Aracnoide

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A medula espinhal e suas membranas.

A aracnoide é uma fina membrana que separa a dura-máter e a pia-máter. Juntas, formam as meninges, membranas que cobrem os órgãos do sistema nervoso central: encéfalo e medula espinhal. A aracnóide encontra-se justaposta à dura máter, da qual separa-se pelo espaço subdural, e sobreposta à pia-máter, da qual separa-se pelo espaço subaracnóideo. O espaço subdural é preenchido por líquido lubrificante, enquanto o espaço subaracnóideo é preenchido por líquido cefalorraquidiano.[1]

Esta membrana lembra uma fina teia de aranha revestindo o cérebro; formada de tecido conjuntivo avascularizada. Contém uma parte membranosa e outra em rede. Possui um espaço subaracnóideo preenchido por líquido cefalorraquidiano.

Granulações aracnóides[editar | editar código-fonte]

A aracnóide forma pequenos tufos que penetram os seios venosos da dura-máter. Nessas granulações, o líquido cefalorraquidiano proveniente do espaço subaracnóideo fica separado do sangue por camadas muito delgadas, o que permite sua absorção pelos seios da dura-máter. [1]

Imagens[editar | editar código-fonte]

  1. a b Machado, Angelo. Neuroanatomia Funcional. 2a Ediçao ed. [S.l.: s.n.].

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Anatomia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.