Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de SENAI)
Ir para: navegação, pesquisa
SENAI
Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial
Senai.png
Tipo Entidade privada
Fundação 22 de janeiro de 1942
Localização Todos os estados da Federação, Brasil
Diretor(a) Rafael Lucchesi
Alunos 2.362.312 matrículas (2010)[1]
Afiliações CNI
Orçamento anual 2,5 bilhões (2008)
Página oficial www.senai.br
Contato (61) 3317-9000

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) é uma instituição privada brasileira de interesse público, sem fins lucrativos, com personalidade jurídica de direito privado, está fora da Administração Pública. Compõe o chamado Terceiro Setor. Seu principal objetivo é apoiar 28 áreas industriais por meio da formação de recursos humanos e da prestação de serviços técnicos e tecnológicos. Os programas de capacitação profissional são viabilizados por meio das modalidades de aprendizagem, habilitação, qualificação, aperfeiçoamento, técnico, superior e pós-graduação. Também presta serviço tecnológico – assessoria, consultoria, pesquisa aplicada, design, serviço laboratorial, informação tecnológica. Muitos cursos são ministrados de forma presencial ou a distância.

História[editar | editar código-fonte]

Primeira logomarca do SENAI/CNI.

O SENAI foi criado pelo decreto-lei 4.048[2] de 22 de janeiro de 1942. No início a arrecadação do SENAI era de dois mil réis mensais por empregado das empresas filiadas à Confederação Nacional da Indústria (CNI). Esse sistema foi alterado em 5 de fevereiro de 1944 quando a arrecadação passou a corresponder a 1% do valor total da folha de pagamento das indústrias (decreto-lei n° 6.246). Apenas em 3 de agosto de 1942, o SENAI Nacional começou a funcionar no Rio de Janeiro.[3] Atualmente está localizado em Brasília

Mas a Formação Profissional no Brasil tem seu primeiro registro em 1874 quando o presidente da província de Pernambuco Henrique Pereira de Lucena obrigou as fábricas nacionais a se encarregarem do preparo do seu pessoal, levando as empresas a fundarem o SENAI.

Já em 4 de julho de 1934 foi criado o antigo Centro Ferroviário de Ensino e Seleção Profissional (CFESP) por Armando de Salles Oliveira, na época interventor federal no estado de São Paulo e pelo engenheiro Roberto Mange, professor da Escola Politécnica de São Paulo. O Centro Ferroviário, como era conhecido o Geisson, é considerado marco inicial na evolução de conceitos e métodos da formação profissional no SENAI.

Salvador (BA) - Em 20 de outubro de 2007, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ex-aluno do SENAI, em visita às instalações do Centro Integrado de Manufatura e Tecnologia (Cimatec) do SENAI. Foto:Ricardo Stuckert/PR.

O SENAI de São Paulo começou a funcionar em 28 de agosto de 1942, sob a direção de Roberto Mange. Em 3 de novembro de 1943, é instalada em caráter provisório em um pavilhão da IV Feira Nacional da Indústria, a escola SENAI da Barra Funda, atual Escola SENAI "Horácio Augusto da Silveira". Em 22 de setembro de 1945, a escola SENAI da Barra Funda foi instalada em prédio próprio (o primeiro de toda a rede SENAI do Estado de São Paulo), localizado na rua Tagipuru.

Dois líderes industriais da época foram determinantes na fundação do SENAI: Euvaldo Lodi e Roberto Simonsen, presidentes da CNI e da FIESP, respectivamente. Era o início da confirmação do compromisso da CNI junto as suas federações em assumir a responsabilidade pela organização e direção de um organismo próprio, que pudesse desenvolver um sistema de educação profissional no Brasil. A ideia foi acolhida pelo governo na gestão do presidente Getúlio Vargas.

Existem 738 unidades operacionais e 320 kits didáticos de educação profissional (que funcionam como oficinas móveis) em 25 diferentes ocupações. O SENAI está presente em todo o território brasileiro, oito países e três organismos internacionais.[4]

O SENAI Santa Catarina foi eleito pelo Great Place to Work Institute (GPTW) como uma das cem melhores empresas para se trabalhar no Brasil.[5]

Forma de organização[editar | editar código-fonte]

O presidente da CNI, Armando Monteiro Neto, e o presidente Lula durante cerimônia de comemoração dos 71 anos da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O SENAI Nacional, também chamado de SENAI Departamento Nacional (DN), integra o Sistema CNI (Confederação Nacional da Indústria) e tem as suas ações subordinadas ao Conselho Nacional do SENAI. Em cada unidade da federação o SENAI possui um Departamento Regional (DR) onde o seu diretor é nomeado pelo presidente da Federação Industrial local. A rede SENAI é formada por 27 DRs, além do CETIQT formando o maior complexo de educação profissional e tecnológica da América Latina.[6]

Parte dos recursos do SENAI são provenientes da indústria por meio da contribuição de 1% sobre o total da folha de pagamento mensal. O restante é proveniente de venda de produtos como cursos e serviços técnicos.[7]

Rede de Bibliotecas[editar | editar código-fonte]

O SENAI, através do Programa de Transformação do Sistema CNI, possui um setor chamado Área Compartilhada de Informação e Documentação (ACIND) que é responsável por coordenar as ações de informação e documentação referentes às 4 entidades nacionais do Sistema CNI e a interagir, sob demanda, com as Entidades Regionais do Sistema Indústria.

Possui mais de 150 Unidades espalhados pelo Brasil, podendo ser considerada a maior rede de bibliotecas privada do país (somando com o SESI 134, as Federações 13 e o IEL 5, são 302 unidades).[8]

Na maioria das unidades possuem diversos serviços à população como editoração e diagramação de trabalhos, serviço de pesquisa especializada, normalização de publicações, resposta técnica e materiais para consulta. Podem ser consultados em suas unidades catálogos, CD-ROM/CARDs, fitas de vídeo, livros (monografias, relatórios técnicos e teses), materiais didáticos (cartilhas e/ou apostilas), normas técnicas, obras de referência, periódicos e DVDs.

Projetos e programas de atuação[editar | editar código-fonte]

Ações inclusivas[editar | editar código-fonte]

Acessibilidade é uma preocupação atual da rede SENAI.

Em 1999 o SENAI criou a Unidade de Educação Profissional (UNIEP) que é um projeto estratégico nacional de "Inclusão das pessoas com necessidades especiais nos programas de Educação profissional". Ele estabeleceu o amplo atendimento a deficientes físicos, mentais, auditivos, visuais e múltiplos, bem como, superdotados (altas habilidades) nas unidades operacionais dos seus 27 departamentos regionais.[9]

Atualmente ele é chamado de Programa SENAI de Ações Inclusivas (PSAI) que além de atender ao contingente de pessoas com necessidades especiais, promove o acesso aos cursos do SENAI para mulheres, negros e índios e a re-qualificação profissional de pessoas idosas.

O grande foco é oportunizar a educação profissional para todos os cidadãos que por algum motivo sócio-cultural, econômico ou por preconceito, são tolhidos de exercer esse Direito constitucional.

Ações móveis[editar | editar código-fonte]

Unidade móvel do SENAI Ceará.

Para atender a centenas de comunidades desassistidas, nos mais distantes pontos do Brasil, o programa transforma exclusão social e desemprego em cidadania e empreendedorismo. Por meio de cursos rápidos, o programa capacita profissionais nas mais diferentes áreas de ensino.[10]

O Programa de Ações Móveis (PAM) prepara pessoas para exercerem atividades produtivas de forma autônoma. Geralmente usando um kit de ensino é realizado uma capacitação dentro de comunidades no interior do país. Este kit pode ser simplesmente enviado para localidade ou instalado em um caminhão, barco ou ônibus.

Certificação profissional[editar | editar código-fonte]

Com as inovações da Lei de Diretrizes e Bases da Educação, é possível que empresas certifiquem seus colaboradores de acordo com algum nível de conhecimento específico. Para atender à Norma ABNT NBR ISO/IEC 17024:2004 - Critérios de Credenciamento de Organismos de Certificação de Pessoas, o SENAI criou uma rede de certificação por competência nos diversos estados da federação. Neste caso, uma pessoa com um grau de conhecimento específico pode receber um certificado de conhecimento através de avaliações nestas unidades certificadoras.

Educação a distância[editar | editar código-fonte]

Com o objetivo de sistematizar e estimular a oferta dos cursos a distância, o SENAI criou, em 2004, uma rede que apresenta mais de 250 cursos de educação profissional a distância, distribuídos em mais de 20 áreas tecnológicas. São usadas diferentes tecnologias educacionais que dão suporte para cursos técnicos, de pós-graduação, de formação profissional e de educação continuada, sendo alguns totalmente a distância e outros com momentos presenciais (blended learning).

Educação articulada[editar | editar código-fonte]

Apesar do SENAI não fornecer educação básica ele fornece educação a jovens e adultos de formação integral aliando a educação básica à educação profissional através de parceria com o Serviço Social da Indústria (SESI) em algumas unidades do SENAI. A articulação da educação básica do SESI com a educação profissional do SENAI é uma iniciativa estratégica do Sistema CNI, alinhada às políticas públicas nacionais.

Inovação[editar | editar código-fonte]

Desde 2009 o SENAI, junto com o Ministério da Ciência e Tecnologia, por meio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) leva para a sociedade edital para estimular possibilidades de soluções inovadoras dentro das empresas.[11] Para apresentar os resultados dos projetos foi criado, em diferentes estados, um evento chamado de INOVA.[12]

Mundo SENAI[editar | editar código-fonte]

O Mundo SENAI é um evento anual, gratuito, onde as unidades do SENAI abrem suas portas para que estudantes, professores e a comunidade local, em todo o País, possam conhecer mais sobre a indústria da região. Por meio de palestras, minicursos, mostras tecnológicas, orientação profissional e visitas aos laboratórios que simulam o dia a dia da indústria, o evento visa familiarizar os participantes com o ambiente de trabalho que encontrarão. O Mundo SENAI acontece em meados do final de setembro e início de outubro, em todos os estados do País e no Distrito Federal. Era o antigo SENAI Casa Aberta.

Parcerias[editar | editar código-fonte]

Para realizar treinamento em todo território do Brasil, entidades buscam o SENAI para realizar parcerias de capacitações estratégicas, como o fez a prefeitura de Feira de Santana para o ensino do curso técnico de química.[13]

Proklima[editar | editar código-fonte]

Clorofluorcarboneto de refrigeradores e ar condicionados antigos, podem reduzir a camada de ozônio.

Proklima, Programa Nacional de Treinamento de Mecânicos Refrigeristas, é coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente, junto com o SENAI, para promover a eliminação de CFCs para cumprimento das metas propostas pelo Protocolo de Montreal.[14]

Soldado Cidadão[editar | editar código-fonte]

Para facilitar o acesso ao mercado de trabalho do contingente de jovens que deixa o serviço militar do exército brasileiro, o SENAI promove cursos de qualificação profissional de acordo com demandas locais em áreas com carencia de profissionais como telecomunicações, automotivo, alimentos, construção civil, artes gráficas, confecção, eletricidade, mecânica e refrigeração.[15]

Empreendedores eletricistas[editar | editar código-fonte]

Em convênio com o SEBRAE, o SENAI preparou eletricistas de 2006 à 2008, para implementar ações de eficiência energética e de empreendedorismo nas empresas. Os cursos foram realizados em todo território nacional de forma padronizada com duração de 40 horas.[16]

Participação em competições[editar | editar código-fonte]

Nacionais[editar | editar código-fonte]

Promovida a cada dois anos, a Olimpíada do Conhecimento é a maior competição de educação profissional das Américas. Realizada no Brasil, há mais de 20 anos, a Olimpíada congrega alunos de várias ocupações profissionais do SENAI e desde 2008 do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC).[17] Para participar, são promovidos torneios nas diversas unidades da federação do Brasil e os melhores são classificados para uma etapa nacional.

Em 2008, a Olimpíada do Conhecimento foi realizada simultaneamente em três estados: Santa Catarina (Blumenau), Rio Grande do Sul (Porto Alegre) e Paraná (Curitiba). Em 2010, será realizada no Rio de Janeiro.[18]

Internacionais[editar | editar código-fonte]

O SENAI, representando o Brasil, é considerado uma das melhores entidades de educação profissional do mundo segundo o presidente da World Skills, Tjerk Dusseldorp.[19] Ele também realiza uma conexão importante do World Skills com os países da América Latina.

No 40° World Skills realizado no Canadá, o SENAI conquistou três medalhas de ouro, quatro de prata, duas de bronze e quatro diplomas de excelência levando o Brasil a se posicionar como o terceiro país em medalhas.[20]

O SENAI conseguiu trazer para o Brasil 519,20 pontos ficando em quarto lugar no quadro geral, atrás apenas da Coreia do Sul (524,62), Suíça (520,09) e República da Irlanda (519,64).[21]

Em cada estado[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Portal SENAI. SENAI em Números (em português). Página visitada em 11 de agosto de 2009.
  2. Ministério da Previdência Social. Decreto-lei Nº 4.048 de 22 de janeiro de 1942 (em português). Página visitada em 15 de agosto de 2008.
  3. Ministério da Previdência Social. Decreto-lei Nº 6.246 de 5 de fevereiro de 1944 (em português). Página visitada em 19 de junho de 2008.
  4. Portal SENAI. Institucional - Rede SENAI de Educação (em português). Página visitada em 11 de agosto de 2009.
  5. Revista Época, n. 588, 24 de agosto de 2009.
  6. Portal SENAI. Institucional - O que é o SENAI (em português). Página visitada em 19 de junho de 2008.
  7. Portal SENAI. Institucional - Gestão Orçamentária (em português). Página visitada em 19 de junho de 2008.
  8. ACIND. ACIND Guia de Bibliotecas do Sistema Indústria (em portugês). Página visitada em 24 de novembro de 2009.
  9. Portal SENAI. Institucional (em português). Página visitada em 16 de setembro de 2009.
  10. Portal SENAI. Ações de responsabilidade social (em português). Página visitada em 18 de novembro de 2009.
  11. Agência de inovação da UFF. Senai e Sesi lançará Edital Inovação 2010 em março (em português). Página visitada em 8 de fevereiro de 2010.
  12. Portal SENAI. INOVA (em português). Página visitada em 8 de fevereiro de 2010.
  13. FCC, SENAI e Prefeitura de Feira de Santana criam novo Curso Técnico em Química, acessado em 24 de agosto de 2011
  14. Portal SENAI. O que é PROKLIMA? (em português). Página visitada em 9 de dezembro de 2009.
  15. Portal SENAI. Soldado Cidadão (em português). Página visitada em 9 de dezembro de 2009.
  16. Portal SENAI. Empreendedores eletricistas (em português). Página visitada em 9 de dezembro de 2009.
  17. Portal SENAI. Informações sobre a Olimpíada do Conhecimento (em português). Página visitada em 16 de setembro de 2009.
  18. Sítio oficial da Olimpíada do Conhecimento. Página principal (em português). Página visitada em 16 de setembro de 2009.
  19. Portal SENAI; Erica Abe. SENAI na World Skills (em português). Página visitada em 16 de setembro de 2009.
  20. Sítio SENAI no World Skills; Marcus Barros Pinto e Beatriz Lins (8 de setembro de 2009). Brasil é o terceiro em medalhas (em português). Página visitada em 16 de setembro de 2009.
  21. Sítio SENAI no World Skills; Marcus Barros Pinto e Beatriz Lins (7 de setembro de 2009). Brasil faz 519.20 pontos (em português). Página visitada em 16 de setembro de 2009.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]