Paysandú

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Paysandú
"Heroica Paysandú"
—  Cidade  —
Porto de Paysandú
Porto de Paysandú
Selo de Paysandú
Selo
Departamento de Paysandu
Departamento de Paysandu
Paysandú está localizado em: Uruguai
Paysandú
Localização de Paysandú no Uruguai
32° 18' 21" S 58° 4' 51" O
País Uruguai
Departamento Paysandú
' 1749
Administração
 - Prefeito Bertil Bentos (Partido Nacional)
Altitude 42 m (138 pés)
População (agosto/2011)[1]
 - Total 73,272
Fuso horário UTC - 3 (UTC-3)
Código de área +598 472
Sítio www.paysandu.gub.uy

Paysandú é uma das mais importantes cidades do Uruguai. É a capital do Departamento de Paysandú con 73.272 habitantes. Localizada sobre a margem leste do Rio Uruguai, fica a 368 km de distância da capital do país, Montevidéu e é fronteiriça com as cidades argentinas de Colón e Concepción del Uruguay[2] . Na divisa entre os dois países se localiza a ponte internacional General Artigas, que corta o rio Uruguai.

É uma cidade industrial e comercial, sendo uma das mais ativas economicamente no território uruguaio sendo uma das três cidades mais desenvolvidas, somente atrás de Montevidéu e Maldonado. Os níveis de pobreza não superam 1,6% da população e possui a taxa mais baixa de criminalidade no Uruguai.

Possui grandes atrativos turísticos, onde se destacam as termas del Guaviyú e sua vida noturna.

História[editar | editar código-fonte]

As origens da cidade remontam aos primórdios da Colonização espanhola da América. O nome da cidade deriva de "Paso del Sandú" e da Ilha de Ypauzandó. Sandú era o nome de Policarpo Sandú, um frade jesuítapay» era a forma de chamar os «padres» missioneros em idioma guarani) nascido en Buenos Aires, que fundou uma redução jesuítica com doze famílias de índios procedentes de outras missões jesuíticas em 1772. A cidade se transformou em um assentamento com um porto e um lugar para a extração de Sal, usado para curtir couros. Em 1805 se cria a "Paróquia de Paysandú". Em 1810 Benito Chain deu início ao planejamento do "Pueblo de Paysandú".

Foi sitiada por Portugueses e Brasileiros em três oportunidades e é famosa pela defesa que os sanduceros fizeram em 1865, sob o comando do general Leandro Gómez ( Partido Nacional), fazendo frente ao sítiodo general colorado Venancio Flores e seus aliados brasileiros. A resistência dos sitiados, embora em menor número, fez a cidade merecer o apelido de "Heróica Paysandú", dado pelo poeta (payador) argentino Gabino Ezeiza, nos seguintes versos.[3]

«Heroico Paysandú, yo te saludo
hermano de la patria en que nací
tus versos y tus glorias encendentes
se cantan en mi tierra como aquí.
Los bardos que tenemos en el Plata,
que están en el Olimpo en su canción,
dedican a este pueblo de valientes
su más grande y sublime inspiración,
dedican a este pueblo de valientes
su más grande y sublime inspiración.»

Esta feita é registrada pela novela histórica de Mario Delgado Aparaín No Robarás las Botas de los Muertos. Também se destacam as investigações históricas sobre as origens de Paysandu, de parte de historiadores como Setembrino Pereda, Baldomero Vidal, Miguel Ángel Pías y Augusto Schulkin. Um dos ensaios históricos escritos sobre o tema é o titulado Paysandú en escorzo histórico, de Aníbal Barrios Pintos.

Clima[editar | editar código-fonte]

A cidade de Paysandú possui clima subtropical húmido, com verôes quentes e invernos frescos, com precipitação distribuída uniformente durante o ano (média de 1,181 mm). A temperatura média gira em torno de 19ºC.

População[editar | editar código-fonte]

Em 2011 Paysandú possuía 76.412 habitantes.[4] É a quarta maior cidade uruguaia, perdendo apenas para Montevidéu, Salto e Ciudad de la Costa.

Ano População
1908 20,953
1963 51,645
1975 62,199
1985 68,466
1996 74,568
2004 77,272
2011 76,412

Fonte: Instituto Nacional de Estadística de Uruguay[5]

A cidade de Paysandú é uma das mais cosmopolitas do Uruguai, com grande número de imigrantes e descendentes, principalmente italianos, suíços, poloneses, alemães, russos, ucranianos, belgas e africanos.

Arquitetura[editar | editar código-fonte]

Monumento à Perpetuidade[editar | editar código-fonte]

Encontra-se ao sul da cidade, em um ponto de fácil acesso para todo o público, localizado na rua Nontecaseros, entre Artigas e Avenida Soriano, a poucas quadras do centro da referida cidade. Esta magnífica construção apresenta muitas recordações da defesa de Paysandú.

O antigo cemitério guarda riquíssimas obras artísticas e arquitetônicas, cada uma com sua própria história.

Transporte[editar | editar código-fonte]

Paysandu é ligada a Argentina pela Ponte General Artigas. Pela Rota 26 chega se a Rio Branco, que faz divisa com a cidade brasileira de Jaguarão. A Rota 90 faz a ligação com a cidade de Guichón, no mesmo departamento. A cidade ainda possui o Aeroporto de Paysandú e o Porto de Paysandú. No transporte ferroviário, a cidade possui a Estación Paysandú, interligada ao Transporte ferroviário do Uruguai pela Linha de Salto, administrada pela Administración de Ferrocarriles del Estado. Também há uma ligação com a Argentina pela ferrovia Pilar - Paso de Los Toros, que em seu trecho argentino é controlada pelo Ferrocarril General Urquiza.

Economia[editar | editar código-fonte]

É uma das mais importantes cidades do Uruguai, possuindo um parque industrial diversificado, com uma indústria têxtil de (Paylana), couros (Paycueros y Cholitas SRL), cerveja (Blocker), cimento Pórtland (ANCAP) e cítricos (Azucitrus, Sandupay). Também é um importante centro da indústria florestal uruguaia, com as grandes plantações de eucalipto.[6]

Desporto[editar | editar código-fonte]

A cidade de Paysandú conta com a Liga Departamental de Fútbol de Paysandú, criada em 1911. Esta liga é afiliada a Organización del Fútbol del Interior, ou seja, não participa do Campeonato Uruguaio de Futebol, participando apenas da Copa El País, a maior competição de futebol do interior uruguaio. Porém, entre 2003 e 2006 houve um time (Paysandú Fútbol Club), que participou do Campeonato Uruguaio (organizado pela Asociación Uruguaya de Fútbol). Hoje o time mais importante do futebol sanducero é o Paysandú Bella Vista, que joga de mandante no Parque "Bella Vista". Outro estádio localizado na cidade é o Estádio Parque Artigas, que já foi sede do Campeonato Sul-Americano de Futebol Sub-19 de 1979 e da Copa América de 1995.

A cidade também possui numerosas praias fluviais no Rio Uruguai, onde há um Iate Clube e um Clube de Remo. Também há outros clubes que praticam esportes variados, como rugby, hóquei, tênis e polo. É também a cidade natal do Jogador Marcelo Nicolás Lodeiro Benítez, mais conhecido como Lodeiro.

Geminações[editar | editar código-fonte]

A cidade de Paysandú é geminada com as seguintes:

Porto de Paysandú

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. INE, consultado el 5 de agosto de 2011.
  2. Leitner, Gerry. Argentina Travel Companion. [S.l.]: Hunter Publishing, Inc, January 2001. p. 936. ISBN 978-0-9587498-1-7 Página visitada em 30 May 2011.
  3. Marley, David. Wars of the Americas: a chronology of armed conflict in the Western Hemisphere, 1492 to the present. [S.l.]: ABC-CLIO, February 2008. p. 855. ISBN 978-1-59884-100-8 Página visitada em 30 May 2011.
  4. Censos 2011 Cuadros Paysandú INE (2012). Página visitada em 25 August 2012.
  5. Statistics of urban localities (1908–2004) (PDF) INE (2012). Página visitada em 4 September 2012.
  6. Bouton, Lawrence. The private sector and development: five case studies. [S.l.]: World Bank Publications, 1998. p. 42. ISBN 978-0-8213-4199-5 Página visitada em 30 May 2011.
  7. "Sign of twining agreement between Wilaya of Smara and city of Paysandú", Sahara Press Service, 24-10-2011. Página visitada em 27-10-2011.
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia do Uruguai é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.