Jaguariúna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Jaguariúna
"Jaguar"
"Estrela da Mogiana"
Igreja matriz da Paróquia Santa Maria

Igreja matriz da Paróquia Santa Maria
Bandeira de Jaguariúna
Brasão de Jaguariúna
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 12 de setembro
Fundação 30 de dezembro de 1953 (61 anos)
Gentílico jaguariunense
Prefeito(a) Tarcisio Cleto Chiavegato
(2013–2016)
Localização
Localização de Jaguariúna
Localização de Jaguariúna em São Paulo
Jaguariúna está localizado em: Brasil
Jaguariúna
Localização de Jaguariúna no Brasil
22° 42' 21" S 46° 59' 09" O22° 42' 21" S 46° 59' 09" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Campinas IBGE/2008[1]
Microrregião Campinas IBGE/2008[1]
Região metropolitana Campinas
Municípios limítrofes Norte: Santo Antônio de Posse, Holambra

Sul: Campinas Leste: Pedreira, Amparo Oeste: Paulínia[2]

Distância até a capital 125 km[3]
Características geográficas
Área 142,437 km² [4]
População 50 719 hab. Censo IBGE/2014[5]
Densidade 356,08 hab./km²
Altitude 570 m
Clima Tropical de altitude Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,829 (SP: 36°) – muito alto PNUD/2000[6]
PIB R$ 1 937 262,365 mil (BR: 95º - RMC: 6º) – IBGE/2008[7]
PIB per capita R$ 48 351,78 IBGE/2008[7]
Página oficial
Rio Jaguari, em Jaguariúna
Igreja matriz velha, em Jaguariúna

Jaguariúna é um município da Região Metropolitana de Campinas, no estado de São Paulo, no Brasil. Localiza-se a 22º42'20" de latitude sul e 46º59'09" de longitude oeste, a uma altitude de 584 metros. Sua população aferida em 2014 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística era de 50.719 habitantes. [5]

História[editar | editar código-fonte]

A primeira ocupação humana da região de Jaguariúna, como a de todo o continente americano, foi de povos ameríndios. A partir do século XVII, a região passou a ser frequentada por bandeirantes a caminho de Goiás e Mato Grosso, provenientes de São Paulo. Na mesma época, começou a ser plantada cana-de-açúcar na região. Os canaviais cederam lugar às plantações de café, no século XIX[8] .

Em 3 de maio de 1875, foi inaugurada a estrada de ferro ligando Campinas a Jaguari, margeando o Rio Jaguari[9] . Na região então denominada Jaguari, existia uma grande fazenda de propriedade do coronel Amâncio Bueno chamada Fazenda Florianópolis. Na década de 1880, o coronel loteou a fazenda e propiciou a instalação, no local, de imigrantes portugueses e italianos. Em 19 de fevereiro de 1892, foi criada a Paróquia de Santa Maria, em Jaguari.

A Lei 433, de 5 de agosto de 1896, criou o distrito de paz de Jaguari, pertencente a Mojimirim. Pelo Decreto-lei 14 344, de 30 de novembro de 1944, foi acrescido, ao nome do distrito, o sufixo de origem tupi "una", que significa "preto"[10] .

Em 30 de dezembro de 1953, a Lei 2 456 tornou Jaguariúna emancipada de Mojimirim, passando a constituir um município autônomo[11] .

Toponímia[editar | editar código-fonte]

"Jaguariúna" é um vocábulo tupi que significa "rio preto das onças", através da junção dos termos îagûara (onça), 'y (água, rio) e un (preto)[12] . Vale destacar que o brasão da cidade, que mostra uma onça preta ao lado de um rio azul, incorre num erro em relação à etimologia tupi do nome da cidade: o correto, do ponto de vista etimológico, seria o brasão mostrar uma onça comum ao lado de um rio negro.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Possui uma área de 142,437 km², o que corresponde a uma densidade populacional de 258,38 habitantes por quilômetro quadrado, em dados de 2007.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2000

População total: 28

  • Urbana: 25
  • Rural: 3
    • Homens: 14
    • Mulheres: 14

Densidade demográfica (hab./km²): 207,84

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 9,05

Expectativa de vida (anos): 75,36

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,00

Taxa de alfabetização: 92,47%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,829

  • IDH-M Renda: 0,772
  • IDH-M Longevidade: 0,839
  • IDH-M Educação: 0,877

(Fonte: IPEADATA)

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Ferrovias[editar | editar código-fonte]

Maria Fumaça no Centro Cultural de Jaguariúna

Fica no município de Jaguariúna o terminal da Viação Férrea Campinas-Jaguariúna, uma linha turística com locomotivas a vapor ("marias-fumaça"), mantida pela Associação Brasileira de Preservação Ferroviária.

Administração[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. [1].
  3. Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista. Visitado em 26 de janeiro de 2011.
  4. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  5. a b Censo Populacional 2014 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (28 de novembro de 2014). Visitado em 25 de janeiro de 2015.
  6. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  7. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
  8. http://www.jaguariuna.sp.gov.br/historia.php
  9. http://www.cmef.com.br/
  10. NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. Terceira edição revista e aperfeiçoada. São Paulo. Global. 2005. p. 42.
  11. http://www.jaguariuna.cnpm.embrapa.br/historia.html
  12. NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. Terceira edição revista e aperfeiçoada. São Paulo. Global. 2005. p. 42.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Jaguariúna