Concertina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde agosto de 2008). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde Agosto de 2008). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
uma concertina, ou acordeão diatônico

Concertina é o nome pelo qual é conhecido o acordeão diatónico. Trata-se de um instrumento de palhetas livres, com fole, semelhante a um acordeão, com dois teclados dispostos de maneira a favorecer a formação de acordes pelo executante.

A concertina é um instrumento diatónico no qual, ao abrirmos o fole pressionando um botão, obtemos uma nota musical e, ao carregar no mesmo botão mas a fechar o fole, teremos outra nota. Em Portugal, há vários métodos de ensino da concertina, há quem diga até que a concertina não se pode aprender com notas musicais, opinião esta que está completamente errada, porque a concertina contém maioria das sonoridades reproduzidas pelas notas musicais.

Origem da concertina[editar | editar código-fonte]

A concertina teve como precursores outros instrumentos, cujo som era produzido por palhetas, que vibravam por meio de pressão de ar.

Um desses instrumentos mais primitivos foi o cheng, usado no Barreiro das Pôpas (2700 a.C.), cujo número de notas era variável, sendo, no entanto. o mais usual o de 13 notas. Em 1780, na Rússia, Kirschnik, inspirado pelo cheng, aplicou o sistema de lâmina de metal aos tubos dos órgãos que fabricava.

A Roland, marca japonesa de instrumentos musicais, acaba de lançar a primeira concertina digital do mundo - FR-18D.

A concertina no Brasil[editar | editar código-fonte]

Na segunda metade do século XVIII, com a Europa em crise, muitas pessoas resolveram migrar para outros países, em especial para os da América, e com o povo vinham seus pertences, e um deles era a concertina, instrumento musical muito popular na época. 

Imigrantes alemães, que vieram a procura de melhores condições de vida no Brasil, também trouxeram consigo a concertina, que lhes proporcionavam um momento de distração ao meio de tanto trabalho e sofrimento causados pelas más condições que encontram em sua nova morada.A concertina, assim como o habito de tocar, foi passada de pai para filho até chegar aos dias atuais, se tornando um traço cultural muito forte dos descendentes dos Alemães.

Hoje, o grande polo onde se pode encontrar estas concertinas é no Espirito Santo.Grandes festivais são realizados anualmente para celebrar a concertina, em muitas cidades, como Santa teresa e Santa Maria, é muito comum ouvir falar delas, pois reúnem um aglomerado de pessoas apaixonadas pelo puro e bom som da concertina.[1]

Outros instrumentos da mesma família[editar | editar código-fonte]

  • o bandoneon usado na música Argentina
  • o acordeão
  • a concertina hexagonal, usada na música irlandesa e também conhecida como a concertina dos palhaços
  • a concertina de forma quadrangular, muito comum no interior do espirito santo, que foi trazida pelos imigrantes, em sua maioria alemães, e que até hoje anima as festas locais.[2]

Referências[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um Instrumento musical é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. http://concertinabrasil.com/
  2. http://concertinabrasil.com/