Porto de Itaguaí

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Porto de Itaguaí, inicialmente denominado Porto de Sepetiba, é um porto localizado na cidade de Itaguaí, no estado do Rio de Janeiro, no Brasil. Adjacente à capital fluminense, foi inaugurado no dia 7 de maio de 1982. É um dos maiores e mais modernos portos da América Latina.

Pretende ser o primeiro Hub Port, ou seja, Porto Concentrador de Cargas, do Atlântico Sul. Sua importância econômica na região da Costa Verde se faz presente de forma direta, gerando empregos, e de forma indireta, atraindo indústrias que necessitam receber e enviar cargas. Graças a isso, tem estimulado o desenvolvimento da economia local.

No intuito de buscar a otimização quanto ao aproveitamento de suas potencialidades, a Autoridade Portuária iniciou, em parceria com a iniciativa privada, a implantação de novos terminais, como:

Sepetiba Tecon - Terminal de Contêineres

Companhia Siderúrgica Nacional - Terminal de granéis sólidos

Companhia Portuária Baía de Sepetiba - Terminal de minério

Valesul Alumínio

Histórico[editar | editar código-fonte]

O Porto de Sepetiba foi inaugurado no dia 7 de maio de 1982, com a operação, à época, dedicada à descarga de alumina para a Valesul e carvão para a Companhia Siderúrgica Nacional.

Em 1973, o governo do então estado da Guanabara, promoveu estudos para implantação do Porto de Sepetiba, destinado a atender, principalmente, ao complexo industrial de Santa Cruz, situado na zona oeste do Rio de Janeiro. Com a fusão dos estados da Guanabara e do Rio de Janeiro, em 15 de março de 1975, a implantação do porto ficou a cargo da Companhia Doccas do Rio de Janeiro. A Docas escolheu o município de Itaguaí para instalar o porto. As obras foram iniciadas em 1976, com a execução de acessos e fundações do píer de carvão. No ano seguinte, tiveram início as obras de dragagem do canal de acesso, enrocamento e aterro hidráulico.

Polêmica do nome[editar | editar código-fonte]

O porto tinha o seu nome original, "Porto de Sepetiba", por conta da baía onde ele se situa, a Baía de Sepetiba, porém havia alguma confusão nesse caso, pois Sepetiba também é o nome de um bairro da cidade do Rio de Janeiro, o que fazia a alguns pensar que o porto se situa no Bairro de Sepetiba (que também é costeiro e está situado na mesma baía).

Isso causava aos moradores de Itaguaí um certo descontentamento, pois era interessante ter uma associação direta entre o nome da cidade e sua maior fonte econômica. Nos últimos anos, uma campanha para a mudança do nome para "Porto de Itaguaí" foi feita e a prefeitura atual passou a usar, como slogan, a frase: "Itaguaí, a cidade do porto".

Em 2006, teve seu nome trocado definitivamente para Porto de Itaguaí, segundo projeto de lei[1] sancionado pelo presidente Luís Inácio Lula da Silva. A despeito disso, a maior parte da população da cidade e os meios de comunicação continuam a chamá-lo pelo nome antigo.

Rodovias de acesso[editar | editar código-fonte]

As principais ligações da atual malha rodoviária são as rodovias federais BR-101 (Rio-Santos), BR-116 Presidente Dutra), BR-040 (Rio-Juiz de Fora) e BR-465 (antiga Rio-São Paulo) e as rodovias estaduais RJ-099 e RJ-105.

A BR-101 é o acesso principal ao Porto de Sepetiba. A partir dela, na direção sul, acessam-se as regiões de Angra dos Reis e a Baixada Santista e, na direção norte, a Avenida Brasil.

Na Avenida Brasil, através da BR-465, antiga Rio-São Paulo chega-se à rodovia Presidente Dutra (BR-116), principal ligação entre as regiões Sul, Sudeste e Nordeste, e através da BR-040 (Rio-Juiz de Fora), faz-se a ligação com os estados de Minas Gerais, Goiás e Distrito Federal, permitindo-se atingir as regiões Centro-Oeste e Norte.

As principais rodovias de ligação, a BR-116 e a BR-040, foram privatizadas em regime de concessão e são de pista dupla pavimentada. A Rodovia estadual RJ-099 faz a ligação entre a BR-101 e a antiga Rio-São Paulo, funcionando como uma via de acesso ao município de Itaguaí. A RJ-105 liga a antiga estrada Rio-São Paulo, através dos municípios de Nova Iguaçu e Belford Roxo (RJ), à BR-040 (Rio-Juiz de Fora). Terá papel fundamental na conexão do porto com a malha rodoviária, a rodovia BR-493, em construção, ligando a RJ-099 até a BR-040, contornando a região Metropolitana do Rio de Janeiro e descongestionando os acessos ao Porto de Sepetiba.

Ferrovias[editar | editar código-fonte]

O acesso ferroviário direto ao Porto de Sepetiba é feito a partir do pátio de Brisamar, próximo à cidade de Itaguaí, numa extensão de 1,5 Km em linha tripla. A partir dessa estação, as linhas férreas em bitola larga (1,60 m) interligam-se com a Malha Sudeste da MRS- Logística S/A, atendendo em particular ao triângulo São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, e a Malha Centro–Leste, de bitola estreita (1,00 metro), arrendada à Ferrovia Centro-Atlântica, que atende ao restante dos estados de Minas Gerais, Bahia e Goiás e ao Distrito Federal. Conexões interferroviárias são realizadas através da Ferrovia Paulista S.A., a partir de São Paulo e Jundiaí, atendendo a todo o interior do estado de São Paulo, e de duas outras empresas que operam na região Centro – Oeste.

Dentro da Malha Sudeste, o ramal Japeri – Brisamar, com 32,9 quilômetros de extensão, é de especial importância para o atendimento ao Porto de Sepetiba. A partir de Japeri a linha tronco Rio – São Paulo, interliga as regiões metropolitanas dessas cidades e atravessa todo o vale do Paraíba.

Marítimo[editar | editar código-fonte]

Canal de Acesso[editar | editar código-fonte]

O Canal de Acesso (Carta 1623), estende-se desde a Ponta dos Castelhanos na Ilha Grande e a Ponta do Arpoador na Restinga de Marambaia por cerca de 22 milhas com profundidade média de 22 metros e variando entre 300 e 180 metros de largura. Se considerarmos como referencial a Ilha Guaíba, o canal se estenderá por 12 milhas com largura variando entre 200 e 180 metros e 15 metros de profundidade mínima, através do canal sul de Martins.

Referências

  1. Projeto de Lei do Deputado Simão Sessim (PP/RJ), foi publicada no DOU no 25/11/2005 a sanção presidencial à Lei n.º 11.200, que alterou definitivamente o nome do Porto de Sepetiba para Porto de Itaguaí.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]