Carapicuíba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo. Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Município de Carapicuíba
Vista da cidade

Vista da cidade
Bandeira de Carapicuíba
Brasão de Carapicuíba
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 26 de março de 1965
Fundação 1580 (434 anos)
Gentílico carapicuibano
CEP 06300-000 até 06399-999
Prefeito(a) Sérgio Ribeiro Silva (PT)
(2013–2016)
Localização
Localização de Carapicuíba
Localização de Carapicuíba em São Paulo
Carapicuíba está localizado em: Brasil
Carapicuíba
Localização de Carapicuíba no Brasil
23° 31' 22" S 46° 50' 09" O23° 31' 22" S 46° 50' 09" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Metropolitana de São Paulo IBGE/2008[1]
Microrregião Osasco IBGE/2008[1]
Região metropolitana São Paulo
Municípios limítrofes Norte/Oeste: Barueri;
Sudoeste: Jandira, Sul: Cotia;
Leste: Osasco.
Distância até a capital 21 km[2]
Características geográficas
Área 34,967 km² (SP: 635º BR: 5525º)[3]
População 390 073 hab. (SP: 16º SE: 31° BR 60º) –  IBGE/2014[4]
Densidade 11 155,46 hab./km²
Altitude 780 m
Clima subtropical Cfb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,749 (SP: 218°) – alto PNUD/2010[5]
PIB R$ Aumento3 429 411 000 (SP: 51° Estável BR: 165º Estável) – IBGE/2010[6]
PIB per capita R$ 9 279 11 IBGE/2010[7]
Página oficial

Carapicuíba é um município da Região Metropolitana de São Paulo, no estado de São Paulo, no Brasil. Tornou-se município em 1965, quando se emancipou de Barueri. A cidade é a segunda cidade mais populosa da Microrregião de Osasco, sendo vizinha de Osasco, Barueri, Cotia e Jandira.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

O nome "Carapicuíba" tem origem na língua tupi. Porém seu significado ainda é controverso: pode significar "peixe que não se pode comer", "pau podre", "aquele que se reúne em poços", "cascudo", "escamose", "cará ruim comprido" (através da junção dos termos ka'rá ("cará")[8] , puku ("comprido") e aíb ("ruim")[9] ), "acará ruim comprido" (através do termo aka'ra ("acará")[10] ), "aquele que se resolve em poços" (derivado de "Quar-I-Picui-Bae", que era o nome dado pelos índios ao ribeirão que, cortando a cidade, faz divisa com Osasco)e delimita uma das divisas entre as cidades de Osasco e Cotia, na altura do km 20 da Rodovia Raposo Tavares, ou "fruto de carapicu (Urena sinuata)[11] ", através da junção dos termos akará, puku e 'ybá ("fruto)[9] .

Carapicuíba Diurna Cohab.JPG

História[editar | editar código-fonte]

A história da cidade está ligada aos índios, tanto que um dos locais culturais obrigatórios para visitação é justamente a Aldeia de Carapicuíba.

Foi uma das doze aldeias fundadas pelo padre José de Anchieta (por volta de 1580), quando de sua chegada a São Paulo.

Pertenceu a Barueri, que antes fazia parte do município de Santana de Parnaíba.

Carapicuíba era ponto de passagem e parada dos bandeirantes em direção ao interior. Afonso Sardinha, dono de terras (terra doada pelo Rei de Portugal) na região, aproveitou-se da mão de obra indígena para o cultivo de suas terras e, também por sua ordem, em 1590 construiu uma capela. Mas suas intenções fracassaram e Afonso Sardinha voltou a Portugal.

A região, a partir de 1610, vivia em clima tenso, devido aos conflitos entre brancos e índios.

Por volta de 1770 o local começou a progredir. Nos arredores da capela foram construídas malocas para abrigar pequenas famílias e comércio. Paralelamente espetáculos de folclore eram exibidos, fazendo da Aldeia de Carapicuíba o maior centro de folclore do Estado de São Paulo na época.

Em meado de 1854, o Barão de Iguape comprou terras na região, dando-lhe o nome de Fazenda Carapicuíba. Em 1923, a Fazenda Carapicuíba foi vendida a Delfino Cerqueira, que, anos mais tarde, contratou uma empresa para lotear e construir ruas em suas glebas.

O desenvolvimento efetivo da cidade, que à época era ainda um pequeno vilarejo, deu-se com a chegada da Estrada de Ferro Sorocabana em meados de 1875, que ligava a capital paulista até Itu, no interior. Porém, a primeira estação (embarcadouro) em seus arredores foi construída em 1921, distante 22 km da estação Julio Prestes, e chamou-se Sylvania. Logo depois foi construído um desvio para a construção, nos arredores do km 21 da via férrea, um desembarcadouro de gado destinado ao abate. Muitos funcionários da ferrovia e do abatedouro fixaram residência na vilarejo, que tomava áreas da cidade.

Em 1928, Carapicuíba já era distrito policial. Na década de 30, os pioneiros já acreditavam no povoado que nascia, porque a região possuía clima excelente e terras apropriadas para a cultura de batatinhas, cereais, legumes e hortaliças, onde se cultivavam também o castanheiro europeu e a amoreira.

Nesta época, cerca de 60 famílias japonesas exploravam parte das terras, a título de arrendamento, cooperadas na atualmente extinta Cooperativa Agrícola de Cotia. O pioneirismo japonês em Carapicuíba foi marcado pelas famílias Wada, Ishimaru, Morioka, Iwakura, Tamai, Hanassumi, Massazumi, Okada, Kakizaki, Ueta, Sakamoto, Magarifuchi, Arakawa, Tani, Kawazaki, Kamyzawa, Guentawa, Iashida, Kunishi, Satomi, Myama, Akyoshi, Yano, Moriama, Nishizaki, Morizawa, Yamamoto e outras.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Vista noturna da cidade
Centro de Carapicuíba, a partir de Barueri

Altitude média de 717 metros. Tem como limites os municípios de:

O clima da cidade, como em toda a Região Metropolitana de São Paulo, é o subtropical. A média de temperatura anual gira em torno dos 18Cº, sendo o mês mais frio julho (média de 14 °C) e o mais quente fevereiro (média de 22 °C). O índice pluviométrico anual fica em torno de 1383 mm.

Gráfico climático para Carapicuiba
J F M A M J J A S O N D
 
 
248
 
27
18
 
 
232
 
27
18
 
 
160
 
27
18
 
 
82
 
25
16
 
 
59
 
23
13
 
 
55
 
22
12
 
 
43
 
22
11
 
 
41
 
23
12
 
 
69
 
24
14
 
 
127
 
25
15
 
 
130
 
26
16
 
 
137
 
26
17
Temperaturas em °CPrecipitações em mm
Fonte: Canal do Tempo

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

  • Rio Cotia: divide os municípios de Cotia, Barueri, Jandira e Carapicuíba
  • Represa de Carapicuíba: liga o polo industrial Sanegran

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Alguns bairros de Carapicuíba:

Uma rua do Centro de Carapicuíba
Vista do Conjunto Habitacional Presidente Castelo Branco.

Granja Viana[editar | editar código-fonte]

Carapicuíba abriga um pedaço da Granja Viana, consequência da separação da Fazenda de Niso Viana.

Demografia[editar | editar código-fonte]

A população do município de Carapicuíba, de acordo com o último censo realizado pelo IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, divulgado em 1º de dezembro de 2010, apresenta os seguintes dados:

  • População masculina: 179.353 habitantes - 48,49%,
  • População feminina: 190.555 habitantes - 51,51%,
    • Total das populações por gênero: 369.908 habitantes - 100,00%.
  • Zona urbana: 369.908 habitantes - 100,00%,
  • Zona rural: 0 habitante - 0,00%,
    • Total da população do município: 369.908 habitantes - 100,00%.
  • Área de 34,967 km²
  • Densidade Demográfica de 10.575,7 hab/km².

Indicadores sociais[editar | editar código-fonte]

  • Mortalidade Infantil até 1 ano(por mil): 11,37
  • Expectativa de vida(anos): 71,35
  • Taxa de Alfabetização: 93,73%
  • Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0.749
    • IDH-M Renda: 0.721
    • IDH-M Longevidade: 0.842
    • IDH-M Educação: 0.693

Fonte: IPEA/DATA, dados do Censo 2010

Criminalidade[editar | editar código-fonte]

Segundo o Seade a taxa de homicídios para 100 mil habitantes em Carapicuíba caíram entre 1999 e 2010:

  • 1999 50,76/100 mil habitantes
  • 2004 28,62/100 mil habitantes(queda de 43,6% comparado a 1999)[12]
  • 2008 11,40/100 mil habitantes[13]

Já a taxa de mortes por agressões caíram de 56,4/100 mil habitantes em 1999 para 32,13/100 mil habitantes em 2004, uma queda de 43%.[14]

Etnias[editar | editar código-fonte]

Etnia Porcentagem
Brancos 50,72%
Negros 8,17%
Pardos 40,26%
Amarelos 0,67%
Indígenas 0,1%

Fonte: IBGE Censo 2010 [15]

Religião[editar | editar código-fonte]

Religião Porcentagem
Catolicismo 53,75%
Protestantismo 30,76%
Sem religião 9,95%
Espiritismo 1,45%
Testemunhas de Jeová 0,94%
Ateísmo 0,54%
Umbanda e Candomblé 0,23%
Budismo 0,12%
Mormonismo 0,10%

Fonte: IBGE Censo 2010 [16]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Vista da cidade

Saúde[editar | editar código-fonte]

O município conta com o Hospital Geral de Carapicuíba - Cruzada Bandeirante São Camilo, o Pronto Socorro da Vila Dirce, Pronto Socorro da Cohab II com atendimento psiquiátrico, Pronto Socorro Infantil do Centro, CAPS Álcool e Drogas, CAPS II, um AME na Cohab V, 2 unidades do Brasil Sorridente um na Cohab V e outra na Vila Menk, além de 13 UBSs - Unidades Básica de Saúde localizadas nos principais bairros da cidade. A área vem recebendo vários investimentos como a U.P.A. (Unidade de Pronto Atendimento) do Parque Santa Tereza está em fase de construção, bem como o Pronto Socorro Infantil da Vila Dirce e as UBSs da Aldeia e do Parque Jandaia também em construção.

Lazer e turismo[editar | editar código-fonte]

A cidade conta com diversos parques e praças, sendo os mais famosos deles o Parque dos Paturis no bairro Cohab V/Cohab II, parque Gabriel Chucre localizado na vila Gustavo Correia próximo ao centro de Carapicuíba,Parque Aldeia de Carapicuíba localizado no bairro Aldeia de Carapicuíba, que conta com um centro histórico a Praça da Aldeia Jesuítica fundado em 1580, que possui além de uma igreja católica fundada na época da colonização, uma biblioteca pública, uma exposição permanente sobre povos indígenas e uma delegacia de polícia, além de um pequeno centro comercial. Na praça ocorrem várias festas ao longo do ano como a Festa de Santa Cruz entre outras, com música popular, e ambiente que lembra pequenas cidades do interior.

O Parque Aldeia de Carapicuíba, possui ainda um teatro ao ar livre, onde é apresentado todos os anos a peça A Paixão de Cristo que reuni cerca de 30 mil pessoas anualmente, além de shows para o dia da criança. A cidade conta ainda com o teatro Jorge Amado situado na avenida Mirian no centro, próximo a Câmara dos Vereadores.

Há ainda diversos outros pontos de lazer espalhados pela cidade como o Parque do Planalto, Praça das Árvores, Praça das Noivas, Praça de Esporte e Cultura no Ariston em fase de construção, entre outros.

Esportes[editar | editar código-fonte]

A cidade possui vários ginásios poli-esportivos como o Ginásio Ayrton Senna (conhecido como Senninha) e o Ginásio Tancredo Neves(conhecido como Tancredão), além de pequenos estádios espalhados em alguns bairros do município. Em Carapicuíba, existem diversos times de futebol Amador, que realizam todos os anos um campeonato com jogos abertos ao público.

Educação[editar | editar código-fonte]

Auditório da FATEC Carapicuíba.

O município possui 57 escolas estaduais, 6 escolas municipais de ensino fundamental, 36 creches/pré - escola distribuídas ao longo da cidade. Para o ensino superior, conta com a FALC -Faculdade da Aldeia de Carapicuíba, a FNC - Faculdade Nossa Cidade, a ETEC e a FATEC de Carapicuíba. A área vem recebendo vários investimentos, como a reforma geral das atuais escolas municipais com quadras cobertas, construção de 16 creches por meio do programa PróInfância do Governo Federal, e construção de um SESI na Vila Gustavo Correia.

Transportes[editar | editar código-fonte]

Ferroviário[editar | editar código-fonte]

O município é servido pelos trens da linha 8 da CPTM, contando com duas estações: Carapicuíba e Santa Terezinha.

Rodoviário[editar | editar código-fonte]

A cidade possui 3 empresas de ônibus urbanos: ETT Carapicuíba,Del Rey Transportes e Viação Osasco - Filial (Antiga Himalaia). A ETT Carapicuíba e a Del Rey Transportes fazem linhas municipais ligando os bairros ao centro (Estação Carapicuíba) ou a Estação General Miguel Costa em Osasco (antiga Estação KM 21) e intermunicipais ligando a cidade as cidades de Osasco, Barueri, Cotia, São Paulo e Santana de Parnaíba. A Viação Osasco opera apenas linhas intermunicipais.

A cidade possui acesso pelo Rodoanel Mário Covas (SP-21).

Economia[editar | editar código-fonte]

Carapicuíba tem diversos comércios e bancos e conta com um incipiente parque industrial. O destaque maior na geração de empregos e renda é o setor de serviços.

Hipermercados e atacadistas
Grandes redes de supermercados

Lojas de Eletro e Conveniências

Bancos

Shoppings

Mídia[editar | editar código-fonte]

Carapicuíba possui cinco jornais com sede em seu território: Cidade de Carapicuíba (o mais antigo), Primeira Edição, Cidade em Alerta cujo dono é o atual Vereador Elias Cassundé - PMDB, Jornal Metrópole e o Gazeta do Povo Regional. Além de outros com sede em outras cidades que também circulam pela cidade, como o Diário da Região, Visão Oeste, Tribuna Regional, Jornal d'Aqui e o Página Zero. Este último teve, por muitos anos, a cidade como sede e também cedia as suas páginas para as publicações oficiais da prefeitura.

Conta ainda com a emissora de televisão Canal 44 - TV Oeste (Carapicuíba).

Possuí ainda duas emissoras de rádio: Rádio New Life e Rádio Fonte de Água Viva

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista. Visitado em 26 de janeiro de 2011.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  4. Estimativa populacional 2014 IBGE Estimativa populacional 2014 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2014). Visitado em 29 de agosto de 2014.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 31 de julho de 2013.
  6. Posição ocupada pelos maiores municípios em relação ao Produto Interno Bruto Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (12 de dezembro de 2012).
  7. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas IBGE_PIB
  8. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p. 346
  9. a b http://www.fflch.usp.br/dlcv/tupi/vocabulario.htm
  10. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p. 22
  11. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.349
  12. Carapicuíba, mortes por atos violentos, Seade Página visitada em 11 de Janeiro de 2011
  13. Homicídios caem 23% em Carapicuíba Publicado: Rede Bom Dia, 8 de Janeiro de 2011, Ricardo Datrino. Página visitada em 11 de Janeiro de 2011.
  14. Seade
  15. http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/tabela/protabl.asp?c=2093&z=cd&o=13&i=P
  16. http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/tabela/protabl.asp?c=2094&z=cd&o=13&i=P

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Carapicuíba