BR-101

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
BR-101 (oficial).svg
BR-101
Rodovia Governador Mário Covas
(nome oficial, Lei nº 10.292/01)
"Rodovia Translitorânea"
Mapa da BR-101.jpg
Extensão 4 772,4 km (2 996,1 mi)
Inauguração 1957 (trecho Curitiba - Florianópolis)
década de 1950 (trecho Florianópolis - Torres)
década de 1960/70 (trecho Torres - Parnamirim)
década de 1980 (Rodovia Rio-Santos)
década de 1950/60 (Trecho Rio - Salvador)
1988(duplicação Curitiba - Florianópolis)
2009 (duplicação Florianópolis - Osório)
1958 (Salvador - Touros)
2002 (Duplicação Salvador - Touros)
Tipo Rodovia Longitudinal
Limite norte RN-023 em Touros, Rio Grande do Norte
Interseções
Limite sul São José do Norte, Rio Grande do Sul
Concessão Autopista Litoral Sul, Ecovias, Ponte S/A, Autopista Fluminense
Lista de rodovias do Brasil

A BR-101 é uma rodovia federal longitudinal do Brasil. Seu ponto inicial está localizado na cidade de Touros (Rio Grande do Norte), e o final na cidade de São José do Norte (Rio Grande do Sul).

Atravessa doze estados brasileiros: Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Em toda sua extensão é denominada oficialmente Rodovia Governador Mário Covas.

Segue no sentido norte-sul por praticamente todo o litoral leste brasileiro, do Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul. Tem dois trechos não construídos entre os municípios paulistas de Peruíbe e Iguape, e entre Cananeia (São Paulo) e Garuva (Santa Catarina). No trecho incompleto entre Peruíbe (SP) e Garuva (SC), a BR-101 é complementada pelas rodovias SP-55, BR-116 (Rodovia Régis Bittencourt) e BR-376.

A BR-101 é uma das mais importantes rodovias brasileiras.

Duplicações[editar | editar código-fonte]

Sudeste[editar | editar código-fonte]

Em 2009 foi aberta ao público a duplicação de 26 km entre Santa Cruz e Itacuruçá, trecho localizado no Estado do Rio de Janeiro, próximo à capital. O trecho da Rio-Santos entre Itacuruçá e Paraty com promessa de duplicação ainda não saiu do papel por Burocracia dos governos Estadual e Federal, e por questões ambientais, pois a estrada passa por áreas de mata atlântica em uma região espremida entre a Serra do Mar e o Oceano Atlântico. O trecho Urbano compreendido como Av. Brasil têm 58 km e é todo duplicado e é administrado pelo município do Rio de janeiro e termina próximo ao início da Ponte Rio Niterói. Seguindo pela Ponte Rio-Niterói que tem um pouco mais de 13 km de extensão sobre a Baía de Guanabara a rodovia tem pilares de até 72 metros de altura sobre o mar e possui pistas duplas com 4 faixas em cada lado. Neste trecho de ponte ela é administrada pelo Grupo CCR. A rodovia continua com pista dupla até o município de Rio Bonito com 59 km desde o fim da Ponte Rio Niterói. O trecho entre Rio Bonito e Campos dos Goytacazes está em processo de duplicação e abrangerá 176,6 km de pistas duplicadas. O Trecho de 20 km entre Macaé e Conceição de Macabu já foi duplicado. Mais 13 km entre os quilômetros 105 e 118 da região de Campos dos Goytacazes foram liberados recentemente. E o Grupo Arteris, a concessionária que administra a Br-101 dentro do estado do Rio de Janeiro no trecho entre a Ponte Rio Niterói e a divisa com o estado do Espírito Santo ratificou a duplicação de mais de 25 km 10 Km na região de Campos dos Goytacazes e 15 km entre Casimiro de Abreu e Silva Jardim até o final do ano de 2014, somando 58 km de pistas duplicadas na Br-101 Rj trecho Norte.

Trecho paulista da BR-101 (que atualmente se encontra sob administração do Estado de São Paulo, sob a sigla SP-55), de 172 km, entre Ubatuba e Bertioga, será duplicada a partir de 2013.[1] No trecho de 49,1 km entre Ubatuba e a divisa com o estado do Rio de Janeiro ela é denominada de Rodovia Governador Mário Covas sob a Sigla BR-101.

Em 17 de abril de 2013 a Justiça liberou o início de obras na BR-101 no estado do Espírito Santo, para ser explorado e duplicado pela EcoRodovias (ECO101)[2] .

Sul[editar | editar código-fonte]

O trecho entre Curitiba e Florianópolis, de 312 km, foi totalmente duplicado no Governo FHC.[3] [4]

Desde 2005 encontra-se em duplicação o trecho que liga Palhoça (SC) a Osório (RS), de 350 km. Ainda não concluído. O trecho gaúcho já está todo duplicado. Três trechos catarinenses ainda não foram concluídos: dois próximos ao Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, entre Palhoça e Imbituba, e o trecho entre Laguna, Tubarão e Jaguaruna. A duplicação da BR-101 catarinense atingiu 93% de conclusão em 2014, sendo 234 quilômetros de pista duplicada, entre Passo de Torres e Palhoça. Faltam ainda duplicar 14,5 quilômetros (10 quilômetros em Laguna, dois quilômetros em Tubarão e outros 2,5 quilômetros em Morro dos Cavalos, em Palhoça). Os 88,5 quilômetros do trecho gaúcho foram entregues em fevereiro de 2011.[5]

Nordeste[editar | editar código-fonte]

Encontra-se em duplicação, desde 2005, o trecho da BR-101 no Nordeste, entre Natal e Salvador. Ainda não concluído. O trecho entre Natal (RN) e Palmares (PE), de 404 km de extensão (sendo que cerca de 70 km que cortam a Região Metropolitana do Recife já eram duplicados antes de 2005) já se encontra duplicado. Os trechos entre Palmares e a divisa Pernambuco-Alagoas, assim como os trechos nos estados de Alagoas e Sergipe, encontram-se com obras em ritmo lento, sem previsão de término. No estado do Sergipe, o trecho entre Aracaju e Estância, de 67 km, está com a duplicação praticamente concluída. O trecho baiano da BR-101 não tem previsão de início de obras.

Percurso[editar | editar código-fonte]

Serve, dentre outras, às seguintes cidades:

Rio Grande do Norte[editar | editar código-fonte]

Visão noturna da BR-101 na saída de Natal (RN).

O trecho entre Natal e a divisa com a Paraíba, denominado localmente como BR-101 sul, encontra-se totalmente duplicado.

Paraíba[editar | editar código-fonte]

Trecho da BR-101 na divisa entre os estados da Paraíba e do Rio Grande do Norte.

Pernambuco[editar | editar código-fonte]

Encontra-se em fase final de duplicação o trecho da divisa com a Paraíba até Palmares. O trecho referente ao contorno de Recife, embora duplicado necessita de reparos e melhorias, a licitação realizada para sua recuperação não obteve propostas.[6]

O trecho de aproximadamente 25 km , entre o acesso a Catende, no município de Palmares, e a divisa com Alagoas, foi licitado em dezembro de 2009[7] e as obras estão em fase inicial. .

Alagoas[editar | editar código-fonte]

A para fins de duplicação a BR-101, no estado de Alagoas, foi dividida em seis lotes, dos quais cinco já foram licitados[8] [9] e as obras em fase inicial. O sexto lote será executado pelo 2º Batalhão de Engenharia de Construção do Exército Brasileiro.[10]

Sergipe[editar | editar código-fonte]

Bahia[editar | editar código-fonte]

Espírito Santo[editar | editar código-fonte]

O trecho da BR-101 ES de 475,9 km é administrado pela concessionária ECO101 desde 2013.

A BR 101, trecho da BR-101 Norte ES saída da Região Metropolitana de Vitória

Rio de Janeiro[editar | editar código-fonte]

A Ponte Rio-Niterói, trecho da BR-101 sobre a Baía de Guanabara entre as cidades do Rio de Janeiro e de Niterói (RJ).

São Paulo[editar | editar código-fonte]

Paraná[editar | editar código-fonte]

Santa Catarina[editar | editar código-fonte]

BR-101 em Santa Catarina.

Rio Grande do Sul[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]