Concílio de Laodiceia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Concílio de Laodiceia ou Sínodo de Laodiceia[1]

As principais decisões e preocupações do concílio envolveram efetivamente o comportamento dos membros da igreja. O concílio registrou seus cânones por meio de regras escritas, cujos principais manuscritos sobreviveram até a atualidade ou foram citados por outros sínodos e concílios. Entre os sessenta cânones decretados, os objetivos principais eram:

  • Manter a ordem entre os bispos, clérigos e leigos (cânones 3-5, 11-13, 21-27, 40-44, 56-57)[1]
  • Cumprimento de comportamento modesto de clérigos e leigos (4, 27, 30, 36, 53-55))[1]
  • Abordagem regular dos hereges (cânones 6-10, 31-34, 37), judeus (cânones 16, 37-38) e pagãos (cânon 39)[1]
  • Reconfirmava a guarda do domingo e anamatizava a guarda do sábado (cânon 29)[1]
  • Esboça algumas práticas litúrgicas (cânones 14-20, 21-23, 25, 28, 58-59)[1]
  • Discute as restrições durante a Quaresma (cânones 45, 49-52)[1]
  • Admissão e instrução de catecúmenos e neófitos (cânones 45-48)[1]
  • Especifica o Cânon bíblico (cânones 59)[1] , a autenticidade do cânon 60 é questionável.[2]

Cânon bíblico[editar | editar código-fonte]

Principais cânones[editar | editar código-fonte]

As principais decisões e preocupações do concílio envolveram efetivamente o comportamento dos membros da igreja. O concílio registrou seus cânones por meio de regras escritas, cujos principais manuscritos sobreviveram até a atualidade ou foram citados por outros sínodos e concílios. Entre os sessenta cânones decretados, os objetivos principais eram:

  • Manter a ordem entre os bispos, clérigos e leigos (cânones 3-5, 11-13, 21-27, 40-44, 56-57)[1]
  • Cumprimento de comportamento modesto de clérigos e leigos (4, 27, 30, 36, 53-55))[1]
  • Abordagem regular dos hereges (cânones 6-10, 31-34, 37), judeus (cânones 16, 37-38) e pagãos (cânon 39)[1]
  • Reconfirmava a guarda do domingo e anamatizava a guarda do sábado (cânon 29)[1]
  • Esboça algumas práticas litúrgicas (cânones 14-20, 21-23, 25, 28, 58-59)[1]
  • Discute as restrições durante a Quaresma (cânones 45, 49-52)[1]
  • Admissão e instrução de catecúmenos e neófitos (cânones 45-48)[1]
  • Especifica o Cânon bíblico (cânones 59) e o Apocalipse[1] , a autenticidade do cânon 60 é questionável.[2]

Cânon bíblico[editar | editar código-fonte]

O cânone 59 restringiu as leituras nos templos somente aos livros canônicos do Velho e Novo Testamentos. O cânone 60 lista estes livros, porém sua autenticidade é questionada por diversos estudiosos e alguns sugerem que foi uma adição posterior.[2] Este cânon decreta que o Novo Testamento conteria 26 livros, omitindo o Livro do Apocalipse, e o Antigo Testamento, incluiria os 22 livros da Bíblia Hebraica, acrescido o Livro de Baruch e o Livro de Jeremias.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q Synod of Laodicea (4th Century) Catholic Encyclopedia; New Advent.. Página visitada em 2010-01-29.
  2. a b c Nicene and Post Nicene Fathers, volume XIV
Ícone de esboço Este artigo sobre Teologia ou sobre um teólogo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.