Estádio Urbano Caldeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde junho de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Vila Belmiro
Estádio Urbano Caldeira
Estádio Urbano Caldeira (Vila Belmiro) - vista interna.jpg
Visão interna do estádio (antes da reforma).
Nomes
Nome Estádio Urbano Caldeira
Apelido Vila Belmiro
A Vila Mais Famosa do Mundo
Caldeirão Alvinegro
Características
Local Santos, SP, Brasil
Gramado Grama natural (105,8 x 70,3 m[1] )
Capacidade 16.798 pessoas[2]
Construção
Data 1916
Inauguração
Data 22 de outubro de 1916 (97 anos)
Partida inaugural Santos 2 x 1 Ypiranga
Primeiro gol Afonso Millon Jr. (Santos)
Recordes
Público recorde 32.989 pessoas
Data recorde 20 de setembro de 1964
Partida com mais público Santos 0 x 0 Corinthians
Outras informações
Remodelado 1997
Expandido 1997
Proprietário Santos FC
Administrador Santos FC
Mandante Santos FC

O Estádio Urbano Caldeira, mais conhecido como Vila Belmiro (por estar localizado no bairro homônimo), é um estádio de futebol da Baixada Santista e abriga o Santos FC. É o maior estádio de futebol da Baixada Santista, com capacidade atual para 16.798 espectadores.[2] Seu endereço é a Rua Princesa Isabel, s/nº, Vila Belmiro, Santos - SP.

É um dos estádios de futebol mais antigos do Brasil, tendo sua construção iniciada em 1916. Foi inaugurado em 12 de outubro de 1916, mas sua primeira partida oficial só foi realizada em 22 de outubro do mesmo ano, quando o Santos venceu o Ypiranga por 2 a 1 pelo Paulistão de 1916.

História[editar | editar código-fonte]

Arquibancada da Vila Belmiro durante a inauguração do Estádio, em 22 de outubro de 1916 (data do primeiro jogo da história do Estádio entre Santos e Ypiranga, vencido pelo peixe por 2 a 1).

O Santos Futebol Clube, logo após sua fundação, realizava seus treinos em um campo localizado no Bairro do Macuco. Como o gramado não tinha as dimensões oficiais mínimas, seus jogos eram disputados no terreno onde hoje está a "Igreja Coração de Maria", na avenida Ana Costa.

Esse campo, no entanto, era utilizado também por outros clubes da cidade. Em 1915, a situação chegava a um limite, obrigando o clube a rejeitar visitas de clubes internacionais, inclusive. Para resolver o problema, os dirigentes passaram a procurar terrenos na cidade. Em 31 de maio de 1916, uma Assembleia Geral aprovou a compra de uma área de 16.500 metros quadrados, no bairro da Vila Belmiro. No dia 12 de outubro daquele ano, foi inaugurada a praça de esportes da Vila Belmiro. O primeiro jogo, foi realizado 10 dias depois, contra o Ypiranga, válido pelo Campeonato Paulista. O Santos venceu o Ypiranga por 2 a 1, com gols de Millon (autor do primeiro gol da história do estádio) e Jarbas.

O Estádio na noite inaugural de seus refletores, em 1931. O Peixe estreou a iluminação do seu campo num jogo amistoso entre Santos e a Seleção do Município homônimo, vencido pelos visitantes por 1 a 0.

O Estádio Urbano Caldeira teve sua iluminação inaugurada em 1931. No dia 21 de março, às 20 horas, eram acesos os refletores do campo. Para marcar a ocasião, o Santos enfrentou uma seleção da cidade, mas perdeu por 1 a 0. O gol foi marcado pelo meia Cruz, jogador da Portuguesa Santista.

Chamado carinhosamente de a Vila mais famosa do Mundo, o nome oficial do estádio é Urbano Caldeira, nome este dado em 1933 em homenagem a um dos mais emblemáticos santistas de todos os tempos: Urbano Caldeira. Foi goleiro e também treinador da equipe alvinegra. O amor que Caldeira tinha pelo Santos era tanto que, por diversas vezes, ele era visto aparando o gramado da Vila Belmiro. Tamanha dedicação não passou imune às mentes dos cartolas santistas, que dias após o falecimento de Caldeira, concederam seu nome ao estádio, em 1933.[3]

Arquibancada de concreto construída em 1955.

Durante o período conhecido como "a era Pelé" (1957-1974), em virtude de os adversários saírem derrotados com frequência pelo Santos F.C em seu estádio neste período, o estádio ficou conhecido pelo apelido de "O alçapão da Vila". Por muitos anos, a Vila Belmiro foi o local onde Pelé demonstrou suas habilidades como jogador, se firmando como um dos maiores futebolistas de todos os tempos[4] . Em 21 de novembro de 1964, na Vila Belmiro, Pelé marcou oito gols contra Botafogo de Ribeirão Preto, partida essa que o Santos venceu por 11 a 0. Em 2 de outubro de 1974, Pelé jogou sua partida de despedida no estádio (numa vitória do Santos por 2 a 0 em cima da Ponte Preta de Campinas).

Em 18 de setembro de 1955, aniversário de 5 anos da televisão brasileira, a Vila Belmiro se tornou o primeiro estádio do Brasil a contar com uma partida televisionada ao vivo. A partida a ser transmitida foi um clássico entre Santos e Palmeiras (jogo válido pelo Campeonato Paulista de 1955) a qual o Peixe venceu por 3 a 1. O jogo foi transmitido pela TV Record diretamente de Santos.[5]

Logo após o término do Campeonato Paulista de 1996, a diretoria do clube decidiu que o gramado da Vila Belmiro, amplamente criticado, passaria por uma ampla reforma. Um moderno sistema de drenagem e irrigação controlado por computador foi instalado, o que proporcionou perfeitas condições de jogo com qualquer tempo. Atualmente o gramado e o sistema de drenagem é melhor do que a maioria dos tradicionais estádios de São Paulo e do Brasil. E conta com as dimensões de 105,80X70,30m dentro do estabelecido pela FIFA. A inauguração do novo gramado aconteceu no dia 27 de março de 1997, quando o Santos venceu o Internacional, em jogo válido pela Copa do Brasil. Concomitantemente à reforma do gramado, foi construído o complemento do anel da arquibancada atrás do gol de fundo do estádio. Além de aumentar a capacidade em cerca de 4.000 torcedores, a obra possibilitou uma harmonia arquitetônica ao estádio.

O Estádio Urbano Caldeira durante uma partida amistosa em 2003.

No dia 27 de janeiro de 1999, o Santos deu mais um passo para oferecer um estádio mais moderno aos seus torcedores. Neste dia, momentos antes de um clássico contra o Palmeiras, foi inaugurado o novo sistema de iluminação, tornando o estádio uma das praças de esportes mais bem iluminadas do Brasil. Com a obra, o estádio passou a oferecer um nível médio de iluminação de 1.200 lux, acima da recomendação mínima da FIFA de 1.000 lux.

Maiores públicos[editar | editar código-fonte]

Em 20 de setembro de 1964, o estádio recebeu 32.986 pessoas para assistir ao clássico Santos e Corinthians (partida válida pelo Paulistão). Entretanto, com a superlotação, a estrutura de uma parte das arquibancadas do estádio ficou comprometida e desabou aos seis minutos do primeiro tempo. Apesar de ser o maior público já contabilizado no estádio, por conta do acidente, a partida foi cancelada e não entra nas estatísticas de jogos oficiais do clube santista[6] . Muitas pessoas consideram até hoje esse jogo como o mais curto da história do futebol mundial. O jogo em questão, foi remarcado para 10 dias depois no Estádio do Pacaembu, onde terminou empatado em 1 a 1.

O maior público oficial que a Vila Belmiro já recebeu foi no dia 15 de fevereiro de 1976, quando o Santos FC enfrentou o Palmeiras sob os olhares de 31.662 torcedores. Contudo, o time visitante venceu a partida por 5 a 0, pelo Torneio Governador do Estado.

O recorde de público em uma vitória do Santos ocorreu em 14 de abril de 1979 (aniversário de 67 anos do clube praiano), quando 29.801 pessoas viram peixe vencer o Francana na Vila Belmiro por 2 a 1. Apesar dessa partida ter sido realizada em 1979, o jogo foi válido pelo Paulistão do ano anterior (campeonato esse que o Santos se sagrou Campeão).

Abaixo segue a lista dos 15 maiores públicos já registrados na Vila Belmiro[7] :

Público Mandante Placar Visitante Data Competição
1 32.986 São Paulo Santos 0–0 São Paulo Corinthians 20 de setembro de 1964 Campeonato Paulista de 1964
2 31.662 São Paulo Santos 0–5 São Paulo Palmeiras 15 de fevereiro de 1976 Taça Governador do Estado de São Paulo de 1976
3 31.172 São Paulo Santos 0–2 São Paulo Guarani 18 de outubro de 1978 Campeonato Paulista de 1978
4 31.146 São Paulo Santos 0–0 Espírito Santo (estado) Desportiva 15 de maio de 1980 Campeonato Brasileiro de 1980
5 30.779 São Paulo Santos 0–1 São Paulo Ponte Preta 2 de abril de 1979 Campeonato Paulista de 1978
6 29.746 São Paulo Santos 0–0 São Paulo Paulista de Jundiaí 7 de setembro de 1978 Campeonato Paulista de 1978
7 29.801 São Paulo Santos 2–1 São Paulo Francana 14 de abril de 1979 Campeonato Paulista de 1978
8 28.800 São Paulo Santos 2–1 São Paulo Palmeiras 30 de julho de 1961 Campeonato Paulista de 1961
9 28.529 São Paulo Santos 1–1 São Paulo Guarani 16 de março de 1983 Campeonato Brasileiro de 1983
10 28.457 São Paulo Santos 0–0 São Paulo São Bento 8 de outubro de 1978 Campeonato Paulista de 1978
11 28.254 São Paulo Santos 0–2 São Paulo Botafogo de Ribeirão Preto 7 de setembro de 1977 Campeonato Brasileiro de 1977
12 27.600 São Paulo Santos 3–0 São Paulo Palmeiras 14 de novembro de 1962 Campeonato Paulista de 1962
13 27.400 São Paulo Santos 2–1 São Paulo Corinthians 16 de dezembro de 1960 Campeonato Paulista de 1960
14 27.385 São Paulo Santos 3–1 São Paulo Ferroviária 4 de outubro de 1978 Campeonato Paulista de 1978
15 26.796 São Paulo Santos 2–2 Pernambuco Náutico 9 de abril de 1983 Campeonato Brasileiro de 1983

Memorial das Conquistas[editar | editar código-fonte]

Troféus expostos no Memorial das Conquistas.

No dia 17 de novembro de 2003, dias depois do aniversário de 40 anos da conquista Mundial de 1963 do Santos, foi inaugurado no estádio o Memorial das Conquistas. Além de contar toda história do clube, o museu abriga todos os títulos conquistados pelo peixe. Lá, estão guardados vários troféus conquistados pelo Santos, incluindo os dois Mundiais de 1962 e 1963, as Libertadores dos mesmos anos e os Brasileiros de 1961, 1962, 1963, 1964, 1965, 1968, 2002 e 2004. A visita ao museu inclui, também, os vestiários dos jogadores e entrada no campo.

O espaço é dividido em áreas temáticas: além do Espaço Pelé (acervo pessoal com objetos do "Rei Pelé"), há troféus de títulos estaduais, nacionais e internacionais, algumas informações sobre a história da cidade de Santos, entre outros. O museu também dispõe de vários equipamentos multimídia, como aparelhos de TV, que permitem a visualização de jogos históricos. [8]

O Efeito "Alçapão"[editar | editar código-fonte]

A Vila Belmiro, apesar de sua capacidade de 17.000 pessoas (o que muitos consideram pequeno), já foi citada várias vezes "como um estádio difícil de se jogar"[9] [10] . Diversos futebolistas de vários clubes já se mostraram impressionados e "assustados" com a pressão que o Estádio impõe aos adversários do Santos quando lotado. Durante a década de 60, o estádio ganhou o apelido de Alçapão da Vila, pelo simples fato dos adversários fatalmente saírem derrotados pelo Santos da Vila. Muitos times visitantes até hoje temem jogar na Vila, que conta com a pressão da torcida santista do inicio ao fim, apoiando o time e fazendo com que o ambiente do jogo seja totalmente favorável ao Peixe. Aqui estão algumas citações famosas de jogadores de times adversários que "sentiram a pressão" do Estádio[11]  :

Cquote1.png A Vila Belmiro com 20 mil sufoca mais que o Maracanã com 80 mil, parece que os torcedores estão gritando do nosso lado! Cquote2.png
Juninho Paulista

Cquote1.png Eu já joguei em estádios lotados por todo o mundo, mas pelo jeito que a Vila Belmiro foi construída, jogar aqui é onde a gente mais sente a pressão da torcida! Cquote2.png
Raí

Cquote1.png O meu maior medo é enfrentar o Santos na Vila Belmiro, porque lá o bicho pega, é muito mais tensão, muito mais influência do que o Morumbi ou qualquer outro estádio lotado! Cquote2.png
Vanderlei Luxemburgo

Cquote1.png O estádio mais difícil de se jogar é na Vila Belmiro! Cquote2.png
Rogério Ceni

Cquote1.png Jogar aqui, na Vila Belmiro, é como jogar no inferno! Cquote2.png
Canera (jogador do Cúcuta)

Jogos importantes[editar | editar código-fonte]

A Vila Belmiro já recebeu vários jogos de diversas competições importantes.

São Paulo Campeonato Paulista de 1916

  • O primeiro jogo no Estádio foi realizado no dia 22 de outubro de 1916 (10 dias depois de sua inauguração), quando o Santos venceu o Ypiranga por 2 a 1. Afonso Millon Jr. do Santos fez o primeiro gol da história do estádio. A partida foi válida pelo Campeonato Paulista de 1916:
22 de outubro de 1916 Santos Bandeira Santos SaoPaulo Brasil.svg 2 - 1 Bandeira da cidade de São Paulo.svg Ypiranga Público: não disponível
Árbitro: não disponível

Afonso Millon Jr. Gol marcado
Jarbas Gol marcado
não disponível

Flags of the Union of South American Nations.gif Campeonato Sul-Americano de Futebol de 1949

27 de abril de 1949 Peru Peru 3 - 0 Bolívia Bolívia Público: 12.000
Árbitro: Brasil Alberto Da Gama Malcher

R. Drago Gol marcado aos 31 minutos de jogo 31'
Heredia Gol marcado aos 77 minutos de jogo 77' (pen.)

Brasil Campeonato Brasileiro de 1959

  • O Estádio Urbano Caldeira foi palco da primeira partida da final da Taça Brasil de 1959. O Santos recebeu o Bahia e perdeu por 3 a 2 do time baiano. O segundo jogo, realizado em Salvador, foi vencido pelo alvinegro por 3 a 0, forçando a realização de uma partida de desempate no Estádio do Maracanã; entretanto, o time praiano acabou derrotado novamente pelos nordestinos por um incrível placar de 3 a 1, confirmando o título ao Bahia de Primeiro Campeão Brasileiro da História:
10 de dezembro de 1959 Santos São Paulo 2 - 3 Bahia Bahia

Pelé Gol marcado aos 15 minutos de jogo 15'
Pepe (pen) Gol marcado aos 77 minutos de jogo 77'
Gol marcado aos 26 minutos de jogo 26' Biriba
Gol marcado aos 57 minutos de jogo 57', Gol marcado aos 89 minutos de jogo 89' Alencar
Público: 23.000
Árbitro: Rio de Janeiro Alberto da Gama Malcher

Flags of the Union of South American Nations.gif Copa Libertadores da América de 1962

  • A Vila também já recebeu uma final de Libertadores. Em 1962, o Santos recebeu o Peñarol do Uruguai no estádio com a vantagem de apenas um empate para se sagrar Campeão da América pela primeira vez. Entretanto, o clube perdeu a partida por 3 a 2, forçando a realização de um jogo de desempate na Argentina, onde o peixe se sagrou Campeão da competição. Essa partida ficou conhecida como A noite das garrafadas[12] :
2 de agosto de 1962 Santos Brasil 2 - 3 Uruguai Peñarol Público: 25.000
Árbitro: Chile Carlos Robles

Dorval Gol marcado aos 27 minutos de jogo 27'
Mengálvio Gol marcado aos 50 minutos de jogo 50'
Sasía Gol marcado aos 18 minutos de jogo 18'
Spencer Gol marcado aos 49 minutos de jogo 49' Gol marcado aos 73 minutos de jogo 73'

Flags of the Union of South American Nations.gif Copa Conmebol de 1998

7 de outubro de 1998 Santos Brasil 1 – 0 Argentina Rosario Central
20:30 (UTC-3)
Claudiomiro Gol marcado aos 28 minutos de jogo 28' Notícia Público: 19.000
Árbitro: Uruguai José Luis da Rosa

Brasil Copa do Brasil de 2010

  • No dia 28 de julho de 2010, a Vila recebeu o primeiro jogo da final da Copa do Brasil daquele ano entre Santos e Vitória da Bahia. O peixe venceu o jogo por 2 a 0 e poderia perder com até 1 gol de diferença em Salvador para ficar com o título. O segundo jogo na capital baiana terminou em 2 a 1 para o Vitória (placar agregado de 3 a 2 pro Santos) e o Santos se sagrou Campeão:
28 de julho de 2010 Santos São Paulo 2 - 0 Bahia Vitória
21h50 (UTC-3)
Neymar Gol marcado aos 14 minutos de jogo 14'
Marquinhos Gol marcado aos 85 minutos de jogo 85'
Report Público: 14.060
Árbitro: Rio Grande do Sul Leonardo Gaciba da Silva

São Paulo Campeonato Paulista de 2011

  • A Vila Belmiro sediou o segundo jogo da final Paulistão de 2011. O duelo decisivo foi entre Santos e Corinthians. Os dois times vinham de um empate sem gols na primeira partida da final no Estádio do Pacaembu. Nesse jogo, o Santos se sagrou Campeão Paulista pela primeira vez na história dentro de sua própria casa. Os gols do peixe foram feitos por Arouca e Neymar (sendo que este último foi feito com a ajuda de uma grande falha do goleiro Júlio César do Corinthians), o único gol do Timão foi feito por Morais perto do fim da partida:
15 de maio Santos Bandeira Santos SaoPaulo Brasil.svg 2 – 1 Bandeira da cidade de São Paulo.svg Corinthians
16:00
Arouca Gol marcado aos 16 minutos de jogo 16'
Neymar Gol marcado aos 83 minutos de jogo 83'
Gol marcado aos 86 minutos de jogo 86' Morais Público: 14.322
Árbitro: São PauloSP Luiz Flávio de Oliveira

São Paulo Campeonato Paulista de 2013

  • Assim como em 2011, a Vila também recebeu a decisão do Paulistão em 2013, e, assim como dois anos antes, o confronto foi entre Santos e Corinthians. Desta vez, a equipe da capital paulista se sagrou campeã (visto que no primeiro duelo no Pacaembu o Corinthians havia vencido o Santos por 2 a 1, bastando apenas de um empate na Vila pra se sagrar Campeão); o jogo terminou empatado em 1 a 1 e o Timão foi Campeão Paulista em plena Vila Belmiro:
19 de maio Santos Bandeira Santos SaoPaulo Brasil.svg 1 – 1 Bandeira da cidade de São Paulo.svg Corinthians
16:00
Cícero Gol marcado aos 26 minutos de jogo 26' Relatório Gol marcado aos 28 minutos de jogo 28' Danilo Público: 14.740
Árbitro: São PauloSP Guilherme Ceretta de Lima

Atualmente[editar | editar código-fonte]

O Estádio em 2006, num jogo entre Santos e Mogi-Mirim (vencido pelo peixe por 2 x 0).

Nos dias atuais, o estádio possui capacidade para apenas 16.798 torcedores sem possibilidade de ampliação. Os atuais dirigentes do clube já disseram que o estádio não comporta mais jogos do Peixe e que pretendem construir um novo estádio na cidade de Cubatão.[13] Entretanto, sua estrutura é muito elogiada, tanto que o estádio foi escolhido para ser o centro de treinamento da Costa Rica para a Copa do Mundo de 2014.[14]

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Estádio Urbano Caldeira
Ícone de esboço Este artigo sobre estádios de futebol do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.