Estrada de Ferro Vitória a Minas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Estrada de Ferro Vitória a Minas
EFVM.JPG
Mapa da EFVM
Abreviações EFVM
Área de operação Minas Gerais e Espírito Santo
Tempo de operação 1904–Presente
Bitola 1,000 m
Sede Vitória, ES, Brasil

A Estrada de Ferro Vitória a Minas é uma ferrovia brasileira que liga a cidade de Belo Horizonte, capital do estado de Minas Gerais (passando pela região de mineração de Itabira) à Cariacica, na Região Metropolitana de Vitória, e aos portos de Tubarão, Praia Mole, e Barra do Riacho, no Espírito Santo. É uma ferrovia de bitola métrica (1.000 mm).

Sua construção se iniciou ainda no final do século 19 e contribuiu decisivamente para o aculturamento e dissolução (segundo alguns, "ajudou na conquista", no quase extermínio1 ) dos nativos indígenas que habitavam a região, entre os quais se destacam os Krenak.

Também foi muito importante para construção de cidades de médio porte no interior de Minas e Espírito Santo, como no Vale do Aço, cujo crescimento industrial só foi possível pela existência da ferrovia. Com 905 quilômetros de extensão, é uma das mais modernas e produtivas ferrovias do Brasil, sendo administrada pela Vale S.A., antiga CVRD (Companhia Vale do Rio Doce). Transporta 37% de toda a carga ferroviária nacional. Além de ser utilizada para escoar o minério de ferro, também é utilizada para o transporte de aço, carvão, calcário, granito, contêineres, ferro-gusa, produtos agrícolas, madeira, celulose, combustíveis e cargas diversas, de Minas Gerais para o exterior.

A ferrovia tem cerca de 300 clientes e é uma das poucas ferrovias brasileiras a manter o transporte contínuo de passageiros, com cerca de 2.800 usuários diariamente, o que lhe confere certa importância turística.2 A EFVM, junto com a Estrada de Ferro Carajás (Pará-Maranhão) e, agora, com a Noroeste do Brasil, são as últimas ferrovias a realizarem este serviço em longa distância.

Municípios com estação[editar | editar código-fonte]

Inauguração de trecho da EFVM no ano de 1927 em Antônio Dias, Minas Gerais.
Estação Mário Carvalho, em Timóteo, Minas Gerais.
Embarque e desembarque de passageiros na estação de Baixo Guandu, Espírito Santo.

Fase de pintura das locomotivas[editar | editar código-fonte]

Descrição sucinta das diversas fases de pintadas das locomotivas da EFVM:

  1. "Águia" estilizada na frente das locomotivas;
  2. "Vitória a Minas" por extenso (simplificada);
  3. "Bandeira CVRD" tanto com EFVM normal como em itálico;
  4. "Chocolate Branco", uso de branco, marrom e laranja como cores;
  5. "Banco Real", novas cores (verde, amarelo e branco) adotadas pela companhia a partir de 2008.3

Características de percurso[editar | editar código-fonte]

A ferrovia possui raio mínimo de curva de 195 m e rampa máxima de 1,5%, o que permite uma velocidade máxima de 57 km/h.4 5

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre transporte ferroviário é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.