Bainha de mielina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A bainha de mielina se encontra envolvendo o axônio do neurônio.

Estrutura de um neurónio típico
Bainha de mielina

A Nos axônios de maior diâmetro, a célula envoltória forma dobras múltiplas e em espiral em torno do axônio. Ao conjunto dessas dobras múltiplas denomina-se bainha de mielina e as fibras são chamadas de fibras nervosas mielínicas.Sua função é acelerar a velocidade da condução do impulso nervoso.

A bainha de mielina não é contínua, pois ela apresenta intervalos reguladores, formando os nódulos de Ranvier.A bainha de mielina está presente somente nos vertebrados. A sinapse é dada pelo final do axônio de um neurônio, ao dendrito ou corpo celular de outro neurônio e a sua composição é 70% lipídios e 30% proteínas.

A perda da mielina provoca uma grande variedade de sintomas. Se a bainha de mielina que envolve a fibra nervosa for lesada ou destruída, os impulsos nervosos se tornam cada vez mais lentos ou não são transmitidos. O impulso então é transmitido ao longo de toda a extensão da fibra nervosa, o que toma um tempo bastante maior do que se ele pulasse de um nódulo para outro. A perda da bainha também pode provocar curtos-circuitos ou bloqueios da transmissão dos impulsos nervosos. Uma região que mostra claramente a mielina destruída é chamada lesão ou placa. Os sintomas de tal deficiência são, entre outros: deficiências sensitivas (como visão borrada), dificuldades de coordenação, problemas de marcha e dificuldades nas funções corpóreas (por exemplo, controle insuficiente da bexiga).[1] A esclerose múltipla é uma doença causada pela perda da bainha de mielina (desmielinização) dos neurônios.

Referências

  1. FAQ - Deficiência De Riboflavina. Look for Diagnosis.
Ícone de esboço Este artigo sobre Biologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.