Dourados

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Dourados
"Portal do Mercosul"[1]
"Cidade Modelo [2] "
Vista geral da zona sul de Dourados

Vista geral da zona sul de Dourados
Bandeira de Dourados
Brasão de Dourados
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 20 de dezembro
Fundação 20 de dezembro de 1935 (78 anos)
Emancipação 22 de janeiro de 1936 (78 anos)
Gentílico douradense[3]
Lema Terra de Antônio João
Padroeiro(a) Nossa Senhora da Imaculada Conceição (Rel. MS)
CEP 79.800-000 a 79.849-999[4]
Prefeito(a) Murilo Zauith (PSB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Dourados
Localização de Dourados no Mato Grosso do Sul
Dourados está localizado em: Brasil
Dourados
Localização de Dourados no Brasil
22° 13' 15" S 54° 48' 21" O22° 13' 15" S 54° 48' 21" O
Unidade federativa  Mato Grosso do Sul
Mesorregião Sudoeste de Mato Grosso do Sul est. IBGE/2008[5]
Microrregião Dourados est. IBGE/2008[5]
Municípios limítrofes
Distância até a capital federal: 1 250 km
estadual: 235
km[6]
Características geográficas
Área 4 086,387 km² (BR: 361º MS: 26º)[7]
Área urbana 205,990 km² (BR: 9º MS: 1º) – est. Prefeitura de Dourados[8]
Distritos
População 210 218 hab. (BR: 137º MS: 2º) –  est. IBGE/2014[9]
Densidade 51,443 hab/km²[9]
Altitude 430 m [10]
Clima Tropical[11]  Aw
Fuso horário UTC−4
Indicadores
IDH-M 0,747 (BR: 599° MS: 14º) – alto PNUD/2010[12]
Gini 0,52 (MS: 16º) – PNUD/2010[12]
PIB R$ 4 337 946,725 mil (BR: 158º BR int:69º MS: 2º) – IBGE/2011[13]
PIB per capita R$ 21 862,23 (BR: 974º MS: 28º) - IBGE/2011[13]
Página oficial
Prefeitura www.dourados.ms.gov.br (em português)
Câmara www.camaradourados.ms.gov.br (em português)
Outras informações
Macrorregião Centro-Oeste
Vereadores 19[14]
Partidos representantes DEM, PDT, PMDB, PP, PRB, PSB, PSC, PSD, PSDB, PSDC, PT, PTB, PTC e PV[14]
Mandato 2013-2016[14]
Eleitores 147 632 eleitores est. TRE-MS[15]
Arrecadação R$ 562.178.342,11 est. Impostômetro 2013[16]
Arrecadação per capita R$ 2.709,31 est. Impostômetro 2013[16]
Orçamento R$ 708.600.000,00 est. Prefeitura de Dourados 2014 [17]
Orçamento per capita R$ 3.370,78 est. Prefeitura de Dourados 2014[17]
IFGF 0,5820 (BR: 2009º MS: 44º) est. 2011 [18]
População censitária 196 035 hab. Censo IBGE/2010 [19]
População masculina 96 274 hab. Censo IBGE/2010[19]
População feminina 99 761 hab. Censo IBGE/2010[19]
População urbana 181 005 hab. Censo IBGE/2010[19]
População rural 15 030 hab. Censo IBGE/2010[19]
Domicílios 67 767 un. (BR: 649º MS: 8º) Censo IBGE/2010[19]
Frota total 127 070 veículos est. Denatran 2014[20]
Frota automóveis 57 690 veículos est. Denatran 2014[20]
Frota motos 43 391 veículos est. Denatran 2014[20]
População economicamente ativa 97 745 trab. PNUD/2010[12]
Renda per capita R$ 983,73 (BR: 367º MS: 5º) IBGE/2010[21]
Renda por trabalhador 2,5 salários mínimos est. IBGE CidadeSatest. IBGE 2012[22]
Empresas atuantes 5 747 unidades est. IBGE CidadeSat[22]
Movimentação financeira R$ 3.122.842.148,00 est. IBGE CidadeSat[22]
Potencial de consumo 0,1279 % (BR: 114 MS: 2º) — est. IPC Marketing 2014[23]
IFDM 0.7695 (BR: 620º MS: 6º) est. 2011 [24]
IQVU 0.6223 (MS: 2º) est. 2005 [25]
IES 0,5276 (MS: 6º) est. 2005 [25]

Dourados é um município brasileiro da região Centro-Oeste, localizado no estado de Mato Grosso do Sul. O município é parte integrante da Mesorregião do Sudoeste de Mato Grosso do Sul e da Microrregião de Dourados.[5]

Fundada em 1935, Dourados teve desenvolvimento lento até a segunda metade do século XX, por causa das deficiências de meios de transporte e vias de comunicação, principalmente com Campo Grande. A partir dos anos 1950, com a abertura de rodovias, acelerou-se seu desenvolvimento e Dourados tornou-se importante centro agropecuário e de serviços, especialmente a partir dos anos 1970. Nos anos 1990, além do crescimento da agropecuária, o desenvolvimento comercial e de serviços na zona urbana foi decisivo para que Dourados se consolidasse como pólo regional, de serviços e agropecuário para uma região com quase 1 milhão de habitantes, incluindo parte do Paraguai, o que lhe confere o merecido título de Portal do Mercosul. De acordo com estimativas do IBGE de 2014, possui uma população de 210 218 habitantes (e 51,443 habitantes por km²), sendo a segunda cidade mais populosa de Mato Grosso do Sul (depois da capital), além de ser o 136º maior município brasileiro e o 55º maior município interiorano do Brasil.

Com uma agenda recheada de eventos culturais, o município de Dourados atrai muitos visitantes por sediar eventos como a Expoagro (exposição agropecuária, industrial e comercial de Dourados), Encontro de Corais (reúne grupos corais do Brasil inteiro bem como de países vizinhos como Paraguai, Uruguai e outros), FESTUDO (Festival Universitário de Teatro de Dourados, festival onde participam Grupos do Brasil e de países vizinhos), Festa das Nações (com comidas típicas e apresentações culturais dos países participantes), Campeonato Brasileiro de Motocross e eventos científicos realizados em suas universidades (sendo no total 19 eventos locais). A cidade de Dourados também possui destaque como centro universitário, pois conta com 6 universidades, sendo um terço pública. Por esse motivo, é muito comum estudantes do Centro-Oeste e do resto do Brasil se mudarem para o município para estudar nas universidades locais. Além de ensino superior, o município oferece uma boa variedade de opções para os níveis médio e técnico.

Com R$ 4,3 bi de PIB em 2011, Dourados tem o segundo maior PIB entre os municípios de MS, representando cerca de 8% do total das riquezas produzidas no estado, e o 158º maior PIB entre os municípios do Brasil e o 68º lugar entre os municípios interioranos brasileiros. Já o PIB per capita é de quase R$ 22 mil no mesmo ano.[13] A cidade também ficou com o 114º maior potencial de consumo (IPC Marketing) entre todas as cidades brasileiras em 2014, com índice de 0,128 %. No estado ficou em segundo lugar.[23]

Índice

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localização[editar | editar código-fonte]

O município de Dourados está situado no sul da região Centro-Oeste do Brasil, no Sudoeste de Mato Grosso do Sul (Microrregião de Dourados). A cidade de Dourados localiza-se na zona do planalto do estado de Mato Grosso do Sul, próximo à Serra de Maracaju e na bacia do Rio Paraná. Situa-se próximo à divisa com o estado do Paraná e próximo à fronteira com o Paraguai (cerca de 120 km). Dourados conta com um solo rico em matéria prima, o que se traduz em produção diversificada. Localiza-se na latitude de 22º13’18.54” Sul e longitude de 54°48’23.09” Oeste. Distâncias:

Geografia física[editar | editar código-fonte]

Os solos mais comumente encontrados em Dourados são os Latossolos Vermelhos Distroférricos (76,2%) e Eutroférricos (5,1%), outrora chamados de Latossolos Roxos ou “terras roxas” no dizer popular. Outros solos comumente encontardos no municipio são areia, cascalho e basalto para brita.

No relevo Dourados está próxima à serra de maracaju, a 430m de altitude. Apesar de estar a mais de 400m de altitude em média, possui topografia plana. O Rio Dourados é o principal curso de aguá de Dourados que faz parte da bacia do rio Paraná e sub-bacia do rio Ivinhema. Outros rios que banham o município são o Brilhante, Santa Maria e Peroba. A vegetação natural é de campos limpos, possuindo também grandes partes de cerrados e grandes manchas de matas tropicais.

Clima[editar | editar código-fonte]

Tem clima tropical de altitude, de verões brandos, sendo seco no inverno e tropical úmido no verão. De acordo com a média climática de cada mês[11] a média anual de 2012 chegou a 23,6ºC.

Geografia política[editar | editar código-fonte]

Fuso de -1h com relação a Brasília e de -4h do Tempo Universal Coordenado com relação a Greenwich.

A área total é de 4.096,90 km² e a área urbana totaliza 205,99 km² segundo a Prefeitura de Dourados.[8] Dourados tem como distritos Guaçu, Indápolis, Formosa, Itaum, Macaúba, Panambi, Picadinha, Vila São Pedro e Vila Vargas

Na sede possui no total 170 bairros.

Limites[editar | editar código-fonte]

O município faz divisa, ao Norte, com Itaporã, Douradina, Maracaju e Rio Brilhante; ao Sul, com Ponta Porã, Laguna Carapã, Caarapó e Fátima do Sul; ao Leste, com Deodápolis; e a Oeste, com Ponta Porã.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1870, com o término da Guerra do Paraguai, iniciou-se um povoamento mais efetivo nessa região, que foi percorrida também pelos espanhóis e bandeirantes em busca de riquezas naturais. Em 1884, formou-se o povoado de São João Batista de Dourados, próximo ao Rio Dourados.

Em 1909, cerca de 50 pioneiros (destacava-se nesse grupo Januário Pereira de Araújo e Joaquim Teixeira Alves) que iniciam um trabalho apoiado na criação de um patrimônio. Pela da Lei nº 658, de 1914, Dourados é elevado a distrito do município de Ponta Porã, e sua abrangência incluía os dois distritos policiais existentes na época (que foram criados em 1910). Foi aí que surgiu o Distrito de Paz. Nessa época algumas pessoas já haviam fixado residência com suas famílias na região.

A vila se desenvolvia quando, pelo decreto estadual de nº 30 de 20 de dezembro de 1935, foi oficialmente criado o município de Dourados, sendo desmembrado de Ponta Porã em 22 de janeiro de 1936. Seu primeiro prefeito nomeado foi João Vicente Ferreira. Em 13 de setembro de 1943 foi criado o Território Federal de Ponta Porã pelo presidente Getúlio Vargas, que abrangia os municípios de Dourados, Porto Murtinho, Miranda, Nioaque, Bela Vista, Ponta Porã, Maracaju e Bonito (sendo Ponta Porã sua capital). Este durou apenas três anos (1943 a 1946), sendo reintroduzido ao estado de Mato Grosso em 7 de janeiro de 1947.

Em 11 de outubro de 1977 Dourados passa a fazer parte do atual estado de Mato Grosso do Sul.

Imigração[editar | editar código-fonte]

A partir dos anos 1950 a cidade começou a receber um grande fluxo de migrantes de várias partes do Brasil e também imigrantes. Esses forasteiros ocuparam várias regiões do município. Seu povoamento foi efetuado principalmente:

  • pela fixação de ex-combatentes;
  • pela vinda de gaúchos, fugitivos na sua maioria, das consequências da revolução federalista, ocorrida no Rio Grande do Sul entre 1893 e 1895. Mais tarde, nos anos 1970, mais uma leva chega a região em razão dos preços das terras serem baixos;
  • pelo desenvolvimento da cultura pastoril, principalmente por famílias mineiras;
  • pela construção da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, de 1904 a 1914, atraindo paulistas para região;
  • pela ação da Companhia Mate Laranjeira S/A, que deteve o monopólio da exploração dos ervais em toda a região, entre os anos de 1882 e 1924.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

Seu nome vem da primeira metade do século XIX, onde formou-se o núcleo populacional de São João Batista de Dourados, nome que tomou o povoado por ser próximo ao rio Dourados.

Política[editar | editar código-fonte]

A Constituição de 1988 determina um novo perfil a gestão douradense, que passa a obter mais recursos financeiros do governo federal e adquire a si responsabilidades na saúde, educação e gestão ambiental. Dourados tem seu próprio Plano Diretor Municípal, no qual está contemplados a lei de uso do solo urbano, zoneamentos comerciais e plano diretor de turismo, entre outras exigências. A política local, através da legislação e gestão, desenvolve um papel importante através das ações que podem transformar seu destino nas áreas social, econômico, ambiental e territorial, já que a classe política (vereadores, deputados, senadores, prefeitos, governadores, ministros e presidentes) é a detentora do poder. Esse poder político em Dourados é representado pelo prefeito, vice-prefeito e secretários municipais. Para o prefeito criar alguma lei, é preciso a aprovação do Poder Legislativo, sendo este composto pela Câmara dos Vereadores. A gestão do prefeito torna-se mais fácil quando recebe apoio dos vereadores. Dourados possui ainda os seguintes símbolos oficiais: hino oficial, brasão oficial e bandeira oficial.

Poderes[editar | editar código-fonte]

Legislativo[editar | editar código-fonte]

O poder legislativo em Dourados é representado pela Câmara de Vereadores, que são responsáveis pela apreciação e aprovação de leis municipais. A cidade é representada por um total de 19 vereadores.

Executivo[editar | editar código-fonte]

O poder executivo em Dourados é representado pelo prefeito, vice-prefeito e secretários municipais, que são responsáveis pela promulgação e aplicação das leis municipais. A gestão do prefeito torna-se mais fácil para o mesmo quando recebe apoio dos vereadores.

Judiciário[editar | editar código-fonte]

O Poder Judiciário é presente em Dourados. Há fórum comum estadual, juizado especial estadual, fórum da justiça federal, eleitoral, militar, juizado especial federal.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dourados é o município mais populoso do interior do estado e está entre os 140 maiores do Brasil. Em 2010, a população do município foi contada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 196 068 habitantes, apresentando uma densidade populacional de 47,98 habitantes por km². Segundo o censo de 2010, 96 274 habitantes eram homens e 99 761 habitantes eram mulheres. Ainda segundo o mesmo censo, 92,31% da população era urbana (181 005 habitantes viviam na zona urbana e 15 030 na zona rural). Segundo o censo de 2010 do IBGE, a população douradense é formada por brancos (55,77%), pardos (35,32%), negros (3,95%), indígenas (3,48%) e amarelos (1,48%).[19]

Sua população estimada pelo IBGE em 2014 foi de 210 218 habitantes, com uma densidade demográfica de 51,443 habitantes por quilômetro quadrado.[9]

Crescimento da população[9]
1940 14.985
1950 22.834
1960 84.955
1970 79.186
1980 106.483
1991 135.984
1996 153.191
2000 164.700
2001 168.197
2002 171.043
2003 173.872
2004 179 810
2005 183.096
2006 186.357
2007 181.869
2008 187.601
2009 189.762
2010 196.068
2011 198 421
2012 200 729
2013 207 498
2014 210 218

Indicadores[editar | editar código-fonte]

Indicadores gerais

O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) da cidade de Dourados no ano de 2010 é considerado alto pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) totalizando 0,747 pontos e sendo o 3° maior de todo estado de Mato Grosso do Sul e o 599 maior no Brasil.

IDH-M de Dourados[12]
Ano IDH Pos nac Pos est
2010 0,747 599 3
2000 0,636 869 4
1991 0,512 625 5

Já o Indice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM) é um indicador que tem como objetivo medir o grau de desenvolvimento municipal por meio de indicadores que mostram o grau de evolução dos municípios brasileiros. A leitura do IFDM varia entre 0 (desenvolvimento nulo) e 1 (desenvolvimento perfeito). Em 2011 Dourados atingiu 0.7695 pontos de IFDM, o que colocou a cidade em 620º lugar no Brasil e 6º lugar no estado.[24]

IFDM de Dourados[24]
Ano IFDM Pos nac Pos est
2011 0,7695 620º
2010 0,8054 301º
2009 0,7985 249º
2008 0,7681 448º
2007 0,7228 884º
2006 0,6995 1079º
2005 0,7591 455º
2000 0,6105 1500º 16º
Distribuição de rendimentos

Em Dourados o IDH-M renda é de 0,753 (o do país é 0,739), indice maior que 2000 (0,698) e 1991 (0,645).[12] E o coeficiente de Gini do município, que mede a desigualdade social, é de 0,46 em 2003 (variando entre 0,44 e 0,47), sendo que 1,00 é o pior número e 0,00 é o melhor, o que coloca o município em 69º lugar entre os municípios do estado[22] .

A incidência da pobreza, medida pelo IBGE, é de 33,28%, o limite inferior da incidência de pobreza é de 31,43%, o superior é de 35,12%.[22]

Em 2010, os 20% mais ricos eram responsáveis pelo acúmulo de 57,93% da renda de Dourados. Quando esse índice sobe para 40%, já acumula 76,35% da renda. Já entre os mais pobres, os índices são de 3,98% (20% mais pobres), 11,83% (40% mais pobres), 23,65% (60% mais pobres) e 42,07% (80% mais pobres).[26]

A renda per capita de Dourados é considerada relativamente alta para os padrões nacionais, totalizando em média R$ 983,73 reais mensais, o que daria uma renda anual de R$ 11 804,76 por habitante. Esse índice coloca a cidade na 367º posição no Brasil e na 4º posição) no estado.[21]

Em 2011 Dourados atingiu 0,7695 pontos de IFDM renda, o que colocou a cidade em 102º lugar no Brasil e 2º lugar no estado.[24]

IFDM emprego e renda[24]
Ano IFDM Pos nac Pos est
2011 0,7695 102º
2010 0,8550 83º
2009 0,8405 67º
2008 0,7588 209º
2007 0,6203 495º
2006 0,5830 640º
2005 0,7607 215º
2000 0,4437 1525º 19º
Coeficiente de nascimento, saúde e mortalidade

O índice da longevidade do IDH em Dourados é de 0,843 em 2010 (o brasileiro é 0,816), sendo este índice maior que o de 2000 (0,758) e quase 0,150 com relação a 1991 (0,713).[12]

Seu índice de sobrevivência em crianças de 0 a 6 anos está em condições satisfatórias. Uma das ações importantes para a redução da mortalidade infantil é a prevenção através de imunização contra doenças infecto-contagiosas. A taxa de mortalidade de menores de 5 anos em 1995 era de 37,36 óbitos a cada 1.000 nascidos vivos. Em 2011 este percentual passou para 15,39 óbitos a cada 1.000 nascidos vivos, representando redução de 58,81% da mortalidade infantil. O número total de óbitos de crianças menores de 5 anos no município entre 1995 e 2011, foi 1.842. Já a taxa de mortalidade de menores de um ano para o município, estimada a partir dos dados do Censo 2010, é de 18,92 a cada 1.000 crianças menores de um ano. Das crianças de até 1 ano de idade, em 2010, 8,50% não tinham registro de nascimento em cartório. Este percentual cai para 7,88% entre as crianças até 10 anos. A imunização é considerada uma das ações que contribuem para a redução da mortalidade infantil. Em 2012, 92,08% das crianças menores de 1 ano estavam com a carteira de vacinação em dia.[27] Segue abaixo os coeficientes de mortalidade:

  • Mortalidade Geral: 5,6[28]
  • Mortalidade Infantil até 1 ano: 15,39[27]
  • Mortalidade Neonatal: 8,9[28]

O número de óbitos maternos no município entre 1996 a 2011 foi 45 por mil habitantes e a proporção de gestantes sem acompanhamento pré-natal em 2011 foi de 1,25%. Já as gestantes com 7 ou mais consultas foram 68,88%. Em 2011 99,17% dos nascidos vivos tiveram seus partos assistidos por profissionais qualificados de saúde. Em 2001, 24,21% das crianças que nasceram em Dourados eram de mães adolescentes passando para 20,87% em 2011, o que representa 1 a cada 5 nascidos vivos. Ao analisar a população de 10 a 19 anos, percebe-se que ocorreu redução do percentual de adolescentes que são mães. O índice passou de 5,06% em 2001 para 4,52% em 2011.[29]

O índice de saúde do IFDM em Dourados foi de 0,8144 em 2011, colocando o município em 1365º lugar no país e 21º lugar no estado. [24]

IFDM saúde de Dourados[24]
Ano IFDM Pos nac Pos est
2011 0,8144 1365º 21º
2010 0,8335 2323º 44º
2009 0,8323 2192º 37º
2008 0,8311 2049º 39º
2007 0,8327 1822º 31º
2006 0,8268 1709º 30º
2005 0,8169 1635º 29º
2000 0,7224 1933º 32º
Educação

Considerando apenas a Educação, o IDH de Dourados é de 0,657 (médio) em 2010, enquanto o do Brasil é 0,637. Maior, portanto, que os 0,487 registrados em 2000 e mais que o dobro do valor registrado em 1991 (0,292).[12]

Para assegurar um tempo mais longo no convívio escolar e mais oportunidades de aprender às crianças, o Ministério da Educação estabeleceu a implantação do ensino fundamental de nove anos. Em 1991, 86,23% das crianças de 7 a 14 anos estavam cursando o ensino fundamental, índice elevado para 90,42% em 2000. Já em 2010 o índice cai para 83,82%. No caso da faixa entre a faixa de 15 a 17 anos, os índices são de 17,81%, 35,65% e 42,53% respectivamente. Com relação a conclusão, em 1991 22,52% dos jovens de 15 a 17 anos concluíram o ensino fundamental, índice elevado para 45,07% em 2000 e para 2010 o índice sobe para 54,12%. No caso da faixa entre a faixa de 18 a 24 anos, os índices são de 17,70%, 35,10% e 54,15% respectivamente.[29]

O percentual de alfabetização de jovens e adolescentes entre 15 e 24 anos, em 2010, era de 99,11%. Em 2012, entre alunos do ensino fundamental, 22,60% estão com idade superior à recomendada nos anos iniciais e 37,50% nos anos finais. A defasagem chega a 30,50% entre os que alcançam o ensino médio. O aluno é considerado em situação de distorção idade-série quando a diferença entre a idade do aluno e a idade prevista para a série é de dois anos ou mais. Percebe-se que a distorção idade-série eleva-se à medida que se avança nos níveis de ensino.[29]

O IDEB é um índice que combina o rendimento escolar às notas do exame Prova Brasil, aplicado a crianças da 4ª e 8ª séries, podendo variar de 0 a 10. Este município, em 2.011, está na 2.839ª posição, entre os 5.565 municípios do Brasil, quando avaliados os alunos da 4ª série (anos iniciais), e na 3.420ª, no caso dos alunos da 8ª série (anos finais). Quando analisada a posição do município em seu Estado, Dourados é o 36º posição nos anos iniciais e na 33º, nos anos finais. O IDEB nacional, em 2011, foi de 4,7 para os anos iniciais do ensino fundamental em escolas públicas e de 3,6 para os anos finais. Nas escolas particulares, as notas médias foram, respectivamente, 6,5 e 6,0. Ainda considerando o IDEB de 2011, nos anos iniciais somente 711 municípios brasileiros obtiveram nota acima de 6,0; a situação é ainda mais crítica quando se verificam os anos finais, apenas 10 municípios brasileiros conseguiram nota acima de 6,0.[29]

O índice de educação do IFDM registrado em Dourados em 2011 foi de 0,6963 pontos, o que coloca o município em 3151º lugar no país e 38º lugar no estado.[24]

IFDM educação de Dourados[24]
Ano IFDM Pos nac Pos est
2011 0,6963 3151º 38º
2010 0,7276 3116º 41º
2009 0,7225 2787º 38º
2008 0,7144 2483º 31º
2007 0,7155 2384º 35º
2006 0,6886 2149º 22º
2005 0,6997 1961º 19º
2000 0,6655 1550º 12º

Celebridades douradenses[editar | editar código-fonte]

Personalidades douradenses que são conhecidas no MS, Brasil ou mundo.

Daniela Albuquerque

Renomada apresentadora de televisão,[30] atriz e ex-modelo brasileira.[31] Atualmente apresenta o reality show Dr. Hollywood e a revista eletrônica Manhã Maior na RedeTV!. É casada com Amilcare Dallevo, um dos donos da emissora,[32] 25 anos mais velho que ela.[33]

Emmanuel Marinho

Poeta, ator e educador brasileiro.[34] [35] Emmanuel compõe poemas, edita-os em livros e os interpreta no teatro e na música. Pesquisando a cultura sul-mato-grossense, Marinho desenvolveu uma linguagem artística entre o teatro, a música e a literatura. Deste trabalho resultou a publicação de sete livros, um CD e vários espetáculos teatrais.

Lucas Pezzini Leiva

Mais conhecido como Lucas Leiva ou simplesmente Lucas é um futebolista brasileiro que atua como volante. Atualmente, joga no Liverpool. É sobrinho do ex-jogador Leivinha do Palmeiras e da Seleção Brasileira. Já jogou também pelo Grêmio e Seleção Brasileira.

Keirrison

Futebolista brasileiro que atua como atacante. Atualmente, joga pelo Coritiba. Seu nome incomum é uma junção do primeiro nome de Keith Richards, guitarrista dos Rolling Stones, com o sobrenome de Jim Morrison, falecido vocalista do The Doors.[36] . Keirrison foi revelado nas categorias de base do CENE.

Mário Lúcio

Futebolista brasileiro que joga pelo Coritiba. Mario Lucio é meio-campista, começou a carreira no Guarani em 2009.

Michela Dauzacker Marchi

Foi a segunda representante do Mato Grosso do Sul a ser eleita Miss Brasil, num concurso realizado em 1998 em São Paulo, seguida pelas Misses Rondônia (Miss Brasil Mundo), Rio Grande do Sul (Luize Altenhofen, que seria uma das modelos brasileiras consagradas e foi eleita Miss Brasil Beleza Internacional), Rio Grande do Norte e Acre.

Thiago Machado Mattos (Thiaguinho)

Jogador de futebol do Atlético Clube Goianiense. Já jogou também pelo Remo.

Urbanização[editar | editar código-fonte]

Zona rural de Dourados com a cidade no horizonte.

A partir de 1950 Dourados sofre um impulso desenvolvimentista graças a construção de estradas, o que desencadeou o início desenfreado de novas construções e um crescimento desordenado. Atualmente sendo o maior e mais desenvolvido centro urbano do interior do estado de Mato Grosso do Sul, Dourados possui um tecido urbano contínuo com quadras que formam desenho que lembra um tabuleiro de xadrez em grande parte da cidade. O núcleo central da cidade apresenta-se verticalizado, caracterizados pela presença de edifícios comerciais e de serviços tais como shoppings e hipermercados e a periferia da cidade desenvolve-se, de forma geral, com casas e edificações baixas. Até pouco tempo atrás, a Lei do Uso do Solo de Dourados previa que os edifícios podiam atingir no máximo 12 andares. Mas com a nova Lei do Uso do Solo da cidade, não há mais restrição do número de andares que os edifícios de Dourados pode ter. Apesar disso quase todos os prédios contruídos até hoje na cidade tem até 12 andares. Todavia, é a segunda cidade no estado em quantidade de prédios, de acordo com a página especializada em pesquisa de dados sobre edificações Emporis Buildings.[37] [28] [38]

Algumas regiões da cidade passaram a concentrar núcleos de comércio, o que incentivou a criação de novas núcleos do ponto de vista socioeconômico. A cidade também passou por várias mudanças ao longo dos últimos anos. Com a criação de novas indústrias e empresas comerciais na cidade vindas de outras cidades ou estados, várias áreas que antes abrigavam galpões de antigas fábricas ou mesmo abandonados transformaram-se em áreas comerciais ou mesmo residenciais.[38]

Habitação[editar | editar código-fonte]

Em Dourados há um total de 67.767 imóveis (sendo 67.671 particulares e 96 públicos) segundo dados do censo do IBGE de 2010[39] (138º lugar entre todos os municípios brasileiros e no estado é o 2º maior).

Domicílios de Dourados
Total de domicílios 67 767 domicílios[39]
Domicílios particulares 67 671 (99,86%)
Domicílios coletivos 96 (0,14%)
Domicílios por rendimento per capita[40]
Mais de 5 salários
4,91%
De 2 a 5 salários
14,78%
De 1 a 2 salários
27,67%
De 0,5 a 1 salário
32,24%
De 0,25 a 0,5 salários
14,76%
Até 0 25 salários ou sem rendimento
5,63%
Distribuição das classes sociais[40]
Classe A
4,91%
Classe B
14,78%
Classe C
59,91%
Classe D
14,76%
Classe E
5,63%
Classe alta (A - B)
19,67%
Classe média (C - D)
74,67%
Classe consumidora (A - B - C - D)
94,36%
Classe periférica (E)
5,63%
Energia Elétrica

Em Dourados o serviço de energia elétrica é distribuída pela companhia responsável (Enersul, privada) para uso exclusivo no município. O sistema elétrico que atende a região de Dourados é gerido pela Eletrosul e encontra-se incorporado ao Sistema Interligado Sul/Sudeste/Centro-Oeste do país, o que representa sua elevada importância e seu significativo grau de confiabilidade. Apesar de haver necessidades de ampliação da rede elétrica para residências e indústrias, nos últimos anos essas deficiências diminuíram.[41]

Em Dourados são 79.381 ligações de energia elétrica em aproximadamente mil km de rede de distribuição urbana. Esses quase 80 mil consumidores consomem 476.575 Mwh por ano. Desse total 68.414 (145.259 Mwh/ano) são consumidores residenciais, 662 (142.722 Mwh/ano) consumidores industriais e industriais livres, 7.414 (103.025 Mwh/ano) consumidores comerciais e comerciais livres, 2.192 (25.994 Mwh/ano) consumidores rurais, 527 (41.549 Mwh/ano) do poder e serviço público, 160 (17648 Mwh/ano) da iluminação pública e 12 (378 Mwh/ano) consumidor de finalidade própria[28]

Recursos hídricos

Com relação aos recursos hídricos, o abastecimento em Dourados é considerado bastante satisfatório pela população. A captação de água local é proveniente do Rio Dourados, uma vez que o referido rio ainda mantém boa qualidade ambiental.[28] Dourados é dotada de 60.851 ligações de água. Em números absolutos a rede geral soma 48 554 unidades, poços ou nascentes somam 11 424 unidades e outras formas somam 873 unidades. Com relação a existência de sanitários 60 694 domicílios eram com sanitários e 157 unidades não tinham sanitários, sendo que a extensão da rede de esgoto soma 294 923 m com número de economias totalizando 24.742. No saneamento possui 826 882 m de extensão de rede, sendo 63.851 ligações reais e 58.660 economias reais com volume produzido de 18 894 892 m3, volume consumido de 9 727 002 m3 e volume faturado de 10 753 942 m3.[28]

Coleta de lixo e reciclagem

O serviço de coleta de lixo em Dourados é considerado satisfatório. Em 2010, dos 60.851 domicílios da cidade, 92,57% ou 56 328 unidades dos domicílios particulares permanentes contavam com o serviço de coleta de resíduos e as outras 4 523 unidades (7,43%) tinha outros destinos. [28]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Dourados exerce o papel de centro de serviços para uma região que compreende mais de 1 milhão de pessoas, incluindo parte do Paraguai. É um dos mais importantes centros de serviços do estado de Mato Grosso do Sul, principalmente na região meridional do mesmo. Ali se concentram todos os principais bancos do Brasil e possui também uma boa densidade de logística ferroviária, rodoviária e da sua estrutura aeroportuária, que fazem ser um ponto de convergência para os transportes internacionais. Essa situação proporciona um papel considerável à cidade e nela tendem a concentrar, ao extremo, muitas instituições públicas importantes das esferas municipais, estaduais e federais.

Ensino e pesquisa[editar | editar código-fonte]

Logo da Universidade Federal da Grande Dourados, que tem sede no município de Dourados.

A rede de ensino de Dourados é uma das mais extensas do estado. O município possui um sistema de ensino primário e secundário público e privado com uma variedade de profissionais de escolas técnicas. Com 122 estabelecimentos de ensino, 83 são do ensino pré-escolar (18 privadas e 65 pública municipal), 79 do ensino fundamental (18 privadas, 20 públicas estaduais e 45 públicas municipais) e 25 do ensino médio (sendo 7 privadas e 18 públicas estaduais). Com relação as matriculas, Dourados registrou no ensino fundamental 47.770 matriculados, sendo 6.325 (428 rurais) no ensino infantil, 33.800 (5.037 rurais) no fundamental e 7.645 (411 rurais) no ensino médio.[28]

Já no ensino superior destacam-se importantes universidades públicas e privadas, algumas consideradas centros de referência em determinadas áreas. Entre as instituições públicas de ensino superior, podem-se destacar a Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), criada em 1 de agosto de 2005, quando foi desmembrado dos quadros da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). A UFGD também é aquela com o maior número de vagas de graduação e de pós-graduação em Dourados, sendo responsável também pela formação do maior número de mestres e doutores na cidade, bem como responsável por grande parte de toda a produção científica do estado de Mato Grosso do Sul.[42] Há ainda a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS)[43] e o Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), que está em implantação no município.[44] O município também possui faculdades particulares com grande reputação regional e estadual, como o Centro Universitário da Grande Dourados (UNIGRAN)[45] e a Faculdade Anhanguera de Dourados (FAD), mantida pelo grupo Universidade Anhanguera,[46] além de diversos institutos de ensino superior e pesquisa em áreas específicas, entre os quais podem ser destacados a Escola Superior de Direito do Mato Grosso do Sul (ESUD) (direito)[47] e a Faculdade Teológica Batista Ana Wollerman (FTBAW) (teologia) [48]

Um pólo de pesquisa importante do município é a Embrapa Agropecuária Oeste, fundado em 13 de junho de 1975, e atualmente vinculado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), um centro de renome internacional em pesquisa científica, onde desenvolve ações de pesquisa e transferência de tecnologia para a sustentabilidade da agricultura na região.[49]

Hospedagem[editar | editar código-fonte]

Com mais de 3 mil leitos hoteleiros, a hospedagem em Dourados no geral exerce o comércio da recepção e de alojamento dos turistas e visitantes em geral em seus meios de hospedagem, que totalizam 29 unidades.[50]

Os hotéis geralmente são constituidos de um edifício ou prédio contendo unidades habitacionais, uma recepção e uma governança, para hóspedes. Podendo ter ainda o serviço de alimentos e bebidas, na sua estrutura, que para isso necessitar de: cozinha, adega, restaurante, bar, cantina e despensa. Pode contar ainda com estacionamento externo, garagem interna e área de lazer.

A Pousada é caracterizada por ser um meio de hospedagem instalada em edificação de valor histórico e é denominada popularmente como um modelo rústico de hospedagem contando com unidades habitacionais individualizadas e com decoração identificada com a localidade.

O Albergue caracteriza-se por dispor de acomodações coletivas e seu público alvo são os jovens e mochileiros.

Infra-estrutura financeira[editar | editar código-fonte]

Movimentação financeira (fonte: IBGE 2013)[22]
Tipo de movimentação Valor (R$)
Operações de Crédito 2.199.026.680,00
Depósitos à vista - governo 5.382.371,00
Depósitos à vista - privado 141.856.258,00
Poupança 465.020.183,00
Depósitos a prazo 310.997.072,00
Obrigações por Recebimento 559.584,00
Total 3.122.842.148,00

Dourados possui variadas opções de estabelecimentos financeiros que oferecem variados serviços, entre bancos e financeiras. são 21 agências, entre elas estão cinco agências do Banco do Brasil,[51] três do Bradesco,[52] quatro da Caixa Econômica Federal,[53] três do Itaú,[54] uma do HSBC,[55] uma do Pan (antigo Panamericano),[56] duas do Santander [57] e três do SICREDI[58]

Naturalmente os caixas eletrônicos são um complemento das agências bancárias correspondentes, sendo quatorze do Banco do Brasil,[51] dez do Bradesco,[52] nove da Caixa Econômica Federal,[53] tres do Itaú,[54] três do HSBC,[55] uma do Pan (antigo Panamericano),[56] duas do Santander,[57] três do SICREDI[58] e sete do banco 24 Horas[59]

Além das modalidades financeiras citadas acima, ainda há serviços de crédito pessoal,[60] as nove lotéricas da Caixa Econômica Federal,[61] e o Banco Postal dos Correios,[62] onde os dois últimos funcionam como agência bancária.

Meios de comunicação[editar | editar código-fonte]

A partir de 1 de setembro de 2008 o município passou a ser servido pela portabilidade telefônica.[63] e na telefonia móvel a cidade é atendida pelas empresas Vivo[64] , Tim[65] , Claro[66] e Oi[67] . Assim como no restante de MS, o código de área em Dourados é 0XX67.[68] Em Dourados há 71.439 terminais telefonia fixa instalados e 38.483 terminais de serviços atendidos pela operadora Oi.[28] . Ainda em dados da ANATEL, Dourados possuía 89.483 telefones móveis, com um índice por área de DDD de 1 aparelho celular para cada 3 habitantes.[69] A cidade conta com serviços de internet discada e banda larga (ADSL) sendo oferecidos por diversos provedores de acesso gratuitos e pagos. A rede de internet no município é em fibra Ótica representada por Oi Velox,[70] Claro[71] , Tim[72] e Vivo.[73]

O serviço postal é atendido por 3 agências da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos funcionando na cidade. Há também 1 agencia de correio comunitário. O Código de Endereçamento Postal em Dourados vai de 79.800-000 a 79.849-999.[4] [28]

Há transmissão de canais nas faixas Very High Frequency (VHF) e Ultra High Frequency (UHF). Entre os canais de TV analógico operando na cidade estão a MS RecordRecord (canal 4), RIT DouradosRIT (canal 5), SBT MSSBT (canal 10), Record News (canal 16), Canção Nova (canal 21), TV MorenaRede Globo (canal 25) e Rede Vida (canal 27). Já entre os digitais estão TV Brasil PantanalTV Brasil (canal 29), TV MorenaRede Globo (canal 31 – 13.1), MS RecordRecord (canal 34 – 4.1), Record News (canal 36 - 16.1), RIT DouradosRIT (canal 41 - 5.1), Rede Vida (canal 43 - 27.1) e Canção Nova (canal 54 - 21.1).[74] A cidade sedia ainda onze emissoras de rádio, sendo seis em modulação em frequência (FM) comercial, duas FM comunitárias e três em modulação em amplitude (AM). Existem rádios como a Boa Nova (87.9 FM comunitária),[75] Grande FM (92.1 FM), 94 FM Dourados (94.7 FM), Coração FM (95.7 FM),[76] Harmonia (98.3 FM comunitária),[77] Cidade 101 (101.9 FM), Transamérica Hits (103.7 FM), Band FM (104.7 FM), Rádio Deus é Amor (720 AM), Rádio Alvorada (770 AM) e Rádio Imaculada Conceição (1060 AM)[74] De acordo com o site Radios.com.br, a FM mais ouvida na cidade é a 94 FM Dourados, seguida pelas rádios Cidade 101 e Band FM.[78] Existem ainda seis jornais em circulação no município, sendo três deles diário. Destaca-se O Progresso,[79] Folha do Povo,[80] e Diário MS.[81] Já entre os jornais semanários estão Folha de Dourados,[82] Gazeta Popular,[83] e Repórter MS[84]

Com relação ás revistas, Dourados possui a Saúde Atual, Arandu, Troféu, Corpo e Mente, Bom de Ler e Vendas Diretas, além de revistas da UNIGRAN (3 revistas), UFGD (11 revistas), UEMS (7 revistas) e Anhanguera Educacional (11 revistas), além de distribuição de revistas de outros estados e/ou nacionais como Veja, Isto É, Época e Haley (de Ribeirão PretoSP).[85]

Meios de transporte[editar | editar código-fonte]

Saguão do Aeroporto Regional de Dourados, um dos principais do estado.

A cidade de Dourados está localizada no centro-sul do estado de Mato Grosso do Sul e possui um sistema modal de transporte aéreo, rodoviário e ferroviário que ligam a cidade com o resto do Brasil e também com o exterior. Seu complexo sistema intermodal de transporte inclui linha aérea, rodovias e estrada de ferro ligando a cidade ao resto do país e a interligação com Distritos, vilas, lugarejos, sítios e fazendas pode ser feito por estradas pavimentadas que permitem acesso durante todo o ano. Com uma frota de 123 595 veículos em 2013, estima-se que o município de Dourados alcançou uma taxa de motorização de 0,595 veículos por habitante, o que corresponde aproximadamente a um veículo para cada dois habitantes. Do total da frota local, divide-se em 56.158 automóveis, 42.411 motocicletas e motonetas, 5.245 caminhões, 14.578 camionetas, caminhonetes e utilitários, 668 ônibus e micro-ônibus e 4.545 outros veículos.[20] [22]

O município de Dourados também é servido por algumas rodovias na sua extensão territorial. A principal delas é a BR-163, uma rodovia federal que é um dos principais corredores rodoviários do município. No estado faz a ligação de Dourados às cidades de Mundo Novo, Naviraí, Rio Brilhante, Campo Grande e Coxim.[86] Também há outras rodovias federais como a BR-376[87] e a BR-463.[88] Há ainda rodovias que são administradas pelo poder estadual, como a MS-156, MS-162, MS-276, MS-274 e MS-379. Na região central da cidade encontra-se o Terminal Rodoviário Renato Lemes Soares, o maior terminal do interior sul-mato-grossense. Com 15 empresas atuantes, possui linhas de ônibus para diversos municípios do estado e para muitos outros estados do país, além de linhas para outros países sul-americanos, como Paraguai e Bolívia. O terminal é anexo ao Shopping Avenida Center, o principal centro de compras da referida cidade, e é quase integrado ao Parque Arnunpho Fioravante. No transporte ferroviário, o município era servido pelo antigo Ramal de Ponta Porã, que já funcionou conduzindo passageiros com a função de turismo ou de comércio de exportação. O embarque em Dourados era feito na Estação Itaum, que situava-se fora do seu perímetro urbano. Este ramal possui 410 km que começa em Campo Grande e vai até Ponta Porã, fronteira com o Paraguai. Esse ramal é continuação do trecho Bauru-Campo Grande, que totaliza 1250 km. Fez sua última viagem em 1996 para logo depois ser desativado. Atualmente a ALL administra o trecho transportando apenas carga. Até o momento não há previsão para reativar o trecho para passageiros. No município há um complexo aeroportuário, o Aeroporto Regional de Dourados, que está localizado próximo à fronteira com o Paraguai (cerca de 110 km), estando assim situado dentro da faixa de fronteira do Brasil com o Paraguai, na Região da Grande Dourados, que concentra 38 Municípios, onde a agricultura é pujante, sendo uma região estratégica de Mato Grosso do Sul em que atende aproximadamente 1 milhão de pessoas.

Os sistemas de transporte público representa um papel fundamental no dia a dia da municipalidade e apenas uma empresa faz o serviço de transporte coletivo no município, a Viação Medianeira. Dourados conta com uma mediana estrutura de linhas de ônibus, com uma frota de cerca de 57 unidades, entre ônibus comuns e articulados.[89] Além disso, Dourados possui a maior frota de táxis e mototaxis do interior de Mato Grosso do Sul. Já o sistema viário do município é cortado por algumas grandes vias que têm papel estruturador, tanto na escala infraurbana quanto na intermunicipal: Avenida Marcelino Pires, Avenida Weimar Gonçalves, Rua Presidente Vargas e Rua Coronel Ponciano. Estas "artérias" são consideradas as principais vias estruturais (ou vias expressas) do município, sendo que, a elas, conectam-se diversas rodovias, dentre as quais a BR-163, BR-376 e BR-463. Além do mais, recentemente foi inaugurado o Anel Viário Norte, que permitirá o acesso a quem margear a cidade vindo do sentido norte do município.

Sistema de saúde e óbito[editar | editar código-fonte]

Dourados é um dos principais polos de saúde da Região Centro-Oeste e é sede de instituições de todos os três níveis de governo: federal, estadual e municipal. O setor privado de saúde também é relevante e a grande parte dos melhores hospitais brasileiros está localizada na cidade. Os serviços públicos de saúde são geralmente de responsabilidade do governo municipal e estão espalhados por todo o território municipal. Totalizando 356 unidades de saúde de todo tipo em todo o município, possui no total 30 unidades básicas de saúde (UBS), e várias clínicas ambulatoriais e de emergência. A Secretaria Municipal de Saúde tem 51 funcionários, entre eles 4 médicos. Em 2014, a cidade de Dourados tinha vários centros e escritórios de profissionais (médicos, dentistas e outros), além de 9 hospitais. Juntos, estas unidades oferecem um total de 618 leitos hospitalares, que se dividem em 391 públicos e 227 privados.[90] Entre seus melhores hospitais estão:

Cemitérios[editar | editar código-fonte]

Os cemitérios de Dourados são lugares onde são sepultados os cadáveres, sendo o mesmo que necrópole ou sepulcrário. Na maioria dos casos os cemitérios são lugares de prática religiosa e os ritos funerários são cumpridos de acordo com a respectiva religião (católica, protestante, judaica, islâmica) ou fraternidade (maçônica). Em Dourados destaca-se os cemitérios Luterano, Cemitério Parque (privados), Bom Jesus e Santo Antônio de Pádua (públicos).

Segurança[editar | editar código-fonte]

Em termos gerais, a segurança pública em Dourados assegura o bem-estar das pessoas e dos bens, sobretudo através da aplicação da lei. Por extensão, o termo "polícia" é também utilizado para designar as corporações e as pessoas que têm como principal função o exercício daquela atividade. Hoje em dia, o termo "polícia" está normalmente associado aos serviços e agentes do estado nos quais o mesmo delega a autoridade para o exercício dos seus poderes de polícia, dentro de um limite definido de responsabilidade legal, territorial ou funcional. Normalmente, aos agentes de autoridade policial é concedido o poder para o uso legítimo da força no âmbito do cumprimento da sua missão. Apesar de ser normalmente associada exclusivamente à atividade de aplicação da lei, a atividade policial é bastante mais abrangente. Para além da preservação da lei e da ordem, a polícia pode incluir outras atividades como o socorro em situações de acidente ou catástrofe, o planeamento urbano, a educação de menores e até a assistência social Em Dourados há as seguintes instituições de segurança pública

Polícia Federal

Possui uma Delegacia com infraestrutura completa e policiais especializados em trabalhos dentro da cidade.

Polícia Rodoviária Federal

Possui uma delegacia e posto situado no Km 267 da BR-163.

Polícia Civil

A Polícia Civil está presente no município com sua delegacias e departamento especializados:

  • Delegacia Regional de Polícia de Dourados
  • Delegacia de Atendimento à Infância, Juventude e Idoso - DAIJI
  • Delegacia de Atendimento à Mulher - DAM
  • Primeira Delegacia de Polícia de Dourados
  • Segunda Delegacia de Polícia de Dourados
Polícia Militar

A Polícia Militar faz o trabalho ostensivo e repressivo no combate a criminalidade na cidade.

  • 3º BPM – Dourados
  • GPM – Distrito de Indápolis
  • 2º Pel/2ª Cia – Distrito de Itaum
  • 1º GPM/1º Pel/3ª Cia - Distrito de Vila Formosa
  • 2º GPM/1º Pel/3ª Cia - Distrito de Vila Vargas
  • 3º GPM/1º Pel/3ª Cia - Distrito de Panambi
  • 4º Pel/1ª Cia/15º BPM Ambiental
Guarda Municipal

Faz a ronda para fiscalizar dentro da cidade.

Segurança nacional[editar | editar código-fonte]

A segurança nacional é representada pelos órgãos de Defesa Nacional, que no caso de Dourados é representado pelo Exército Brasileiro e é realizada pelas seguintes unidades:

Economia[editar | editar código-fonte]

Composição econômica de Dourados[22]
Agropecuária R$ 258.203.000,00
5,95%
Indústria R$ 868.982.000,00
20,03%
Serviços R$ 3.210.762.000,00
74,02%

Com PIB de 4.337.946.725,00 reais e PIB per capita de 21.862,23 reais em 2011,[13] é um importante centro agropecuário, comercial, industrial e de serviços da região, possui a segunda maior arrecadação de ICMS do estado.

População economicamente ativa[editar | editar código-fonte]

A população economicamente ativa em Dourados é de 78.226 pessoas (47.452 homens e 30.775 mulheres). O maior empregador no município é o setor terciário (comércio e serviços).

Potencial de consumo[editar | editar código-fonte]

O índice de potencial de consumo (IPC Maps, divulgado divulgado pela IPC Marketing Editora) mapeia o potencial de consumo dos municípios brasileiros baseado em dados divulgados por várias instituições oficiais, sendo utilizado atualmente por mais de 700 empresas e elabora um ranking classificando os 500 maiores municípios relativo ao poder de consumo, contemplando o perfil de consumo urbano e rural dos 5.565 municípios brasileiros. O município de Dourados possui o segundo maior mercado de Mato Grosso do Sul e subiu oito posições no ranking do sistema IPC Maps, ficando assim com a posição 114 (0,12795) em 2014, ante a posição 122 (0,11950) em 2013 entre todas as cidades brasileiras. E seu potencial de consumo chegou a R$ 4,174 bilhões. O valor é 16,40% superior aos R$ 3,586 bilhões de 2013. São R$ 588 milhões a mais de movimentação previstos no comércio e serviços no ano de 2014. Sendo assim Dourados teve o maior crescimento do que os outros três municípios de MS com mais de 100 mil habitantes. O mercado douradense equivale ao de Três Lagoas, Corumbá e Ponta Porã somados e é provável que seu crescimento futuramente será a metade do crescimento do comércio de Campo Grande, que tem população quatro vezes maior a douradense.[23]

Crescimento do Produto Interno Bruto (PIB)[13]
Ano PIB (R$) PIB per capta (R$)
2000 936.045.000,00 5.611,24
2001 1.080.749.643,00 6.356,30
2002 1.349.088.000,00 7.786,00
2003 1.743.530.000,00 9.876,00
2004 1.845.043.000,00 10.261,00
2005 1.807.047.000,00 9.869,00
2006 1.930.401.000,00 10.359,00
2007 2.364.801.000,00 13.003,00
2008 2.872.065.000,00 15.309,43
2009 3.003.284.000,00 15.826,58
2010 3.543.858.000,00 18.074,64
2011 4.337.946.000,00 21.862,23

Importância regional e nacional[editar | editar código-fonte]

A cidade exerce grande importância no estado, região e país. Geograficamente, Dourados exerce grande importância regional. A identificação do espaço geográfico local com os seus elementos, formas e funções muito específicas e estimulantes, ocorre em razão da necessidade de apreender um espaço que tem se inscrito na história precedente e recente de forma peculiar. Os cenários de desenvolvimento reservam para a cidade uma face de privilegiada posição geográfica que garante relevante papel central na geopolítica regional frente aos países vizinhos e ao Brasil. Dourados, com 190 mil habitantes e 21 relacionamentos diretos, é uma capital regional C. Dourados é uma das duas cidades de MS (juntamente com Campo Grande) que, como as metrópoles, também se relacionam com o estrato superior da rede urbana. Com capacidade de gestão no nível imediatamente inferior ao das metrópoles, têm área de influência de âmbito regional, sendo referidas como destino, para um conjunto de atividades, por grande número de municípios. Dourados é uma das 39 cidades no Brasil com a classificação Capital Regional C[91] . As 30 cidades influenciadas por Dourados são as seguintes:

Setor primário[editar | editar código-fonte]

Os migrantes gaúchos, que chegaram em razão dos preços das terras serem baixos, introduziram na região uma cultura agrícola que consiste no tratamento do solo de alto nível e elevam a área plantada de 3.500 para 134 mil hectares nos anos 1970 e 80. Esses granjeiros ocuparam várias áreas por toda a região de Dourados. Também deram grande contribuição para a criação de empresas comerciais ligadas a atividades agrícola: comércio de cereais, implementos e máquinas agrícolas, assistência técnica, entre outros. Ainda hoje, a presença do migrante gaúcho é numerosa em todo o setor terciário do município de Dourados. Na agricultura destaca-se a produção de milho, soja e feijão. OBS: Maior produtor de milho, 2º produtor de arroz, 1º produtor de feijão, 3º produtor de soja, 4º produtor de trigo, 11º produtor de mandioca e 25º produtor de algodão herbáceo. Na pecuária destaca-se a criação suína e de aves. Ainda tem criações de bicho-da-seda e da pecuária bovina. OBS: 2º rebanho suíno, 3º efetivo de aves (galinhas, galos, frangos), 3º produtor de ovos de galinha, 5º produtor de mel de abelhas (juntamente com os municípios de Itaquiraí e Três Lagoas) e 9º produtor de leite.

Setor secundário[editar | editar código-fonte]

Em Dourados se destacam as indústrias de alimentos (farelo, álcool e açúcar), frigoríficos e têxtil. Segundo o IBGE, Dourados tem um total de 448 indústrias de transformação. Principais Ramos: industria extrativa, transporte, frigoríficos (abate de bovinos, suínos, aves, coelhos), fábrica de rações e incubatório de aves, suínocultura, avicultura, graxaria, charqueada, curtume (couros e seus derivados), usinas de beneficiamento de leite, indústria de trigo e outros cereais, indústria e acumulados para veículos e de baterias, indústria moveleira, esmagamentos de soja,Vila do Artesanato (Distrito de São Pedro),tempero de alho (distrito Vila Vargas), ração e degerminação de milho, erva mate, metalúrgica e equipamentos agrícolas, equipamentos hidráulicos, máquinas de lavar roupas, fabrica de massas e biscoitos, embalagens plásticas, madeireira, indústria química, minerais não metálicos, vestuário (roupas, calçados e artefatos de tecidos), editorial e gráfica e mecânica.

Setor terciário[editar | editar código-fonte]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Wikivoyage
O Wikivoyage possui o guia Dourados

O município possui vários atrativos turísticos que conseguem atrair um bom número de turistas e receita. A cidade tem seu próprio gestor de turismo, o Grande Dourados Convention & Visitors Bureau.

Turismo de contemplação
  • Áreas verdes

Dourados dispõe das principais áreas verdes:

  • Parques:
Parque dos Ipês
  • Horto Florestal: área verde localizada mais ao sul da cidade de Dourados.
  • Parque Antenor Martins: o parque foi fundado em 1977 e possui aproximadamente 7.700 m². Seu destaque é um grande lago onde são realizados campeonatos de pesca. O parque já abrigou grandes eventos como o Verão Dourados.
  • Parque Arnunpho Fioravanti: se localiza ao lado do terminal rodoviário e shopping center, possuindo um imenso lago e uma grande área de lazer.
  • Parque Córrego Rêgo d'Água: parque em área de proteção ambiental, ao longo do leito do córrego Rego D'Água.
  • Parque dos Ipês: inaugurado no final de 1995, já abrigou manifestações culturais de grande importância na cidade, como o "mercado étnico", recentemente realizado.
  • Praças
  • Praça Antonio Álvares Duarte: situada em frente ao Hospital Evangélico, a praça abriga o único terminal de transbordo de Dourados.
  • Praça Antonio João: localizada no centro de Dourados, possui um calçadão, conhecido como calçadão central. Ainda fica na Praça a Igreja Católica Central Imaculada Conceição, mais conhecido por Igreja Matriz.
  • Praça do Cinqüentenário: relata a história, que a praça foi construída quando Dourados completava 50 anos, em 1985. Eventos musicais, de dança e de teatro são frequentes nessa área pública. Esta praça também recebe eventos religiosos.
  • Praça Paraguaia: praça de pequeno porte que abriga uma capela da Virgem Madre de Caacupê.
  • Monumentos
  • Casa de Madeira (BR-163, Rodovia Dourados - Campo Grande): na data de seu tombamento, era de propriedade de Albino Gonçalves da Silva, no perímetro urbano a do Distrito da Vila São Pedro.
  • Cruzeiros: um deles foi tombado como patrimônio histórico do município o "Cruzeiro" é marco do início da colonização do Núcleo Colonial de Dourados. O outro se localiza na CAND (Colônia Agrícola Nacional de Dourados).
  • Estação Ferroviária de Itahum (distrito de Itaum): prédio usado para o embarque e desembarque de passageiros.
  • Figueiras: se situam nas ruas Wlademiro Muller do Amaral, em frente ao n 274 (1 figueira); Vila Amaral - Av. Pres. Vargas entre Marcelino Pires e Onofre P de Mattos (17 figueiras);Rua João Candido Câmara entre João Vicente Ferreira e Oliveira Marques (12 figueiras); Rua João Rosa Góis entre Joaquim T Alves e Cuiabá (9 figueiras); Avenida Aniz Rasselen, BR-463 (1 figueira).
  • Marco de Cimento (Parque dos Ipês): delimita a divisa entre o núcleo urbano de Dourados e a Colônia Agrícola Nacional de Dourados. Foi tombado pelo Patrimônio Histórico Municipal "Presidente Getúlio Vargas".
  • Monumento do Colono: popularmente conhecido como "Mão do Bráz"
  • Usina Filinto Müller: conhecida também como Usina Velha, na data de seu tombamento ficou estipulado que a antiga usina seria transformada no Museu de Dourados, restaurada pelo poder público municipal, a usina está localizada em uma área de 12.222 m².
Turismo agrícola

Considerada, hoje, a maior fronteira agrícola do País, a região despertou também para outra riqueza: o turismo agrícola, que visa levar o homem da cidade a conhecer as maiores fazendas de soja, milho, trigo e outros grãos dentro da melhor técnica, desde o plantio até a colheita.

Turismo de eventos
Ver anexo: Lista de locais para eventos e apresentações em Dourados

A cidade possui várias opções, entre elas cinemas, restaurantes, teatros, bares, choperias e tomar tereré, possuindo também uma vida noturna bastante rica. Atrai visitantes por eventos como a EXPOAGRO (Feira Agropecuária de Dourados), o Campeonato Brasileiro de Motocross, Festa das Nações, Festa do Peixe, Temporadas Populares e eventos científicos realizados em suas universidades. Relação dos locais onde ocorrem eventos e apresentações na cidade:

Eventos
Data móvel
  • Carnaval Comunitário (Folia Popular): Importante festa popular que aqui acontece também nos bairros populares. Sempre se apresentam grupos de animação conhecidos e renomados.
Janeiro
  • Exposição de Fotografias: exposição da mémoria e história douradense. Exposição de todo acervo pertencente ao Museu Histórico de Dourados. Mostram a história dos significativos eventos em Dourados.
Fevereiro
  • Verão Dourados: promove shows artísticos, apresentações e várias opções de lazer. Realiza também campeonatos desportivos.
Março
  • Encena Dourados: o Encena Dourados é uma mostra de teatro infantil que tem por finalidade possibilitar o acesso às artes cênicas para um público de aproximadamente 5.000 alunos da rede Municipal de Ensino e dos projetos sociais da administração municipal.
Abril
  • Festa do Peixe: Campeonato de pesca entre a comunidade douradense. Acontece campeonato de pesca durante o dia e a noite é promovida várias atrações artísticas.
Maio
  • Expoagro: exposição agropecuária, industrial e comercial de Dourados. Além de leilões de animais, venda de maquinário agrícola e exposição de novidades do setor agropecuário, a feira apresenta shows musicais e restaurantes com comidas típicas do Estado.
Junho
  • Festa Junina: esta festa tem por objetivo cultivar a tradição do ciclo junino em Dourados, reservar a identidade cultural do município e região, e ainda proporcionar horas de lazer e cultura para a comunidade local. A festa junina tem participação de várias entidades que montam barracas. Também acontece na festa o concurso de quadrilhas e o campeonato do pau de sebo com premiação.
  • Mostra de Dança: Mostra de dança não competitiva que reúne grupos de todo MS.
Julho
  • Festa do Caminhoneiro: festa dedicada aos caminhoneiros
  • Temporadas Populares: quem organiza é o Mercado Cultural e é direcionado à escritores que não têm oportunidade de ter seus trabalhos publicados.
Agosto
  • Concurso Literário de Dourados: esta mostra tem como finalidade difundir e estimular a Arte Literária do Município.
  • Exposição do SAD: exposição promovida pelo Salão de Artes de Dourados, com obras de artistas douradenses e da região. É realizado desde 1997.
Setembro
  • Encontro de Corais: tradicional, reúne grupos corais do Brasil inteiro bem como de países vizinhos como Paraguai, Uruguai e outros.
  • Festival Universitário de Teatro de Dourados (FESTUDO): Festival de teatro que movimento toda a cidade. Grupos do Brasil e de países vizinhos são selecionados por uma comissão de jurados para se apresentarem. Funciona como uma mostra, mas não é competitiva.
  • MARCHA PARA JESUS: Realizada sempre no último sábado de setembro, a Marcha para Jesus é promovida pelo CONPED - Conselho de Pastores Evangélicos de Dourados, presidida pelo Pr Eugênio Henrique Lins do Nascimento. Une a maioria das denominações evangélicas em Dourados em prol da oração intercessória pela cidade. A Marcha faz parte do calendário oficial do Município.
Novembro
  • Concurso de Bandas e Fanfarras: nesse concurso apresentam-se bandas de toda a região de Dourados
  • Indareta: carnaval fora de época que ocorre na região do Indaiá.
Dezembro
  • Aniversário de Dourados: vários eventos são promovidos em comemoração ao Aniversário de Dourados. Cada secretaria prepara algo na sua área para inserir ao evento
  • Festa das Nações: com comidas típicas e apresentações culturais dos países participantes.

Comércio[editar | editar código-fonte]

Típica feira hortifrutigrangeira de Dourados

Dourados possui razoável desenvolvimento comercial e de serviços, possuía em 2006, segundo o IBGE, um total de 3.120 estabelecimentos comerciais. O Município se destaca cada vez mais no setor automotivo abastecendo a região com venda de veículos novos e usados. O setor está inovando começando uma nova era de mercado através da rede mundial de computadores, desenvolvedores estão iniciando esta pratica um deles pode se destacar o site Web Carros MS, dourados esta se inserindo cade vez mais no mundo chamando a atenção de novas empresas recentemente se instalou em dourados a Havan loja de departamentos e outros.

Centros comerciais

Dourados possui um shopping center inaugurado em 2006:

  • Shopping Avenida Center: situado na av. Marcelino Pires, próximo ao terminal rodoviário municipal e ao Parque Antenor Martins, possui 2 pavimentos que totalizam aproximadamente 200 lojas satélite, 3 lojas âncoras, 3 cinemas e praça de alimentação.
  • Extra Hipermercado:localiza-se na Av. Marcelino Pires, próximo ao terminal rodoviário e ao Shopping Avenida Center. Este hipermercado ocupa um quarteirão inteiro com suas instalações.
  • Atacadão: Igual ao extra, também ocupa um quarteirão inteiro.
  • Hiper Center
  • Havan
    • OBS: a cidade possui também vários outros centros de compras menores que são chamadas de galerias, além de supermercados e lojas de conveniências.

Sincretismo religioso[editar | editar código-fonte]

Em Dourados são diversas as manifestações religiosas existentes na cidade. Embora se desenvolveu sobre uma sociedade eminentemente católica, tanto devido à colonização quanto à imigração — e até hoje a maioria dos douradenses se declara católica — é possível também encontrar atualmente pelo município dezenas de denominações protestantes diferentes. Entre elas as religiões orientais têm relevância entre as crenças mais praticadas pelos douradenses. Também são consideráveis as comunidades espiritas, testemunhas de jeová, além dos ateus.

De acordo com dados do censo de 2000 realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população de Dourados está composta por 98,04% de cristãos, que se divide em católicos e ortodoxos (58,62%), protestantes (29,14%), restauracionista (0,52%) e outros cristãos (10,26%). Há ainda os reencarnacionista (1,75%), africanos (0,16%), orientais (0,71%), tradições indígenas (0,04%), tradições esotéricas (0,01%), não definida (0,76%) e os não religiosos (14,85%).[92] [93]

Cristãos[editar | editar código-fonte]

É de longe o maior grupo religioso presente em Dourados, onde é composto por 98,04% dos seus habitantes. Desses, 58,62% são católicos e ortodoxos, 29,14% são protestantes, 0,52% restauracionista e 10,26% representados por outras opções. [92] [93]

Católicos e ortodoxos[editar | editar código-fonte]

Exemplo de uma imagem de Imaculada Conceição, padroeira do município de Dourados

Dourados se situa no país mais católico do mundo em números absolutos. A Igreja Católica teve seu estatuto jurídico reconhecido pelo governo federal em outubro de 2009,[94] ainda que o Brasil seja atualmente um estado oficialmente laico.[95] .

A Igreja Católica reconhece como padroeiros da cidade Imaculada Conceição. O município faz parte da Circunscrições eclesiásticas da Regional Oeste I (que atende Mato Grosso do Sul) e de acordo com a divisão resolvida pela Igreja Católica, o município de Dourados pertence à Província Eclesiática de Campo Grande, mais precisamente à Diocese de Dourados e divide o território do município de Dourados em duas foranias eclesiásticas (Leste e Oeste) e é sede de 9 paróquias e cinco foranias. Seu atual bispo é, desde 2001, Dom Redovino Rizzardo. Com 58,62% da população, a igreja católica e ortodoxa no município de Dourados é formado por representantes da Igreja Católica Apostólica Romana (58,42%), Católica Apostólica Brasileira (0,16%) e Católica Ortodoxa (0,04%).[92] [93]

Igreja matriz

A Catedral Nossa Senhora da Imaculada Conceição: começou a ser construída em 1925, sendo inaugurada no ano seguinte. A população levou para a capela uma imagem de Nossa Senhora da Conceição, trazida da França. A Paróquia foi criada em 1935. A atual edificação foi construída em 1943 e reformada em 1953, abrigando em seu interior um belo mosaico em cerâmica.[96]

Outros templos
  • Igreja Nossa Senhora de Fátima
  • Igreja Santa Teresinha
  • Igreja Nossa Senhora do Carmo
  • Igreja Rainha dos Apóstolos
  • Igreja São Carlos
  • Igreja São José Operário
  • Igreja São João Batista
  • Igreja Bom Jesus
  • Igreja Nossa Senhora Aparecida
  • Igreja São Pedro Apóstolo (Distrito de São Pedro)

Protestantes[editar | editar código-fonte]

A cidade de Dourados possui os mais diversos credos protestantes ou reformados, sendo representado por 29,14% dos habitantes do município, sendo evangélicos de missão (5,53% de adeptos) e evangélicos neopentecostais (14,22%) as duas principais correntes representantes.[92] [93]

Evangélicos de missão[editar | editar código-fonte]

A cidade possui as mais diversas subdivisões de evangélicos de missão. Representado por 5,53% dos munícipes, 0,33% são luteranos, 1,68% são presbiterianos, 0,21% são metodistas, 2,32% são batistas e 0,99 são adventistas.[92] [93]

Templos
  • Congregação Evangélica Luterana Cristo de Dourados
  • Igreja Adventista do Sétimo Dia - IASD Central de Dourados
  • Igreja Adventista da Promessa
  • Igreja Batista possui 15 templos espalhados na cidade
  • Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil
  • Igreja Metodista Cabeceira Alegre
  • Igreja Metodista Central
  • Igreja Metodista Renovada
  • Igreja Presbiteriana Central
  • Igreja Presbiteriana Filadelfia
  • Igreja Presbiteriana Independente
  • Primeira Igreja Batista de Dourados
  • Comunidade Batista da paz (CBPAZ)13ª Igreja Batista de Dourados
Evangélicos neopentecostais[editar | editar código-fonte]

Evangélicos neopentecostais são representado por 14,22% da população. Desse total, 3,82% da Assembleia de Deus, 1,53% são da Congregação Cristã do Brasil, 0,08% da Brasil para Cristo, 1,78% da Evangelho Quadrangular, 0,48% da Universal do Reino de Deus, 1,09% da Deus é Amor, 0,04% da Maranata, 0,06 da Comunidade Evangélica e 5,36% não especificado.[92] [93]

Templos
  • Comunidade Evangélica Sara Nossa Terra
  • Igreja Assembleia de Deus: possui 28 unidades em todo o município de Dourados
  • Igreja Congregação Cristã do Brasil – CCB Dourados: possui 30 unidades em todo o município de Dourados
  • Igreja Deus é Amor: possui 17 unidades na cidade de Dourados
  • Igreja do Evangelho Quadrangular: possui quatro unidades na cidade de Dourados
  • Igreja O Brasil para Cristo
  • Universal do Reino de Deus: possui 5 igrejas na cidade de Dourados

Restauracionista[editar | editar código-fonte]

Os restauracionistas na cidade são representados por 0,52% da população, sendo 0,16 pelo Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Mormon) e 0,36 da Testemunha de Jeová.[92] [93]

Outros cristãos[editar | editar código-fonte]

Na cidade existem também cristãos de outras denominações, representados por 10,26%, sendo 9,38% da população são de outras igrejas evangélicas e 0,88 são de outras religiosidades cristãs.[92] [93]

Outras denominações[editar | editar código-fonte]

Dourados é representado por variados credos onde existem também religiões de várias outras denominações. São elas:

Rencarnacionistas[editar | editar código-fonte]

Os Reencarnacionistas possuem 1,75% da população, sendo 0,04% Espiritualista e 1,71% Espírita.[92] [93]

Africanas[editar | editar código-fonte]

Os africanos totalizam 0,16% dos munícipes, sendo 0,07% Umbanda e 0,09% Candomblé.[92] [93]

Asiáticas[editar | editar código-fonte]

Com 0,71% da população, se divide entre o Judaísmo (0,02%), Budismo (0,38%), Igreja Messiânica (0,01%), Islamismo (0,25%) e outras definições (0,29%).[92] [93]

Tradições indígenas[editar | editar código-fonte]

As Tradições indígenas respondem na cidade por 0,04% da população.[92] [93]

Tradições esotericas[editar | editar código-fonte]

As Tradições indígenas respondem por 0,01% da população.[92] [93]

Não determinada[editar | editar código-fonte]

Opções não determinadas e de multiplo pertencimento respondem por 0,76% da população, sendo os mal definidos respondendo por 0,51% e 0,24% dos que não sabem definir. Há ainda 0,01% de outras definições.[92] [93]

Não religiosos[editar | editar código-fonte]

O Grupo dos não religiosos respondem por 7,43% da população, sendo os sem religião 7,05%, ateus 0,34% e os agnósticos 0,03%.[92] [93]

Desportos[editar | editar código-fonte]

Possui vários outros equipamentos esportivos que impulsionam mais o turismo esportivo e atraem milhares de pessoas, entre eles um motódromo, dois estádios (o principal é o Douradão), cinco ginásios e dois times de futebol.

Automobilismo[editar | editar código-fonte]

A cidade possui os seguintes equipamentos automobilísticos:

Futebol[editar | editar código-fonte]

Os dois times de maior expressão são Clube Desportivo 7 de Setembro e Ubiratan Esporte Clube, estando este último fora do âmbito profissional do futebol. Os estádios que sediam jogos oficiais no município são:

  • Estádio Fredis Saldivar: apelidado de Douradão, é o 2º maior estádio do MS e um dos maiores estádios da região Centro-Oeste e do Brasil, com capacidade para 30.000 pessoas. Foi sede de importantes jogos de futebol e atrai visitantes de outras cidades. Além de eventos esportivos, o estádio já recebeu shows musicais, entre outros eventos culturais.
  • Estádio Napoleão de Souza: conhecido também por Estádio da LEDA, possui capacidade para receber 10.000 pessoas, tendo 2 banheiros e 2 vestiários. Já recebeu jogos importantes da Copa do Brasil e da Seleção Brasileira de Masters. O campo possui medidas oficiais e gramado esmeralda.

Outros esportes[editar | editar código-fonte]

Dourados ainda conta com 5 ginásios:

  • Centro de Atividades Mário Amato: ginásio pertencente ao Sesi, possui uma quadra poliesportiva coberta, com o piso de assoalho.
  • Ginásio da Unigran: além do ginásio possui um campo de futebol suíço de grama esmeralda.
  • Ginásio Municipal de Esportes: principal ginásio de esportes da cidade de Dourados, abriga com destaque eventos esportivos e culturais, como o Carnaval de Cristo que há 14 anos é tradição na cidade. No que se refere a eventos esportivos de destaque, o ginásio já recebeu jogos do Campeonato Estadual de Futsal, além dos jogos escolares do município.
  • Ginásio Poliesportivo do SESC: além do ginásio, o Sesc de Dourados tem parque aquático com uma piscina semi-olímpica e uma de biribol, equipamentos para natação e estrutura para competição.

Cultura e literatura[editar | editar código-fonte]

A cidade é bem desenvolvida culturalmente, possuindo várias opções que abrangem assuntos culturais.

Cultura popular[editar | editar código-fonte]

Produtos regionais[editar | editar código-fonte]

Em Dourados, entre o artesanato que pode ser encontrado à venda, entre outros lugares, na Casa do Artesão, encontram-se peças de cerâmica que podem ser pintadas de forma colorida, ou não, muitas vezes representando animais da região e do Pantanal. Estes trabalhos muitas vezes apresentam detalhes em madeiras típicas da região. Também é possível encontrar peças, como vasos, que possuem utilidade mais que puramente decorativa. Artesãos da cidade ainda produzem rendas de alta qualidade e outros tipos de tecelagem.

Costumes[editar | editar código-fonte]

Influência[editar | editar código-fonte]

É composta de influências originárias dos estados e países de seus povoadores: entre as principais destas influências estão as culturas paulista, sulista e de países como Síria, Líbano, Japão e Paraguai. Ainda partilha a cultura do estado em que está inserido, o Mato Grosso do Sul. Entre os costumes mais fortes da cultura de Dourados tem relação com o meio rural, em eventos como a exposição agropecuária local, por exemplo. A influência que o campo exerce na cidade é grande e percebe-se através dos alimentos.

Músicas típicas[editar | editar código-fonte]

Na música destacam-se géneros provenientes do Paraguai como o chamamé, polca e guarânia, visto que a cidade tem laços estreitos com aquele país.

Instrumentos
  • Acordeão: o som do acordeão é criado quando o ar que está no fole passa por entre duas palhetas (localizadas no chamado castelo, dentro do fole), que vibram mais grave ou agudo de acordo com a distância entre elas (quando mais distantes, mais grave o som) e seu tamanho (quanto maior, mais grave o som produzido). Quanto mais forte o ar é forçado para as palhetas, mais intenso é o som. O ar é proveniente do fole, que é aberto ou fechado com o auxílio do braço esquerdo. A maioria dos acordeões tem quatro vozes, que são diferentes oitavas para uma mesma tecla ou botão. Portanto, num acordeão de quatro vozes com o registro 'master' pressionado, ao tocar um Dó, na verdade são tocados dois Dós na oitava que pressionou, um Dó uma oitava acima e um Dó na oitava abaixo, e isso é responsável pelo som único do acordeão. [97]
  • Flauta: possui um som melodioso, de timbre suave e doce.[98] Seu som depende essencialmente, por um lado, da natureza e da direção da onda de ar e, por outro, do comprimento da coluna de ar. O som fundamental da flauta é o DÓ3, a partir do qual a extensão do instrumento é de 3 oitavas, graças aos harmónicos 2 e 4 (oitava e dupla oitava), cuja emissão é obtida pela modificação da pressão do sopro.[99]
  • Harpa com formato sempre triangular lembrando um arco de caça, a harpa é constituída pela caixa de ressonância, coluna, pescoço(s), pedais e cordas.[100]
  • Violão: possui corda de nylon ou aço, concebida inicialmente para a interpretação de peças de música erudita. O corpo é oco e chato, em forma de oito, e feito de várias madeiras diferentes. O braço possui trastes que a tornam um instrumento temperado. As versões mais comuns possuem seis cordas de nylon, mas há violões com outras configurações, como o violão de sete cordas e o violão baixo, com 4 cordas, afinadas uma oitava abaixo das 4 cordas mais graves do violão. [101]
  • Viola caipira: a viola caipira tem características muito semelhantes ao violão. Tanto no formato quanto na disposição das cordas e acústica, porém é um pouco menor. Existem diversos tipos de afinações para este instrumento, sendo utilizados de acordo com a preferência do violeiro. As mais conhecidas são Cebolão, Rio Abaixo, Boiadeira e Natural. [102]
Gêneros

Os gêneros musicais típicos de Naviraí é grande parte proveniente do Paraguai em função da proximidade com aquele país:[103]

Danças

As danças típicas de Naviraí têm origens diversas, mas grande parte origina de seus semelhantes do Paraguai e Sul do Brasil.[104]

  • Chupim: dança que simboliza a polca paraguaia, representado por três pares, que imitam a ave de mesmo nome cortejando as fêmeas. Frequentemente vai-se ao encontro do Carão, imitação do pássaro de mesmo nome, que é um ave de rapina que tenta roubar de qualquer jeito a fêmea/dama do seu companheiro. É acrescentado ainda toques de castanholas, com os dedos das mãos, da aculturação dos espanhóis. Possui como movimentos a catena, tourear o par, danças e rodar o par.
  • Mazurca: dança igual a rancheira, que é muito comum na região Sul do Brasil e segue o mesmo formato dos bailes sulistas.
  • Palomita: dança de salão executada sob o som de polca paraguaia e/ou chamamé. No Paraguai se utiliza um gênero de mesmo nome para tal dança, com revezamento entre casais participantes.
  • Polca de Carão: chamada também de Polca do Fora, a dança é uma brincadeira que consiste em os dançantes levarem um carão (ou um fora) do seu pretendente. E continua até que todos levem um carão.
  • Toro Candil: caracteriza-se mais como uma brincadeira do que como dança ou folguedo. É feita com o boi (toro em espanhol) feito de arame, pano e a ossada natural da cara do boi, que é abatido para a festa. Duas tochas com fogo aceso são colocadas ao chifre do boi candeeiro (candil em espanhol). Brincantes mascarados (mascaritas em espanhol) fazem apresentações vestidos para não serem reconhecidos (ambos os sexos) brincando entre si e mudam o seu idioma para o guarani. Enquanto o Toro Candil não chega, faz-se a brincadeira do bola-ta-ta (bola de pano embebida em óleo e acesa), daí chuta-se a bola de um brincante para outro até ela apagar totalmente. Então entra em cena o Toro Candil para alcance do auge da festa. Quando ficam cansados, vão para o salão e dançam (pode-se dançar com outro brincante do mesmo sexo, pois eles não se conhecem) no ritmo de salsas e merengues.
  • Xote aos Pares: também chamado de Xote de Três, é uma dança equivalente ao Xote de Duas Damas, que é muito executado na Região Sul do Brasil.
  • Xote Inglês: trazida pelos migrantes do Sul do Brasil, possui formato de xote com duas divisões bem definidas: uma com o ritmo que leva a marcação do giro executado pelo par com seis passos girando á esquerda e depois mais seis passos para a direita e na sequência marca-se dois passos para a a esquerda e dois para a direita com um giro para a direita com mais três passos repetidos nessa segunda parte. Após volta-se ao início e a dança continua até o fim.
Gastronomia e bebidas[editar | editar código-fonte]
Tereré.

Dourados incorpora elementos da cultura paraguaia e indígena em sua gastronomia, visto que recebe influência desses dois meios. Com destaque para as xipas paraguaias. Uma bebida muito comum na cidade é o consumo do tereré (feito com infusão de erva-mate e água gelada), servido numa guampa geralmente de chifre de boi e com uma bomba, de fácil preparo e tomado nos encontros especialmente em grupos jovens. Existem regras que não podem ser quebradas numa roda de tereré e que devem ser respeitadas. A bebida é consumida especialmente nos fins-de-semana, acompanhada de música regional (antigamente guarânia e chamamé, hoje, principalmente, sertanejo).

Movimento cultural[editar | editar código-fonte]

Dourados tem tamanho médio, possuindo grupos de teatro e música experimentais que trabalham de maneiras alternativas.

Cena musical[editar | editar código-fonte]

Existem vários grupos de música sertaneja, rock, rap e canto na ativa em Dourados. Alguns deles:

Grupos
Nome Gênero
FASE TERMINAL Rap
Across Death Metal
Exterminate Messiah Black Metal
Trajeto2 Pop Rock
Instrumenta Vocalia Coral
Léo Verão Pop
Grupo Postal Sul Regional
Daniel Freitas Pop Folclórico
Xupakabras Punk Rock
Cueio Limão Hardcore

Grupos de teatro e dança[editar | editar código-fonte]

Principais grupos de teatro e dança na ativa em Dourados:

  • New Street Power: Um grupo criado em Julho de 2001, formado por 10 Integrantes, já conquistou muitos prêmios e é um dos maiores grupos de Dança de Rua da Cidade. Famoso por ser cobiçado e almejado por muitas pessoas, se tornou grande após participações nos Festivais de Dança do Município, seu principal coreógrafo: Luciano Lima, integrante também do grupo: TWB e que já foi integrante de outro grupo de Dança, o Street Art de Dourados.
  • Agnus Street Dance: estilo dança de rua, o grupo existe há três anos, sendo responsável Claudinei Pires da Cruz (Ney). Nesse período de existência o grupo apresentou-se constantemente no Projeto Arte na Escola no município de Dourados. Além disso, o grupo obteve a 6ª colocação no 3º Festival Internacional de Hip Hop, realizado em Curitiba-PR no ano de 2004. Foi o único grupo de Mato Grosso do Sul a competir no Festival, concorreu na categoria juvenil. Sediado no Sesc Dourados.
  • Companhia de Teatro Rebuliço: o grupo, de atuação infantil, infanto-juvenil, empresarial e adulto apresenta-se em teatros, anfiteatros, escolas e teatro de rua, trabalhando ainda com bonecos, realizam cursos e palestras.
  • Ginasloucos: basquete acrobático, é formado por alunos da Unigran (Centro Universitário da Grande Dourados), eles fazem abertura de jogos municipais e já participaram do quadro "Se vira nos 30" no programa do Faustão em 2003 e 2004, Programa da Eliana (SBT), Ana Rickmann (Record) e de festivais em SP, RJ, PR. Os participantes não são jogadores de basquete, usam desse esporte técnicas para apresentar shows de enterradas de forma acrobática. O líder do grupo é Rogério da Cruz Montes, professor de Educação Física.
  • Grupo de Atores Independentes: de estilo contemporâneo, o grupo existe desde 1996 e participa frequentemente dos Festivais Sul Mato Grossense de Teatro, organizados pela Fesmat, e também do evento Dourados em Cena. Seus tabalhos são voltados para o teatro infantil, adulto e peças de rua. O grupo fez recentmente as campanhas de prevensão da Aids da Dengue (Dia D) na cidade de Dourados, quando foram contratados pela Secretaria Municipal de Saúde local.
  • Grupo de Dança Las Calândrias: especializado em danças típicas do Paraguai, o Grupo de dança Las Calândrias existe desde 1998 e durante este tempo apresentou-se por todo estado e ainda em Cuiabá-MT, Brasília-DF, Assunção-Paraguai. Participou também do 5º Festival de Inverno de Bonito.
  • Grupo de Dança Xirú: especializado em danças típicas gauchescas, esse grupo é subdividido em mirim, juvenil, adulto e xirú. O grupo costuma se apresentar no CTG, em escolas, eventos sociais e jantares de confraternização.
  • Grupo de Teatro Teic a Trango: grupo de teatro da Escola Imaculada Conceição. De estilo infantil, é composto por alunos da escola e formado por 4 turmas de 15 atores. Apresentam-se em diversos eventos infantis, como na semana da criança.
  • Grupo Experimental Anna Pavlowa: de estilo balé clássico, moderno, contemporâneo, dança do ventre, é formado por meninas que dançam na escola de balé Anna Pavlowa, que fazem apresentações artística em encontros de academias e festivais de dança.
  • Grupo Padrões Cia de Dança: de estilo contemporâneo e teatro de dança, apresentam-se em várias ocasiões, com vários estilos como dança de salão, jazz, contemporrâneo e moderno.
  • Grupo de Teatro Passa Anel: O grupo de teatro infantil existe desde 2000 na Escola Franciscana Imaculada Conceição, porém, só recebeu o nome no ano de 2009. O grupo é formado por duas turmas de 20 alunos. Sempre fez apresentações internas e sua estreia no Teatro Municipal foi no ano passado com a Peça "Foi na casa do mestre André" de direção e autoria da Professora Rejani Betoni Garcia Vendramini e será reapresentado em 2010 por convite da FUNCED - Dourados.
  • Grupo de teatro Borboletas na Barriga O Grupo de teatro infantil da Escola MACE, dirigido pela professora Rejani Betoni Garcia Vendramini, existe desde 2006 e todos os anos se apresenta para a comunidade no evento anual Palco MACE. "Encanta Criança" (2006), "Se liga no nosso som" (2007), "Viagem ao mundo do cinema"(2008), "Tem vaga pra Chapeuzinho."(2009)
  • Grupo Teatral Entreartes: de estilo contemporâneo e infantil, o grupo existe desde 1991 e ao longo deste período já apresentou inúmeras peças, entre as quais muitas delas receberam premiações e menções honrosas. Entre as peças montadas pelo grupo podemos destacar: o primeiro espetáculo realizado pelo grupo que foi em 1992, "O mistério da feiurinha", "Alice no país das maravilhas" (1993), "A sementinha" (1994) que recebeu menção honrosa no 2º Festival de Monólogos de Dourados, "Pluft" vencedor de 9 prêmios no 1º Festival Universitário de Teatro Amador de Dourados, além de ter recebido três indicações no Festival de Teatro de MS nas categorias de melhor direção, cenário e espetáculo. Há ainda as peças "Peter Pan" e "Morte Vida Severina" (1996), onde a primeira fora vencedora de sete prêmios no 3º Festival de Teatro Brasil-96, "A menina e o Vento" e "O Patinho Feio" (1997) onde com a segunda peça receberam o prêmio de ator revelação (Rafael Franzini) no 19º Festival de Teatro de MS. Em 1998 o grupo montou e apresentou as peças "Claudinho estala fora" e "Tarde chuvosa". No ano seguinte (1999) com a peça "Menino Maluquinho" o grupo foi vencedor de 6 prêmios no 2º Festival de Teatro Universitário de Dourados (Festudo) e com a mesma peça foram vencedores dos prêmios de melhor direção, espetáculo e atriz no 21º Festival de Teatro de MS. O grupo foi responsável pela montagem e apresentação dos espetáculos "Sítio do Pica-pau-amarelo", "Bom dia Comadre" e pela remontagem de "Peter Pan" nos anos 2000, 2001 e 2002 respectivamente. Meire Milan é a responsável pelo grupo.
  • Cia. Teatral Trupe Zomba: de estilo contemporâneo, a Cia. Teatral Trupe Zomba foi fundada em agosto de 2004 na cidade de Dourados/MS com o objetivo de promover a formação de alunos-atores, montagem de espetáculos e intervenções. Fez parte de um projeto de extensão da Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul – UEMS (2004-2009) e tem apoio de outras instituições como FUNCED, Casa da Cultura da UEMS e SESC-Dourados. O primeiro trabalho teatral da companhia foi à peça Fuck You, Baby de Mário Bortolotto em 2005. No período de 2006 foi realizada a I Mostra de Sketches com diferentes linguagens teatrais: poesia, realismo, o absurdo, a comédia e o sarcasmo. As pesquisas e a escolha das peças são direcionadas com a relevância social através de parcerias com instituições como SENTINELA (2005), CORREIO (2006). No ano de 2007 e 2008 realizou a montagem de Inimigos de Classe de Nigel Willians (violência na escola); Quando as Máquinas Param de Plínio Marcos, II Mostras de Esquetes circulando em Dourados e região. Realizam apresentações de poesia ao pé-do-ouvido (aberturas de eventos institucionais). Produção para empresas como o SIPAT (Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalhado): Doux-Frangosul (2008-2009); Eletrosul (2009/2011); Embrapa (2009) SESI/DOURADOS (2013); Campanha publicitária para UNIMED 30 anos (2009); Campanha publicitária para SICRED Pouped (educação financeira) – mais de 30 apresentações pelo sul do Estado (2009/2013). Montagem e circulação do esquete “Claro” de David Ives (teatro absurdo) - 2009; “Hotel Lancaster” de Mário Botolotto (2009) e das peças infantis “Luas e Luas” de James Thurber (2009/2010/2013) e “Operação Planeta” de Lucas Sayão e Rodrigo Perandré (2012/2013). Até o ano de 2009 a Cia. Teatral foi dirigida pela Professora Paula Regina Alvarenga, à partir de então a Trupe Zomba é dirigida pelo Educador Social: Lucas Gabriel dos Santos Sayão.
  • Hendÿ: foi um Grupo de Experimento e Pesquisa em Teatro. Foi um grupo independente no município de Dourados, de carater experimental e foi aprovado em importantes editais a nível regional e estadual. Em seus quatro anos de atividade procurou desenvolver atividades teatrais de qualidade no estado de Mato Grosso do Sul.

Centros culturais e de exposições[editar | editar código-fonte]

  • Casa de Cultura da UEMS: é vinculada a Universidade Estadual de Mato Groso do Sul. Não tem como função principal ser um local para exposições, mas sim um centro de ensino e manifestação cultural. Realiza eventos culturais articulados com a UEMS, dentre esses possui oficinas de teatro, corais, coordenados por professores da UEMS e com o alvo voltado para a comunidade. Ainda possui um centro popular de estudos musicais, com aulas gratuitas de música para a comunidade carente.
  • Centro Cultural Perpétuo Socorro: conhecido também como IAD, é um espaço cultural que promove mostras culturais e artesanais.
  • Salão de Artes de Dourados (SAD): situado no antigo Supermercado Catarinense, promove exposição de obras de artistas douradenses e da região.

Museu[editar | editar código-fonte]

  • Museu Histórico de Dourados: o acervo do museu conta com documentos sobre a história de Dourados: fotografias e objetos pessoais de pioneiros como Marcelino Pires, moedas, móveis antigos, indumentárias, livros, revistas, além de um acervo indígena. O Museu foi criado em 1977 e reinaugurado em 20 de dezembro de 2002.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Entidades[editar | editar código-fonte]

  • Academia Douradense de Letras: com sigla A.D.L., é uma associação de duração ilimitada, que tem finalidade exclusivamente literária e cultural, legalmente constituída em pessoa jurídica. É a associação literária máxima que representa a cidade de Dourados perante a Academia Brasileira de Letras.
  • Grupo Literário Arandu: fundado em 17 de maio de 1997, pelos escritores Carlos Magno Mieres Amarilha, Edy Salis Leite, Luciano Serafim, Maria Lucia Tolouei, Nicanor Coelho, Regina Meyer e Simone Areco, com objetivo de incentivar a publicação de obras literárias dos novos autores douradenses. O Grupo se apresentou à sociedade por meio da realização da 1ª Feira de Poesia, nos dias 17 e 18 de maio de 1997, evento que contou com a exposição de varais com poemas de poetas já consagrados em Dourados e de estudantes de escolas públicas e particulares, no Parque dos Ipês, além de apresentações musicais e de capoeira. Na ocasião, foi publicado o Manifesto Arandu, que reivindicava espaços para a difusão e valorização da literatura sul-mato-grossense. Em julho de 1997, o Grupo lançou a Revista Arandu, para a publicação de artigos científicos produzidos na Região e é publicada até hoje.

Bibliotecas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Atravesse o Portal do Mercosul e descubra Dourados Portal Destinoshow. Página visitada em 27 de fevereiro de 2013.
  2. Dourados, de municipio modelo a polo regional O Progresso (21 de dezembro de 2012). Página visitada em 23 de fevereiro de 2013.
  3. Gentílico dos municípios de Mato Grosso do Sul - IHGMS (PDF).
  4. a b CEP de cidades brasileiras Correios. Página visitada em 31 de Julho de 2008.
  5. a b c Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  6. Mapas e rotas Guia 4 Rodas. Página visitada em 3 de novembro de 2011.
  7. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 de dezembro de 2010.
  8. a b Camila Souza de Andrade (Universidade Federal da Grande Dourados) (2011). Caracterização geofísica da vulnerabilidade ambiental na cidade de Dourados Instituto Brasileiro de Ensino e Aperfeiçoamento em Saúde (IBEAS). Página visitada em 18 de março de 2014.
  9. a b c d Estimativas da população residente no Brasil e unidades da federação com data de referência em 1º de julho de 2014 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (28 de agosto de 2014). Página visitada em 28 de agosto de 2014.
  10. Mato Grosso do Sul Embrapa. Página visitada em 19 de julho de 2011.
  11. a b Tabela climática de Dourados - Accu Weather
  12. a b c d e f g Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (2010). Perfil do município de Dourados - MS Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013. Página visitada em 28 de dezembro de 2013.
  13. a b c d e Produto Interno Bruto dos municípios 2007-2011 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 17 de dezembro de 2013.
  14. a b c Relação de vereadores de Dourados - Câmara Municipal de Dourados
  15. Eleitores - TRE MS
  16. a b Manual de integração, de olho no imposto Impostos 2012. Impostômetro (2012). Página visitada em 19 de julho de 2013.
  17. a b Orçamento de Dourados para 2013 Prefeitura Municipal de Dourados. Página visitada em 1 de janeiro de 2013.
  18. Índice Firjan de Gestão Fiscal - Sistema Firjan
  19. a b c d e f g Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  20. a b c d Frota - Denatran
  21. a b Censo demográfico 2010: resultados da amostra - rendimento IBGE - Cidade Sat. Página visitada em 15 de março de 2014.
  22. a b c d e f g h IBGE Cidades Cidade Sat. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 6 de agosto de 2011.
  23. a b c Brasil em foco - 500 maiores municipios brasileiros em consumo IPC Marketing (2014). Página visitada em 17 de maio de 2014.
  24. a b c d e f g h i Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal - Sistema Firjan
  25. a b Indicadores Sociais Sintéticos no Planejamento de Políticas Públicas - Indice de Exclusão Social (IES) e o Indice de Qualidade de Vida Urbana (IQVU) (2010). Página visitada em 16/10/2013.
  26. Acabar com a fome e a miséria em Dourados Portal ODM. Página visitada em 24 de maio de 2013.
  27. a b Reduzir a mortalidade infantil em Dourados - Portal ODM
  28. a b c d e f g h i j Perfil de Dourados – SEMAC-MS
  29. a b c d Como melhorar a saúde das gestantes em Dourados - Portal ODM
  30. Thaís Botelho. Daniela Albuquerque por trás das câmeras: A Apresentadora comemora o sucesso do programa Dr. Hollywood, mostra seu lado menina e fala do seu casamento com o dono da RedeTV! (em português) Terra. 1 pp. ISTOÉ Gente. Página visitada em 8 de setembro de 2011. "Impossível não reparar na boneca e nos bichinhos de pelúcia espalhados pelo camarim de Daniela Albuquerque. Seria mesmo aquela a sala do mulherão de 1,74m de altura que aparece na tevê, ou era a porta errada? A apresentadora do reality show Dr. Hollywood, da Rede TV!, que por trás das câmeras é uma menina de 26 anos, é louca por animais de verdade também."
  31. Luciana Franca; Gustavo Abreu (16 de dezembro de 2010). [http://gente.ig.com.br/entrevista+daniela+albuquerque+primeiradama+da+rede+tv/n1237875524237.html Entrevista: Daniela Albuquerque, primeira-dama da Rede Tv! De camelô à primeira-dama, confira a trajetória de Daniela Albuquerque] (em português) IG. 1 pp. Gente, Babado. Página visitada em 8 de setembro de 2011. "Não fosse o helicóptero pousando pouco depois das 8h na sede da RedeTV!, na Grande São Paulo, e seria apenas mais uma funcionária chegando ao trabalho. Quem desce da aeronave é Daniela Albuquerque, mulher de Amilcare Dallevo, presidente da RedeTV!."
  32. Marcelo Marthe (16 de dezembro de 2009). "A-do-ro brilho" - Como Daniela Albuquerque, apresentadora e primeira-damada RedeTV!, usa a mente para elevar o ibope – e desperta ciúme com seu camarim cravejado de cristais (em português) Revista Veja]. 1 pp.. Página visitada em 8 de setembro de 2011. "Na inauguração das novas instalações da RedeTV!, no mês passado, os convivas se impressionaram com o aparato tecnológico ostentado pela quinta emissora do país. Mas igualmente comentado foi o contraste na decoração dos camarins das duas maiores estrelas da emissora – que também vêm a ser suas primeiras-damas."
  33. Lia Lehr (8 de dezembro de 2008). De camelô a rostinho da TV (em português) Revista Quem. 1 pp.. Página visitada em 8 de setembro de 2011. "“Eu sou esforçada e vou atrás das minhas coisas”, diz a modelo e apresentadora Daniela Albuquerque, 26 anos. Há um ano, ela comanda o programa Dr. Hollywood, reality show sobre cirurgia plástica exibido nas noites de domingo pela Rede TV!, canal do qual o marido, o empresário Amilcare Dallevo, 51 anos, é presidente."
  34. Kátia Kuratone (07/01/2008). Poeta Emmanuel Marinho apresenta-se no Som da Concha dia 20 midiamax.com. Página visitada em 27 de Abril de 2011.
  35. Correio do Estado (27/11/2008). Emmanuel Marinho encerra espetáculo solo em Dourados apresenta-se no Som da Concha dia 20 correiodoestado.com.br. Página visitada em 27 de Abril de 2011.
  36. Antes da estreia, Keirrison canta para a torcida do Peixe GloboEsporte.com (24/08/2010). Página visitada em 26/08/2010.
  37. Dourados Emporis.com. Página visitada em 20 de novembro de 2008.
  38. a b “Alteração na lei do uso do solo ajuda o empreendedor”, diz Alan Guedes Dourados News. Página visitada em 20 de novembro de 2008.
  39. a b População do Brasil Domicílios particulares permanentes. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). Página visitada em 5 de agosto de 2011.
  40. a b Classes sociais do Brasil Domicílios particulares permanentes, por classes de rendimento nominal mensal domiciliar per capita - Resultados Preliminares do Universo. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). Página visitada em 3 de agosto de 2011.
  41. Sistemas de transmissão – instalações em operação – Portal Eletrosul
  42. Universidade Federal da Grande Dourados (2005). A UFGD. Página visitada em 2 de setembro de 2014.
  43. Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (1993). A UEMS. Página visitada em 2 de setembro de 2014.
  44. Instituto Federal de Mato Grosso do Sul. Instituto Federal de Mato Grosso do Sul - Campus Dourados. Página visitada em 2 de setembro de 2014.
  45. Centro Universitário da Grande Dourados (1976). Portal Unigran. Página visitada em 2 de setembro de 2014.
  46. Faculdade Anhanguera de Dourados. Portal Anhanguera. Página visitada em 2 de setembro de 2014.
  47. Telelistas (2014). Escola Superior de Direito do Mato Grosso do Sul. Página visitada em 2 de setembro de 2014.
  48. Faculdade Teológica Batista Ana Wollerman (2014). Portal FTBAW. Página visitada em 2 de setembro de 2014.
  49. Embrapa Agropecuária Oeste Embrapa. Página visitada em 2 de setembro de 2014.
  50. Novos investimentos em hotéis refletem crescimento de Dourados - Dourados News
  51. a b Rede de atendimento - Banco do Brasil
  52. a b Agências - Bradesco
  53. a b Agências - CEF
  54. a b Agências - Itaú
  55. a b Agências - HSBC
  56. a b Agências - Banco Pan
  57. a b Agências - Santander
  58. a b Portal Sicred
  59. Localização dos bancos 24 horas - Tec Ban
  60. Crédito pessoal em Dourados - telelistas.net
  61. Lotericas da Caixa - CEF
  62. Banco Postal - Correios
  63. Estadão online (1 de setembro de 2008). Troca de operadora com manutenção de número de telefone começa a valer. Página visitada em 28 de janeiro de 2011.
  64. Vivo
  65. TIM
  66. Claro
  67. OI
  68. DDD de Mato Grosso do Sul (MS) Web Busca. Página visitada em 27 de janeiro de 2014.
  69. Listas do município de Dourados – MBI
  70. Acesso Banda Larga. Página visitada em 16 de maio de 2013.
  71. Cobertura da Claro no Brasil Claro. Página visitada em 21 de Julho de 2013.
  72. Cobertura da TIM no Brasil TIM. Página visitada em 21 de Julho de 2013.
  73. Cobertura Vivo Vivo. Página visitada em 21 de Julho de 2013.
  74. a b Mídias de Dourados – Portal Line Up (lineup-br.com)
  75. Boa Nova 87
  76. Portal Rádio Coração FM
  77. Harmonia 98 FM
  78. Rádios brasileiras mais acessadas por região - Radios.com.br
  79. [www.progresso.com.br Jornal O Progresso]
  80. [www.folhadopovo.com.br Folha do Povo]
  81. [www.diarioms.com.br Diário MS]
  82. [www.folhadedourados.com.br Folha de Dourados]
  83. Gazeta Popular
  84. [www.reporterms.com.br Reporter MS]
  85. Indicadores socioeconomicos de Dourados – Prefeitura de Dourados
  86. Percurso detalhado da BR-163 - Ministério dos Transportes
  87. Mapas rodoviários do Brasil e dos estados (BR-376)
  88. Mapas rodoviários do Brasil e dos estados (BR-463)
  89. Medianeira Dourados
  90. unidades de saúde de Dourados Cnes. Página visitada em 9 de Julho de 2010.
  91. Regiões de Influência das Cidades - 2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2008). Página visitada em 5 de dezembro de 2010.
  92. a b c d e f g h i j k l m n o Sistema IBGE de Recuperação Automática (Sidra) (2000). População residente por religião. Página visitada em 06 de abril de 2012.
  93. a b c d e f g h i j k l m n o Censo 2010 - Lista municípios e religiões, Exibir Registro Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2010). Página visitada em 14 de maio de 2013.
  94. Cristiane Agostine (8 de outubro de 2009). Senado aprova acordo com o Vaticano O Globo. Página visitada em 26 de março de 2010. Cópia arquivada em 22 de setembro de 2011.
  95. Fernando Fonseca de Queiroz (outubro de 2005). Brasil: Estado laico e a inconstitucionalidade da existência de símbolos religiosos em prédios públicos Jus Navigandi. Página visitada em 26 de março de 2010. Cópia arquivada em 22 de setembro de 2011.
  96. Diocese de Dourados. Página visitada em 19 de junho de 2014.
  97. Tudo sobre acordiões - accordion-yellowpages
  98. Flauta Doce e Flauta Transversal: Qual a diferença? (em português) mundomax.com.br. Página visitada em 17 de fevereiro de 2012.
  99. Instrumentos -Flauta (em português) agnazare.ccems.pt. Página visitada em 17 de fevereiro de 2012.
  100. Minidicionário Ruth Rocha, Editora Scipione (Português)
  101. Andrade, Mário de. Dicionário Musical Brasileiro. 1 ed. [S.l.]: Villa Rica, 1989. 701 pp. ISBN 8531900220
  102. Ivan Vilela. O caipira e a Viola em: Sonoridades luso-afro-brasileiras: Brasileira. Lisboa: ICS, 2003. 173-189 pp.
  103. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas Cultura
  104. Danças típicas do Mato Grosso do Sul - Etur

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikcionário Definições no Wikcionário
Wikilivros Livros e manuais no Wikilivros
Wikisource Textos originais no Wikisource
Commons Imagens e media no Commons
Commons Categoria no Commons

Tópicos relacionados[editar | editar código-fonte]