Classe Garcia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Classe Garcia identificam navios tipo fragata da Marinha dos Estados Unidos da América, sendo esta a primeira classe de contratorpedeiros construída após a Segunda Guerra Mundial.[1] [2]

Estes navios foram originalmente barcos de escolta oceânicos que ostentavam a classificação (DE) na amura ou (DEG) até 1975. Os navios foram encomendados entre 1964 a 1968 e desmantelados entre 1988 a 1990.[2]

As fragatas tinham como principal missão a guerra anti-submarina e o apoio a forças combatentes anfíbias. Atuaram também na proteção a comboios mercantes.

A classe Garcia é uma versão maior da Classe Bronstein.[2]

Os navios da Classe Bronstein foram uma resposta ao desenvolvimento de submarinos nucleares de alta velocidade no final dos anos de 1950. Eles eram movidos por motores a vapor, em vez de motores diesel e integraram a primeira frota de guerra anti-submarina.

Sistemas de armamento[editar | editar código-fonte]

  • sonar SQS-26,
  • MK 16 ASROC foguete lançador,
  • tubos torpedo MK 32,
  • metralhadoras antiaérea.

Marinhas que utilizaram navios da Classe Garcia[editar | editar código-fonte]

Navios da Classe Garcia[editar | editar código-fonte]

[3]

Navio No. Estaleiro Comissionamento–
Decomissionamento
Garcia FF-1040 Bethlehem Steel, San Francisco 1964–1989 [1]
Bradley FF-1041 Bethlehem Steel, San Francisco 1965–1988 [2]
Edward McDonnell FF-1043 Avondale Shipyard, Louisiana 1965–1988 [3]
Brumby FF-1044 Avondale Shipyard, Louisiana 1965–1989 [4]
Davidson FF-1045 Avondale Shipyard, Louisiana 1965–1988 [5]
Voge FF-1047 Defoe Shipbuilding Company, Michigan 1966–1989 [6]
Sample FF-1048 Lockheed Shipbuilding and Construction Company, Seattle 1968–1988 [7]
Koelsch FF-1049 Defoe Shipbuilding Company, Michigan 1967–1989 [8]
Albert David FF-1050 Lockheed Shipbuilding and Construction Company, Seattle 1968–1989 [9]
O'Callahan FF-1051 Defoe Shipbuilding Company, Michigan 1968–1988 [10]
Glover FF-1098 Bath Iron Works 1965–1990 [11]

Todos os navios de escolta DEs, DEGs, e DERs (Destroyer Escorts) foram reclassificados como FFs, FFGs, ou FFRs (fragatas) em 30 de junho de 1975 pela Marinha dos Estados Unidos.[2]

Após o descomissionamento da Marinha americana os navios, USS Bradley (FF-1041), USS Davidson (FF-1045), USS Sample (FF-1048) e USS Albert David (FF-1050), foram transferidos para a Marinha do Brasil, como CT Pernambuco (D-30), CT Paraiba (D-28), CT Paraná (D-29) e CT Pará (D-27) respectivamente.[1] [2]

Após o descomissionamento da Marinha americana os navios, USS O'Callahan (FF-1051), USS Garcia (FF-1040), USS Koelsch (FF-1049) e USS Brumby (FF-1044) foram cedidos por empréstimo para Marinha do Paquistão, como Aslat (F-265), Siaf (F-264), Siqqat (F-267), Harbah (F-266) respectivamente.[1] Em 1994 foram devolvidos a Marinha dos Estados Unidos, após a recusa do Paquistão de não interromper o seu programa de desenvolvimento de armas nucleares.

Referências

  1. a b c Lance Radebaugh. Garcia Class (em inglês) USS Badger 1071. Página visitada em 27 de junho de 2012.
  2. a b c d e Bauer & Roberts, Friedman, Silverstone. Garcia class (em inglês) Destroyer History Foundation. Página visitada em 28 de junho de 2012.
  3. The Garcia (FF) Class (em inglês) Destroyers online. Página visitada em 27 de junho de 2012.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Stefan Terzibaschitsch: Seemacht USA. Bechtermünz Verlag, Augsburg 1997, ISBN 3-86047-576-2.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Classe Garcia


Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.