BR-465

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
BR-465 RJ.svg
BR-465
"Antiga Estrada Rio-São Paulo"
BR 465.jpg
Extensão 31,9 km (19,8 mi)
Inauguração 1861

1954 (atuais 31,9 km e demolição dos antigos km)

Tipo Rodovia de Ligação
Limite norte BR-116 em Seropédica, RJ
Interseções
Limite leste Estrada da Caroba no Rio de Jnaeiro, RJ
Concessão Nova Dutra
Lista de rodovias do Brasil

A BR-465, Antiga Estrada (ou Rodovia) Rio-São Paulo é uma rodovia de ligação situada no estado do Rio de Janeiro, na região sudeste do Brasil, com extensão de 31,9 quilômetros.

Descrição da rodovia[editar | editar código-fonte]

A BR-465 tem início junto ao km 208,7 da Rodovia Presidente Dutra, no município de Seropédica e término no bairro de Campo Grande, município do Rio de Janeiro, coincidindo com a antiga Rodovia Rio-São Paulo, numa extensão de 22,8 quilômetros. o trecho, entre o Viaduto Oscar Brito e o bairro de Santa Cruz, do quilômetro 22,8 ao 31,9 é uma sobreposição com a Avenida Brasil (a qual é um trecho da BR-101).

A marcação quilométrica atual é feita no sentido de norte para sul. Na Estrada Rio-São Paulo esta marcação era no sentido contrário e ainda é usada, (de maneira não totalmente precisa) como nome de algumas localidades e pontos de referência ao longo da rodovia.

Os principais pontos de referência são os seguintes:

História[editar | editar código-fonte]

A atual BR-465 é parte daquela que foi a principal rodovia que ligava as cidades do Rio de Janeiro e São Paulo até a década de 1950. Com a implementação da BR-2 (atual Rodovia Presidente Dutra) optou-se por um novo traçado para o trecho próximo à cidade do Rio de Janeiro, passando por Nova Iguaçu, com isso o trecho entre os quilômetros 31 e 54 passou a constituir parte da BR-465.

A outra parte dessa antiga rodovia, presente na região Sul Fluminense, é hoje a RJ-139, que passa pelo distrito de Passa Três, em Rio Claro e segue até Bananal, SP.

Atualidade[editar | editar código-fonte]

Na atualidade, a BR-465 vem se tornando um empecilho à melhoria do tráfego próximo à cidade do Rio de Janeiro.

Com a saturação de vias como a Rodovia Presidente Dutra, Avenida Brasil, Linha Vermelha e Linha Amarela, a Estrada Rio-São Paulo, se fosse duplicada e modernizada, poderia configurar-se numa excelente opção para desafogar estas vias. Serviria de entrada "por trás" da parte principal da capital fluminense, desviando grande parte do tráfego, principalmente o direcionado à Zona Oeste do Rio de Janeiro, funcionando como um grande atalho. Para se chegar ao crescente bairro do Recreio dos Bandeirantes, por exemplo, haveria uma economia de 30 quilômetros, em média. No entanto, a BR-465 vem sendo totalmente ignorada pelo Poder Público, a despeito do seu trânsito também crescente, com volume médio diário de 18 mil veículos, a maioria de carretas e caminhões. A via atualmente é de pista única, possui quarenta e três quebra-molas, pistas esburacadas e desniveladas, e não possui nenhuma previsão de melhoria.[1]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]