Funicular

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde fevereiro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Funicular de Heidelberg, Alemanha, (secção superior); note-se o cabo e o cruzamento das vias.
Plano inclinado Gonçalves, Salvador, Bahia

Um funicular ou plano inclinado (apenas no Brasil), é um carro de cabos que circula sobre trilho; a sua principal função é o transporte de passageiros ou carga ao longo de encostas. Uma linha de funicular é normalmente constituída por dois carros puxados por um cabo de aço, um em cada extremo da linha; partem ao mesmo tempo numa linha única, a meio do percurso a linha divide-se em duas permitindo o cruzamento. O nome deriva do latim, funiculus, diminutivo de funis que significa "corda".

História[editar | editar código-fonte]

Os primeiros funiculares começaram por funcionar a força da água: uma roda de água puxava o carro ao longo do percurso; este meio de transporte era utilizado como apoio ao embarque e desembarque de navios que circulavam em canais. Um dos primeiros funiculares foi construído, em 1777, no Tyrone Canal, na Irlanda.

No século XIX, o começo da era dos canais fez com que este sistema se expandisse e evoluísse. A roda de água foi substituída pela tracção animal, que mais tarde veio dar lugar à técnica de contrapeso de água, passando este a ser o mecanismo preferencial. Mais tarde, a tracção eléctrica foi também adoptada para a locomoção de funiculares.

Funiculares em Portugal[editar | editar código-fonte]

O primeiro funicular em Portugal, e também na Península Ibérica, foi o Elevador do Bom Jesus em Braga. O projecto foi do engenheiro suiço Nikolaus Riggenbach e foi inaugurado em 1882. Foi nessa obra que se notabilizou o engenheiro português de ascendência francesa Mesnier du Ponsard, que veio a constituir a Companhia dos Ascensores em Lisboa. Foi aí que construiu grande parte da sua obra, na qual se destacam o elevador de Santa Justa, o elevador do Lavra, o elevador da Glória e o elevador da Bica.

Funiculares no Brasil[editar | editar código-fonte]

Para vencer a grande altitude da serra do mar de São Paulo sem criar um trecho excessivamente longo, os ingleses da São Paulo Railway adotaram um sistema funicular, o hoje conhecido por Primeiro Funicular da Serra construído em Paranapiacaba, subdistrito de Santo André.

Esse sistema vencia os quase 800 metros de altitude da Serra por meio de 4 planos inclinados, com 10% de inclinação cada plano, totalizando um percurso de 8 quilômetros. A cada plano, a composição trocava de máquina para prosseguir viagem.

Apesar de parecer um sistema fascinante, o funicular foi duramente criticado por Sud Mennucci, que o considerava um “(…) estapafúrdio trambolho (…) que só o tradicional carrancismo dos ingleses admitia e conservava.” (MENNUCCI, 1947: s.p.), superado com vantagens pela simples aderência do ramal Mairinque-Santos da Estrada de Ferro Sorocabana, construído em 1935.

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Funicular