Itatiba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Itatiba
"Princesa da colina"
Itatiba.JPG

Bandeira de Itatiba
Brasão de Itatiba
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 1 de novembro de 1857
Gentílico itatibense
Lema VIS LABOR LIBERTAS
(traduzido do latim, significa: "Força, Trabalho e Liberdade"[1] )
Prefeito(a) João Gualberto Fattori (PSDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Itatiba
Localização de Itatiba em São Paulo
Itatiba está localizado em: Brasil
Itatiba
Localização de Itatiba no Brasil
23° 00' " S 46° 50' 20" O23° 00' " S 46° 50' 20" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Macro Metropolitana Paulista IBGE/2008[2]
Microrregião Jundiaí IBGE/2008[2]
Região metropolitana Campinas
Municípios limítrofes Norte: Morungaba, Sul: Jundiaí, Louveira, Vinhedo, Leste: Jarinú, Bragança Paulista, Oeste: Valinhos
Distância até a capital 80 km
Características geográficas
Área 322,230 km² [3]
População 101 471 hab. Censo IBGE/2010[4]
Densidade 314,9 hab./km²
Altitude 750 m
Clima tropical de altitude Cwb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,778 alto PNUD/2010[5]
PIB R$ 3,421,079 mil IBGE/2010[6]
PIB per capita R$ 33 721 83 IBGE/2010[6]
Página oficial
Pedágio do DERSA na Rodovia Dom Pedro I, em Itatiba
Palacete Ferraz Costa

Itatiba é um município do estado de São Paulo, no Brasil. Faz parte da Região Metropolitana de Campinas. Localiza-se ao noroeste da capital do estado, estando a cerca de oitenta quilômetros desta. Sua população estimada em 2009 era de aproximadamente 100 000 habitantes, com o Censo de 2010 a população está em 101 471 habitantes. A cidade é conhecida como "Princesa da Colina", devido ao seu relevo acidentado. É famosa também pela indústria têxtil, metalúrgica, química e de tecnologia de ponta. Segundo a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro, Itatiba é a terceira cidade com maior qualidade de vida do Brasil, apresentando um Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal de 0,9276[7]

História[editar | editar código-fonte]

A fundação de Itatiba deu-se, provavelmente, entre o penúltimo e o último quartel do século XVIII, não se sabendo porém em que ano, precisamente, chegaram ao local os primeiros habitantes: posto que o primeiro censo registrado ocorreu em 1786 e, para que houvesse moradores no local, certamente estes haviam se instalado em anos anteriores.

As notícias da descoberta de novas terras férteis logo chegaram a Atibaia e Jundiaí, fazendo com que novas famílias chegassem para se dedicar ao plantio. Dentre os pioneiros, encontrava-se o sargento de milícias Antônio Rodrigues da Silva, que havia trazido consigo uma imagem de Nossa Senhora do Belém em louvor da qual erigiu, em 1814, uma pequena capela, no atual bairro do Cruzeiro.

Com o aumento da população, o templo tornou-se pequeno. Assim, em 1827, os moradores decidiram construir uma outra capela e, em 1829, solicitaram que a localidade fosse elevada para a categoria de freguesia. No entanto, o pedido não foi atendido, sendo necessário se fazer outro. Após o segundo pedido alcançaram sucesso: pelo Decreto Imperial de 9 de Dezembro de 1830, dom Pedro I criava a Freguesia de Nossa Senhora do Belém, na então Vila de Jundiaí.

Em 1857, deu-se a elevação da freguesia para vila, com o nome de Belém de Jundiaí. Conservando a mesma denominação, a vila foi promovida a cidade no ano de 1876. A modificação do nome ocorreu um ano mais tarde (1877), quando a vila passou a se chamar Itatiba, que significa "ajuntamento de pedras", na língua tupi[8] .

A primeira grande riqueza da cidade foi o café. Na segunda metade do século XIX, Itatiba, que fazia parte da área pioneira do plantio em direção ao Oeste Paulista, alcançava uma grande produção cafeeira. Tal fato proporcionou um enorme desenvolvimento econômico para a cidade que, devido a sua grande produção, tinha uma ferrovia - Estrada de Ferro "Carril Itatibense".

Após sucessivas crises, dentre elas a de 1929, a produção decaiu e Itatiba passou a adotar um perfil mais industrial. Apesar da crise, o café trouxe para Itatiba uma grande quantidade de imigrantes italianos, muitos deles tendo sua descendência na cidade até os dias de hoje.

As primeiras grandes indústrias que se instalaram no município pertenciam ao ramo têxtil, de fósforos e de calçados. A partir dos anos 1960, a cidade conheceu um novo surto de desenvolvimento: data dessa época a instalação das primeiras indústrias ligadas ao ramo moveleiro, que tinham como característica principal a produção de móveis em estilo colonial. Por essa especialidade, Itatiba passou a ser conhecida como a "Capital Brasileira do Móvel Colonial".

Origem do Nome[editar | editar código-fonte]

A mudança do nome da cidade para Itatiba gerou certa controvérsia. Os primeiros que pensaram na alteração do nome da cidade foram o padre Francisco de Paula Lima e o maestro Elias Álvares Lobo (figura importantíssima da música erudita brasileira, autor da primeira ópera brasileira cantada em língua portuguesa: "A Noite de São João", com letra de José de Alencar), que, na época, residia na cidade. Pelas informações que chegaram a São Paulo, os moradores queriam um nome indígena que significasse "Pedra Branca".

No entanto, o nome sugerido pelo vereador Antônio Augusto de Castro foi o de Itatiba, que não significa "pedra branca" e sim "ajuntamento de pedras" (itá = pedra + tyba = ajuntamento)[9] . A discussão foi travada na Assembleia Provincial e alguns deputados chegaram a dizer que teria havido um erro de tradução: se a cidade desejava chamar-se Pedra Branca, o correto seria adotar-se o nome de Itatinga e não Itatiba. Porém, o ofício da Câmara Municipal da cidade dizia Itatiba - devido talvez a algum lapso, como disseram os deputados - e, com este novo nome, a cidade foi oficializada pela Lei 36, de 8 de maio de 1877.

Hino de Itatiba[editar | editar código-fonte]

O Hino de Itatiba se originou de um concurso realizado entre os moradores.

Cidades Irmãs[editar | editar código-fonte]

Administração[editar | editar código-fonte]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Itatibasp

Localiza-se à latitude 23º00'21" sul e à longitude 46º50'20" oeste, estando a uma altitude de oitocentos metros.

Construída totalmente incrustada em colinas, Itatiba tem uma beleza natural notadamente reconhecida, chegando até a receber o pseudônimo de Princesa da Colina. Há algum tempo, Itatiba era conhecida como "a Suíça Paulista".

Área: 322,522 km² representando 0,13% da área do estado.[10]

Área Urbana: 26,12 km²

Área Rural: 298,88 km²

  • Bruta: 212,41 hab/km²
  • Urbana: 2888,10 hab/km²
Itatiba

Clima, Relevo e Vegetação:

  • Clima tropical de altitude, com temperaturas oscilando entre 18°C e 25°C. A média anual é de 20,6°C.
  • Ventos - Sul e Leste.
  • O índice pluviométrico é de 1.400 ml/ano e a umidade relativa do ar é de 72,4%
  • O relevo é acidentado, formado principalmente pela Serra da Jurema, com solo massapé, em sua maioria.
  • A vegetação é de campo e abrange 2 590 hectares.
  • A área de reflorestamento é composta de basicamente eucalipto e abrange 2 860 ha.

Perímetro Urbano: 112 783,60 m


Hidrografia[editar | editar código-fonte]

  • Ribeirão Jacaré
  • Rio Atibaia, de onde é tirada água para o consumo público da cidade, através da estação de captação e bombas recalque;
  • Córrego do Engenho Seco
  • Ribeirão Pinhalzinho.

Área Verde[editar | editar código-fonte]

Pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o índice deve ser de doze metros quadrados de área verde por habitante. Em Itatiba, este índice é muito maior, sendo:

  • Considerando a área total do município: 4108 m²/hab.
  • Considerando somente a área urbana: 390 m²/hab.

Demografia[editar | editar código-fonte]

População do Município (Baseado nos resultados do Censo Demográfico IBGE 2010):

  • Total: 101 471
  • Urbana: 85 666
  • Rural: 15 805
  • Homens: 50 147
  • Mulheres: 51 324
  • 0 a 4 anos: 6 163
  • 5 a 14 anos: 14 790
  • 15 a 19 anos: 7 943
  • 20 a 29 anos: 18 979
  • 30 a 39 anos: 16 727
  • 40 a 49 anos: 14 521
  • 50 a 59 anos: 10 974
  • Acima de 60 anos: 11 374

Índice de Desenvolvimento Humano: 0,778 (145º nacional) - PNUD - 2010[11]

  • IDHM Renda: 0,788
  • IDHM Longevidade: 0,844
  • IDHM Educação: 0,708

Expectativa de vida: 73 anos

Taxa de Alfabetização Adulta: 0,934

Taxa de Frequência Escolar: 0,826

Evolução da população:

IFDM - Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal

O município é a terceira melhor cidade para se viver do Brasil de acordo com o IFDM 2010; comparado a pesquisa anterior, Itatiba avançou 25 posições no ranking nacional.

IFDM 2010: 0, 9276

  • IFDM Educação: 0,9330
  • IFDM Saúde: 0,9332
  • IFDM Emprego e Renda: 0,9167

Itatiba, um dos melhores climas do Brasil, ótimo lugar para se morar.

Números do município[editar | editar código-fonte]

PIB a preço de mercado corrente em 2010

Agropecuária - R$ 28 070 000 000

Indústria - R$ 1 524 511 000 000

Comércio/serviços - R$ 1 383 179 000 000

Impostos - R$ 485 319 000 000

Total - R$ 3 421 079 000 000

PIB per capita - R$ 33 723,83

Frota de veículos automotores 2010 - Fonte: CIRETRAN - Itatiba

36787 automóveis

2708 caminhões

10140 (somatória) ciclomotores, motonetas, motociclos, triciclos e quadriciclos

1,77 habitantes por veículos

Total da frota: 57209

Localização e Transporte[editar | editar código-fonte]

Localização[editar | editar código-fonte]

Municípios Próximos: Campinas, Valinhos, Vinhedo, Louveira, Jundiaí, Jarinú, Bragança Paulista, Morungaba e Atibaia.

Zona Administrativa do Estado:

Ferrovia[editar | editar código-fonte]

As estações ferroviárias mais próximas são as de Jundiaí (passageiros da CPTM), Louveira e Campinas (sem tráfego de trens de passageiros).

Aeroportos próximos[editar | editar código-fonte]

Ônibus municipal[editar | editar código-fonte]

A empresa que opera o transporte urbano na cidade é a Transporte Coletivo de Itatiba (TCI).

Ônibus Intermunicipais[editar | editar código-fonte]

Convencional- Campinas via Rodovia Dom Pedro I (EMTU), Bragança Paulista, Jundiaí, Morungaba, Amparo, Serra Negra, Lindóia, Águas de Lindóia, São Paulo via Rodovia dos Bandeirantes, São Paulo via Rodovia Anhanguera, Santos, São Vicente, Praia Grande, Mongaguá.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Aproximadamente 277 km de boas estradas municipais complementam o sistema de ligação por via terrestre.

Economia[editar | editar código-fonte]

Itatiba é conhecida como a Capital Brasileira do Móvel Colonial, em função das diversas indústrias do ramo moveleiro instaladas na cidade. Porém, com o tempo, a indústria tem se diversificado e produzido diversas modalidades de móveis.

Entre as indústrias de renome instaladas em Itatiba, pode-se citar a Nivea, BorgWarner, Queensberry, Valeo, entre outras. Mesmo com esse perfil, a cidade ainda é a maior produtora de vagem no país.

Fruticultura: as principais frutas encontradas no município são: caqui, maracujá, uva, figo, goiaba, morango, pêssego, acerola, entre outras.

Itatiba faz parte do Polo Turístico do Circuito das Frutas juntamente com mais nove municípios - Atibaia, Indaiatuba, Itupeva, Jarinú, Jundiaí, Louveira, Morungaba, Valinhos e Vinhedo. No Circuito das Frutas, Itatiba é a cidade do Caqui.

O orçamento municipal em 2012 foi de R$ 270 milhões. O saldo da balança comercial em 2012 foi um déficit de R$ 34 milhões.[12]

Itatiba - Cidade do Caqui

Turismo[editar | editar código-fonte]

Itatiba possui o primeiro Zoológico Temático do Brasil, chamado Zooparque. Além disso, Itatiba possui em sua região central vários edifícios de valor histórico e magnífica beleza arquitetônica. Estes casarões datam, em sua maioria, do século XIX e têm sido bem preservados até hoje.

Desde o início da década de 1990, o município registra um aumento crescente de estabelecimentos explorando o turismo em espaço rural. A produção cafeeira deixou na zona rural traços fortes da arquitetura do século XIX que hoje é cenário para o turismo histórico-cultural. Além disso, a produção agrícola focado na fruticultura abre espaço para o desenvolvimento do Agroturismo. Em 2006 são 8 empreendimentos que oferecem esse tipo de serviço, porém o potencial do município é ainda muito maior.

Educação[editar | editar código-fonte]

Itatiba conta com um campus da Universidade São Franscisco (USF). Dentre os cursos ofertados, destacam-se Administração, Engenharia Civil e Psicologia. A cidade também possui a ETEC Rosa Perrone Scavone e uma unidade do SENAI.

A cidade possui 11 escolas de Ensino Médio, 36 escolas de Ensino Fundamental e 37 escolas de Educação Infantil.[13]

Religião[editar | editar código-fonte]

De maioria cristã, a cidade é faz parte da Diocese de Bragança Paulista, com maioria da população católica. Há também expressiva parcela de protestantes, que frequentam diversas igrejas evangélicas, testemunhas de jeová e mórmons.

Igreja de Nossa Senhora Aparecida
Igreja de Santo Antonio do Abacaxi
Religião Porcentagem Número
Católicos 67,63% 67.769
Protestantes 22,01% 22.422
Sem religião 4,00% 4.066
Espíritas 4,01% 4.072
Budistas 0,13% 132
Umbandistas 0,60% 610
Judeus 0,08% 86

Fonte: IBGE - Censo Demográfico 2010[14]

Referências

  1. http://www.itatiba.sp.gov.br/samba/Sobre-Itatiba/brasao.html
  2. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  3. IBGE (10 out. 2011). Área territorial oficial. Site Cidades - IBGE (R.PR-5/02). Página visitada em 21 dez. 2013.
  4. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 04 de janeiro de 2013.
  5. Ranking IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 21 de dezembro de 2013.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 04 jan. 2013.
  7. http://www.firjan.org.br/ifdm/consulta-ao-indice/consulta-ao-indice-grafico.htmUF=SP&IdCidade=352340&Indicador=1&Ano=2010
  8. NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. 3ª edição. São Paulo. Global. 2005. p. 56.
  9. NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. 3ª edição. São Paulo. Global. 2005. p. 56.
  10. http://www.itatiba.sp.gov.br/Sobre-Itatiba/dados-geograficos.html
  11. http://www.pnud.org.br/arquivos/ranking-idhm-2010.pdf
  12. http://www.itatiba.sp.gov.br/Sobre-Itatiba/dados-geograficos.html
  13. http://cidades.ibge.gov.br/painel/educacao.php?lang=&codmun=352340&search=sao-paulo|itatiba|infograficos:-escolas-docentes-e-matriculas-por-nivel
  14. População residente, por situação do domicílio, sexo, grupos de idade e religião.. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]