Violão de sete cordas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Violão de 7 cordas
Exemplo de "baixaria" na música "Sofres porque queres" (Pixinguinha), gravada em 1919. Pixinguinha na flauta e Tute no violâo de sete cordas.

Problemas para escutar este arquivo? Veja a ajuda.

O violão de 7 cordas é um instrumento musical, consistindo de uma alteração do violão tradicional (com 6 cordas) ao adicionar uma corda, mais grave que as demais. Originalmente, a corda adicionada era uma de violoncelo, afinada em , e necessitava o uso de uma dedeira no polegar. Mais tarde começou-se a usar uma corda grave, afinada em si ou em ,[1] feita como as demais cordas graves (bordões) do violão. Muitos violonistas utilizam, no choro, a sétima corda afinada em dó visto que existem muitos choros na tonalidade de dó e poucos em si. Assim um bordão com essa nota em corda solta facilitaria bastante a montagem de acordes e o desenvolvimento de frases na baixaria.

Segundo Raphael Rabello: "No estilo choro, o violão caracteriza-se por frases de contraponto geralmente em escala descendente, utilizando-se somente as cordas graves. Daí o nome baixaria. Tute sentia necessidade de algumas notas mais graves, daí a idéia de colocar uma corda a mais nos bordões." É bom ressaltar que a baixaria do 7 cordas dá à música um sentido de continuidade, caracterizado pela presença de contracantos com a melodia.

Após a morte de Tute, Dino 7 Cordas seguiu seus passos, se tornando uma das maiores referências no instrumento, ao lado também de Ventura Ramirez.

Referências

  1. Edmilson Capelupi fala sobre violão no programa Radiola

Ver também[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre um Instrumento musical é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.