Barra da Tijuca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Barra da Tijuca

Região Administrativa da Barra da Tijuca
—  Região Administrativa  —
Região da Barra da Tijuca vista da Pedra da Gávea
Região da Barra da Tijuca vista da Pedra da Gávea
23° S 43° 21' 56" O
País  Brasil
Estado Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Rio de Janeiro
região Região Administrativa
Administração
 - Subprefeito Tiago Mohamed (PMDB)
Área
 - Total 165 59 km²
População (2010[1] )
 - Total 300 823

Barra da Tijuca é uma região administrativa situada entre o oceano Atlântico e os maciços da Pedra Branca e da Tijuca, Zona Oeste do município do Rio de Janeiro, capital do estado homônimo. É formada em grande parte por ilhas barreiras separadas do continente por um extenso complexo lagunar. Apesar de pouco usual, os nascidos ou os que vivem na Barra da Tijuca são chamados de barristas [2] [3] .

É formada por oito bairros: Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes, Vargem Pequena, Vargem Grande, Camorim, Grumari, Joá e Itanhangá, além de dezenas de sub-bairros, abrangendo uma população de aproximadamente 300 mil pessoas.[4] Sua área total é de 165,59 km²,[5] equivalente ao tamanho da região urbana de Tel Aviv, Israel, ou da cidade de Miami, Flórida.

Possui ao todo 27,3 km de praias oceânicas,[6] sendo as maiores a praia da Barra da Tijuca e a praia da Reserva, ambas localizadas no bairro da Barra da Tijuca. A região possui ainda três grandes lagoas, sendo a de maior extensão a Lagoa de Marapendi.

A região é cortada por três vias principais: a Avenida das Américas (principal via da região, que corta os bairros da Barra e do Recreio e possui cerca de 21 quilômetros), a Avenida Ayrton Senna (que liga a Barra a Jacarepaguá e à Linha Amarela), e a Avenida Lúcio Costa, antiga Avenida Sernambetiba (ao longo do litoral).

Faz limite com o bairro de Jacarepaguá ao norte, com o maciço da Pedra Branca a oeste, com o maciço da Tijuca a leste, e com o Oceano Atlântico ao sul. O bairro da Barra da Tijuca é o centro cultural, econômico e administrativo da região.

A Barra, como é conhecida popularmente, é uma região relativamente nova, classificada como de alto desenvolvimento pelo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH=0,959).[7] Os dados demográficos indicam que a região foi a que mais cresceu no município na década de 1990: cerca de 44%.[8] Será a grande sede das Olimpíadas de 2016, recebendo a maioria das modalidades olímpicas, além de ser o local da Vila Olímpica.

História[editar | editar código-fonte]

A região da Barra era originalmente um imenso areal, assentada sobre uma ilha barreira, com vegetação rasteira típica de restinga. A área, cheia de alagadiços e imprópria para o plantio, permaneceu desocupada até meados do século XX, sendo frequentada apenas por pescadores. No ano de 1667, a região foi doada a religiosos beneditinos, que implantaram engenhos apenas nos bairros de Camorim, Vargem Pequena e Vargem Grande.[9]

Em 1900, as terras da Baixada de Jacarepaguá foram vendidas para a Empresa Saneadora Territorial e Agrícola S.A. (ESTA), ainda hoje grande proprietária de terras na área. A concentração de grandes extensões de terras em mãos de poucos foi uma das causas do crescimento tardio, além da dificuldade de acesso à região, por estar separada do restante do município por grandes cadeias montanhosas, com picos que variam de 800 a 1200 metros.[10]

A ocupação efetiva da região deu-se inicialmente pelas suas extremidades, tanto no atual Jardim Oceânico quanto no Recreio dos Bandeirantes, que possuem as mesmas regras urbanísticas e limites de construção, diferenciados de todo o restante da região. Para atender aos novos loteamentos do Jardim Oceânico, foi construída pela iniciativa privada a Ponte Nova sobre a lagoa da Tijuca.

O grande marco do início do desenvolvimento da Barra, no entanto, se deu na administração do governador do estado da Guanabara Negrão de Lima, que encomendou ao urbanista Lúcio Costa um projeto urbanístico para a região. O Plano Piloto da Barra da Tijuca de 1969, similar ao Plano de Brasília, de inspiração no urbanismo racionalista, com grandes avenidas e grandes espaços abertos, marcou definitivamente o início do estilo de vida peculiar da Barra.

Na década de 1970, foi construída a Autoestrada Lagoa-Barra (incluindo um túnel acústico), que possibilitou o maior desenvolvimento, diminuindo o tempo de transporte para a zona sul da cidade do Rio. Por essa mesma época consolidaram-se grandes condomínios fechados, inspirados num então novo modelo de vida, com destaque para o Nova Ipanema e o Novo Leblon.

Na década de 1990, outro grande marco urbanístico que possibilitou melhor ligação com a Zona Norte da cidade do Rio foi a criação da Linha Amarela, via expressa que liga a Barra da Tijuca à Ilha do Fundão. A partir de então, o crescimento da Barra tem se caracterizado por grandes afluências de pessoas de todas as partes da região metropolitana do Rio.

Projeto de emancipação[editar | editar código-fonte]

Durante os anos 1980, a Barra da Tijuca viveu uma explosão demográfica, com praticamente todos os terrenos ao longo das suas avenidas ocupados por grandes condomínios residenciais, parques, supermercados, shopping centers, escolas, hospitais. As avenidas foram duplicadas e receberam sinalização. Nesta época houve um movimento de emancipação da região da Barra da Tijuca tendo a maioria dos eleitores votado pela separação da Barra, mas o resultado do plebiscito não foi suficiente para implementá-la devido ao quórum de votantes ter ficado aquém do mínimo exigido.[11] [12]

Há um projeto de lei em andamento na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro em que se prevê a formação de um novo município formado por todos os bairros da região da Barra da Tijuca. O projeto, porém, depende da aprovação do Projeto de Lei em tramitação no Congresso Federal, PEC 13/03, que transfere aos estados a competência para legislar sobre a matéria, como era até 1996.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Lagoa da Barra e montanhas da Pedra Branca.

A Barra ocupa o centro geográfico da porção de terra entre as baías da Guanabara e de Sepetiba, localizada numa larga planície comprimida entre montanhas, morros e lagoas, com o Oceano Atlântico ao sul. As formações montanhosas da Serra do Mar, rebordo do Planalto Atlântico, ergue-se ao redor da região,com suas ramificações encontrando-se com o mar, e divide a Barra do restante da cidade do Rio, e as lagoas da Tijuca e de Jacarepaguá separam o bairro da Barra da Tijuca do restante da região de Jacarepaguá.

Na Barra da Tijuca está situado o ponto culminante da cidade: o Pico da Pedra Branca, de 1.025 metros de altitude[13] , que faz parte de um dos dois grandes maciços da região: o maciço da Pedra Branca, que a separa dos demais bairros da zona oeste da cidade do Rio, e o maciço da Tijuca, sobre o qual irrompem morros e picos de grande interesse turístico, como o Pico da Tijuca (1.022 m) e a formação geológica símbolo da Barra, a Pedra da Gávea, de (842 m).

Seu litoral tem 27,3 quilômetros de extensão, voltado ao Oceano Atlântico, e inclui pequenas ilhas. O litoral atlântico expressa alternâncias consideráveis, apresentando-se ora alto, quando em contato com as ramificações costeiras dos maciços da Pedra Branca e da Tijuca, ora baixo, trecho pelo qual se estendem as praias da Barra da Tijuca e do Recreio dos Bandeirantes, eminentemente praias urbanas.

Economia[editar | editar código-fonte]

A Barra da Tijuca é uma das regiões economicamente mais expressivas da cidade do Rio de Janeiro, e uma das que mais crescem. Grandes empresas migraram para a Barra da Tijuca em decorrência do boom da construção civil e da oferta de espaços e novos empreendimentos empresariais.

Entre as grandes empresas que escolheram a região para instalar suas sedes ou filiais, encontram-se a Shell Brasil, a Esso Brasil, a Vale do Rio Doce, a Vivo, a Michelin, a Nokia, a PwC a Tim e a Unimed, além de grandes empresas de comunicação, shoppings, agências de publicidade e muito mais.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Crescimento por bairro.

O crescimento populacional da Barra mostra-se constante e acelerado, segundo os censos do IBGE: 43.945 habitantes em 1980, 98.851 habitantes em 1991, 174.353 em 2000, e 300.823 em 2010.[14] Os números do Censo 2010 indicaram o acelerado crescimento pelo qual a região continuou a passar, concluindo que a região da Barra da Tijuca compreendia 300.823 habitantes em 2010.[4] Entre os bairros da região que mais cresceram destacam-se o Recreio, o Camorim, Vargem Pequena e Itanhangá.[14] [15] Considerando-se os dados das últimas três décadas, constata-se que a Barra da Tijuca é uma das regiões urbanas que mais cresceram na América do Sul. Em 1980 a população total da região era de 43.945 habitantes ( Joá: 867 hab.; Barra (bairro): 24.126 hab.; Itanhangá: 5.028 hab.; Camorim: 341 hab; Vargem Pequena: 3456 hab.; Vargem Grande: 4765 hab.; Recreio: 5276 hab.; Grumari: 86 hab.).[16] Já em 1991 a população da Barra da Tijuca saltou para 98.851 habitantes segundo o Censo IBGE, sendo 823 pessoas no Joá, 9.918 no Itanhangá, 63.492 no bairro da Barra, 145 no Camorim, 3.394 em Vargem Pequena, 6.558 em Vargem Grande, 14.344 no Recreio, e 117 em Grumari), mais que dobrando sua população em uma década.


Política e administração[editar | editar código-fonte]

A Barra da Tijuca forma a 24º Região Administrativa do Rio de Janeiro. Sua sede fica na Av. Ayrton Senna, 2001, Barra da Tijuca. Tradicionalmente possui o seu próprio órgão administrativo: a Subprefeitura da Barra. Porém com a finalidade de corte de gastos na administração do prefeito Eduardo Paes houve a determinação de união com a Subprefeitura de Jacarepaguá, formando assim a Subprefeitura da Barra e Jacarepaguá, continuando a ocupar a mesma sede no Centro Administrativo da Barra, na Avenida Ayrton Senna. O atual subprefeito é Tiago Mohamed Monteiro.

Divisão[editar | editar código-fonte]

Bairros da Barra da Tijuca
Barra.Vista1.jpg

Região Administrativa
Subprefeitura


Bairros:
Barra da Tijuca
Camorim | Grumari
Itanhangá | Joá
Recreio dos Bandeirantes
Vargem Grande
Vargem Pequena

Mapa da XXIV Região Administrativa

Joá[editar | editar código-fonte]

O Joá é o menor distrito da Barra da Tijuca, localizado na divisa da região com São Conrado, no braço do maciço da Tijuca que se encontra com o oceano Atlântico. É um distrito eminentemente residencial, e possui uma pequena praia conhecida como praia da Joatinga.

Barra da Tijuca[editar | editar código-fonte]

É o centro econômico, cultural e político da região. Sendo o maior distrito da região tanto em área quanto em população, o bairro se estende desde o Largo da Barra e canal da Joatinga até as avenidas Salvador Allende e Alfredo Baltazar da Silveira, e desde o oceano até as lagoas da Tijuca, do Camorim e de Jacarepaguá.

É formada por diversos "bairrinhos": Jardim Oceânico (maior que Ipanema), Barrinha, Península (tamanho do Leblon), Riviera da Lagoa, além de diversas associações de moradores que fecham ruas públicas.

Vargem Grande[editar | editar código-fonte]

Localiza-se no sopé do maciço da Pedra Branca, e é repleto de rios e canais que correm em direção às lagoas e ao mar.

Vargem Pequena[editar | editar código-fonte]

Vargem Pequena está localizado entre o Camorim e Vargem Grande, conhecido por ser um centro gastronômico e uma das áreas que mais cresceram demograficamente na última década. O crescimento da região fez com que o comércio e serviços começasse a se consolidar. Atualmente o Vargem Shopping, localizado em Vargem Pequena, com 147 lojas, é o grande ponto do comércio local.

Grumari[editar | editar código-fonte]

Em Grumari se localizam as famosas praias de Grumari e Abricó, além de outras menores e menos conhecidas, como as praias do Perigoso, do Meio, Funda e do Inferno, acessíveis por trilha ou por mar. Sua área é reserva ambiental e utilizada para prática de surfe e nudismo.

Itanhangá[editar | editar código-fonte]

Localizado no sopé do maciço da Tijuca, o Itanhangá tem grande parte de sua área ocupada por um campo de golfe e grandes condomínios de casas residenciais.

Camorim[editar | editar código-fonte]

Situado entre o bairro da Barra e Vargem Pequena. Nele se localiza o Riocentro, importante centro de convenções da região. Também será construído o Parque Olímpico e a Vila Olímpica como parte da infraestrutura das Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro.

Recreio dos Bandeirantes[editar | editar código-fonte]

Vista da Prainha.

Um dos principais distritos da região da Barra, o Recreio situa-se entre o mar, a Barra da Tijuca, Vargem Grande / Vargem Pequena, e Grumari. Possui a segunda maior população da região e também várias opções comerciais, como o Recreio Shopping. Apresenta menor nível de verticalização que o bairro da Barra da Tijuca, e, movido pela proposta de ser um bairro ecológico e de elevada qualidade de vida, abriga em seu bastante arborizado interior o Parque Ecológico Chico Mendes, o Parque Marapendi, fora outras reservas, sendo também muito bem servido por praças arborizadas e inúmeras ciclovias.


Educação e ciência[editar | editar código-fonte]

A região conta com diversos estabelecimentos de ensino fundamental, unidades pré-escolares, escolas de nível médio e algumas instituições de nível superior.

As instituições de ensino superior instaladas instaladas na região são; IBMEC, a Pontifícia Universidade Católica (com cursos de extensão universitária), a FGV (cursos de MBA), a Universidade Veiga de Almeida, a IBMR e a Universidade Estácio de Sá.

Cultura, lazer e qualidade de vida[editar | editar código-fonte]

Fachada do New York City Center

Dentre as opções de cultura e lazer da região estão grandes shopping centers, salas de cinema multiplex, complexos esportivos, teatros, parques, trilhas naturais e as praias da região.

Centros comerciais[editar | editar código-fonte]

A região da Barra da Tijuca possui inúmeros centros comerciais de grande, médio e pequeno porte. Grandes empresas nacionais e estrangeiras possuem sedes na região como Shell, Esso, Vale do Rio Doce, Vivo, Michelin, Nokia, TIM, Unimed e Globosat.

Os principais centros comerciais são o Américas Corporate, o Barra Business Center, o Barra Prime Office, o Barra Space Center, o Alfa Business, o Advanced Office, o Bandeirantes Office, o Barra Tower Offices, o Barra Trade, o Blue Center, o Brookfield Place, o Corporate Executive Offices, o Dimension Office & Park, o Via Comfort Working e o Le Monde Londres Financial Center.[17]

O Barra Shopping e o Downtown possuem centros comercias dentro deles.

Shoppings[editar | editar código-fonte]

A região da Barra é famosa pelos seus diversos centros comerciais, que fazem parte do dia-a-dia das pessoas da região.

O maior deles é o Barra Shopping, um dos maiores centros de compras da América do Sul, inaugurado em 1981. É considerado um dos 3 shoppings mais fortes da cidade do Rio de Janeiro, ao lado do Norte Shopping e do Shopping Rio Sul. Ao seu lado foi criado o New York City Center, inaugurado em 1999, uma extensão do Barra Shopping mais voltada ao lazer, enquanto ao outro lado fica o Centro Empresarial Barra Shopping. O New York City Center possui uma arquitetura inspirada na ilha de Manhattan, contando com uma enorme réplica da Estátua da Liberdade em sua entrada. A estátua da Barra, como é conhecida, gerou polêmica nos centros tradicionais de cultura brasileira, que a viram como uma "influência negativa" da cultura norte-americana no estado do Rio, e muitos à época da inauguração propuseram a sua retirada. Porém, sendo a Barra largamente influenciada pelos valores e ícones culturais norte-americanos,[18] a estátua foi mantida, e tornou-se um dos símbolos da Barra.[2]

Os outros 2 shoppings mais importantes da Barra, considerados "de maior porte" no âmbito da cidade do Rio de Janeiro, são o Via Parque Shopping, shopping de estilo tradicional, e o Downtown, um shopping aberto dividido em diversos blocos, que concentra lazer noturno, salas comerciais, lojas tradicionais e uma unidade da Universidade Gama Filho.

A Barra conta ainda com inúmeros outros shoppings de grande e médio porte, como o Città America, o Barra Square, o Barra Garden, o Rio Design Barra, o Barra Point (ao qual se pode chegar de lancha, ancorando-a na parte de trás do shopping), o Bayside Shopping, o Marapendi Shopping e também outros shoppings menores, alguns dos quais criados junto aos prédios e condomínios fechados, como o Millenium, o La Palmas, o Novo Leblon, o Barra Mall, o Open Mall, o America's Mall, o Comercial Parque Palace, o Aventura Center, o Esplanada da Barra, o Midtown, o Parque das Rosas, o Marapendi, o Station Mall, o Barra Plaza, o Barra Trade, o Barra Express, o Riomar e o Shopping Bandeirantes.

Há também shoppings especializados, como é o caso do InfoBarra (informática), do Barra Medical Center, do Casa Shopping e também shoppings temáticos como o Shopping Barra World, no Recreio dos Bandeirantes.

Ao final de 2012, inaugurou-se na Av. das Américas o shopping de luxo Village Mall e em 2014 o Centro Metropolitano situado na região do Rio 2.

Parque de diversões[editar | editar código-fonte]

A parque de diversões Terra Encantada foi projetado para ser um dos mais modernos parques de diversão da América Latina. Foi inaugurada no ano de 1998 após dois atrasos de abertura de portas. Hoje, encontra-se fechado por conta de um acidente ocorrido em uma de suas atrações.

Esportes[editar | editar código-fonte]

Parque Aquático Maria Lenk.

Nos esportes o destaque da região vai para o Complexo Esportivo Cidade dos Esportes, que conta com o Autódromo Internacional Nelson Piquet, o Parque Aquático Maria Lenk, a Arena Olímpica e o Velódromo da Barra (tanto o Parque Aquático, tanto o Velódromo foram arrendados pelo Comitê Olímpico Brasileiro).

Até o início da década de 1990, as competições de Fórmula 1 eram realizadas no autódromo, porém, foram transferidas para São Paulo. Hoje o autódromo abriga outras competições automobilísticas, e teve suas dimensões reduzidas à época da construção da Cidade dos Esportes.

É na Barra da Tijuca que estão localizadas as sedes do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

As praias são usadas para a prática de ciclismo em suas ciclovias, surf e inúmeros esportes aquáticos, havendo sempre competições em suas águas.

Em cada ano no mês de Maio acontece a Meia Maratona da Barra da Tijuca, pelas principais avenidas da Barra e do Recreio.

Desde 2007 é realizada no mês de julho a "Track & Field Run Series", com um percurso de 10 km, no entorno do Barra Shopping.

O bairro abriga também uma das mais importantes academias de jiu jitsu do mundo: a Gracie Barra.

A Barra conta também com uma pista de patinação no gelo, chamada de Barra On Ice localizada no Hipermercado Extra.

Desde 2010, quando surgiu, o Tour do Rio tem seu ponto de largada na Praça do Ó, no Jardim Oceânico. O Tour do Rio é um dos maiores eventos ciclísticos da América do Sul.

Teatros e salas de concerto[editar | editar código-fonte]

A região conta com inúmeros teatros de médio porte, sendo os mais importantes o Teatro dos Grandes Atores, no Shopping Barra Square e o Teatro Antônio Fagundes, na Avenida Ayrton Senna.

Também se encontra em construção o Teatro do shopping Village Mall que, com 1.060 lugares, será o 3º maior do Estado.

Está em construção na Barra a Cidade da Música, um complexo que abrigará a maior sala de concertos da América Latina.[19] Será a futura sede da Orquestra Sinfônica Brasileira, e contará com salas de música de câmara, além de um palco adaptável para apresentações de ópera.

Somam-se aos cinemas, teatros e espaços de lazer o Centro Cultural Suassuna, o Museu de Arte Popular - Casa do Pontal, o Citibank Hall, a casa de shows Ribalta e a Casa de Cultura da Estácio.

Cinemas[editar | editar código-fonte]

A região da Barra da Tijuca é a mais privilegiada do Rio de Janeiro em quantidade e qualidade de salas de projeção de filmes pois possui 18 salas da rede UCI no New York City Center (tornando-se o maior complexo de salas de cinemas da América do Sul, contando com salas VIP e Imax, únicas do Estado do Rio); 12 salas da rede Cinemark no Shopping Downtown; 6 salas do Grupo Severiano Ribeiro no Via Parque; 3 salas no Rio Design Barra; 4 salas do grupo Cinesystem no Shopping Recreio e 3 salas do Grupo Estação no Barra Point.

Com os novos shoppings em construção (Américas Mall, no Recreio, Shopping Metropolitano, no Centro Metropolitano, e Village Mall, ao lado do Centro Empresarial Barrashopping) que serão inaugurados até 2014, a região terá mais 16 salas de cinema, totalizando 62 salas de cinema na Barra da Tijuca.

Supermercados[editar | editar código-fonte]

Nenhuma outra região da cidade do Rio de Janeiro possui tantos supermercados como a Barra. O mesmo vale para o porte de tais supermercados, que na Barra adquirem tamanhos e variedade de produtos muito superiores aos dos demais bairros da cidade.

Apenas na Barra da Tijuca encontram-se os hiper e super-mercados Carrefour, Makro, Extra (três unidades), Pão de Açúcar, Guanabara, Mundial, Sendas, Prezunic, Zona Sul, Port Food, Super Market e Flat Marketing, a maioria deles com mais de uma unidade no bairro.

No bairro do Recreio, encontram-se os supermercados Mundial, dois Prezunics, Zona Sul, Super Market, Pão de Açúcar (dento do Shopping Recreio), etc.

A estes hiper e super-mercados somam-se ainda outros de médio e pequeno porte dispersos no interior dos bairros.

Além dos supermercados merecem destaque o Mercado Produtor de Peixe da Barra e o Mercado de Peixe do Recreio (Pontal).

Também nas vendas de produtos para casa há várias lojas de grande porte, dentre as quais Crispum, Leroy Merlin, Amoedo, Casa Show, Casa e Construção e Dicico. Bem como lojas de decoração de grande porte, dentre as quais a Tok & Stok, Etna e Rio Decor.

O Walmart teve o terreno vendido à Multiplan no final de 2011. A administradora do Barra Shopping ainda não deu um destino ao terreno, localizado ao lado do Village Mall, novo investimento de altíssimo luxo da empresa na Avenida das Américas. A notícia surpreendeu os moradores da região que não contam mais com o hipermecado, fechado no dia 31/12/2011, havendo a administração do Walmart afirmado pretender retornar à região.

Parques e reservas ambientais[editar | editar código-fonte]

Praia do Recreio.
Praia da Reserva.

Nenhuma outra área da cidade proporciona tamanho contato com o verde quanto esta região, que conta com 6 parques de destaque: o Bosque da Barra, o Parque Chico Mendes, a Reserva de Marapendi, o Parque Ecológico da Prainha, o Parque Municipal Fazenda da Restinga e o Parque Ambiental Mello Barreto.

  • Parque Natural Municipal Bosque da Barra: ocupa uma área de 560 mil metros quadrados, na interseção entre as avenidas das Américas e Ayrton Senna, de frente à Cidade da Música. Possui pequenos lagos, trilhas de terra, muita árvores nativas, além de um teatro de arena e praça de esportes.
  • Parque Natural Municipal Chico Mendes: criado em 1989 com o nome de Chico Mendes, líder ambiental, o parque se dedica à educação ambiental, também realizando a reintrodução de animais silvestres apreendidos em cativeiros em seu meio-ambiente. Sua área é de 400 mil metros quadrados, no entorno da lagoinha das Taxas, no centro do Recreio.
  • Parque Natural Municipal de Marapendi: Possui uma área de 194,8 hectares, dos quais 330 mil metros quadrados (33 hectares) correspondem à lagoa de Marapendi. Sua entrada é na Avenida Alfredo Balthazar da Silveira, 635, no Recreio, apesar de a maior parte de sua área estar dentro do bairro da Barra da Tijuca. No parque encontram-se espécies raras e ameaçadas de extinção, como a lagartixa-de-praia (Liolaemus lutzae), o lagarto-de-cauda-verde (Cnemidophorus ocellifer), de coloração mimética à vegetação; o jacaré-do-papo-amarelo (Caimam latirostris) e a borboleta-da-praia (Parides ascanius).
  • Parque Natural Municipal da Prainha: Região de 146,93 hectares privilegiada pela natureza e outrora cobiçada pela especulação imobiliária, foi transformada em Área de Proteção Ambiental em 1990 e em Parque Ecológico em 1999 (Decreto Municipal no 17.445 de 25.03.1999). Situada entre o Recreio e o Grumari, é cercada por montanhas, tendo à sua frente a Prainha. Com visual exuberante, abriga em seu interior um pequeno museu, diversas trilhas, córregos e belíssimos mirantes.
  • Parque Municipal Fazenda da Restinga: Possui área de 39 mil metros quadrados, situando-se à beira da Lagoa da Tijuca. Dispõe de um mirante de 18 metros atrás do belo Shopping Cittá América.
  • Parque Ambiental Melo Barreto: Possui área de 42 mil metros quadrados, situando-se na região conhecida como Península. Dispõe de diversas trilhas de saibro para agradáveis caminhadas.

Além desses parques destinados ao lazer, à educação ambiental e à preservação da fauna e flora, há o Parque Estadual da Pedra Branca, uma floresta maior que a Floresta da Tijuca, possuindo grande parte da sua área na região da Barra, especificamente nos bairros de Vargem Pequena, Vargem Grande, Camorim e Recreio.

Transportes[editar | editar código-fonte]

Aeroportos[editar | editar código-fonte]

A Barra conta, em sua proximidade com o Aeroporto de Jacarepaguá, instalado entre a avenida Ayrton Senna e a lagoa de Jacarepaguá, destina-se sobretudo a voos particulares e regionais com aeronaves de pequeno porte. A atividade comercial mais intensa no aeroporto é a de táxi aéreo.

Também existe na Barra um aeroporto reservado à operação de ultraleves, o Clube Ceu (Clube Esportivo de Ultraleves),[20] situado ao sul do Autódromo Internacional Nelson Piquet, também de frente para a lagoa de Jacarepaguá. Trata-se de um dos mais bem aparelhados clubes dentre as agremiações esportivas do mundo todo, considerado pelas autoridades aeronáuticas brasileiras um padrão na aviação esportiva.[21]

Ponte aérea Rio-São Paulo (Via Barra)[editar | editar código-fonte]

Há um projeto para se estabelecer no Aeroporto de Jacarepaguá uma ponte aérea com a cidade de São Paulo.[22] [23] No entanto, devido a protestos de moradores de áreas próximas, principalmente do Park Palace, o projeto ainda não foi implantado e não se sabe se um dia será.

Heliportos[editar | editar código-fonte]

Existem vários helipontos. Além da possibilidade de pousar no aeroporto de Jacarepaguá, a região conta com o Heliponto do Recreio dos Bandeirantes e o do Barrashopping.

BRT Transcarioca (Aeroporto/Penha/Barra) -RJ[editar | editar código-fonte]

Obra começou em março de 2011; conclusão está prevista para dezembro de 2013 Corredor expresso de ônibus articulado, com 39 km de extensão. Fará a ligação da Barra da Tijuca ao Aeroporto Internacional do Galeão, passando pelo setor hoteleiro e por áreas nobres da capital fluminense. O trecho passará por Jacarepaguá, Curicica, Taquara, Tanque, Praça Seca, Campinho, Madureira, Vaz Lobo, Vicente de Carvalho, Vila da Penha e Penha. Obra enfrenta denúncia de violação aos direitos da moradia na desapropriação de parte dos 3,6 mil imóveis. Custo: R$ 1,883 bilhão Contrato: público (governo estadual do Rio de Janeiro) Construtora: Consórcio Transcarioca (Andrade Gutierrez e Delta)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. [http:http://portalgeo.rio.rj.gov.br/bairroscariocas/index_ra.htm Título não preenchido, favor adicionar].
  2. a b http://jbonline.terra.com.br/jb/papel/colunas/annaramalho/2005/02/26/jorcolanna20050226001.html
  3. http://oglobo.globo.com/rio/bairros/posts/2011/08/07/estreia-em-horario-nobre-396818.asp
  4. a b http://portalgeo.rio.rj.gov.br/bairroscariocas/index_ra.htm
  5. http://portalgeo.rio.rj.gov.br/bairroscariocas/index_ra.htm
  6. http://portageo.rio.rj.gov.br/bairroscariocas/index_ra.htm.
  7. IDH dos bairros do Rio de Janeiro Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 9 de julho de 2008.
  8. http://www.rio.rj.gov.br/planoestrategico/interna.php?n0=1&n1=4&n2=6&rn0=2
  9. Plano Estratégico São Sebastião do Rio de Janeiro.
  10. Informações sobre a Pedra da Gávea Barra Leme.
  11. O ano em que a Barra quase saiu do mapa do Rio
  12. Tentaram separar a Barra da Tijuca do Rio
  13. http://www2.rio.rj.gov.br/smu/buscafacil/Arquivos/PDF/D3158M.PDF
  14. a b http://www.rio.rj.gov.br/planoestrategico/interna.php?n0=1&n1=4&n2=6&rn0=2&rn1=1
  15. http://www.rio.rj.gov.br/planoestrategico/interna.php?n0=1&n1=4&n2=6&rn0=2&rn1=3#
  16. http://portalgeo.rio.rj.gov.br/estudoscariocas/download/2411_Condicionantes%20territoriais%20e%20estimativas%20populacionais.pdf
  17. http://www.buildings.com.br/edificios-comerciais/rio-de-janeiro-barra-da-tijuca.php
  18. http://veja.abril.com.br/101199/p_180.html
  19. http://www.rio.rj.gov.br/culturas/site/cult.php?go=&id=240198
  20. Clube Ceu (SDIN) 26 de fevereiro de 2008
  21. Clube Ceu (Infra-estrutura)
  22. Ponte aérea em Jacarepaguá Diário do Rio de Janeiro (23 de agosto de 2007). Página visitada em 22 de julho de 2008.
  23. http://www.jornalfolhabarra.com/index.php?option=com_content&task=view&id=7557&Itemid=140

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Barra da Tijuca