pennsylvania), publicou sua primeira novela, The Vulture, que foi bem recebida[2] .

Aos 13, foi viver com a mãe em Nova York, no bairro negro do Bronx. Na escola particular, estudou a produção literária dos autores brancos. E nas ruas e bibliotecas públicas, seguiu os passos dos expoentes do chamado Harlem Renaissance (período de grande efervescência da literatura afro-americana, no entre-guerras)[2] .

Aos 21 anos, Scott-Heron sabia que os paradigmas da comunidade negra dos anos 60 "viveram rápido e morreram jovens", para usar um slogan da época.

Começou sua carreira musical em 1970 com o LP Small Talk at 125th and Lenox. O álbum incluía canções agressivas contra os meios de comunicação corporativos manejados por brancos, a superficialidade da televisão e o consumismo, e a ignorância da classe média dos Estados Unidos sobre os problemas sociais na época[2] .

Em 2001, após um grande hiato pontuado por queixas de agressão pela ex-mulher e excessos variados, Scott-Heron voltou a se apresentar ao vivo. Recentemente Scott-Heron lançou o disco inédito I'm New Here, de 2010, pela XL Recordings, o álbum recebeu boas criticas[3] , e foi pontuado com 8.3 pela Pitchfork[4] .

Scott-Heron é visto como um dos fundadores do rap.

No dia 27 de maio de 2011, Gill Soctt-Heron faleceu, aos sessenta e dois anos de idade, em Nova York, após retornar de uma turnê. Faleceu com pneumonia, relacionada a AIDS, tendo descoberto o virus do HIV anos atrás.[5]

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • Small Talk at 125th & Lenox Ave (1970; Flying Dutchman Records)
  • Pieces of a man (1971; Flying Dutchman Records)
  • Free Will (1972; Flying Dutchman Records)
  • Winter in America (1974; Strata-East Records)
  • The Revolution will not be Televised (1974; Flying Dutchman Records)
  • The first minute of a new day - The Midnight Band (1975; Arista Records)
  • From South Africa to South Carolina (1975; Arista Records)
  • It's your world (1976; Arista Records), Live
  • Bridges (1977; Arista Records)
  • Secrets (1978; Arista Records)
  • The mind of Gil Scott-Heron (1979; Arista Records)
  • 1980 (1980; Arista Records)
  • Real eyes (1980; Arista Records)
  • Reflections (1981; Arista Records)
  • Moving target (1982; Arista Records)
  • The best of Gil Scott-Heron (1984; Arista Records)
  • Tales of Gil Scott-Heron and his Amnesia Express (1990; Arista Records)
  • Glory - the Gil Scott-Heron collection (1990; Arista Records)
  • Minister of Information (1994; Peak Top Records)
  • Spirits (1994; TVT Records)
  • The Gil Scott-Heron collection sampler: 1974-1975 (1998; TVT Records)
  • Ghetto Style (1998; Camden Records)
  • Evolution and Flashback: The Very Best of Gil Scott-Heron (1999; RCA)
  • I'm New Here (2010; XL Recordings)

Livros[editar | editar código-fonte]

  • Small Talk at 125th and Lenox: a Collection of Black Poems. World Publishing Co., New York 1970
  • Abutre Conrad Editora, São Paulo 2003, ISBN 8587193600
  • The Nigger Factory. Dial Press, New York 1972, ISBN 0862415276
  • So Far, So Good. Third World Press, Chicago 1990, ISBN 0883781336
  • Now and Then: The Poems of Gil Scott-Heron. Canongate Publishing Ltd., Edinburgh 2001, ISBN 086241900X

Filmes sobre Heron[editar | editar código-fonte]

  • Black Wax, 1982 Washington D.C.
  • Gil Scott-Heron and his Amnesia Express - Tales of Gil (1991)
  • Freedom Beat, The Video Image Entertainment (1988)
  • No Nukes, CBS/Fox Video (1979)
  • Jazz Shorts, Rhapsody Films, Inc.

Referências

  1. "Gil Scott-Heron, Spoken-Word Musician, Dies at 62", 28 maio 2011. Página visitada em 28 maio 2011.
  2. a b c d Gil Scott-Heron (em inglês) no Allmusic
  3. Vítor Belanciano (4 de fevereiro de 2010). Gil Scott-Heron nunca esteve tão vivo. Página visitada em 11 de fevereiro de 2010.
  4. Nate Patrin (10 de fevereiro de 2010). Pitchfork: Album Reviews: Gil Scott-Heron: I'm New Here. Página visitada em 11 de fevereiro de 2010.
  5. Morre aos 62 anos o cantor e poeta Gil Scott-Heron

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Oficiais[editar | editar código-fonte]

Não-oficiais[editar | editar código-fonte]

Informações[editar | editar código-fonte]