Paróquia Nossa Senhora do Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Paróquia
Nossa Senhora do Brasil
Construção 1940
Diocese Arquidiocese de São Paulo
Local Praça Nossa Senhora do Brasil (esquina com a Avenida Brasil e com a Rua Colômbia) - Jardim América
São Paulo  Brasil

A Paróquia Nossa Senhora do Brasil é uma tradicional igreja da zona oeste da São Paulo, no estado brasileiro de São Paulo. Localizada na Praça Nossa Senhora do Brasil, é um ponto de referência do bairro Jardim América. A atual paróquia foi construída em 1940.

A construção da igreja, em estilo barroco que remete a Igreja de São Francisco, na cidade mineira de Ouro Preto, coube à firma de engenharia Tavares Pinheiro S.A., com projeto do arquiteto Bruno Simões Magro, tendo o engenheiro Brenno Tavares supervisionado a sua execução [1] .

Cquote1.svg Seus magníficos painéis de pastilha cerâmica lembram a Igreja São Basílio de Moscou e a balaustrada de suas torres remetem aos minaretes muçulmanos. Cquote2.svg
Site da paróquia

A Igreja também é conhecida pela celebração de cerimonias de personalidades.

Igreja Nossa Senhora do Brasil (São Paulo)[editar | editar código-fonte]

Altar das Virgens.
Teto da Igreja.

No aristocrático bairro do Jardim América, esquina da Avenida Brasil com a Rua Colômbia, ergue-se um dos mais elegantes templos de São Paulo. Inspirado nos templos coloniais mineiros, a Igreja Nossa Senhora do Brasil, é uma somatória de todos eles. O seu interior recorda belas igrejas de Portugal.

Seus magníficos painéis de pastilha cerâmica lembram a Igreja São Basílio de Moscou e a balaustrada de suas torres remetem aos minaretes muçulmanos.

No seu interior, admira-se o altar-mor de madeira entalhada que pertenceu à Igreja do Rosário, de Mogi das Cruzes, com data estimada de 1740, segundo o escritor francês Germain Bazin, na obra L'Architecture Religieuse Baroque au Brésil.

A imagem[editar | editar código-fonte]

No nicho do altar-mor está a imagem de Nossa Senhora do Brasil, Virgem com feições índias, bastante formosa, tendo ao colo o Menino-Deus mestiço (de preto e branco) e ostentando cada um, ao peito, um coração. Estas imagens representam as três raças formadoras de nossa nacionalidade.

Construção da igreja[editar | editar código-fonte]

A paróquia do Jardim América, na cidade de São Paulo, foi criada em 1940 por D. José de Afonseca e Silva. Dois anos depois teve início a construção da igreja matriz por iniciativa do vigário que foi também deputado estadual e jornalista, Monsenhor João Batista de Carvalho.

A construção da igreja foi decidida em reunião no Banco Comercial do Estado de São Paulo. A comissão executiva era presidida pelo então deputado P. João Batista de Carvalho, tendo como secretário José Emmanuel Whitaker e por tesoureiro Alcides da Costa Vidigal. A Comissão de honra era integrada por figuras ilustres como o Dr. Cásper Líbero, o industrial Nadir Dias de Figueiredo, Dr.Gabriel Monteiro da Silva e outros. A comissão de senhoras reunia figuras da alta sociedade como Adelina Lara Bueno, Ester Cardoso de Almeida, Luisa de Assumpção Machado, Amélia Piza de Lara e outras.

O local foi cedido pela Prefeitura Municipal em área planejada para jardim pela Companhia City.

O projeto inicial da igreja, em estilo colonial brasileiro modernizado, era de autoria do engenheiro George Przirembel, integrante da comissão de honra. Mas o projeto que acabou sendo efetivamente executado é do arquiteto e professor Bruno Simões Magro, catedrático da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo.

A obra[editar | editar código-fonte]

A execução da obra coube à empresa Tavares Pinheiro S.A. sob direção do engenheiro Brenno Tavares e os trabalhos se prolongaram por quatorze anos quando outra empresa especializada começou a bonita decoração interna.

A definição da decoração dos interiores coube inteiramente a Antônio Paim Vieira. Paim foi pintor e ceramista, atuante desde as primeiras décadas do século. O nacionalismo foi a característica marcante da temática e até da técnica que empregou. É sua a pintura do teto da capela-mor que mostra o céu estrelado como no dia de Natividade de Maria, festa da padroeira, celebrada no dia oito de novembro. Ao centro, a Virgem e o Menino estão cercados de representantes das diversas regiões brasileiras, vestidos de roupas típicas.

Ao inaugurar a Capela, em 1958, o renomado orador sacro Mons. Castro Nery disse: "Tu não és italiana, nem francesa, nem grega. És brasileira. Bem brasileira assim como teu moreno de cuia..." São famosas as Virgens flamengas, as de Rafael, Murilo e outros, cada qual expressiva de uma raça e de uma época. Hoje, seis vitrais internos e oito nas torres reproduzem quadros do grande artista. Iluminado à noite o belo conjunto de arquitetura religiosa impressiona os que passam pela região.

Via Sacra e Escadório[editar | editar código-fonte]

Via Sacra em azulejo na Igreja Nossa Senhora do Brasil em São Paulo

O detalhe dos azulejos da Via Sacra, pintados quadro por quadro, em tom azul e fundo branco, iguala ou supera a via sacra da Igreja de São João Maria Vianney, Lapa, Capital, desenhada por Benedito Calixto.

Como no Santuário de Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas do Campo, oito estátuas ornamentam o tablado abrangido pelo semi-círculo formado pelos dois pórticos frontais: de São João Batista e Evangelista, Pedro e Paulo, Ana com Nossa Senhora Menina e José, Isabel e Joaquim. As estátuas foram esculpidas por professores da Faculdade de Belas Artes de São Paulo como Galvez, Orleani e Júlio Guerra. A de São Pedro é doação de José Ermírio de Moraes. Moldadas em cimento com estrutura de ferro compõem um conjunto harmonioso.

Capela da Ordem de Malta[editar | editar código-fonte]

No interior da igreja encontra-se a Capela da Ordem de Malta. A Ordem dos Cavaleiros de Malta, de origem medieval, tratava de hospitais cristãos peregrinos da Terra Santa e defendia os lugares sagrados contra as incursões de muçulmanos.

Foi em 1113 que o Hospital de São João Batista de Jerusalém tornou-se Ordem Religiosa. Com a queda do último reduto na Terra Santa, a Ordem teve que deslocar-se para Chipre. Em 1310, os cavaleiros conquistaram Rodes. Tomada essa ilha pelos turcos, os cavaleiros receberam de Carlos V a ilha de Malta, como sede, donde o nome "Cavaleiros de Malta".

Hoje a Ordem conserva com orgulho títulos e insígnias medievais. Mas perdeu as finalidades militares. Desenvolve suas obras sócio-educativas em mais de 50 países.

Altares do Santíssimo e das Virgens[editar | editar código-fonte]

O Pe. Afonso de Moraes Passos, além de construir a estrutura de aço no teto, de colocar o piso e de edificar o altar policrômico da Virgem Latino-americanas, edificou a primeira capela do Santíssimo no altar de São José. Seu sucessor, o Cônego Leme, deslocou o altar do Santíssimo para onde se encontra hoje, edificando para tanto o altar voltado para o povo. Ao Cônego Leme coube a decoração de toda a igreja com azulejos de Paim .

Painéis do teto da igreja[editar | editar código-fonte]

O teto da igreja é decorado com reproduções de pinturas da Capela Sistina, no Vaticano, obras de extremo valor artístico e histórico.

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Paróquia Nossa Senhora do Brasil

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]