Ferrovia Centro-Atlântica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ferrovia Centro-Atlântica - FCA
Cotação BM&F Bovespa: [1]
Indústria Logística
Fundação 1996, como FCA.
Sede Belo Horizonte, Minas Gerais,  Brasil
Áreas servidas São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás, Bahia, Espírito Santo, Distrito Federal, Sergipe, Minas Gerais
Pessoas-chave Marcello Spinelli
(presidente atual)
Empregados 3.200 [1] (2008)
Produtos Transporta variados segmentos como commodities agrícolas, insumos e fertilizantes, combustíveis, siderúrgico, automotivo e autopeças, químico, petro-químico e mineração
Página oficial http://www.fcasa.com.br

A Ferrovia Centro Atlântica, mais conhecida como FCA, é uma empresa privada do grupo VLI, criada no dia 1 de setembro de 1996 assumindo a malha privatizada da RFFSA composta das seguintes superintendências regionais: SR-2 com sede em Belo Horizonte; SR-8 com sede em Campos dos Goytacazes; e SR7, com sede em Salvador. Através de negociação com a Ferroban assumiu parte da Fepasa.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Oriunda da antiga Rede Ferroviária Federal RFFSA, a FCA foi criada a partir do Programa Nacional de Desestatização. Desde 2003 a FCA faz parte do Grupo Vale. Em 2008, a FCA lançou sua nova logomarca.

Comboio da FCA, trafegando por Três Irmãos com a antiga marca da empresa, Rio de Janeiro.

Cronologia[editar | editar código-fonte]

1992

A RFFSA é incluída no Programa Nacional de Desestatização

1996

Surge a FCA, com a operação do trecho correspondente à antiga Malha Centro-Leste Brasileira: SR2 (Belo Horizonte), SR7(Salvador) e SR8(Campos).

1999

Alteração no grupo de controle da FCA. Vale adquire um percentual do controle acionário da empresa

2003

VALE assume 99,99% do controle acionário da FCA.

2008

Lançamento de sua nova logomarca.

Projetos da Empresa[editar | editar código-fonte]

Projeto Noroeste de Minas[editar | editar código-fonte]

A FCA desenvolveu um projeto que vai permitir a criação de um corredor de exportação entre o Terminal de Pirapora e o Terminal de Produtos Diversos no Complexo Portuário de Tubarão, em Vitória Já a partir de 2009, essa nova alternativa de escoamento de grãos tornará a cadeia produtiva mais barata e eficiente.

O novo corredor permitirá maior competitividade e aumento da produção local de soja, milho, álcool e açúcar e do consumo de insumos como fertilizantes, defensivos e sementes, gerando mais renda e investimento para a Novo Corredor para exportação:

  • Localização privilegiada.
  • Novo terminal de transbordo e armazenagem em Pirapora.
  • Transporte ferroviário ágil e eficiente.
  • Moderno terminal portuário, com capacidade para navios de grande porte (“cape-size”).
  • Plano do Governo de Minas Gerais para recuperação e pavimentação de rodovias.
  • Logística eficiente permitindo que a produção seja mais competitiva.

Projeto Litorânea Sul[editar | editar código-fonte]

O outro grande projeto é o da construção da Variante Ferroviária Litorânea Sul (VFLS), que prevê uma nova ferrovia entre Cariacica e Cachoeiro do Itapemirim, no Espírito Santo, com 165 quilômetros de extensão e com um ramal que dá acesso ao Pólo Industrial e de Serviços de Anchieta. O novo trecho vai substituir o trecho ferroviário acidentado entre as duas cidades pelo interior capixaba.

Em 2007, a FCA aplicou recursos no projeto básico de engenharia e deu início ao processo de licenciamento ambiental. Em novembro, oito audiências públicas foram organizadas para que se conseguisse a anuência das populações das 11 cidades que serão cortadas pelo novo trecho ferroviário. Foi a primeira etapa de licenciamento ambiental da obra.

Responsabilidade Social[editar | editar código-fonte]

O Cidadania nos Trilhos é o mais importante projeto de relacionamento externo da Logística. Tem como objetivo compartilhar com as comunidades próximas à linha férrea os cuidados necessários para uma convivência segura com o trem. Em cada município a busca unir esforços com igrejas, órgãos públicos, ONG´s, fundações, associações e entidades de classe, oferecendo parceria em iniciativas já existentes ou construindo propostas em conjunto.

Com as instituições de ensino da Rede Pública, o foco está na construção de projetos pedagógicos cujos temas estejam relacionados à convivência segura com a ferrovia. Para a elaboração dos projetos são distribuídos materiais didáticos. Desde seu início, o Cidadania nos Trilhos formou 443 educadores e envolveu diretamente mais de 43 mil alunos.

O Programa Cidadanis nos Trilhos foi premiado pela Aberje, em 2006, como o principal Programa de Relacionamento com Comunidades do Brasil.

Responsabilidade Patrimonial[editar | editar código-fonte]

Locomotiva nº 42 da EFOM na Estação de São João del-Rei.

Desde 2001, a FCA é a empresa responsável pela manutenção e operação da Estrada de Ferro Oeste de Minas. Este complexo ocupa uma área de 35.000 m2, sendo o maior centro de preservação da memória histórica ferroviária nacional e um dos mais importantes do mundo.

Além disso, em maio de 2006, foi inaugurado o Trem da Vale, cuja operação é de responsabilidade da Ferrovia Centro-Atlântica.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]