CT Paraíba (D-28)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
USS Davidson (FF-1045)
CT Paraíba (D-28)
Brazilian destroyer CT PARAIBA.JPEG

Marinha dos Estados Unidos
Marinha do Brasil
Estaleiro Lockheed Shipbuilding and Construction Company
Lançamento 3 de outubro de 1964
Incorporação 7 de dezembro de 1965 (Marinha dos Estados Unidos)
Baixa 8 de dezembro de 1988
Incorporação 25 de julho de 1989 (Marinha do Brasil)
Baixa 26 de julho de 2002
Situação O casco naufragou em 4 de fevereiro de 2005, nas proximidades das Ilhas das Maricás, em Niteroi.[1]
Deslocamento 3 560 t carga total
Comprimento 126,3 m total
Calado 7,90 m
Boca 13,47 m
Propulsão 2 x caldeiras Foster-Wheeler turbo pressurizadas;
1 turbina a vapor G.E. de 35.000 shp, acoplados a um eixo com hélice de cinco pás.
Velocidade 27 nós
Raio de ação 4 000 milhas náuticas a 20 nós.
Armamento 2 x canhões de 5 pol. (127 mm)

2 x lançadores triplos Mk 32 de torpedos
1 lançador óctuplo de foguetes A/S ASROC Mk-116
4 x metralhadoras Browning .50

Número de aeronaves 1 Westland AH-11A Super Lynx
Tripulação 286 homens (18 oficiais e 268 praças)
Classe Garcia Marinha dos Estados Unidos
Pará Marinha do Brasil

O CT Paraíba (D-28) foi um contratorpedeiro da Classe Pará (1963), da Marinha do Brasil. O navio anteriormente havia prestado serviços a Marinha dos Estados Unidos com o nome de USS Davidson (FF-1045).[2]

Marinha dos Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

O USS Davidson (FF-1045) foi um contratorpedeiro da Classe Garcia que serviu na Marinha dos Estados Unidos. Foi reclassificado posteriormente como fragata.

O nome do navio homenageia o Vice-Almirante Lyal Ament Davidson (1886-1950), que recebeu a Medalha por Serviços Distintos que é a segunda maior condecoração militar que pode ser dado a um membro do Exército dos Estados Unidos da América.[3]

Marinha do Brasil[editar | editar código-fonte]

História[editar | editar código-fonte]

Chegou a cidade do Rio de Janeiro, em 13 de dezembro de 1989,[4] acompanhado dos também contratorpedeiros CT Pará (D-27), CT Paraná (D-29) , CT Pernambuco (D-30), quando foram incorporados a Força de Contratorpedeiros.

CT Paraíba (D-28) em manobras, ao fundo corveta da Classe Inhaúma
fonte:SRPM.

Com uma longa lista de serviços participou das operações TEMPEREX-II/91, DRAGÃO XXVII e UNITAS XXXII em 1991, TROPICALEX-I/92 e UNITAS XXXIII em 1992, TROPICALEX-I/93 em 1993, ASPIRANTEX 96 em 1996, BOGATUN II, ADEFASEX, FRATERNO XVII e VENBRAS-97 em 1997, ASPIRANTEX-00 e TROPICALEX/APRESTEX 00 no ano de 2000.

Em 26 de julho de 2002, baixa do serviço e foi submetido a Mostra de Desarmamento, sendo colocado em reserva. No ano de 2003 deu baixa em definitivo.

Vendido em leilão, saiu a reboque em fevereiro de 2005, com destino a Alang, Índia, aonde deveria ser desmontado. O navio começo a fazer água e afundou nas coordenadas 23° 05.745' S / 042° 59'.521 W ao largo das Ilhas das Maricás. Um mês após o afundamento, o grupo Wreckfinder de mergulhadores do Rio de Janeiro, enquanto realizavam buscas pelo naufrágio Alagoas, naufragado nas proximidades, acabou encontrando o CT Paraíba coincidentemente, sendo tema do Bom Dia Brasil, na TV Globo.

O navio está inteiro, inclinado num ângulo de aproximadamente 45º sobre bombordo, a uma profundidade de 52 metros.[5]

Utilizou a frase "Lobo do Mar" como seu lema .

Origem do nome[editar | editar código-fonte]

É o quinto navio na Marinha do Brasil a ostentar esse nome em homenagem ao estado brasileiro Paraíba. Em tupi-guarani tem o significado de rio ruim. A mesma palavra provém do nome indígena para a árvore Simarouba versicolor que floresce abundantemente na região e é popularmente denominada pau-paraíba. A terceira versão estabelece que o significado é de fato "Rio que é braço de mar" (pará-ibá).

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre a Marinha do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre CT Paraíba (D-28)