Linha Amarela (Rio de Janeiro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Linha Amarela.png
Avenida Governador Carlos Lacerda
(nome oficial)
"Linha Amarela"
LINHAAMARELA2010.JPG
Extensão 25 km (15 mi)
Inauguração 24 de novembro de 1997
Limite norte Linha Vermelha na Ilha do Fundão
Interseções
Limite oeste Avenida Ayrton Senna na Gardênia Azul
Concessão LAMSA

Linha Amarela é uma importante via expressa do estado do Rio de Janeiro, denominada oficialmente como Avenida Governador Carlos Lacerda, liga a Baixada de Jacarepaguá à Ilha do Fundão, eliminando a necessidade de transitar pelas vias da Zona Sul. Sua construção ganhou impulso com os engarrafamentos na Zona Sul, na Zona Norte e na Avenida Brasil.

História[editar | editar código-fonte]

A Linha Amarela faz parte do projeto das linhas policromáticas elaborado pela equipe do urbanista grego Constantínos Apóstolos Doxiádis a pedido do governador do extinto estado da Guanabara, Carlos Lacerda. A via expressa, inaugurada em 1997, também faz parte deste plano que consiste na construção de vias de trânsito rápido em 5% do território do município do Rio.

Apesar de ter sido idealizada na década de 60, a Linha Amarela só começou a sair do papel em dezembro de 1994 na primeira gestão de Cesar Maia a frente da prefeitura, após muita resistência de proprietários e inquilinos de imóveis que tiveram que ser desapropriados e demolidos.

As obras para a construção da via duraram quase 3 anos e foram divididas em 3 lotes: lote 1 (Avenida Ayrton Senna, Jacarepaguá/Gardênia Azul – Avenida Geremário Dantas, Freguesia), lote 2 (Avenida Geremário Dantas, Freguesia - Rua Pernambuco, Encantado) e lote 3 (Rua Pernambuco, Encantado - Avenida Novo Rio, Bonsucesso).

A Novo Rio e a Ayrton Senna (antiga avenida Alvorada) são os trechos antigos da Linha Amarela que somam, juntos, 10 km. O trecho que foi construído, entre 1994 e 1997, é de 15 km.

O lote 2 foi o mais trabalhoso, pois os engenheiros precisaram perfurar o maciço da Serra dos Pretos-Forros. Neste maciço está o Túnel da Covanca, que tem a extensão de 2.187 metros em cada sentido. É um dos maiores túneis urbanos do mundo. Além deste, a Linha Amarela conta com mais 2 túneis menores: o Túnel Geólogo Enzo Totis e o Túnel Engenheiro Enaldo Cravo Peixoto. Tão logo a Linha Amarela foi inaugurada, um problema logo apareceu: os engarrafamentos na chegada ao trecho onde era o início da antiga avenida Novo Rio, que era mais estreita em relação a parte nova da Linha Amarela.

Isso obrigou ao então prefeito Luiz Paulo Conde a determinar o alargamento do viaduto Sampaio Correia e, posteriormente, da Avenida Bento Ribeiro Dantas, entre o viaduto e a Ilha do Fundão (Cidade Universitária), acabando com o gargalo.

Bairros cortados pela avenida[editar | editar código-fonte]

Acessos à Linha Amarela[editar | editar código-fonte]

Características da avenida[editar | editar código-fonte]

Resultados da construção da avenida[editar | editar código-fonte]

  • Crescimento da Barra da Tijuca e Recreio dos Bandeirantes devido à maior facilidade de acesso à região;
  • Aumento expressivo da interligação entre as regiões da cidade do Rio, havendo maior facilidade de se acessar bairros como Água Santa, que não eram próximos de grandes vias;
  • Criação de novas linhas de ônibus para equilibrar a demanda de passageiros;
  • Ligação através de uma saída do Estádio Olímpico João Havelange;
  • Criação de uma saída da Avenida Dom Hélder Câmara para a Avenida Brasil tendo como corredor a Linha Amarela;
  • Obras de melhoria e expansão do acesso à Linha Amarela localizado na Avenida Brasil, sentido Zona Norte;
  • Engarrafamentos quilométricos nas vias do entorno da Linha Amarela, devido à popularização da via.
  • Construção do Viaduto da Abolição, como saída de que vem do Engenhão.
  • Construção do Viaduto de Bonsucesso.

Pedágio[editar | editar código-fonte]

A Linha Amarela é a primeira via urbana a possuir praça de pedágio. Fica situada no bairro de Água Santa, no emboque norte do Túnel da Covanca.

Desde a inauguração da via administrada pela Lamsa, em 1997, moradores do Rio de Janeiro acionam a prefeitura com questionamentos sobre a legalidade da cobrança. De acordo com os incisos I, XI e XXVII do artigo 22 da Constituição Brasileira, os municípios seriam proibidos de legislar sobre pedágio. Não seria possível, portanto, haver cobrança pelo uso de uma via que seja intramunicipal, ou seja, que saia de um ponto da cidade e termine em outro do mesmo município. É o caso do pedágio da Linha Amarela.[1]

Acidente[editar | editar código-fonte]

No dia 28 de janeiro de 2014, o caminhão desabou em uma passarela que deixou 4 mortes e 4 feridos no bairro de Pilares da zona norte da cidade, fica mais próximo do supermercado Walmart e no Shopping Nova América.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Plano Doxiadis
Linha AmarelaLinha AzulLinha LilásLinha MarromLinha VerdeLinha Vermelha
Camera-photo.svg
Ajude a melhorar este artigo sobre Transportes ilustrando-o com uma imagem. Consulte Política de imagens e Como usar imagens.