Confinamento inercial

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde outubro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Confinamento inercial é o processo onde as reações da fusão nuclear é iniciado por aquecimento e compressão do combustível tipicamente na forma de particulas que frequentemente contém uma mistura de deutério e trítio.

Métodos[editar | editar código-fonte]

Segundo o método que se usa para adotar o movimento necessário para as partículas de combustível podemos destinguir:

  • Confinamento utilizado o laser de partículas

O método mais empregado para o confinamento inercial empregao um laser sobre um ponto. A fusão nuclear por confinamento inercial se consegue por meio de várias faces de raios laser (192 no NIF) de raios X ou ions pesados acelerados focados em um pequeno ponto esférico (10 miligramas), aonde se encontra o combustível de deutério-trítio.

  • Confinamento por fixação

Recentemente foi apresentado pela comunidade científica vários projetos para alcançar um confinamento inercial mediante o uso de ondas de choque eletromagnéticas sober o combustível.

Processo[editar | editar código-fonte]

Um processo de aquecimento do material é a compressão. Nesse caso o que se pretende é que um aumento da pressão aumenta a densidade e a temperatura. Para aumentar a pressão em um ponto, necessita-se fazer um impacto sobre ele. Refere-se aqui ao sentido mais amplo do conceito de partícula ou corpúsculos, como o conceito de pressão.

Desenvolvimento de energia[editar | editar código-fonte]

Nos momentos de demonstração do funcionamento do reator através do confinamento inercial que está sendo realizada no NIF (National Ignition Facility) nos Estados Unidos e no LMJ (Laser Megajoule) na França, com a mesma enérgia do NIF, com 240 feixes de laser em vez de 192, proporcionando uma maior flexibilidade (e complexidade) para a instalação. Ambas as instalações utilizam de ataque direto no alvo.

Existem outras fábricas que estudam fusão inercial, como o XII Gekko em Osaka (Japão) e Omega-upgrade em Rochester (Reino Unido), para estudar o ataque direto (Direct drive).

Veja também[editar | editar código-fonte]